Diferenças entre edições de "Heráclio (filho de Constante II)"

627 bytes adicionados ,  10h01min de 26 de agosto de 2018
sem resumo de edição
[[Imagem:Iustinianus II solidus 691840.jpg|thumb|upright=1.05|[[Soldo (moeda)|Soldo]] de {{lknb|Justiniano|II}} datável de seu primeiro reinado {{nwrap|r.|685|695}}]]
 
Heráclio era um dos filhos de Constante II com [[Fausta (esposa de Constante II)|Fausta]], filha do [[patrício bizantino|patrício]] [[Valentino (usurpador)|Valentino]]{{sfn|Kazhdan|1991|p=496}} Apesar de seu irmão mais velho, {{lknb|Constantino|IV}}, ter sido elevado à posição de coimperador em 654,{{sfn|Kazhdan|1991|p=500}} cinco anos depois, antes de partir para a [[Exarcado de Ravena|Itália]], Constante II também elevou Heráclio e seu outro irmão [[Tibério (filho de Constante II)|Tibério]] à mesma dignidade. Em 663, Constante tentou fazer com que seus filhos se juntassem a ele em [[Siracusa]], na [[Tema da Sicília|Sicília]], mas o evento provocou tamanha revolta em [[Constantinopla]] que os irmãos acabaram ficando na capital imperial.;{{sfn|Winkelmann|2001|p=125-127}} ela foi encabeçada por [[Teodoro de Coloneia|Teodoro]] e [[André (cubiculário)|André]].{{sfn|name=Li2013|Lilie|2013}}
 
Com a morte de Constante&nbsp;II em 668, Constantino&nbsp;IV se tornou imperador sênior. Tentou demover seus irmãos pouco antes do [[Sexto Concílio Ecumênico]] (681), causando uma revolta militar no [[Tema Anatólico]].{{sfn|name=Mo1997|Moore|1997}} O exército marchou até [[Crisópolis]] e enviou delegação através do [[Helesponto]] até a capital exigindo que continuassem como coimperadores junto de Constantino.{{sfn|Bury|1889|p=308}} Os militares basearam sua demanda na crença que, como o [[céu (cristianismo)|céu]] seria governado pela [[Santíssima Trindade|Trindade]], o império deveria ser, do mesmo modo, governado por três imperadores.<ref name=Mo1997 /> Eles estavam sob liderança de [[Leão (estratego do Tema Anatólico)|Leão]].<ref name=Li2013 />
 
Confrontado pela situação, Constantino manteve-se vigilante em relação aos irmãos e enviou um emissário de confiança, o capitalcapitão de [[Coloneia no Licos|Coloneia]] Teodoro, com a delicada tarefa de elogiar os soldados por sua devoção e concordar com suas propostas, tudo com o objetivo de persuadi-los a voltar aos seus acampamentos na [[Anatólia]]. Teodoro também convidou os líderes da revolta até Constantinopla para se consultarem com o [[Senado bizantino|senado]] para ver se era possível confirmar seus desejos. Contente com o aparente final feliz, o exército partiu de volta ao interior da Anatólia e os líderes do movimento ficaram na cidade.{{sfn|Bury|1889|p=309}} Sem a ameaça das tropas, Constantino se aproveitou para atacá-los, capturando-os e enforcando-os em [[Sícas]].{{sfn|name=Nor322|NorwichStratos|19901980|p=322139}}
 
No interim, Heráclio era mantido sob estrita vigilância e foi apenas por aparentemente não ter ideia do complô e não ter expressado desejo nenhum de governar em conjunto com Constantino que lhe "salvara a vida", permitindo que rete-se títulos e estatutos. Ainda assim, o fato de ele e Heráclio serem o foco de um complô para derrubar Constantino os fez suspeitos aos olhos do imperador sênior; também, o imperador fazia questão de elevar seu próprio filho, o futuro {{lknb|Justiniano|II}}.{{sfn|Hoyland|2012|p=173-174}} Em algum ponto entre 16 de setembro e 21 de dezembro de 681, Constantino manda a [[Mutilação política na cultura bizantina|mutilação]] dos irmãos, cortando-lhes o nariz e ordenando que suas [[efígie|imagens]] não mais fossem estampadas nas moedas e documentos imperiais.{{sfn|Grierson|1968|p=513}} Depois disso, Heráclio e o irmão desapareceram do registro histórico.{{sfn|Haldon|2016|p=43–45}}
 
{{referências|col=23}}
 
== Bibliografia ==
 
* {{Citar livro|sobrenome=Bury|nome=John Bagnell|título=A History of the Later Roman Empire from Arcadius to Irene|ano=1889|editora=MacMillan & Co.|isbn= 1-60520-405-6|volume=2|local=Londres|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Grierson|nome=Peter|coautor=Bellinger, Alfred Raymond|título=Catalogue of the Byzantine Coins in the Dumbarton Oaks Collection, Vol. II, Part 2|ano=1968|editora=Dumbarton Oaks|local=Washington|isbn=088402024X|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Haldon|nome=John|ano=2016|título=The Empire That Would Not Die|editora=Harvard University Press|local=Cambrígia|isbn= 9780674088771|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Kazhdan|nome=Alexander Petrovich|título=The Oxford Dictionary of Byzantium|editora=Oxford University Press|local=Nova Iorque e Oxford|ano=1991|isbn=0-19-504652-8|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Lilie|nome=Ralph-Johannes|coautor=Ludwig, Claudia; Zielke, Beate et al.|título=Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit Online|local=Berlim-Brandenburgische Akademie der Wissenschaften|capítulourl=https://www.degruyter.com/view/PMBZ/PMBZ13671|capítulo=#2556/corr. Herakleios | editora=Nach Vorarbeiten F. Winkelmanns erstellt|ano=2013|ref=harv}}
 
* {{Citar web|sobrenome=Moore|nome=R. Scott|url=http://www.roman-emperors.org/Constiv.htm|título=Constantine IV (668 -685 A.D.)|editora=Universidade de Indiana da Pensilvânia|ano=1997|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=NorwichStratos|nome=JohnAndreas J.Nikolaos|autorlink=Andreas Nikolaos Stratos|título=Byzantium: Thein Earlythe CenturiesSeventh Century: 634-641|ano=19901980| editora=PenguinAdolf BookM. Hakkert|local=LondresAmsterdã|isbn=978-0-14-011447-8| ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Grierson|nome=Peter|coautor=Bellinger, Alfred Raymond|título=Catalogue of the Byzantine Coins in the Dumbarton Oaks Collection, Vol. II, Part 2|ano=1968|editora=Dumbarton Oaks|local=Washington|isbn=088402024X|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Winkelmann|nome=Friedhelm|coautor=Ralph-Johannes Lilie; Claudia Ludwig; Thomas Pratsch; Ilse Rochow; Beate Zielke|título= Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit: I. Abteilung (641–867) - 5. Band: Theophylaktos (#8346) – az-Zubair (#8675), Anonymi (#10001–12149)|ano= 2001|local=Berlim e Nova Iorque|isbn=978-3-11-016675-0|editora=Walter de Gruyter|ref=harv}}