Abrir menu principal

Alterações

101 bytes adicionados, 06h57min de 29 de agosto de 2018
sem resumo de edição
|url=http://www.state.gov/g/drl/rls/irf/2006/71342.htm |titulo=International Religious Freedom Report 2006 |autor=Bureau of Democracy, Human Rights, and Labor |publicado=U.S. Department of State |data=2006-09-15 |acessodata=2007-12-04}}</ref> No entanto, essas estimativas baseiam-se em pessoas com uma associação com um templo, ao invés do número de pessoas que realmente seguem a religião. O professor Robert Kisala da Universidade de Nanzan sugere que apenas 30% da população do país se identifique como pertencente a alguma religião.<ref name=Kisala>{{citar livro |ultimo = Kisala |primeiro = Robert | editor= Robert Wargo|titulo = The Logic Of Nothingness: A Study of Nishida Kitarō |publicado = University of Hawaii Press|ano = 2005|páginas = 3–4 | isbn = 0824822846}}</ref>
 
O [[taoísmo]], o [[confucionismo]] e o [[budismo]] da [[República Popular da China|China]] também têm influenciado as crenças e os costumes japoneses. A religião no Japão tende a ser sincrética por natureza e isso resulta em uma variedade de práticas, tais como pais e filhos celebrando rituais xintoístas, os estudantes rezando antes dos exames, alguns casais celebrando um [[casamento]] em uma [[Igreja (edifício)|igreja]] cristã e funerais sendo realizados em templos budistas. Uma minoria (2.595.397 de pessoas ou 2,04% da população) professam o [[cristianismo]].<ref>{{citar web | url=http://www.bunka.go.jp/english/pdf/chapter_10.pdf | título=Religious Juridical Persons and Administration of Religious Affairs | publicado= [[Agency for Cultural Affairs]] | acessodata= 25 de agosto de 2008}}</ref> Além disso, desde meados do {{séc|XIX}}, numerosas seitas religiosas (''[[Shinshūkyō]]'') surgiram no Japão,<ref>{{citar web|url=http://www.br.emb-japan.go.jp/cultura/downloads/religiao.htm|titulo=RELIGIÃO: origens autóctones e influência estrangeira|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=EMB}}</ref> como a ''[[Tenrikyo]]'', ''[[Aum Shinrikyo]]'' (ou Aleph)<ref>{{citar web|url=http://www.tenrikyo.or.jp/en/download/portuguese/port1b.pdf|titulo=A vida plena de alegria|acessodata=4 de agosto de 2010}}</ref> e ''[[Soka Gakkai]]''.<ref>{{citar web |url=http://www.sgi.org/about-us/what-is-sgi.html |título=''What is SGI?'' |editor=SGI |acessodata=17 de setembro de 2012}}</ref>
 
Além disso, desde meados do {{séc|XIX}}, numerosas seitas religiosas (''[[Shinshūkyō]]'') surgiram no Japão,<ref>{{citar web|url=http://www.br.emb-japan.go.jp/cultura/downloads/religiao.htm|titulo=RELIGIÃO: origens autóctones e influência estrangeira|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=EMB}}</ref> como a ''[[Tenrikyo]]'', ''[[Aum Shinrikyo]]'' (ou Aleph)<ref>{{citar web|url=http://www.tenrikyo.or.jp/en/download/portuguese/port1b.pdf|titulo=A vida plena de alegria|acessodata=4 de agosto de 2010}}</ref> e ''[[Soka Gakkai]]''.<ref>{{citar web |url=http://www.sgi.org/about-us/what-is-sgi.html |título=''What is SGI?'' |editor=SGI |acessodata=17 de setembro de 2012}}</ref>
 
== Política ==
}}
 
A [[alfabetização]] no Japão remonta anterior à introdução da escrita [[kanji]] no {{séc|VI}}. Inicialmente restrita às classes aristocráticas, a educação atingiu a população em geral no [[Período Edo]], em que havia escolas específicas para a classe dos samurais, mas também escolas mistas que ensinavam escrita, leitura e aritmética. Graças a esse sistema, calcula-se que em 1868, época da [[Restauração Meiji]], 40% da população japonesa fosse alfabetizada.<ref name="Educação">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e37_education.pdf Education: Foundation for growth and prosperity]. PDF (425,26 KB). Visitado em 13 de Agosto de 2007.</ref> A divisão em escolas primárias, secundárias e universidades foi introduzida no Japão em 1871 como parte da [[Restauração Meiji]].<ref>ELLINGTON, Lucien. (1 de Fevereiro de 2003). [http://www.fpri.org/footnotes/087.200312.ellington.japaneseeducation.html Beyond the Rhetoric: Essential Questions About Japanese Education]. Foreign Policy Research Institute. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref>
 
A divisão em escolas primárias, secundárias e universidades foi introduzida no Japão em 1871 como parte da [[Restauração Meiji]].<ref>ELLINGTON, Lucien. (1 de Fevereiro de 2003). [http://www.fpri.org/footnotes/087.200312.ellington.japaneseeducation.html Beyond the Rhetoric: Essential Questions About Japanese Education]. Foreign Policy Research Institute. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref>
 
Desde 1947, a educação obrigatória no Japão inclui a [[educação infantil]] (shõgakkõ), o qual dura 6 anos (dos seis aos onze ou doze anos)e o [[ensino fundamental]], ''chugakkō'', o qual dura três anos. Quase todas as crianças continuam seus estudos indo para o colegial, ''koukō'', de três anos e, de acordo com o Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia, cerca de 75,9% dos formandos do ensino secundário cursaram a [[universidade]], a [[educação profissional]], ou outros cursos pós-secundários em 2005.<ref>Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia. [http://www.mext.go.jp/english/statist/05101901/005.pdf School Education] (PDF). Visitado em 10 de Março de 2007.</ref>
 
=== Habitação e saneamento ===
{{Imagem múltipla
[[imagem:Tokyo from the top of the SkyTree.JPG|thumb|esquerda|[[Tóquio]], uma das cidades mais [[Densidade populacional|densamente povoadas]] do mundo.]]
| align = left
[[Imagem:Lake Miyagase 01.jpg|thumb|esquerda|Lago Miyagase, uma importante reserva para [[Tóquio]] e [[Yokohama]]]]
| direction = vertical
| width = 220
 
| image1 = Tokyo from the top of the SkyTree.JPG
[[imagem:Tokyo | fromcaption1 the top= of the SkyTree.JPG|thumb|esquerda|[[Tóquio]], uma das cidades mais [[Densidade populacional|densamente povoadas]] do mundo.]]
 
| image2 = Lake Miyagase 01.jpg
[[Imagem:Lake | caption2 Miyagase 01.jpg|thumb|esquerda|= Lago Miyagase, uma importante reserva para [[Tóquio]] e [[Yokohama]]]].
 
}}
 
O Japão passou por profundas transformações em pouco mais de cem anos em suas estruturas socioeconômicas e culturais, saindo de um sistema [[Feudalismo|feudal]] para um mundo moderno e industrial. Suas [[Política habitacional|políticas habitacionais]] não fugiram às mudanças e foram desenvolvidas e solidificadas nos últimos quarenta anos, até 2006, gerando moradias e qualidade de vida.<ref name="Hab1"/><ref name="Hab2"/>
153 547

edições