Diferenças entre edições de "Carijós"

15 bytes adicionados ,  20h20min de 30 de agosto de 2018
m
Foram revertidas as edições de 189.4.72.32 (usando Huggle) (3.4.4)
Etiquetas: Editor Visual Inserção do elemento "nowiki", possivelmente errônea
m (Foram revertidas as edições de 189.4.72.32 (usando Huggle) (3.4.4))
Etiquetas: Huggle Reversão
Tendo naufragado nas proximidades da [[Ilha de Santa Catarina]] um navio português, seus tripulantes atingiram a terra, então campeada pelos índios [[guarani]]s. Entre os náufragos, estavam o português [[Henrique Montes]], o castelhano [[Melchior Ramirez]] e o negro Francisco Pacheco, além de outros. Como sucedeu a [[Caramuru]] e a [[João Ramalho]], estes uniram-se às índias, adotando um novo regime de vida. Desta união, resultou o nascimento de mestiços, [[mameluco]]s e [[cafuzo]]s, alterando o aspecto dos [[indígena]]s, que passaram a constituir uma nova cultura, denominada de ''carijó'', o que significa "arrancado do branco", ou seja, o [[mestiço]]. Daí vem o costume de chamarmos de carijós às galinhas de coloração preto e branco.{{carece de fontes|data=abril de 2017}}
 
[[Juan de Ayolas]], na conquista do [[Paraguai]], encontrou-se com os carijós à margem de um rio que deságua vinte quilômetros acima da foz do ramo principal do [[rio Pilcomayo|rio Pilcomayvgccgnvbvnbbvh]],nmjk;ojbnjhjmbmnjjlçnbn onde os ameríndios em gdjhhkquestão possuíam uma aldeia cercada por uma [[paliçada]]<nowiki/>pla dupla e guarnecida de "bocas de lobo" (escavações com [[estrepe]]s no fundo). Os espanhóis, acossados pela fome, marcharam resolutamente para a [[vitória]]. Os índios, ao ouvirem os primeiros estampidos das armas de fogo, fugiram em corrida, caindo muitos nas próprias esparrelas que haviam armado aos invasores. Depois de ocupar a aldeia, Ayolas deu-lhe o nome de [[Assunção]], em homenagem à [[Assunção de Maria|assunção de Nossa Senhora]].
 
Os carijós estavam virtualmente extintos em meados do [[século XVIII]], vítimas da escravização nas plantações de cana-de-açúcar da [[Baixada Santista]].<ref name="BUENO, E. 1999. p. 58">BUENO, E. ''Capitães do Brasil: a saga dos primeiros colonizadores''. Rio de Janeiro. Objetiva. 1999. p. 58.</ref>
157 738

edições