Abrir menu principal

Alterações

27 bytes adicionados ,  00h39min de 31 de agosto de 2018
m
Repetição de citação.
 
=== Século XIX ===
A avenida foi criada no final do [[século XIX]], a partir do desejo de paulistas em expandir na cidade novas áreas residenciais que não estivessem localizadas imediatamente próximo às mais movimentadas centralidades do período, por essa época altamente valorizadas e totalmente ocupadas, tais como a [[Praça da República (São Paulo)|Praça da República]], o bairro de Higienópolis e os [[Campos Elísios (São Paulo)|Campos Elísios]]. A avenida Paulista foi inaugurada no dia [[8 de dezembro]] de [[1891]], por iniciativa do engenheiro [[Joaquim Eugênio de Lima]] e do [[Clementino de Souza e Castro|Dr. Clementino de Souza e Castro]] (na época Presidente do [[Prefeitura (Brasil)|conselho de intendências]] da cidade de São Paulo, atual cargo de [[prefeito]]), para abrigar paulistas que desejavam adquirir seu espaço na cidade.<ref name=":1">{{citar web |url=https://acervo.estadao.com.br/noticias/acervo,avenida-paulista-completa-125-anos,12597,0.htm |titulo=Avenida Paulista completa 125 anos |data=8 de Dezembro de 2016 |publicado=[[Estadão]] |autor1=Carlos Eduardo Entini |autor2=Liz Batista |arquivourl=https://web.archive.org/web/20180828143703/https://acervo.estadao.com.br/noticias/acervo,avenida-paulista-completa-125-anos,12597,0.htm |arquivodata=28 de Agosto de 2018}}</ref>
 
Naquela época, houve grande expansão imobiliária em terrenos de antigas [[fazenda]]s e áreas devolutas, o que deu início a um período de grande crescimento. As novas [[rua]]s seguiam projetos desenvolvidos por [[Engenharia|engenheiros]] renomados, e nas áreas mais próximas à avenida e a seu parque central os terrenos eram naturalmente mais caros que nas áreas mais afastadas; não havia apenas residências de maior porte, mas também habitações populares, casebres e até mesmo cocheiras em toda a região circundante. Seu nome seria ''avenida das Acácias'' ou ''Prado de São Paulo'', mas Lima declarou:
 
}}
No fim do anos 1920, seu nome foi alterado para ''avenida Carlos de Campos'', homenageando o ex-presidente do estado, mas a reação da sociedade fez com que a avenida voltasse a ter o nome com o qual foi criada e é conhecida até os dias de hoje.<ref name=":1" />
 
A avenida foi aberta seguindo padrões urbanísticos relativamente novos para a época: seus [[palacete]]s possuíam regras de implantação que, como conjunto, caracterizaram uma ruptura com os tecidos urbanos tradicionais. Os novos palacetes incorporavam os elementos da [[arquitetura eclética]] (tornando a avenida uma espécie de museu de estilos arquitetônicos de períodos e lugares diversos) e dos novos empreendimentos norte-americanos: estavam todos isolados no meio dos lotes nos quais se implantavam, configurando um tecido urbano, diferente do restante da cidade, que alinhava a fachada das edificações com a testada do terreno. Isso fez com que a avenida possuísse uma amplidão espacial inédita na cidade.