Abrir menu principal

Alterações

254 bytes adicionados ,  16h49min de 3 de setembro de 2018
m
Continuação da expansão bibliográfica através das referências já utilizadas no texto
[[Imagem:Indonesian flag raised 17 August 1945.jpg|thumb|Bandeira indonésia levantada logo após a declaração de independência.]]
 
Os [[Europa|europeus]] chegaram à zona nos princípios do {{séc|XVI}}. Em 1511, os navegadores portugueses [[Francisco Serrão]] e [[António de Abreu]] aportaram às [[ilhas Molucas]] e procuraram dominar os reinos que ali existiam tendo em vista [[monopólio|monopolizar]] o [[comércio]] das [[especiaria]]s.{{sfn|Ricklefs|1993|p=22-24}} A história da colonização neerlandesa da Indonésia começou com a expedição de [[Cornelis de Houtman]]. No {{séc|XVII}}, os [[Países Baixos|neerlandeses]], através da [[companhia Holandesa das Índias Orientais]], estabeleceram na região a sua [[colónia (história)|colónia]] das "[[Índias Orientais Neerlandesas]]"{{sfn|Ricklefs|1993|p=24}} (sem, no entanto, conseguirem ocupar a colónia portuguesa de [[Timor]]). Durante a maior parte do período colonial, o controle neerlandês sobre o arquipélago ficou restrito às zonas costeiras, em uma ocupação que durou até o {{séc|XX}}. As tropas neerlandesas estavam constantemente envolvidas em sufocar [[rebelião|rebeliões]].<ref name{{sfn|Schwarz|1994|p="Schwartz">Schwartz, p. 3-4</ref>}} A influência de líderes locais, tais como o príncipe Diponegoro no centro de Java, Bonjol Imam em Samatra central e Pattimura nas Molucas e uma sangrenta guerra em [[Aceh]], que durou trinta anos, debilitaram e reduziram as forças [[militar]]es neerlandesas.<ref name{{sfn|Schwarz|1994|p="Schwartz"/>3-4}}
 
Durante a [[Segunda Guerra Mundial]], os Países Baixos, que haviam sido ocupados pela [[Alemanha Nazista]], perderam a sua colónia para os [[Japão|japoneses]].{{sfn|Dower|1986}} Com o fim da guerra, [[Sukarno]], que tinha cooperado com os japoneses, declarou a [[independência]] da Indonésia, mas os [[aliados]] apoiaram o [[exército]] neerlandês a tentar recuperar a sua colónia. A guerra pela independência, denominada [[revolução Nacional da Indonésia]], durou mais de quatro anos e envolveu um esporádico, mas sangrento [[Conflito armado|conflito armado interno]], levantes políticos e duas grandes intervenções diplomáticas internacionais. As forças neerlandesas não conseguiram prevalecer aos indonésios, sendo expulsos após muita resistência{{sfn|Friend|2003|p=35}}. Embora as forças neerlandesas controlassem as vilas e cidades em redutos republicanos em [[Java]] e [[Samatra]], não controlavam as aldeias e o campo. Assim, a república da Indonésia acabou por prevalecer, tanto através da diplomacia internacional, como através da determinação da Indonésia em conflitos armados em Java e em outras ilhas. A revolução terminou em dezembro de 1949, quando, após pressões internacionais, os Países Baixos reconheceram formalmente a independência da Indonésia.<ref>{{citar web|url=http://www.globalsecurity.org/military/world/war/indo-inde.htm|título=Indonesian War of Independence|autor=John Pike|data=2005|publicado=Global Security.org|acessodata=6 de abril de 2011}} {{en}}</ref>{{sfn|Taylor|2003|p=325}}
A Indonésia possui {{formatnum:17508}} [[ilha]]s das quais cerca de {{formatnum:6000}} são habitadas<ref name="regions">{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20051228011848/http://www.indonext.com/Regions/|título=Indonesia regions|data=2005|publicado=Indonext (arquivo)|acessodata=28 de fevereiro de 2011}} {{en}}</ref><ref name="FMI2">{{citar web|url=http://www.imf.org/external/pubs/ft/weo/2006/01/data/dbcoutm.cfm?SD=2005&ED=2005&R1=1&R2=1&CS=3&SS=2&OS=C&DD=0&OUT=1&C=536&S=PPPWGT-PPPPC&RequestTimeout=120&CMP=0&x=45&y=5|título=Report for Selected Countries and Subjects|autor=Fundo Monetário Internacional|autorlink=Fundo Monetário Internacional|data=2006|publicado=FMI.org|acessodata=28 de fevereiro de 2011}} {{en}}</ref>. As principais são [[Java (ilha)|Java]], [[Samatra]], [[Bornéu]] (compartilhada com a [[Malásia]] e [[Brunei]]), [[Nova Guiné]] (compartilhada com a [[Papua-Nova Guiné]]) e [[Celebes]]. A Indonésia tem fronteiras terrestres apenas com a Malásia (na ilha de Bornéu), Papua-Nova Guiné (na Nova Guiné) e [[Timor-Leste]], na ilha de [[Timor]]. Além disso, apenas alguns estreitos separam a Indonésia de [[Singapura]], [[Filipinas]] e [[Austrália]]. A capital, Jacarta, está localizada na ilha de Java e é a maior cidade do país, seguida de [[Bandung]], [[Surabaya]], [[Medan]] e [[Semarang]].{{sfn|Witton|2003|p=139, 181, 251, 435}}
 
Com {{formatnum:1904569}} km²,<ref name="cia"/> a Indonésia é o décimo sexto [[Lista de países e territórios por área|país mais extenso]] do mundo, em termos de superfície.<ref>{{citar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2147rank.html|título=CIA: The World Factbook -- Country Comparison - Area|autor=CIA|data=2006|publicado=The World Factbook|acessodata=4 de março de 2011}}</ref> Sua densidade populacional é de 134 hab./km², a [[Lista de países por densidade populacional|88ª mais alta do mundo]],<ref>{{citar web|url=http://www.photius.com/rankings/geography/population_density_2006_1.html|título=Population density - Persons per sq km 2006 country rankings|autor=CIA|data=2006|publicado=The World Factbook|acessodata=4 de março de 2011}}</ref> enquanto [[Java]], a ilha mais povoada do mundo<ref name="JOSHUA">{{Citar websfn| último = Calder | primeiro = Joshua | título = Most Populous Islands | publicado = World Island Information | data = 3 de maio de 2006 | url = http://www.worldislandinfo.com/POPULATV2.htm | acessodata =26 de setembro de 2006 }}</ref> tem uma densidade populacional de 940 hab./km². Com 4884 m de altitude, o [[Puncak Jaya]], em Papua, é o ponto mais elevado da Indonésia, enquanto o [[lago Toba]] em Samatra é o lago mais extenso do país, com uma área de 1145&nbsp;km². Os maiores rios do país estão em Kalimantan, dos quais se utilizam como via de comunicação e transporte entre os habitantes da ilha.<ref>{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20080328095633/http://encarta.msn.com/encyclopedia_761573214/Republic_of_Indonesia.html|título=Republic of Indonesia|data=|publicado=MSN Encarta (2008). Arquivado desde o original, de 28 de março de 2008|acessodata=4 de março de 2011}} {{en}}</ref>
 
Situando-se entre as placas tectônicas [[Placa do Pacífico|do Pacífico]], [[Placa Euro-Asiática|Euro-Asiática]] e [[Placa Indo-australiana|Indo-australiana]], a Indonésia é um país com muitos [[vulcão|vulcões]] e com frequentes [[sismo]]s, com pelo menos 150 vulcões ativos,<ref>{{citar web|url=http://www.volcano.si.edu/world/region.cfm?rnum=06&rpage=list|título=Global Volcanism Program - Volcanoes of the Wrold - Volcanoes of Indonesia|autor=Programa global de vulcanismo|data=2009|publicado=Volcano.si.edu|acessodata=4 de março de 2011}} {{en}}</ref> incluindo o [[Krakatoa]] e o [[Monte Tambora|Tambora]], famosos por suas erupções devastadoras no {{séc|XIX}}. Entre os desastres causados pela atividade sísmica recente, se encontram o [[Sismo e tsunami do Oceano Índico de 2004]], que matou cerca de {{formatnum:170000}} pessoas no norte de Samatra<ref>{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20070519133441/http://www.tsunamispecialenvoy.org/country/humantoll.asp|título=UN Office of the Special Envoy for Tsunami Recovey - Countries|autor=ONU|autorlink=ONU|data=2006|publicado=Tsunami Special Envoy.org.|acessodata=4 de março de 2011}} {{en}}</ref> e o [[Sismo de Java de maio de 2006]]. No entanto, a cinza vulcânica é um dos principais fatores que contribuem para a alta fertilidade do solo que tem mantido a densidade populacional de Java e [[Bali]].{{sfn|Whitten|Henderson|Mustafa|1996|p=95-97}}
[[Imagem:Indonesia Ethnic Groups Map English.svg|thumb|500px|Mapa dos grupos étnicos da Indonésia {{en}}.]]
 
De acordo com o censo nacional de 2010, a população da Indonésia é de 237,6 milhões de habitantes,<ref name="bps2010">{{Citar web |url=http://www.bps.go.id/65tahun/SP2010_agregat_data_perProvinsi.pdf |título=Central Bureau of Statistics: ''Census 2010'' |publicado=Badan Pusat Statistik |acessodata=17 de janeiro de 2011 |lingua=id |arquivourl=https://web.archive.org/web/20101113144717/http://www.bps.go.id/65tahun/SP2010_agregat_data_perProvinsi.pdf |arquivodata=13 de Novembro de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> com um crescimento demográfico de 1,9% ao ano.<ref>{{Citar web|url=http://waspada.co.id/index.php?option=com_content&view=article&id=182106:fifty-years-needed-to-bring-population-growth-to-zero&catid=30:english-news&Itemid=101 |título=Fifty years needed to bring population growth to zero |publicado=Waspada.co.id |data=19 de março de 2011 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref> Aproximadamente 60% da população vive em [[Java]],<ref name="bps2010"/> a ilha mais populosa do mundo.<ref name="JOSHUA" />{{sfn|Calder|2006}} Em 1961, o primeiro censo pós-colonial registrou uma população total de 97 milhões de pessoas.{{sfn|Nitiastro|2006|p=268}} Apesar de um programa de [[planejamento familiar]] bastante eficaz, que está em vigor desde os anos 1960, a população indonésia deverá crescer para cerca de 265 milhões em 2020 e 306 milhões em 2050.<ref>{{citar web | url=http://web.archive.org/web/20111216084521/http://esa.un.org/unpd/wpp/Excel-Data/DB04_Population_ByAgeSex_Annual/WPP2010_DB4_F1B_POPULATION_BY_AGE_BOTH_SEXES_ANNUAL_2011-2100.XLS | título=World Population Prospects (2010). Annual Population 2011–2100 }} (XLS). Nações Unidas</ref>
 
Há cerca de 300 diferentes [[grupos étnicos]] nativos e 742 línguas e dialetos diferentes no país.<ref>{{Citar web|publicado=Expat Web Site Association |título=An Overview of Indonesia |obra=Living in Indonesia, A Site for Expatriates |url=http://www.expat.or.id/info/overview.html |acessodata=5 de outubro de 2006}}</ref><ref>{{Citar web sfn|último=Merdekawaty |primeiro=E. |título="Bahasa Indonesia" and languages of Indonesia |obra=UNIBZ&nbsp;– Introduction to Linguistics |publicado=Free University of Bozen |data=6 de julho de 2006 |url=http://www.languagestudies.unibz.it/Bahasa%20Indonesia_Merdekawaty.pdf |acessodata=17 de julho de 2006 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20060921074359/http://www.languagestudies.unibz.it/Bahasa%20Indonesia_Merdekawaty.pdf |arquivodata=21 de Setembro de 2006 |urlmorta=yes }}</ref> A maioria indonésios são descendentes de povos de língua austronésia, cuja origem pode ser atribuída ao antigo idioma proto-austronésio, que possivelmente se originou na ilha de [[Taiwan]]. Outro grande grupo são os [[Melanésia|melanésios]], que habitam leste da Indonésia.{{sfn|Witton|2003|p=139, 181, 251, 435}}{{sfn|Taylor|2003|p=5–7}}{{sfn|Dawson|Gillow|1994|p=7}}) O maior grupo étnico são [[java]]neses, que compreendem 42% da população e são politicamente e culturalmente dominantes.{{sfn|Kingsbury|2003|p=131}} Os [[sundaneses]], [[malaios]] e [[Madura|madureses]] são os maiores grupos não-javaneses. Um sentimento de nacionalidade indonésia coexiste com fortes identidades regionais.<ref name="RICKLEFS_256">Ricklefs (1991), p. 256</ref> A sociedade é, em grande parte harmoniosa, embora existam tensões sociais, religiosas e étnicas que têm provocado uma violência horrível.<ref>{{citar periódico |autor =T.N. Pudjiastuti |título=Migration & Conflict in Indonesia |publicadopor=International Union for the Scientific Study of Population (IUSSP), Paris |ano=2002 |url=http://212.95.240.146/Bangkok2002/S15Pudjiastuti.pdf |acessodata=17 de setembro de 2006}}</ref><ref>{{Citar web|título=Kalimantan The Conflict|obra=Program on Humanitarian Policy and Conflict Research |url=http://preventconflict.org/portal/main/maps_kalimantan_conflict.php |arquivourl=https://web.archive.org/web/20091212135147/http://preventconflict.org/portal/main/maps_kalimantan_conflict.php |arquivodata=12 de dezembro de 2009 |acessodata=7 de janeiro de 2007 |publicado=Conflict Prevention Initiative, Harvard University}}</ref><ref>{{citar conferência|autor =J.W. Ajawaila; M.J. Papilaya; Tonny D. Pariela; F. Nahusona; G. Leasa; T. Soumokil; James Lalaun and W. R. Sihasale |título=Proposal Pemecahan Masalah Kerusuhan di Ambon |publicadopor=Fica-Net |ano=1999 |local=Ambon, Indonesia |url=http://www.fica.org/h/ambon/idRusuh1.html |acessodata=29 de setembro de 2006|títulolivro=Report on Church and Human Rights Persecution in Indonesia}}; Kyoto University: Sulawesi Kaken Team & Center for Southeast Asian Studies {{PDFlink|[http://sulawesi.cseas.kyoto-u.ac.jp/lib/pdf/MRidwanAlimuddin.pdf Bugis Sailors]|124&nbsp;KB}}</ref> Os indonésios de origem [[chineses|chinesa]] são uma minoria étnica influente que compõe entre 3% e 4% da população. Grande parte do comércio e da riqueza indonésia de propriedade privada está nas mãos dos indonésios chineses.<ref>{{sfn|Schwarz (|1994), pp. |p=53, 80–81</ref>}}{{sfn|Friend|2003|p=85–87, 164–165, 233–237}} Empresas chinesas presentes na Indonésia são parte da chamada "[[rede de bambu]]", uma rede de empresas chinesas no exterior que operam nos mercados do [[Sudeste Asiático]] e que compartilham uma família e laços culturais comuns.{{sfn|Weidenbaum|1996|p=4-8}} Isto tem contribuído com um considerável ressentimento na população em geral e até mesmo alguns casos de violência antichineses.<ref>{{Citar web sfn|autor=M. F. Swasono |título=Indigenous Cultures in the Development of Indonesia |obra=Integration of endogenous cultural dimension into development |publicado=Indira Gandhi National Centre for the Arts, New Delhi |ano=1997 |url=http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |acessodata=17 de setembro de 2006 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20061113215740/http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |arquivodata=13 de Novembro de 2006 |urlmorta=yes }}; {{Citar websfn|autor=S. Long |título=The Overseas Chinese |publicado=Prospect Magazine |data=9 de abril de 1998 |url=http://www.prospectmagazine.co.uk/1998/04/theoverseaschinese/|acessodata=10 de abril de 2011}} {{Citar websfn|autor=M. Ocorandi |título=An Analysis of the Implication of Suharto's resignation for Chinese Indonesians |publicado=Worldwide HuaRen Peace Mission |data=28 de maio de 1998 |url=http://www.hartford-hwp.com/archives/54b/083.html |acessodata=26 de setembro de 2006}}; {{Citar web sfn|autor=F.H. Winarta |título=Bhinneka Tunggal Ika Belum Menjadi Kenyataan Menjelang HUT Kemerdekaan RI Ke-59 |publicado=Komisi Hukum Nasional Republik Indonesia (National Law Commission, Republic of Indonesia), Jakarta |data=agosto de 2004 |url=http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |língua=indonésio |acessodata=6 de Setembro de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20061113215740/http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |arquivodata=13 de Novembro de 2006 |urlmorta=yes }}</ref>
 
A [[língua oficial]] nacional é o [[Língua indonésia|indonésio]], uma variante da [[língua malaia]]. Ela é baseada em um [[dialeto de prestígio]] do malaio falado no [[Sultanato de Johore]] e que durante séculos foi a [[língua franca]] do arquipélago indonésio, um padrão de normas que definiu as as línguas oficiais de [[Singapura]], [[Malásia]] e [[Brunei]]. O indonésio é universalmente ensinado nas escolas, consequentemente, é falado por quase todos os habitantes. É o idioma dos negócios, da política, da mídia nacional, da educação e da academia. Ele foi promovido pelos [[Nacionalismo|nacionalistas]] indonésios em 1920 e declarado como a língua oficial sob o nome de indonésio na proclamação da independência em 1945. A maioria dos indonésios falam pelo menos uma das várias centenas de línguas e dialetos locais, muitas vezes como sua primeira língua. Destes, o [[Língua javanesa|javanês]] é a mais falada, já que é o idioma do maior grupo étnico do país.<ref name="CIA"/> Por outro lado, Papua tem mais de 270 [[línguas austronésias]] e nativas, em uma região de cerca de 2,7 milhões de pessoas.<ref>{{Citar web |url=http://archive.ethnologue.com/15/show_country.asp?name=IDP |título=Ethnologue report for Indonesia (Papua) |publicado=Ethnologue.com |acessodata=28 de abril de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20131106112639/http://archive.ethnologue.com/15/show_country.asp?name=IDP |arquivodata=6 de Novembro de 2013 |urlmorta=yes }}</ref>
[[Imagem:1993 People's Consultative Assembly.jpg|thumb|esquerda|[[Assembleia Consultiva Popular]], sede do poder legislativo indonésio, durante sessão ordinária.]]
 
A Indonésia é uma [[república]] [[presidencialismo|presidencialista]]. Como se trata de um [[estado unitário]], o poder se concentra no governo central. O Presidente, que é chefe de estado e do governo, é eleito diretamente para mandatos de 5 anos, junto com o vice-presidente. Após a renúncia de Suharto em 1998, as estruturas políticas e governamentais sofreram importantes reformas. Realizaram-se quatro emendas a Constituição de 1945{{nota de rodapé|Em 1998, 1999, 2000 e 2001.}}, que renovaram os poderes [[Poder executivo|executivo]], [[Poder legislativo|legislativo]] e [[Poder judiciário|judiciário]].<ref name="susi">Susi Dwi {{sfn|Harijanti, Tim |Lindsey (|2006). «Indonesia: General elections test the amended Constitution and the new Constitutional Court» (em [[língua inglesa|inglês]]). International Journal of Constitutional Law 4 (1): p. =138–150</ref>}} O presidente é o [[Chefe de Estado]] e o comandante das forças armadas e o diretor da administração interna, da criação de políticas e das relações exteriores. Além disso, é o presidente que nomeia o conselho de ministros, que não são obrigados a ser membros eleitos do poder legislativo. As eleições presidenciais de 2004 foram as primeiras em que o povo elegeu diretamente o presidente e o vice-residente, por sufrágio universal.<ref name="publico"/><ref>{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20080630074121/http://www.cartercenter.org/documents/2161.pdf|título=The Carter Center 2004 Indonesia Election Report|autor=Carter Center|data=2004|publicado=Carter Center.org, arquivado desde o originalem 30 de junho de 2008|acessodata=3 de março de 2011}} {{en}}</ref> O presidente é eleito por cinco anos e só pode se reeleger por uma única vez.<ref>_ (2002), The fourth Amendment of 1945 Indonesia Constitution, Capítulo III – O poder executivo, Art. 7. {{en}}</ref>
 
O principal corpo legislativo do país é o ''Majelis Permusyawaratan Rakyat'' (MPR)<ref>{{citar web|url=http://web.archive.org/web/20110914090238/http://www.mpr.go.id/pdf/ketetapan/putusan%20MPRRI%202000.pdf|título=Ketetapan MPR-RI Nomor II/MPR/2000 tentang Perubahan Kedua Peraturan Tata Tertib Majelis Permusyawaratan Rakyat Republik Indonesia|autor=Conselho representante do Povo|data=2000|publicado=MPR.go.id|acessodata=3 de março de 2011}} (em [[língua indonésia|indonésio]])</ref> ou [[Assembleia Consultiva Popular]], que consiste do ''Dewan Perwakilan Rakyat'' (DPR) ou [[Conselho Representativo do Povo]], eleito para mandatos de 5 anos, e do ''Dewan Perwakilan Daerah'' (DPD) ou [[Conselho dos Representantes Regionais]]. Depois das eleições de 2004, o MPR tornar-se-ia um [[parlamento]] [[bicameral]] com a criação do DPD como nova segunda câmara. As principais funções do MPR são revisar e aprovar emendas para a constituição, fazer o juramento do presidente e também processar o mesmo presidente, de acordo com a legislação.<ref name{{sfn|Harijanti|Lindsey|2006|p="susi"/>138–150}} O DPD é uma câmara relativamente nova onde se atendem os assuntos de cunho regional. O DPD compreende quatro membros eleitos por cada província, os quais não pertencem a nenhum [[partido político]].<ref>{{citar web|url=http://www.gtzsfdm.or.id/documents/laws_n_regs/con_decree/3_AmdUUD45_eng.pdf|título=Third Amendment to the 1945 Constitution of The Republic of Indonesia|autor=Assembleia Consultiva|data=2000|publicado=Gtzsfdm.or.id.|acessodata=12 de março de 2011|arquivourl=https://web.archive.org/web/20061201025250/http://www.gtzsfdm.or.id/documents/laws_n_regs/con_decree/3_AmdUUD45_eng.pdf|arquivodata=1 de Dezembro de 2006|urlmorta=yes}} {{|idioma=en}}</ref>
 
Em contraste com a política anti-imperialista contra as potências ocidentais e as tensões com a Malásia durante o regime de Sukarno, as [[relações internacionais]] da Indonésia desde a chamada "nova ordem" se baseiam na cooperação política e [[economia|económica]] com as nações ocidentais.<ref>{{citar web|url=http://countrystudies.us/indonesia/97.htm|título=Foreign Policy|autor=William Frederick|data=1993|publicado=Country Studies.ua|acessodata=30 de abril de 2011}} {{en}}</ref> O país mantém estreitas relações com seus vizinhos no sudeste asiático e é um membro fundador da [[Associação das Nações do Sudeste Asiático]] (ANSA).<ref>{{citar web|url=http://www.state.gov/r/pa/ei/bgn/2748.htm|título=Indonesia (10/09)|autor=CIA|data=2009|publicado=state.gov|acessodata=30 de abril de 2011}}</ref>
[[Imagem:KerbauJawa.jpg|thumb|Agricultor usando um [[búfalo-asiático]] para a arar os campos de [[arroz]] na ilha de [[Java]]. O setor agrícola foi o maior empregador do país durante séculos.]]
 
Na década de 1960 a economia se deteriorou drasticamente como resultado da instabilidade política, de um governo jovem e inexperiente e do [[nacionalismo]] econômico, que resultou em [[pobreza extrema]] e da [[fome]]. Até o momento da queda do presidente [[Sukarno]], em meados dos anos 1960, a economia estava caótica, com uma [[inflação]] de 1.000% ao ano, diminuição nas receitas de exportação, uma infraestrutura em ruínas, fábricas operando com capacidade mínima e investimentos insignificantes. Após a queda de Sukarno, a nova administração nacional promoveu um certo grau de [[Austeridade|disciplina financeira]] à política econômica, o que rapidamente reduziu os níveis inflação, estabilizou a moeda local, renegociou a [[dívida externa]] e atraiu investimento estrangeiro. A Indonésia era, até recentemente, o único país do Sudeste Asiático membro da [[Organização dos Países Exportadores de Petróleo]] (OPEP) e o preço do petróleo durante os anos 1970 aumentou as receitas de exportação, o que contribuiu para altas taxas de [[crescimento econômico]] sustentado, com média de mais de 7% ao ano entre 1968 e 1981. Na sequência de novas reformas no final dos anos 1980, o investimento estrangeiro fluiu para o país, especialmente para o setor industrial orientado para a exportação em rápido desenvolvimento e, de 1989 a 1997, a economia indonésia cresceu a uma média anual de mais de 7%.<ref name="SCHWARZ">{{sfn|Schwarz (|1994), pp. |p=52–57</ref><ref>}}{{Citar web|título=Indonesia: Country Brief |obra=Indonesia: Key Development Data & Statistics |publicado=[[Banco Mundial]] |mes=Setembro | ano=2006 | url = http://web.worldbank.org/WBSITE/EXTERNAL/COUNTRIES/EASTASIAPACIFICEXT/INDONESIAEXTN/0,,contentMDK:20095968~pagePK:141137~piPK:141127~theSitePK:226309,00.html }}</ref>
 
O país foi o mais duramente atingido pela [[crise financeira asiática de 1997]], quando houve súbitas saídas de capital, o que levou a [[rupia indonésia]] a entrar em queda livre. Em relação ao [[dólar estadunidense]], a rupia se desvalorizou de cerca de Rp 2.600 no final de 1997 para um valor abaixo de cerca de Rp 17.000 alguns meses mais tarde, enquanto a economia encolheu notáveis 13,7%. Estes acontecimentos levaram à [[recessão econômica]] generalizada em toda a economia e contribuiu para a crise política de 1998, que levou Suharto a renunciar ao cargo de presidente.<ref name="CountryBrief">{{Citar web|título=Indonesia: Country Brief |obra=Indonesia:Key Development Data & Statistics |publicado=Banco Mundial |mes=Setembro | ano=2006 |url=http://web.worldbank.org/WBSITE/EXTERNAL/COUNTRIES/EASTASIAPACIFICEXT/INDONESIAEXTN/0,,contentMDK:20095968~pagePK:141137~piPK:141127~theSitePK:226309,00.html}}</ref> A rupia depois estabilizou no entre Rp 8.000-10.000<ref>{{Citar web|url=http://www.oanda.com/convert/fxhistory |título=Historical Exchange Rates |publicado=OANDA |data=7 de janeiro de 2010 |acessodata =28 de abril de 2010}}</ref> e uma recuperação econômica lenta, mas constante se seguiu. No entanto, a instabilidade política, uma lenta reforma econômica e altos níveis de [[corrupção política]] retardaram a recuperação econômica do país.<ref name=economist1>{{citar periódico |título=Poverty in Indonesia: Always with them |periódico=[[The Economist]] |data=14 de setembro de 2006 |acessodata=26 de dezembro de 2006 |url= http://www.economist.com/node/7925064?story_id=7925064}}; [http://www.economist.com/node/8001604?story_id=8001604 correction].</ref><ref name = "Asia">{{citar periódico |último =Guerin |primeiro =G |título= Don't count on a Suharto accounting |periódico=Asia Times Online |local= Hong Kong |data=23 de maio de 2006 |url= http://www.atimes.com/atimes/Southeast_Asia/HE23Ae01.html}}</ref> A [[Transparência Internacional]], por exemplo, classificou a Indonésia abaixo do 100º lugar no [[Índice de Percepção de Corrupção]].<ref>{{Citar web| publicado = [[Transparência Internacional]] | url = http://www.transparency.org/policy_research/surveys_indices/cpi/2003 | título = Policy research}}</ref><ref>{{Citar web|url= http://www.transparency.org/policy_research/surveys_indices/cpi/2010/results |título=Índice de Percepção de Corrupção de 2010 | publicado=[[Transparência Internacional]] |data=15 de dezembro de 2010 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref> Desde 2007, no entanto, com a melhoria no setor bancário e do consumo doméstico, o crescimento econômico nacional acelerou para mais de 6% ao ano<ref>{{Citar web|url=http://www.imf.org/external/pubs/ft/weo/2010/02/weodata/weorept.aspx?pr.x=58&pr.y=13&sy=2007&ey=2010&scsm=1&ssd=1&sort=country&ds=.&br=1&c=536&s=NGDP_RPCH&grp=0&a= |título=Report for Selected Countries and Subjects |publicado=[[Fundo Monetário Internacional]] (FMI) |data=14 de setembro de 2006 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://www.bi.go.id/web/en/Publikasi/Kebijakan+Moneter/Tinjauan+Kebijakan+Moneter/mpr_tw410.htm |título=Monetary Policy Report Quarter IV / 2010 – Central Bank of Republic of Indonesia |publicado=Banco Central da Indonésia |data=3 de dezembro de 2010 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://www.eastasiaforum.org/2010/09/25/indonesias-economy-continues-to-surprise/ |título=Indonesia's economy continues to surprise |publicado=East Asia Forum |data=25 de setembro de 2010 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref> e isso ajudou o país durante [[Grande Recessão|recessão global de 2008-2009]].<ref>{{Citar web|url=http://www.imf.org/external/pubs/ft/survey/so/2009/car072809b.htm |título=IMF Survey: Indonesia's Choice of Policy Mix Critical to Ongoing Growth |publicado=IMF |data=28 de julho de 2009 |acessodata=10 de abril de 2011}}</ref> O país recuperou a sua classificação de [[grau de investimento]] no final de 2011, depois de perdê-lo no ano de 1997.<ref>{{Citar web |url=http://english.kompas.com/read/2012/02/07/08113654/Indonesian.Economy.Grows.at.Top.Clip.Since.90s |título=Indonesian Economy Grows at Top Clip Since '90s |data=7 de fevereiro de 2012 |acessodata=7 de Fevereiro de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20120210025008/http://english.kompas.com/read/2012/02/07/08113654/Indonesian.Economy.Grows.at.Top.Clip.Since.90s |arquivodata=10 de Fevereiro de 2012 |urlmorta=yes }}</ref> No entanto, em 2012, 11,7% da população ainda vivia abaixo da [[linha de pobreza]] e a taxa oficial de [[desemprego]] foi de 6,1%.<ref name="CIA"/>
{{Artigo principal|Cultura da Indonésia}}
[[Imagem:Wayang Pandawa.jpg|thumb|esquerda|300px|Fantoches tradicionais chamados ''[[Wayang Kulit]]'' representando os cinco [[Pandava]], da esquerda para a direita: Bhima, [[Arjuna]], Yudhishtira, Nakula e Sahadeva. Museu Indonésio, Jacarta.]]
A Indonésia tem cerca de 300 grupos étnicos, cada um com identidades culturais desenvolvidas ao longo de séculos e influenciado por culturas como a [[Cultura da Índia|indiana]], [[Cultura árabe|árabe]], [[Cultura da China|chinês]] e [[Cultura da Europa|europeia]]. Danças tradicionais javanesas e balinesas, por exemplo, contêm aspectos da cultura e da mitologia [[hindu]], como em apresentações de ''[[Wayang Kulit]]'' (fantoche de sombra). Produtos têxteis, como ''[[batik]]'', ''ikat'', ''ulos'' e ''songket'' são criados em todo o país em estilos que variam por região. As influências mais dominantes na arquitetura local têm sido tradicionalmente indiana, no entanto, influências arquitetônicas chinesas, árabes e europeias também são significativas.<ref>{{citar web sfn| url=http://corbu2.caed.kent.edu/architronic/PDF/v5n3/v5n3_04.pdf Prijotomo| título=WHEN WEST MEETS EAST: One Century of Architecture in Indonesia (1890s-1990s) | acessodata=22 de Novembro de 2010 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110428130224/http://corbu2.caed.kent.edu/architronic/PDF/v5n3/v5n3_04.pdf | arquivodata=28 de Abril de 2011 | urlmorta=yes 1996}} Josef Prijotomo, 1996, Surabaya, Indonesia</ref>
 
Os esportes na Indonésia são geralmente masculinos. Os esportes mais populares são o ''[[badminton]]'' e o [[futebol]]. Os jogadores indonésios ganharam a ''Thomas Cup'' (o campeonato mundial de ''badminton'' masculino) em treze das vinte e seis vezes em que ela foi realizada desde 1949, além de terem várias medalhas olímpicas desde que o esporte ganhou o ''status'' olímpico completo em 1992. As jogadoras indonésias ganharam a ''Uber Cup'' (o equivalente feminino da Thomas Cup) duas vezes, em 1994 e 1996. A Liga Indonésia é a principal liga de clubes de futebol do país. Entre os esportes tradicionais do país estão o ''sepaktakraw'' e corridas de touro em [[Madura]]. Em áreas com histórico de guerras tribais, falsos concursos de combate são realizadas, como ''caci'' em [[Flores (Indonésia)|Flores]] e o ''pasola'' em [[Sumba]]. O ''[[silat]]'' é uma [[arte marcial]] tradicional da Indonésia.{{sfn|Witton|2003|p=103}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Brissendon |primeiro =Rosemary |título=South East Asian Food |editora=Hardie Grant Books |ano=2003 |local=Melbourne|isbn=1-74066-013-7}}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome= Chang|titulo = Mao - A História Desconhecida |nome= Jon Halliday Jung Chang |ano = 2006 | edição = 1 | páginas = 992 | isbn = 8535908730}}
* {{Citar web|ref=harv| último = Calder | primeiro = Joshua | título = Most Populous Islands | publicado = World Island Information | ano=2006|data = 3 de maio de 2006 | url = http://www.worldislandinfo.com/POPULATV2.htm | acessodata =26 de setembro de 2006 }}
* {{citar livro|ref=harv|último = Dawson|primeiro = B.|último2= Gillow|primeiro2=J.|título= The Traditional Architecture of Indonesia |publicadopor= Thames and Hudson Ltd |ano= 1994 |local= Londres| isbn = 0-500-34132-X }}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome=Dower|nome=John W.|título=War Without Mercy: Race and Power in the Pacific War|ano=1986|editora=Pantheon|ISBN= 0-394-75172-8}}
* {{citar livro |ref=harv|sobrenome= Earl|nome= George S. W.|título= On The Leading Characteristics of the Papuan, Australian and Malay-Polynesian Nations|dataano= 1850|idioma= en|publicação= Journal of the Indian Archipelagon and Eastern Asia (JIAEA)|local= Indonesia|acessodata=}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Friend |primeiro =T. |título=Indonesian Destinies |publicadopor=Harvard University Press |total-páginas=628| ano=2003 |local= Cambridge, Massachusetts|Edição= ilustrada|idioma=en| isbn=0-674-01137-6}}
* {{citar livro|ref=harv|último = Goh |primeiro = Robbie B.H. |título= Christianity in Southeast Asia |publicadopor= Institute of Southeast Asian Studies| isbn = 981-230-297-2 |ano=2005}}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome=Harijanti|nome=Susi Dwi|sobrenome2=Lindsey|nome2=Tim|ano=2006|título=Indonesia: General elections test the amended Constitution and the new Constitutional Court|idioma=en|volume=4|número=1|coleção=International Journal of Constitutional Law}}
* {{citar livro|último =Kingsbury |primeiro =Damien |título=Autonomy and Disintegration in Indonesia |publicadopor=Routledge |página=131 |isbn=0-415-29737-0 |ano=2003}}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome =Lester|nome=Brown, R.|total-páginas=229|idioma=en|título= State of the World 1997: A Worldwatch Institute Report on Progress Toward a Sustainable Society|edição=14|série=State of the World||editora= W. W. Norton & Company|ano=1997|local=Nova Iorque |isbn= 0-393-04008-9}}
* {{citar livro |ref=harv|sobrenome= Logan|nome= James Richardson|título= The Ethnology of the Indian Archipelago: Embracing Enquiries into the Continental Relations of the Indo-Pacific Islanders|dataano= 1850|idioma= en|publicação= Journal of the Indian Archipelagon and Eastern Asia (JIAEA)|local= Indonesia|volume= 4}}
* {{Citar web|ref=harv|sobrenome=Long|nome=S.|título=The Overseas Chinese |publicado=Prospect Magazine |ano=1998|data=9 de abril de 1998 |url=http://www.prospectmagazine.co.uk/1998/04/theoverseaschinese/|acessodata=10 de abril de 2011}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Monk|primeiro=K.A.|último2=Fretes|primeiro2=Y.|último3=Reksodiharjo-Lilley|primeiro3=G.|título=The Ecology of Nusa Tenggara and Maluku |publicadopor=Periplus Editions Ltd.|ano=1996|local=Hong Kong|isbn=962-593-076-0}}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome= M. van der Kroef|nome= Justus |título= The Term Indonesia: Its Origin and Usage|url= http://links.jstor.org/sici?sici=0003-0279%28195107%2F09%2971%3A3%3C166%3ATTIIOA%3E2.0.CO%3B2-5|dataano= 1951|idioma= en|publicação= Periódico de la Sociedad Americana Oriental|local= |volume= 71|número= 3|acessodata= 26 de novembro de 2009|doi=10.2307/595186}}
* {{citar livro|ref=harv|último=Magnis-Suseno|primeiro=Franz|título=Javanese Ethics and World-View: The Javanese Idea of the Good Life|editora=PT Gramedia Pustaka Utama|local=Jakarta|ano=1997|ISBN= 979-605-406-X}}
* {{Citar web |ref=harv|último=Merdekawaty |primeiro=E. |título="Bahasa Indonesia" and languages of Indonesia |obra=UNIBZ&nbsp;– Introduction to Linguistics |publicado=Free University of Bozen |ano=2006|data=6 de julho de 2006 |url=http://www.languagestudies.unibz.it/Bahasa%20Indonesia_Merdekawaty.pdf |acessodata=17 de julho de 2006 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20060921074359/http://www.languagestudies.unibz.it/Bahasa%20Indonesia_Merdekawaty.pdf |arquivodata=21 de Setembro de 2006 |urlmorta=yes }}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome =Nitiastro|nome=Widjojo|resumo-url=http://books.google.com/books?id=RQbd3-G6riUC&pg |total-páginas=292|idioma=en|título= Population Trends in Indonesia|publicadopor= Equinox Publishing|ano=2006 |página=268 |isbn= 9793780436}}
* {{Citar web|ref=harv|sobrenome=Ocorandi|nome=M.|título=An Analysis of the Implication of Suharto's resignation for Chinese Indonesians |publicado=Worldwide HuaRen Peace Mission |ano=1998|data=28 de maio de 1998 |url=http://www.hartford-hwp.com/archives/54b/083.html |acessodata=26 de setembro de 2006}}
* {{citar periódico |ref=harv|último =Oey |primeiro =Eric |título=Bali |local=Singapore |publicadopor=Periplus Editions |ano=1997 |edição=3rd |postscript=<!--None--> |isbn=962-593-028-0}}
* {{citar web |ref=harv|último=Prijotomo|primeiro=Josef|ano=1996|local=Surabaya, Indonesia| url=http://corbu2.caed.kent.edu/architronic/PDF/v5n3/v5n3_04.pdf | título=WHEN WEST MEETS EAST: One Century of Architecture in Indonesia (1890s-1990s)|acessodata=22-11-2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110428130224/http://corbu2.caed.kent.edu/architronic/PDF/v5n3/v5n3_04.pdf | arquivodata=28 de Abril de 2011 | urlmorta=yes}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Ricklefs |primeiro =M. C. |título=A History of Modern Indonesia since c.1300|edição= 2ª|idioma=en|publicadopor=MacMillan |total-páginas=378||local=Londres| ano=1993|isbn=0-333-57689-6}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Schwarz |primeiro =A. |ano=1994 |título=A Nation in Waiting: Indonesia in the 1990s |publicadopor=Allen & Unwin|total-páginas=384|local=Crows Nest |idioma= en|isbn=1-86373-635-2}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Severin |primeiro =Tim |título=The Spice Island Voyage: In Search of Wallace |publicadopor=Abacus Travel |ano=1997 |local=Great Britain |isbn=0-349-11040-9}}
* {{citar livro|ref=harv|primeiro =Shannon L. |último =Smith |primeiro2=Lloyd |último2= Grayson J. |título=Indonesia Today: Challenges of History |publicadopor=Singapore : Institute of Southeast Asian Studies |ano=2001 |local=Melbourne, Australia |isbn=0-7425-1761-6}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Taylor |primeiro =Jean Gelman |título=Indonesia: Peoples and Histories |publicadopor=Yale University Press |ano=2003 |local= New Haven and London |total-páginas= 448|idioma= en|isbn=0-300-10518-5}}
* {{Citar web |ref=harv|último=Swasono|primeiro=M. F. |título=Indigenous Cultures in the Development of Indonesia |obra=Integration of endogenous cultural dimension into development |publicado=Indira Gandhi National Centre for the Arts, New Delhi |ano=1997 |url=http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |acessodata=17 de setembro de 2006 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20061113215740/http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |arquivodata=13 de Novembro de 2006 |urlmorta=yes }}
* {{citar livro|ref=harv|sobrenome=Tomascik|nome=T.|sobrenome2=Mah|nome2=J.A.|sobrenome3=Nontji|nome3=A.|sobrenome4=Moosa|nome4=M.K.|ano=1996|título=The Ecology of the Indonesian Seas|idioma=en|volume=1|local=Hong Kong|editora=Periplus Editions|total-páginas=1388|ISBN=962-593-078-7}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Vickers |primeiro =Adrian |título=A History of Modern Indonesia |local=Cambridge, Inglaterra|publicadopor=Cambridge University Press|idioma=en |ano=2011|total-páginas=306|isbn=0-521-54262-6}}
* {{citar livro|ref=harvref|último =Wallace |primeiro =A.R. |título=The Malay Archipelago |publicadopor=Periplus Editions |dataano=2000|nota= (original 1869) |isbn=962-593-645-9}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Weidenbaum|primeiro=Murray L.|título=The Bamboo Network: How Expatriate Chinese Entrepreneurs are Creating a New Economic Superpower in Asia|url=http://books.google.com/books?id=pcRlgZttsMUC|ano=1996|data=1 de janeiro de 1996|publicadopor=Martin Kessler Books, Free Press|isbn=978-0-684-82289-1|páginas=4–8}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Whitten |primeiro =T. |último2=Henderson|primeiro2=G.|último3=Mustafa|primeiro3=M. |título=The Ecology of Sulawesi |publicadopor=Periplus Editions Ltd. |ano=1996 |local=Hong Kong |isbn=962-593-075-2}}
* {{Citar web |ref=harv|sobrenome=Winarta|nome=F.H.|título=Bhinneka Tunggal Ika Belum Menjadi Kenyataan Menjelang HUT Kemerdekaan RI Ke-59 |publicado=Komisi Hukum Nasional Republik Indonesia|local=Jacarta |ano=2004|data=agosto de 2004 |url=http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |língua=id |acessodata=6 de Setembro de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20061113215740/http://ignca.nic.in/cd_05008.htm |arquivodata=13 de Novembro de 2006 |urlmorta=yes }}
* {{citar livro|ref=harv|último =Witton |primeiro =Patrick |título=World Food: Indonesia |publicadopor=[[Lonely Planet]] |ano=2002 |local=Melbourne |isbn=1-74059-009-0}}
* {{citar livro|ref=harv|último =Witton |primeiro =Patrick |título=Indonesia |publicadopor=[[Lonely Planet]] |ano=2003 |local=Melbourne | isbn=1-74059-154-2 }}
1 525

edições