Diferenças entre edições de "Claudinho & Buchecha"

144 bytes removidos ,  23h19min de 20 de setembro de 2018
m
Foram revertidas as edições de 179.34.39.178 para a última revisão de Salebot, de 15h16min de 6 de setembro de 2018 (UTC)
(Só ajudei melhorei algumas informações)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel Espaçamento excessivo
m (Foram revertidas as edições de 179.34.39.178 para a última revisão de Salebot, de 15h16min de 6 de setembro de 2018 (UTC))
Etiqueta: Reversão
No ritmo de um disco por ano, a dupla Claudinho e Buchecha, ganhou fama nacional em [[1996]] com a música "''Conquista''" ("''Sabe / tchu ru ru / estou louco pra te ver / oh yes''") que passou a ser fixa em todos os shows, e em [[1997]] com "''[[Quero Te Encontrar]]''". Eles driblaram as armadilhas do sucesso rápido e se firmaram como cantores pop, acumulando sucessos do calibre de "''Nosso Sonho''", "''Xereta''" e "''Só Love''". Claudinho conta que no início da carreira eles tinham ritmo mas não tinham afinação: "Aprendemos a ter noção de palco e campo harmônico tocando em banda". O sucesso foi tanto que dupla não parou mais. Considerada os cantores de maior sucesso na história do funk, em [[1995|1996]], o primeiro disco que levava [[Claudinho & Buchecha (álbum)|o nome da dupla]] que vendeu mais de 1,2 milhões de cópias. E com esse sucesso a dupla viajou para o [[Japão]], [[Portugal]], [[Argentina]], [[EUA]], entre outros. A Dupla foi mania nacional , os sucessos Conquista e Nosso Sonho arrebataram o país junto com suas coreografias.
 
disco===1997–01: ''A Forma'', ''Só Love'' e ''Destino''===
Sua carreira foi muito grande mas depois que acabou foi muito triste para o seu de funk 1973 eles lançaram seu Foi um sucesso
disco===1997–01: ''A Forma'', ''Só Love'' e ''Destino''===
No disco ''A Forma'', Claudinho & Buchecha mostraram que ficariam marcados na história da música brasileira. Trazendo como carro-chefe o mega sucesso, Quero te Encontrar , Lançado em 1997 o álbum vendeu 1 milhão e meio de cópias . Eles receberam também o prêmio de revelação no [[VMB]] da [[MTV Brasil]], neste mesmo ano. Em 1998 veio ''Só Love'', um outro grande sucesso da dupla. , a música que dava o nome do álbum foi uma das mais tocadas em 1999 e conquistou os fãs , Xereta e Enquanto eu Viver também se eternizaram neste disco que vendeu cerca de 900 mil cópias, Com este disco, as coisas mudaram um pouco. A dupla amadureceu, e era preciso que o trabalho acompanhasse tal crescimento. O tradicional DJ dos bailes deu lugar a uma banda. Em [[1999]], lançaram um disco ao vivo, onde relembraram os grandes sucessos da carreira e a única musica inédita do disco estourou , era Coisa de Cinema. Mas em [[2000]], com o lançamento do CD ''Destino'' mostraram todo o processo de mudança, amadurecimento e investimento que foi feito pela dupla. Para gravar ''Destino'', a dupla passou dois meses em estúdio o que deu mais oportunidade para que fossem trabalhados aspectos que antes deixavam um pouco a desejar. Outro destaque merecido para o disco, foi quando começaram a dar um espaço para algumas músicas que contestavam certos pontos da sociedade. "''Feiticeira''", por exemplo, fala sobre discriminação. A personagem da música é uma menina da favela, de pele cor de cera e cabelo alisado com henê. O Carro - Chefe do disco era a descompromissada música Berreco que contava a história de um cara traído pela esposa e fez relativo sucesso, A dupla também fez algumas regravações, uma em cada álbum. "''Tempos Modernos''" de [[Lulu Santos]] no primeiro disco, "''Uma Noite E Meia''" de [[Marina Lima]] no segundo, depois "''[[Lilás (canção)|Lilás]]''", de [[Djavan]], "''Lindo Balão Azul''", de [[Guilherme Arantes]] e "''Carro Velho''", de [[Ivete Sangalo]] no disco ao vivo. Eles mesmos também foram regravados. No mesmo ano a dupla participa do CD [[Soul Tim: Duetos]], onde fazem um [[dueto]] póstumo com o cantor [[Tim Maia]] (falecido em [[1998]]),<ref>{{citar web|url=http://cliquemusic.uol.com.br/discos/ver/soul-tim-duetos|título=Soul Tim Duetos|autor=Sílvio Essinger|data=|publicado=[[CliqueMusic]]|acessodata=}}</ref> citado como uma das influências da dupla.<ref name="influências">Francisco Oliveira (1997). Raça Brasil - Edição Extra #6 - Claudinho e Buchecha. Editora Símbolo</ref>
 
8 932

edições