Abrir menu principal

Alterações

415 bytes adicionados, 09h50min de 21 de setembro de 2018
expulsao do pai do partido, com refs.
 
Marine tem tomado medidas para moderar a imagem da Frente Nacional e fazer esquecer os desvios [[Antissemitismo|antissemitas]] ou [[Negacionismo do Holocausto|negacionistas]] de seu pai,<ref>{{citar web |url=http://www.presseurop.eu/pt/content/article/462691-o-rosto-humano-da-extrema-direita|titulo=O Rosto humano da extrema-direita.|publicado=Presseurop|acessodata=14/01/2011}}</ref> que qualificou em 1987 as [[Câmara de gás|câmaras de gás]] de "um detalhe da história da [[Segunda Guerra Mundial]]", e livrar o partido das acusações de que membros da Frente Nacional têm simpatia pelo [[nazismo]]. Em abril de 2011, Marine expulsou da Frente Nacional o legislador regional Alexandre Gabriac, que em uma foto divulgada pela revista Le Nouvel Observateur aparecia fazendo a saudação nazista em frente a uma bandeira nazista.<ref>{{citar web | url=http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2011/04/27/franca-marine-le-pen-expulsa-parlamentar-regional-por-saudacao-nazista.jhtm|titulo=Marine Le Pen expulsa parlamentar por saudação nazista.|publicado=[[Universo Online|UOL]]|acessodata=27/04/2011}}</ref> Marine diz que não quer que seu partido seja descrito como extrema-direita, pois acha um termo "pejorativo". Ela diz: "Como sou dum partido da extrema-direita? Eu não acho que as nossas propostas sejam propostas extremas, seja qual for o assunto".<ref>{{citar web|url=https://www.theguardian.com/world/2011/mar/21/marine-lepen-defends-republic|titulo=Marine Le Pen emerges from father's shadow|data=21 de março de 2011|publicado=The Guardian|ultimo=Chrisafis|primeiro=Angelique}}</ref>
 
Em 2015, Marine Le Pen expulsou seu pai do seu próprio partido, após este ter feito declarações controversas.<ref>{{citar web|url=https://www.francetvinfo.fr/politique/front-national/defile-du-fn-comment-marine-le-pen-va-marginaliser-son-pere_891797.html|titulo=Défilé du FN : comment Marine Le Pen va marginaliser son père|data=1 de Maio de 2015|acessodata=|publicado=France Info|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
Foi candidata à [[presidente da França|presidência da França]] nas eleições de [[2012]]. Em [[7 de março]] de [[2011]], o jornal [[Le Figaro]] deu Marine como franca favorita nas pesquisas eleitorais para a eleição de 2012, com 24% dos votos, à frente do presidente [[Nicolas Sarkozy]] e do pré-candidato do PSF, já tendo garantido sua passagem para o segundo turno das eleições presidenciais.<ref>{{Citar web |url = http://www.lefigaro.fr/politique/2011/03/07/01002-20110307ARTFIG00617-2012-un-sondage-donne-le-pen-devant-dsk-et-sarkozy.php |título = 2012 : un sondage donne Le Pen devant DSK et Sarkozy |língua = fr |editora = [[Le Figaro]] |acessodata = 5 de fevereiro de 2017}}</ref> Entretanto, no primeiro turno das [[Eleição presidencial da França em 2012|eleições presidenciais francesas de 2012]] ficou em 3º lugar, atingindo 18% dos votos, imediatamente atrás de [[Nicolas Sarkozy|Sarkozy]] e, dois lugares abaixo de [[François Hollande]], candidato socialista e vencedor do primeiro turno. Foi o melhor resultado da [[Frente Nacional (França)|Frente Nacional]] em eleições na França até aquele momento.<ref>[http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/eleicoes-presidenciais-franca/noticias/0,,OI5734501-EI19740,00-Extremadireita+da+Franca+pode+ser+fiel+da+balanca+nas+eleicoes.html Extrema-direita da França pode ser fiel da balança nas eleições.]</ref> Foi novamente candidata à presidência por seu partido, na [[Eleição presidencial da França em 2017|eleição presidencial de 2017]], tendo liderado as pesquisas de opinião de votos para o primeiro turno por boa parte da campanha, embora tenha terminado o primeiro turno em segundo lugar. Subsequentemente, acabou sendo novamente derrotada pelo candidato [[Centro (política)|centrista]] [[Emmanuel Macron]] no segundo turno.
1 761

edições