Abrir menu principal

Alterações

146 bytes adicionados ,  00h27min de 12 de outubro de 2018
melhorando o texto, corrigindo links
| destino =[[Incorporação|Incorporado]] na [[Telefônica Brasil]]
| encerramento =
| sede = [[{{BR-SP-São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[São Paulo (estado)|SP]]}}
| area_servida = {{BRA}}
| locais = 5236 municípios (2015)
| significado_letras =
| antecessora = {{lista horizontal|
* [[Global Village Telecom|GVT]]
* Telefônica Celular
* [[Telesp Celular]]
| rodape =
}}
A '''Vivo''' é a marca comercial da [[Telefônica Brasil]]. É uma concessionária de [[telefonia fixa]] (herdeira da estruturainfraestrutura da [[Telecomunicações de São Paulo|TELESP]])<ref>{{citar web|URL=http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2012/04/telefonica-conclui-troca-da-marca-por-vivo.html|título=Telefônica conclui troca da marca por Vivo|autor=GASPARIN, Gabriela|data=12 de abril de 2012|publicado=Portal G1|acessodata=}}</ref> e posteriormente da [[Global Village Telecom|GVT]]), [[telefonia móvel]] (herdeira da estruturainfraestrutura da [[Telesp Celular]] e diversas outras operadoras do país), internet [[Vivo Speedy|banda larga]] e [[Vivo TV|TV por assinatura]] do [[Brasil]]. Formada pela fusão de companhias de celular ex-estatais existentes no Brasil, foi fundada como uma parceria entre [[Portugal Telecom]] e a espanhola [[Telefónica]], sendo comandada por esta última após ter comprado a posição da primeira em julho de 2010.<ref name="INFO1">{{citar web |último=Zmoginski |primeiro=Felipe |url=http://info.abril.com.br/noticias/mercado/telefonica-ja-comprou-vivo-diz-el-pais-28072010-0.shl |título=Telefônica já comprou Vivo, diz El País |obra=Info |publicado=[[Grupo Abril]] |data=28 de julho de 2010 |acessodata=19 de outubro de 2017 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100731055938/http://info.abril.com.br/noticias/mercado/telefonica-ja-comprou-vivo-diz-el-pais-28072010-0.shl |arquivodata=31 de julho de 2010 |urlmorta=yes}}</ref><ref name="INFO2">{{citar web |url=http://info.abril.com.br/noticias/mercado/portugal-tel-aprova-venda-de-fatia-na-vivo-28072010-17.shl |título=Portugal Tel aprova venda de fatia na Vivo |obra=Info |publicado=[[Grupo Abril]] |data=28 de julho de 2010 |acessodata=19 de outubro de 2017 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100731090058/http://info.abril.com.br/noticias/mercado/portugal-tel-aprova-venda-de-fatia-na-vivo-28072010-17.shl |arquivodata=31 de julho de 2010 |urlmorta=yes}}</ref>
 
Foi formada inicialmente pela fusão de companhias de celular (anteriormente estatais) existentes no Brasil, fundada como uma parceria entre [[Portugal Telecom]] e a espanhola [[Telefónica]], sendo comandada por esta última após ter comprado a posição da primeira em julho de 2010.<ref name="INFO1">{{citar web |último=Zmoginski |primeiro=Felipe |url=http://info.abril.com.br/noticias/mercado/telefonica-ja-comprou-vivo-diz-el-pais-28072010-0.shl |título=Telefônica já comprou Vivo, diz El País |obra=Info |publicado=[[Grupo Abril]] |data=28 de julho de 2010 |acessodata=19 de outubro de 2017 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100731055938/http://info.abril.com.br/noticias/mercado/telefonica-ja-comprou-vivo-diz-el-pais-28072010-0.shl |arquivodata=31 de julho de 2010 |urlmorta=yes}}</ref><ref name="INFO2">{{citar web |url=http://info.abril.com.br/noticias/mercado/portugal-tel-aprova-venda-de-fatia-na-vivo-28072010-17.shl |título=Portugal Tel aprova venda de fatia na Vivo |obra=Info |publicado=[[Grupo Abril]] |data=28 de julho de 2010 |acessodata=19 de outubro de 2017 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100731090058/http://info.abril.com.br/noticias/mercado/portugal-tel-aprova-venda-de-fatia-na-vivo-28072010-17.shl |arquivodata=31 de julho de 2010 |urlmorta=yes}}</ref>
A empresa foi acusada de formação de [[cartel]], juntamente com [[Oi]], [[Claro]] e [[Tim]]. O grupo teria poder o suficiente para fazer a [[Agência Nacional de Telecomunicações]] impedir que novos competidores entrem na concorrência. O empresário [[Roberto Mello]] declarou ao [[Ministério Público]]: “a Anatel está sendo pressionada por um cartel formado pelas quatro grandes operadoras, impedindo a entrada no mercado de um quinto competidor”.<ref>{{citar web|título=Anatel é acusada de favorecer cartel formado por Vivo, TIM, Claro e Oi | website=TecMundo |data=22 de fevereiro de 2013 | url=http://www.tecmundo.com.br/anatel/36882-anatel-e-acusada-de-favorecer-cartel-formado-por-vivo-tim-claro-e-oi.htm |acessodata=19 de outubro de 2017}}</ref>
 
Utiliza as tecnologias [[GSM]]/[[EDGE]], [[WCDMA]]/[[HSPA]], [[HSPA+]], [[LTE]] e LTE-Advanced nos celulares. Até o ano de 2007 utilizou a rede [[AMPS]] concomitantemente com suas redes [[TDMA]] e [[CDMA]], até ser desativada para liberar espectro magnético no objetivo de implantar a rede GSM. A rede CDMA foi desligada no ano de 2012.<ref>{{citar web|url=http://www.vivo.com.br/portalweb/appmanager/env/web?_nfpb=true&_pageLabel=P1200158371317391404067&_nfls=false&cliente=1&cltype=c291Y2xpZW50ZQ&regional=RS#|título=Vivo|acessodata=2016-09-07|obra=www.vivo.com.br}}</ref> É a operadora de telefonia móvel com maior quota de mercado.<ref>{{citar web |título=TIM e Oi ganham participação no mercado de celular em março |url=http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200904231906_RTR_1240513606nN23339059 |obra=[[Reuters]] |publicado=[[Terra Networks]] |data=23 de abril de 2009 |arquivourl=http://archive.is/s1za |arquivodata=7 de julho de 2012 |urlmorta=yes}}</ref>
 
== História ==
[[Imagem:VivoRJ.jpg|180px|esquerda|thumb|O prédio da ''Vivo'' na Av. Ayrton Senna, RJ]]
=== Formação ===
A Vivo atuou como empresa no mercado brasileiro de 13 de abril de 2003 a abril de 2012, quando passou a ser uma [[marca comercial]] da [[Telefônica Brasil]]. Teve origem na junção das operadoras de celular das empresas Celular CRT Participações S/A (que operava como Telefônica Celular), Tele Leste Celular Participações S/A (que, na Bahia e em Sergipe, operavam respectivamente como TeleBahia e Telergipe Celular), Tele Centro-Oeste Celular Participações S/A (que também detinha o controle da Norte Brasil Telecom S/A, que operavam, respectivamente como TCO e NBT), Tele Sudeste Celular Participações S/A, [[Telesp Celular|Telesp Celular Participações S/A]] e Global Telecom S/A com investimentos da [[Telefonica]] da [[Espanha]] e da [[Portugal Telecom]], de [[Portugal]] até 28 de julho de 2010. A partir da conclusão do processo de venda de 30% da Portugal Telecom para a Telefonica por cerca de R$ 17,2 bilhões, esta última se torna a controladora da empresa com 60%. A empresa comprou o restante de ações por meio da antiga [[Telesp]] que tinha [[Empresa de capital aberto|Capital aberto]] na [[Bovespa]].<ref>{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/mercado/995679-telefonica-vai-adotar-marca-vivo-ate-primeiro-semestre-de-2012.shtml|título=Telefônica vai adotar marca Vivo até primeiro semestre de 2012|publicado=[[Folha de S.Paulo]]|data=24 de outubro de 2011}}</ref>
Em [[2009]] a Vivo foi considerada pelo IDA (Índice de Desempenho no Atendimento) da [[Anatel]] como a melhor operadora móvel em qualidade e atendimento aos clientes.<ref>{{citar web |último=Civa |primeiro=Gláucia |url=http://www.baguete.com.br/noticiasDetalhes.php?id=34385 |título=Anatel: Vivo é a melhor em atendimento |obra=Jornalismo Digital |data=29 de abril de 2009 |acessodata= |arquivourl=http://archive.is/PCZe#selection-315.0-315.38 |arquivodata=20 de julho de 2012 |urlmorta=yes}}</ref>
 
No [[ranking]] oficial de índice de reclamações da [[Anatel]] em 2008, considerando apenas operadoras de telefonia móvel, a Vivo ficou com desempenho melhor que [[TIM Brasil|TIM]], [[Brasil Telecom Celular|Brasil Telecom]], [[Oi Móvel|Oi]], [[Claro (telefonia móvel)|Claro]], [[Telemig Celular]] (que foi comprada pela Vivo em 2008) e [[Algar Telecom]] (respeitando a ordem da pior para a melhor). E tendo desempenho pior que [[Amazônia Celular]] e [[Sercomtel]].<ref>{{citar web |url=http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=16028&sid=8 |título=Fonte: Website Convergência Digital, dados de setembro/2008 |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Esses dados de 2008 ainda consideram a [[Telemig Celular]] como empresa existente no mercado, mas já foi incorporada pela Vivo (Telemig Celular). E a Amazônia celular foi incorporada pela [[Oi Móvel|Oi]].
 
Em [[2011]] a Vivo foi considerada pela revista Você S.A. como a melhor empresa para se iniciar a carreira<ref>{{citar web |url=http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/melhores-empresas-para-trabalhar/2011/|título=As Melhores empresas para você trabalhar - 2011|autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>. Em 2016, a Vivo foi eleita a melhor e maior empresa do Brasil no ranking Melhores e Maiores Empresas da [[revista Exame]].
 
Posteriormente a Vivo passou a vender alguns aparelhos [[CDMA]] desbloqueados, como o [[Moto Q]], o Motorola K1 e o Palm Treo 700wx.<ref name="desbloqueiovivo">{{citar web|url=http://info.abril.com.br/aberto/infonews/122006/20122006-12.shl|título=Vivo começa a liberar uso do Bluetooth|publicado=''INFO Exame''|data=20 de dezembro de 2006|autor=Cintia Baio|acessodata=13 de março de 2007}}</ref> A Vivo, assim como outras operadoras de [[telefonia]] fixa e móvel, suscitaram polêmica ao lançar o seu serviço de internet [[banda larga]] móvel (no caso da Vivo trata-se do serviço Vivo-ZAP) com um termo de adesão que proíbe o uso de voz sobre IP ([[VoIP]]), contrariando entendimento da [[Anatel]] sobre o tema,<ref name="anatelvoip">{{citar web|url=http://www.planetarium.com.br/planetarium/noticias/2005/11/1132572625/|autor=IDG NOW!|publicado=Planetarium|data=21 de novembro de 2005|acessodata=17 de janeiro de 2008|título=Anatel muda posição: é contra proibição de VoIP}}</ref> que é o de que a prestadora do serviço de internet não pode proibir os [[usuário]]s de utilizar qualquer tecnologia existente sobre a conexão.
 
A empresa foi acusada de formação de [[cartel]], juntamente com [[Oi (empresa)|Oi]], [[Claro]] e [[TIM Brasil|Tim]]. O grupo teria poder o suficiente para fazer a [[Agência Nacional de Telecomunicações]] impedir que novos competidores entrem na concorrência. O empresário [[Roberto Mello]] declarou ao [[Ministério Público]]: “a Anatel está sendo pressionada por um cartel formado pelas quatro grandes operadoras, impedindo a entrada no mercado de um quinto competidor”.<ref>{{citar web|título=Anatel é acusada de favorecer cartel formado por Vivo, TIM, Claro e Oi | website=TecMundo |data=22 de fevereiro de 2013 | url=http://www.tecmundo.com.br/anatel/36882-anatel-e-acusada-de-favorecer-cartel-formado-por-vivo-tim-claro-e-oi.htm |acessodata=19 de outubro de 2017}}</ref>
 
Hoje a Vivo é alvo de ínumeras críticas e processos em relação a venda de planos por telemarketing, ao oferecer um plano diferente do negociado, resultando frequentemente em tarifas de proporções incabíveis, e negando em seguida o ressarcimento. A justiça entendeu como ato de má fé a prática, resultando em pagamento de inúmeras indenizações, por parte da ré.<ref name="Conjur">{{citar web|url=http://www.conjur.com.br/2013-set-06/stj-mantem-condenacao-vivo-100-mil-propaganda-enganosa|autor=Conjur|publicado=Conjur|data=6 de setembro de 2013|acessodata=13 de setembro de 2013|título= STJ mantém condenação da Vivo por propaganda enganosa}}</ref>
 
Em dezembro de 2015, a associação Proteste entrou com [[ação civil pública]] na [[Justiça Federal]] contra [[Claro]], [[NET (empresa)|NET]], Vivo, [[Global Village Telecom|GVT]], [[Oi (empresa)|Oi]] e [[TIM Brasil|TIM]] devido ao serviço de má qualidade oferecido por essas empresas na internet [[banda larga]]. A associação também pedia por transparência e descontos nas faturas dos clientes lesados. Em nota, a Proteste completou dizendo que "as empresas não cumprem nem 60% das metas fixadas pela [[Agência Nacional de Telecomunicações]] (Anatel) quanto à velocidade contratada e a efetivamente oferecida (...) Milhões de consumidores vêm sendo lesados há anos, ao pagar por um serviço em desacordo com as regras e que não oferece a qualidade esperado". Também chamou o serviço de banda larga no Brasil de "ineficiente" e "incapaz de garantir o desenvolvimento dos níveis de qualidade de prestação do serviço".<ref>{{citar web |url= http://idgnow.com.br/internet/2015/12/15/operadoras-brasileiras-sao-processadas-por-ma-qualidade-de-banda-larga/ |título= Operadoras brasileiras são processadas por má qualidade da banda largaInternet |acessodata= 13 de janeiro de 2016 |autor= Redação |data= 15 de dezembro de 2015 |obra= IDG |publicado= IDGNow.com.br }}</ref>
 
== Ver também ==
* [[Telecomunicações de São Paulo|TelespTELESP - Telecomunicações de São Paulo]]
* [[Telefónica]]
 
7 196

edições