Diferenças entre edições de "Imunoglobulina"

1 byte removido ,  00h45min de 12 de outubro de 2018
m
m
Porém, é nos grupos de animais pluricelulares mais primitivos, os [[Parazoa]], onde os cientistas tentam encontrar respostas à origem do sistema imunitário adaptativo. Neste sentido, têm-se feito vários trabalhos de investigação com este taxon, e em especial com uma [[Porifera|esponja]] considerada como [[fóssil vivo]], ''[[Geodia]] cydonium'' e também com ''[[Suberites domuncula]]''. Na primeira podem-se encontrar muitos dos tipos de proteínas que também estão implicadas na imunidade dos [[mamífero]]s. Em especial, há dois tipos da superfamília das imunoglobulinas, as unidas ao [[receptor tirosína-quínase]], e as moléculas não enzimáticas de adesão das esponjas. Curiosamente, os domínios correspondentes já demonstram polimorfismo, e embora cumpram funções que são simultaneamente de receptores e de moléculas de [[adesão celular]], estão sobre-regulados em experimentos de [[enxertia]].<ref>{{citar periódico|autor=Kubrycht J, Borecký J, Soucek P, Jezek P|título=Sequence similarities of protein kinase substrates and inhibitors with immunoglobulins and model immunoglobulin homologue: cell adhesion molecule from the living fossil sponge Geodia cydonium. Mapping of coherent database similarities and implications for evolution of CDR1 and hypermutation|ano=2004|revista=Folia Microbiol|volume=|número=49|id=3 PMID 15259763|url=}}</ref>
 
Em resumo, asa [[superfamília das imunoglobulinas]] interveio no surgimento da multicelularidade ao manter a integridade estrutural dos organismos distinguindo o próprio do alheio. Isto ocorre graças à suas capacidades de gerar módulos, de unir-se especificamente a outras [[proteína]]s e de formar bastões, assim como de oligomerizar-se e gerar diversidade por [[splicing alternativo]] a partir de material genético limitado, convertem-se em modelos para mediar a aderência celular e como receptores de superfície de membrana.<ref>{{citar periódico|autor=Brümmendorf, T y Lemmon, V:|título=Immunoglobulin superfamily receptors: cis-interactions, intracellular adapters and alternative splicing regulate adhesion|ano=2001|revista=Current opinion in cell biology|volume=13|número=5|id=doi 10.1016/S0955-0674(00)00259-3|url=}}</ref><ref>{{citar periódico|autor=Strecker, G y otros:|título=Molecular recognition between glyconectins as an adhesion self-assembly pathway to multicellularity|ano=2004|revista=J Biol Chem.|volume=279|número=15|id=PMID 14701844|url=}}</ref>
 
Na busca de precedentes do [[sistema imunitário]] adaptativo, encontramos vários exemplos de proteínas da superfamília das Ig em [[Protostomia|protóstomos]] que desempenham um papel na defesa imunitária, como a [[hemolina]] em [[bichos-da-seda]], ou a proteína [[Dscam]] na ''[[Drosophila melanogaster]]'', assim como proteínas relacionadas com o [[fibrinógeno]] com domínios Ig (FREP) em [[gastrópode]]s. Algumas destas proteínas, que representam uma barreira do tipo inato, podem ter isoformas solúveis e ancoradas à membrana, e gerar diversidade por ''splicing'' alternativo, e em zonas da molécula diferentes às cadeias variáveis de articulados.<ref>{{citar periódico|título=The Evolution of Adaptative Immune Systems|ano=2006|revista=[[Cell]]|volume=|número=124|id=DOI 10.1016/j.cell.2006.02.001}}</ref>
37 966

edições