Diferenças entre edições de "Max Horkheimer"

18 bytes removidos ,  21h15min de 16 de outubro de 2018
sem resumo de edição
{{mais notas|data=outubro de 2014}}
 
{{Info/Biografia
|nome =Max Horkheimer
Suas formulações, sobretudo aquelas acerca da [[razão Instrumental]], junto com as teorias de [[Theodor Adorno]] e [[Herbert Marcuse]], compõem o núcleo fundamental daquilo que se conhece como [[Escola de Frankfurt]].
 
== A sua filosofia ==
A expressão "teoria crítica do transversal" é empregada para designar o conjunto das concepções da [[Escola de Frankfurt]]. Horkheimer delineia seus traços principais, tomando como ponto de partida o [[marxismo]] e opondo-se àquilo que ele designa pela expressão "teoria tradicional". Para Horkheimer, o típico da teoria marxista é, por um lado, não pretender qualquer visão concludente da totalidade e, por outro, preocupar-se com o desenvolvimento concreto do pensamento. Desse modo, as categorias marxistas não são entendidas como conceitos definitivos, mas como indicações para investigações ulteriores, cujos resultados retroajam sobre elas próprias. Quando se vale, nos mais diversos contextos, da expressão "materialismo" Horkheimer não repete ou transcreve simplesmente o material codificado nas obras de Marx e Engels, mas reflete esse materialismo segundo a óptica dos momentos subjetivos e objetivos que devem entrar na interpretação desses autores.
 
Em suma, a teoria crítica de Horkheimer pretende que os homens protestem contra a aceitação resignada da ordem total [[totalitária]]. A "razão polêmica" de Horkheimer, ao se opor à razão instrumental e subjetiva dos positivistas, não evidencia somente uma divergência de ordem teórica. Ao tentar superar a razão formal positivista, Horkheimer não visa suprimir a discórdia entre razão subjetiva e objetiva através de um processo puramente teórico. Essa dissociação somente desaparecerá quando as relações entre os seres humanos, e destes com a natureza, vierem a configurar-se de maneira diversa da que se instaura na dominação. A união das duas razões exige o trabalho da totalidade social, ou seja, a práxis histórica.
 
== Obras ==
*''Materialismo e Moral'' - neste trecho do ensaio de [[1933]], Horkheimer, fala da necessidade de reunificar ética e política, sentimentos morais e transformação social.
*''Teoria Tradicional e Teoria Crítica'' - neste texto, de [[1937]], Horkheimer mostra a indivisão entre a teoria conceitual e práxis social. A teoria Crítica reunifica razão pensamento dualista que separa sujeito e objeto de conhecimento.
{{Referências}}
 
== Ligações externas ==
*{{PND|118553615}}
*FARIAS, Alberto Luis Cordeiro de; MAGNELLI, André. [https://blogdosociofilo.wordpress.com/2017/08/18/m-horkheimer-i-crise-critica-e-formacao-as-ambivalencias-da-interioridade-burguesa-1895-1923-por-alberto-de-farias-e-andre-magnelli/ Perfil de Max Horkheimer (I) - Crise, Crítica e Formação: as Ambivalências da Interioridade Burguesa (1895-1923)]. Blog do Sociofilo, 18 de agosto de 2017.
 
{{Portal3|Alemanha|Biografias|Filosofia|Sociologia}}
 
 
{{Esboço-filósofo}}
{{Controle de autoridade}}
{{Portal3|Alemanha|Biografias|Filosofia}}
{{DEFAULTSORT:Horkheimer, Max}}
 
[[Categoria:Filósofos da Alemanha|Horkheimer]]
[[Categoria:Filósofos do século XX]]