Abrir menu principal

Alterações

5 bytes removidos, 14h55min de 19 de outubro de 2018
Porquê: Substantivo
Em maio de 1929, Pauli deixou de ser [[católico]]; em dezembro, deste ano, casou-se com Käthe Margarethe Deppner. O casamento não deu certo e eles se divorciaram em 1930, menos de um ano depois.
 
No começo de 1931, logo após seu divórcio e a proposição do neutrino, Pauli teve um grave colapso. Ele consultou o psiquiatra e psicoterapeuta [[Carl Gustav Jung|Carl Jung]], que vivia, como ele, próximo de [[Zurique]]. Pauli começou logo a interpretar seus sonhos e tornou-se um dos melhores estudantes de psiquiatria. Cedo, ele começa a criticar cientificamente a epistemologia da teoria de Jung e contribuir com seu desenvolvimento, especialmente no conceito de ''sincronicidade''. Grande parte destas discussões estão nas cartas que eles trocavam, publicadas atualmente como "Atom and Archetype".
 
Em 1928, foi indicado Professor de física teórica no Instituto de Tecnologia de Zurique, [[Suíça]]. Ele manteve contato com o corpo docente da Universidade de [[Michigan]] em 1931 e com o Instituto de Estudos avançados em [[Princeton]] em 1935.
 
Em 1934, casou com Franciska Bertram. Este casamento durou até o fim de sua vida, e não tiveram filhos.
Também em 1945, ele recebeu o [[Nobel de Física]] por sua "contribuição decisiva na descoberta em 1925 de uma nova lei da natureza, o [[Princípio de exclusão de Pauli]]". Ele foi nomeado para o prêmio por [[Albert Einstein|Einstein]].
 
Em 1958, Pauli foi condecorado com a medalha [[Max Planck]]. No mesmo ano, foi acometido de [[câncer]] no [[pâncreas]]. Quando seu último assistente, [[Charles Enz]], foi visitá-lo no hospital [[Rotkreuz]], em [[Zurique]], Pauli perguntou: "viu o número do meu quarto?". Era 137. Pela sua vida, Pauli mostrou preocupação do por queporquê a constante da [[estrutura fina]], uma constante adimensional, com valor próximo a 1/137. Pauli morreu naquele quarto em 15 de dezembro de 1958.
 
==Carreira científica==
[[Imagem:Wolfgang Pauli young.jpg|miniatura|direita|Wolfgang Pauli]]
Pauli fez muitasfezuitas contribuições importantes em sua carreira como físico, principalmente na [[mecânica quântica]]. Ele publicou artigos, mas preferia longas cartas a seus colegas, como [[Niels Bohr]] e [[Werner Heisenberg|Heisenberg]], com quem mantinha grande amizade. Muitas de suas idéias e resultados nunca foram publicas, e aparecem apenas nestas cartas, que são copiadas e distribuídas por quem as possui. Pauli não parecia preocupado que muito de seu trabalho, assim, fosse desacreditado. O que descreve-se agora são os mais importantes resultados pelos quais ele ''foi'' creditado:
 
Em 1924 Pauli propôs um novo [[grau de liberdade]] quântico, para explicar inconsistências entre o espectro molecular observado e o desenvolvimento da [[mecânica quântica]]. Ele formulou o [[Princípio de exclusão de Pauli|Princípio de exclusão]], talvez seu mais importante trabalho, que estabelece que nenhuma partícula (por exemplo elétrons) pode existir no mesmo estado quântico. [[Uhlenbeck]] e [[Goudsmit]] posteriormente identificaram este [[grau de liberdade]] como o [[spin]].
Em 1931 propôs a existência de uma partícula neutra, não-observada e sem massa, para explicar o espectro contínuo no [[partícula beta|decaimento beta]]. Em 1934 [[Enrico Fermi|Fermi]] introduziu a partícula em sua teoria de decaimento [[radioatividade|radioativo]], chamando-a [[neutrino]]. O [[neutrino]] foi observado directamente em 1959.
 
Em 1940 provou o [[teorema]] estatístico de [[spin]], um resultado crítico da [[mecânica quântica]] que estabelece quais estados partículas com [[spin]] 1/2 são [[férmion]]s, e partículas com [[spin]] 1 são [[bóson]]s.
 
Participou da 5ª, 6ª 7ª, 8ª, 10ª e 11ª [[Conferência de Solvay]].
153

edições