Diferenças entre edições de "Imunoglobulina"

4 bytes removidos ,  14h56min de 20 de outubro de 2018
m
sem resumo de edição
m (correção gramatical)
m
 
;Faboterápicos
Para obter [[antídoto]]s contra [[veneno]]s de picadas de animais como [[serpente]]s ou [[artrópode]]s, fabricam-se anti-soros a partir de soro cru ou altamente enriquecido em imunoglobulinas. Estes procedimentos produziam inicialmente um grande número de reacções [[alergia|alérgicas]], como [[anafilaxia]]s ou a [[doença do soro]]. Para evitá-lo, nos anos 40 e 50 realizaram-se estudos de [[proteólise]] para reduzir ao mínimo a parte da molécula envolvida na neutralização do veneno. Finalmente, constatou-se que o fragmento F(ab’)2, resultante da digestão com [[pepsina]] dos anticorpos, que carece das zonas efectoras da molécula, pode neutralizar igualmente os venenos. O professor [[Alejandro Alagón Cano]] propôs para este enfoque terapêutico o nome de [[faboterapia]], observando-se uma incidência muito menor de reacções adversas ao soro, assim como um melhor alcance do compartimento [[Fluido intersticial|extravascular]].<ref>{{citar web|url=http://www.smb.org.mx/XXVICONGRESO/text/Resumen-Invitados/ALAGON_ANTICUERPOS%20TERAPEUTICOS.pdf|título=ANTICUERPOS TERAPEUTICOS: EL CASO DE LOS ANTIVENENOS|acessodata=25 de agosto de 2008|autor=Cano, AA|editora=Sociedade Mexicana de Bioquímica|arquivourl=https://web.archive.org/web/20081203184734/http://www.smb.org.mx/XXVICONGRESO/text/Resumen-Invitados/ALAGON_ANTICUERPOS%20TERAPEUTICOS.pdf|arquivodata=3 de dezembro de 2008}}</ref>
 
== Previsão da estrutura ==
19 794

edições