Diferenças entre edições de "Carcavelos"

4 147 bytes adicionados ,  17h26min de 5 de novembro de 2018
Completados os dados da População, inserido Etimologia e História.
(Desfeita a edição 52461727 de 2001:690:2100:1016:E963:1D62:CB8F:5CCC)
Etiqueta: Desfazer
(Completados os dados da População, inserido Etimologia e História.)
| align="center" | 23 347
|}
Em 1527 Carcavelos contava somente 14 vizinhos (cerca de 60 habitantes).
Nos anos de 1864 a 1890 pertencia ao concelho de Oeiras. Passou para o actual concelho por decreto de 26/09/1895
 
Em 1758 possui "72 vizinhos e 300 e tantas pessoas" <ref>{{citar web|url=https://digitarq.arquivos.pt/viewer?id=4239486|titulo=Memórias Paroquiais de Carcavelos|data=1758|acessodata=|publicado=|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
De notar que só a partir de 1953 é que as povoações do Arneiro, Rebelva e Sassoeiros passam a integrar a freguesia de Carcavelos, sendo desmembradas da de São Domingos de Rana. Anteriormente a esta data, a freguesia de Carcavelos era constituído somente pelo lugar-sede.
 
== Etimologia ==
Derivado de ''Cárcova,'' ou fosso, em português antigo, acrescido do sufixo ''"elo",'' fazendo o diminuitivo. Portanto, o topónimo significa "pequenos fossos" ou depressões no terreno.<ref>{{citar livro|título=Toponimia do Concelho de Cascais|ultimo=Correia|primeiro=J. Diogo|editora=Camara Municipal de Cascais|ano=1964|local=Cascais|páginas=26|acessodata=}}</ref>
 
== História<ref>{{citar web|url=http://uf-carcavelosparede.pt/index.php/historia/112-historial-carcavelos|titulo=Historial|data=|acessodata=|publicado=|ultimo=|primeiro=}}</ref> ==
A mais antiga referência a Carcavelos a que a seguir se transcreve e diz respeito à eleição de dois procuradores – moradores de Carcavelos e Sassoeiros – pelo concelho de Cascais para jurarem o contrato de casamento de D. João I de Castela com D. Beatriz em 1383, no dia 19 de Julho:
 
"Em nome de deus amen/. Sabhom quantos esta carta de procuraçom virem que na era de mil e quatro centos e vynte e hun annos dez e nove dias de Jullo em Cascais aas portas do castello hu sooem de ffazee o concelho seendo no dito logo em rollaçom Joliam Domjnges Lourenço Alvazis da dita villa e Martjm Domjinges e Jolian Domjinges vereadores do concello e Martjm Domjnges procurador do dito concello e Nuno Rodriguez alcaide e John Martjnz Doorea e Johabbe Annes e Vicente Martjinz almoxarife e Domjnges Lourenço e John do Cebo e John Mjgees e John Domjges Framarjhno e Vicente Agilla e Vicente Estevez Vyntaneiros do termho da dita vila com homêes das suas vyntenas seendo todos juntos chamados peo Johane Estevez porteiro do concello… os sobreditos Alvazjs e vereadores e alcaide e procurador e homêes bôus e vyntaneiros com dos suas vyntenez dyzerom … que ffaziam seus procuradores espiçiais soficientes aumdosos Stevom Domjngez morador em Carcavellos e Domjnges Lourenço morador em çaçoeiros termhos da aim vila de Cascaas(…)"
 
Pelo censo geral de 1527, mandado fazer por D. João III, verifica-se que Carcavelos continua nessa data a pertencer ao concelho de Cascais, notando-se na Cronographia Portuguex e Descripçom topografica do famoso Reyno de Portugal, no cap. XVI – A Vila de Cascais, que, dois séculos depois, tudo se mantém na mesma (1712).
 
Outro testemunho da continuidade de Carcavelos no concelho de Cascais é-nos dado pelo cura António Coelho de Avelar – conforme noutro local referimos -, que nos diz que em 1758 “o lugar de Carcavelos é termo da vila de Cascais”.
 
Porém, em Junho do ano seguinte, foi instituído o concelho de Oeiras e concedido a Sebastião José de Carvalho e Melo o título de conde de Oeiras.
 
Carcavelos é então elevada à categoria de vila, sendo o seu território dilatado com a anexação do Reguengo de a par de Oeiras (Vila de Bucicos)
 
Com a morte da última donatária de Cascais, D. Ana José Maria da Graça de Meneses e Castro, todos os seus bens passaram a pertencer à Coroa. Desta forma, em 9b de Abril de 1764, isto é, cinco anos após a criação da vila de Carcavelos, o território desta freguesia é integrado no concelho de Oeiras.
 
A anexação de Carcavelos a Oeiras durou mais de um século, até que em 1895 foi decretada (Diário do Governo de 30 de Setembro de 1895) a supressão deste último concelho, passando as freguesias de Carcavelos, Carnaxide, Oeiras e S. Julião da Barra a fazer parte do concelho de Cascais, sendo a de Barcarena e parte da de Benfica integradas no concelho de Sintra.
 
Em 1898, um novo decreto determina a restauração do concelho de Oeiras, ficando, contudo, a freguesia de Carcavelos (desanexada já do antigo território do Reguengo a par de Oeiras) integrada no concelho de Cascais.
 
== Património ==
45

edições