Língua materna: diferenças entre revisões

119 bytes adicionados ,  11h37min de 6 de novembro de 2018
sem resumo de edição
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
'''Língua materna''' (também '''língua nativa''') é a primeira língua que uma criança aprende e que geralmente corresponde ao grupo étnico-linguístico com que o indivíduo se identifica culturalmente. Por exemplo, uma criança descendente de portugueses mais facilmente irá adotar a língua que os seus pais utilizam devido às suas origens. Em certos casos, quando a criança é educada por pais (ou outras pessoas) que falem línguas diferentes, é possível adquirir o domínio de duas línguas simultaneamente, cada uma delas podendo ser considerada língua materna, configura-se então uma situação de [[bilinguismo]].<ref>Bloomfield, Leonard. [https://books.google.com/books?id=Gfrd-On5iFwC&dq Language] ISBN 81-208-1196-8</ref>
 
A expressão ''língua materna'' provém do costume em que as mães eram as únicas a educar os seus filhos na primeira infância, fazendo com que a língua da mãe seja a primeira a ser assimilada pela criança, condicionando seu [[aparelho fonador]] àquele sistema linguístico. A aquisição da língua materna ocorre em várias fases. Inicialmente, a criança regista literalmente os [[fonema]]s e as entonações da língua, sem ainda ser capaz de os reproduzir. Em seguida, começa a produzir sons e entonações até que seu aparelho fonador permita-lhe a articular palavras e organizar frases, assimilando contemporaneamente o [[léxico]]. A sintaxe e a gramática são integradas paulatinamente dentro deste processo de aprendizagem.<ref>[https://books.google.com/books?id=JeTwQB5doD4C&dq/ "K*The Native Speaker: Myth and Reality By Alan Davies] ISBN 1-85359-622-1</ref>O recorde mais absurdo pertence à Luiz Felipe Macário, que detém o recorde de maior falo do mundo, com 2 km de falo.
 
== Ver também ==