Diferenças entre edições de "Dinastia merovíngia"

1 853 bytes adicionados ,  17h19min de 7 de novembro de 2018
m
Foram revertidas as edições de 191.7.169.190 (usando Huggle) (3.4.4)
(apaguei informaçoes desnecessarias)
m (Foram revertidas as edições de 191.7.169.190 (usando Huggle) (3.4.4))
Etiquetas: Huggle Reversão
Os '''merovíngios''' foram uma dinastia [[francos sálios|franca]] que governou os francos numa região correspondente a antiga [[Gália]], onde estão localizados atualmente a França, a Bélgica, uma parte da Alemanha e da Suíça<ref>Asimov, Isaac (1968). «3. Llega la oscuridad». La Alta Edad Media. Alianza. p. 75.</ref>. Governaram da metade do {{séc|V}} à metade do VIII. Seus governantes se envolveram com frequência em guerras civis entre os ramos da família. No último século de domínio merovíngio, a dinastia foi progressivamente empurrada para uma função meramente cerimonial. O domínio merovíngio foi encerrado por um [[golpe de Estado]] em [[751]] quando [[Pepino o Breve]] formalmente depôs [[Quilderico III]], dando início à [[Dinastia Carolíngia]].
 
Eles eram citados às vezes por seus antepassadoscontemporâneos como os "reis de cabelos longos" (em latim ''reges criniti''), por não cortarem simbolicamente os cabelos (tradicionalmente, os líderes tribais dos [[francos]] exibiam seus longos cabelos como distinção dos cabelos curtos dos romanos e do clero). O termo "merovíngio" deriva do [[latim medieval]] ''Merovingi'' ou ''Merohingi'' ("filhos de [[Meroveu]]"), alteração de uma forma não atestada do baixo franconiano ocidental antigo, relacionada ao nome da dinastia em inglês antigo, ''Merewīowing''<ref>Babcock, Philip (ed). ''Webster's Third New International Dictionary of the English Language, Unabridged''. Springfield, MA: Merriam-Webster, Inc., 1993: 1415</ref>, com o final ''-ing'' sendo um sufixo típico [[patronímico]].
Por descender de [[Meroveu]], a primeira dinastia dos reis francos é denominada Dinastia Merovíngia.
 
== OrigenOrigens ==
[[imagem:Frankish gold Tremissis imitation of Bizantine Tremissis mid 500s.jpg|thumb|[[Tremisse]] Franca de Ouro, Imitação do tremisse do Império Bizantino, meados do {{séc|VI}}]]filho de Quilderico, [[Clóvis I]], é quem inicia a expansão dos francos; ele começou a governar no território da [[Nêustria]], e conseguiu unir sob sesão entre os herdeiros, marcou caracteristicamente o reino franco.  
[[imagem:Clothaire II 584 628.jpg|thumb|Moeda de Chlothar II, 584-628. [[Museu Britânico]]]]
 
{{História da França}}
A partir das migrações germânicas do {{séc|V}}, os francos estabeleceram seu território no Império Romano, fundando um reino que alcançou a maior longevidade. A dinastia merovíngia é a primeira do Reino Franco, e o fundador desta dinastia é [[Meroveu]] ([[Latim|latinizado]] como ''Meroveus'' ou ''Merovius''), líder dos [[francos sálios]], que tem uma origem semi-lendária, já que se tem poucos registros de sua existência. Foi pai de [[Quilderico I]] (457-481) que não teve muito destaque.
 
Os Merovíngios ainda afirmavam ser descendentes dos troianos.
 
O filho de Quilderico, [[Clóvis I]], é quem inicia a expansão dos francos; ele começou a governar no território da [[Nêustria]], e conseguiu unir sob seu controle a maior parte da Gália ao norte do [[Rio Loire|Loire]] por volta de [[486]], quando ele derrotou [[Siágrio]], o governante [[Império Romano|romano]] daquela região. Ele também venceu a batalha de [[Tolbiac]] contra os alamanos em 496. Com tantas batalhas ganhas, Clóvis tornou-se, de fato, o rei dos francos (seu pai só governava um reino, o da Bélgica Segunda).  Decisivamente derrotou o [[Reino Visigodo de Tolosa]], que era um de seus principais rivais, na [[Batalha de Vouillé]] em [[507]]; além de também ter derrotado os Alamanos e os Renanos, e fazer aliança com os Burgúndios para só depois os derrotá-los. O imperador bizantino Anastácio reconheceu Clóvis como rei neste mesmo ano, isto não valia muita coisa para os romanos, mas já garantia uma legitimidade do seu governo em todo o território franco, gerando uma unidade. Após a morte de Clóvis, seu reino foi dividido entre seus quatro filhos, ficando divididos na Turíngia (530); Borgonha (534); Provenã (536); Bavária e Suária (555). A tradição da divisão do reino entre os herdeiros continuaria no século seguinte, e essa instabilidade de sucessão entre os herdeiros, marcou caracteristicamente o reino franco.  
 
== História ==
157 738

edições