Abrir menu principal

Alterações

17 bytes adicionados ,  12h46min de 9 de novembro de 2018
Entre as [[Causas da Primeira Guerra Mundial|causas da guerra]] inclui-se as políticas [[imperialista]]s estrangeiras das grandes potências da Europa, como o [[Império Alemão]], o [[Império Austro-Húngaro]], o [[Império Otomano]], o [[Império Russo]], o [[Império Britânico]], a [[Terceira República Francesa]] e a [[Reino de Itália (1861–1946)|Itália]]. Em 28 de junho de 1914, o [[Atentado de Sarajevo|assassinato do arquiduque]] [[Francisco Fernando da Áustria]], o herdeiro do trono da [[Áustria-Hungria]], pelo nacionalista iugoslavo [[Gavrilo Princip]], em [[Sarajevo]], na [[Bósnia (região)|Bósnia]], foi o gatilho imediato da guerra, o que resultou em um [[Ultimato de Julho|ultimato]] da Áustria-Hungria contra o [[Reino da Sérvia]].<ref name="AJPT2">{{harvnb|Taylor|1998|pp=80–93}}</ref><ref>{{harvnb|Djokić|2003|p=24}}</ref> Diversas alianças formadas ao longo das décadas anteriores foram invocadas, assim, dentro de algumas semanas, as grandes potências estavam em guerra; através de suas colônias, o conflito logo se espalhou ao redor do planeta.
 
Em 28 de julho, o conflito iniciou-se com a [[Campanha Sérvia|invasão austro-húngara da Sérvia]],<ref>{{harvnb|Evans|2004|p=12}}</ref><ref>{{harvnb|Martel|2003|p=xii ff}}</ref> seguida pela invasão alemã da [[Bélgica]], [[Luxemburgo]] e [[França]], e um ataque russo contra a Alemanha. Depois da marcha alemã até Paris ter levado a um impasse, a [[Frente Ocidental (Primeira Guerra Mundial)|Frente Ocidental]] se transformou em uma batalha de atrito estático com uma linha de [[trincheira]]s que pouco mudou até 1917. Na [[Frente Oriental (Primeira Guerra Mundial)|Frente Oriental]], o exército russo lutou com sucesso contra as forças austro-húngaras, mas foi forçado a recuar da [[Prússia Oriental]] e da [[Polônia]] pelo exército alemão. Frentes de batalha adicionais abriram-se depois que o Império Otomano entrou na guerra em 1914, Itália e Bulgária em 1915 e a Romênia em 1916. Depois de uma ofensiva alemã em 1918 ao longo da Frente Ocidental, os Aliados forçaram o recuo dos exércitos alemães em uma série de ofensivas de sucesso e as forças dos [[Estados Unidos]] começaram a entrar nas trincheiras. A Alemanha, que teve o seu [[Revolução Alemã de 1918-1919|próprio problema com os revolucionários]], neste ponto, concordou com um [[cessar-fogo]] em 11 de novembro de 1918, episódio mais tarde conhecido como [[Dia do Armistício]]. A guerra terminou com a vitória dos Aliados.
 
Os eventos nos conflitos locais eram tão tumultuosos quanto nas grandes frentes de batalha, tentando os participantes mobilizar a sua mão de obra e recursos econômicos para lutar uma [[guerra total]]. Até o final da guerra, quatro grandes potências imperiais — os impérios Alemão, Russo, Austro-Húngaro e Otomano — deixaram de existir. Os [[Estados sucessores]] dos dois primeiros perderam uma grande quantidade de seu território, enquanto os dois últimos foram completamente desmontados. O mapa da [[Europa central]] foi redesenhado em vários novos países menores.<ref>{{harvnb|Keegan|1988|p=7}}</ref> A [[Liga das Nações]], organização precursora das [[Nações Unidas]], foi formada na esperança de evitar outro conflito dessa magnitude. Esses esforços falharam, exacerbando o [[nacionalismo]] nos vários países, a [[depressão econômica]], as repercussões da derrota da Alemanha e os problemas com o [[Tratado de Versalhes]] foram fatores que contribuíram para o início da [[Segunda Guerra Mundial]].<ref>{{harvnb|Keegan|1988|p=11}}</ref>