Abrir menu principal

Alterações

6 042 bytes adicionados, 08h57min de 10 de novembro de 2018
Resgatando 44 fontes e marcando 2 como inativas. #IABot (v2.0beta10)
Pesquisas [[Arqueologia|arqueológicas]] indicam que [[Homo sapiens|humanos]] já viviam nas ilhas japonesas no período [[Paleolítico Superior]]. A primeira menção escrita do Japão começa com uma breve aparição em [[História da China|textos históricos chineses]] do {{séc|I d.C.}} A influência do resto do mundo seguida por longos períodos de isolamento tem caracterizado a [[História do Japão|história do país]]. Desde a sua [[Constituição do Japão|constituição]] em 1947, o Japão se manteve como uma [[monarquia constitucional]] [[Estado unitário|unitária]] com um [[Imperador do Japão|imperador]] e um parlamento eleito, a [[Dieta do Japão|Dieta]].
 
Como [[Grande potência|grande potência econômica]],<ref name="ciawfbjapan">{{citar web |url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/ja.html |titulo=World Factbook; Japan |publicado=CIA |data=2007-03-15 |acessodata=2007-03-27}}</ref> possui a [[Lista de países por PIB nominal|terceira maior economia do mundo]] em [[Produto interno bruto|PIB nominal]] e a [[Lista de países por PIB (Paridade do Poder de Compra)|quarta maior]] em [[paridade do poder de compra|poder de compra]]. É também o [[Lista de países por exportações|quarto maior exportador]] e o [[Lista de países por importações|quarto maior importador]] do mundo, além de ser o único país asiático membro do [[G7]].<ref>{{citar web |titulo = ''Trade growth to slow in 2012 after strong deceleration in 2011'' | url = http://www.wto.org/english/news_e/pres12_e/pr658_e.htm |publicado = WTO: 2012 PRESS RELEASES |}}</ref> O país mantém uma força de segurança moderna e ampla, utilizada para auto-defesa e para funções de manutenção da paz.<ref name="sipri.org">[http://www.sipri.org/research/armaments/milex/resultoutput/15majorspenders SIPRI Yearbook 2012 - 15 countries with the highest military expenditure in 2011]</ref> O Japão possui um [[padrão de vida]] muito alto ([[Lista de países por Índice de Desenvolvimento Humano|17º maior IDH]]), com [[Lista de países por esperança média de vida à nascença|a maior expectativa de vida do mundo]] (de acordo com estimativas da [[Organização das Nações Unidas|ONU]] e da [[Organização Mundial da Saúde|OMS]]) e a terceira menor [[Mortalidade infantil|taxa de mortalidade infantil]].<ref name="haaretz">{{citar web | url=http://www.haaretz.com/hasen/spages/1087765.html | título=WHO: Life expectancy in Israel among highest in the world | acessodata=17 de novembro de 2009 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20100115220952/http://www.haaretz.com/hasen/spages/1087765.html# | arquivodata=15 de janeiro de 2010 | urlmorta=yes }} Haaretz, May, 2009</ref><ref name="ONU">{{citar web | url=http://www.un.org/esa/population/publications/wpp2006/WPP2006_Highlights_rev.pdf | título=United Nations World Population Propsects: 2006 revision }} – Table A.17 for 2005–2010</ref> O país também faz parte do [[G20]], grupo formado pelas [[Lista de países por PIB (Paridade do Poder de Compra)|19 maiores economias do mundo]] mais a [[União Europeia]].
 
== Etimologia ==
A ocupação humana do Japão remonta ao [[Paleolítico Superior]] e a data mais consensual para a primeira presença humana neste [[arquipélago]] é de {{AC|35000|n}}, quando povos [[Nomadismo|nômades]] [[Caçador-coletor|caçadores-coletores]] chegaram às ilhas vindos do continente através de [[istmo]]s.<ref>{{citar web|autor=Travis, john|publicado=University of Pittsburgh|url=http://www.pitt.edu/~annj/courses/notes/jomon_genes.html|titulo=Jomon Genes - Using DNA, researchers probe the genetic origins of modern Japanese|acessodata=08/08/2010|língua=inglês}}</ref>
 
As primeiras ferramentas japonesas de [[pedra lascada]] datam dessa época, e as de [[pedra polida]] datam de {{AC|30000|n}}, as mais antigas do mundo. Ainda não se sabe por que essas ferramentas surgiram tão cedo no Japão. A primeira cultura cerâmica e civilização a se desenvolver no Japão foi o [[Período Jomon|Jomon]],<ref name="Barsa">{{citar enciclopédia|enciclopédia=Grande Enciclopédia Barsa |publicado=Barsa Planeta Internacional |local=São Paulo |ano=2004|volume=VIII|isbn = 85-7518-177-7|páginas=280-284}}</ref><ref name="Eras">{{citar web|publicado=Nihonsite|url=http://www.nihonsite.com/hist/eras/index.cfm|titulo=Eras|acessodata=20/07/2007|arquivourl=https://web.archive.org/web/20070701063128/http://www.nihonsite.com/hist/eras/index.cfm#|arquivodata=01/07/2007|urlmorta=yes}}</ref> que não desenvolveu a agricultura nem a criação de animais. Os Jomon ocuparam as ilhas do Japão desde o final da quarta [[glaciação]] por volta de 14 mil a.C., deixando vestígios de sua ocupação através de peças de [[cerâmica]], consideradas as mais antigas do mundo.<ref>{{citar web | url=http://web-japan.org/trends00/honbun/tj990615.html | título=Jomon Fantasy: Resketching Japan's Prehistory | data= 22 de junho de 1999}}</ref>
 
Através da cerâmica assume-se que os Jomom eram semi-sedentários e tenham seguido uma [[politeísmo|religião politeísta]], baseada no culto de elementos da natureza. Entre 250 a.C. e 250 d.C. a cultura [[Yayoi]] substituiu a anterior e trouxe consigo a [[agricultura]], [[metalurgia]], [[bronze]] e [[espelho]].<ref>{{citar web|publicado=Nihonsite|url=http://www.nihonsite.com/hist/index.cfm|titulo=Um pouco sobre a história do Japão|acessodata=25/06/2007|arquivourl=https://web.archive.org/web/20070623215147/http://www.nihonsite.com/hist/index.cfm#|arquivodata=23/06/2007|urlmorta=yes}}</ref><ref>{{citar web|publicado=Visiting Arts|data=03/10/2006|url=http://www.culturalprofiles.net/japan/Directories/Japan_Cultural_Profile/-13219.html|titulo=History: Prehistory|acessodata=20/07/2007|lingua=inglês}}</ref>
 
O Japão foi unificado pela primeira vez no {{séc|VI}} pelo povo [[Yamato (povo)|Yamato]]<ref name="Eras"/> e logo empreendeu a conquista da [[península da Coreia]] no final do século. Nos séculos seguintes a competição por cargos no governo enfraqueceu gradativamente o domínio japonês sobre a [[Coreia]] até ao {{séc|VI}}. Em 552, o [[budismo]] foi introduzido no país trazido da Coreia e servindo como arma política contra o crescente poder dos sacerdotes, a religião tradicional, o [[xintoísmo]] debilitou-se, porém não desapareceu.<ref name="Barsa"/> As duas religiões se uniram, sob a égide do budismo. Após a morte do [[Shōtoku Taishi|imperador Shotoku]] em 622 e um período de guerras civis, o [[Imperador Kōtoku]] deu início à [[reforma Taika]] que criaria um estado com poderes concentrados nas mãos de um imperador rodeado por uma burocracia, à semelhança da [[Dinastia Tang]] na China. Em 710 a capital japonesa foi transferida de Asuka para [[Nara (cidade)|Nara]], dando início a um [[Período Nara|novo período]] da história japonesa no qual a cultura e a tecnologia chinesa tiveram maior influência e o budismo se difundiu com a criação de templos por parte do imperador nas principais regiões.<ref>Visiting Arts (3 de outubro de 2006). Japan Cultural Profile. [http://www.culturalprofiles.net/japan/Directories/Japan_Cultural_Profile/-13220.html History: Nara and Kyoto]. Visitado em 20 de Julho de 2007</ref>
=== Era feudal ===
[[imagem:Kinkaku Snow E4.jpg|thumb|[[Kinkaku-ji]] (''Templo do Pavilhão Dourado''), construído em 1397, durante o [[Xogunato Ashikaga]]]]
Mais tarde a capital seria novamente transferida para ''Heian-kio'', a moderna [[Quioto (cidade)|Quioto]], e dar-se-ia o rompimento entre o [[imperador Kammu]] e os monges budistas. A partir daí foi estabelecida a escrita japonesa e uma nova literatura.<ref>{{Citar web |url=http://www.wsu.edu/~dee/ANCJAPAN/WRITING.HTM |título= Ancient Writing in Japan |língua= inglês |acessodata=28 de novembro de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100628054933/http://wsu.edu/~dee/ANCJAPAN/WRITING.HTM# |arquivodata=28 de junho de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> Foi nesse período de paz que surgiram a classe dos [[samurai]]s como guardas da corte.<ref name="Barsa"/><ref name="Eras"/> Contudo as disputas surgidas entre os [[clã]]s guerreiros [[Taira no Kiyomori]] e [[Minamoto no Yoritomo]] levaram a uma nova guerra civil que só teve fim em 1185, com a ascensão de Minamoto. Este estabeleceria o governo do [[Xogum|xogunato]] em [[Kamakura (Kanagawa)|Kamakura]]. Enquanto seguia as leis do governo imperial de Heian, o governo Kamakura foi exercido por uma rede de samurais em todo o país que se comprometiam a manter a paz. Desde que o poder real era exercido localmente por [[xogum]], os samurais foram capazes de assumir a terra dos ricos proprietários de terra aristocráticos ([[daimiô]]s) e, portanto, levaram o governo imperial de Heian em [[Quioto (cidade)|Quioto]] a tornar-se ainda mais fraco. Um novo período de paz e enriquecimento econômico e cultural foi estabelecido até uma nova tentativa mal sucedida de restauração da autoridade imperial feita pelo [[Imperador Go-Daigo]].<ref>{{citar web|url=http://afe.easia.columbia.edu/special/japan_1000ce_samurai.htm|titulo=The Age of the Samurai: 1185-1868 - Asia for Educators - Columbia University|publicado=Columbia.edu|lingua=inglês|acessodata=01/08/2010}}</ref><ref>{{citar web|url=http://www.japan-guide.com/e/e2133.html|titulo=Japanese history: Kamakura Period|publicado=Japan-guide.com|lingua=inglês|acessodata=1 de agosto de 2010}}</ref>
[[Imagem:Illustrated Story of Night Attack on Yoshitsune's Residence At Horikawa, 16th Century 2.jpg|thumb|[[Samurai]]s vestindo o ''Ō-yoroi'' no {{séc|XVI}}]]
 
O surgimento dos [[daimiô]]s de base local, enfraqueceu o xogunato e esse enfraquecimento levou a [[Guerra de Ōnin]] entre 1467 e 1477 entre os Kosokawa e os Yamana que deu fim ao [[Xogum|xogunato]]. Sem uma autoridade central, os daimiôs, agora com autoridade absoluta em seus domínios, deram início a um período de guerras que só terminaria entre 1550 e 1560 com a conquista dos demais domínios por [[Oda Nobunaga]].<ref name="Barsa"/> Foi durante o {{séc|XVI}} que comerciantes e missionários [[portugueses]] chegaram ao Japão pela primeira vez, dando início a um [[Período Nanban|intenso período de trocas culturais e comerciais]]. No Japão, os portugueses praticaram o [[comércio]] e a [[evangelização]]. Os [[missionário]]s, principalmente os sacerdotes da [[Companhia de Jesus]], levaram a cabo um intenso trabalho de missão e em cerca de 100 anos de presença portuguesa no Japão. Em 1582 a comunidade cristã no país chegou a ascender a cerca de 150 mil cristãos no Japão e 200 igrejas.<ref>{{citar web|url=http://historia.abril.com.br/cultura/portugueses-sol-nascente-518145.shtml|titulo=Portugueses do sol nascente|acessodata=03/10/2010|publicado=Editora Abril|arquivourl=https://web.archive.org/web/20131110222518/http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/portugueses-sol-nascente-518145.shtml#|arquivodata=10/11/2013|urlmorta=yes}}</ref> Neste período o Japão era uma sociedade [[feudal]] relativamente bem desenvolvida com tecnologia pré-industrial. O país era mais povoado do que qualquer país ocidental e tinha, no {{séc|XVI}}, cerca de 26 milhões de habitantes.<ref name=np>Noel Perrin, "Giving up the gun"</ref>
 
[[Toyotomi Hideyoshi]] deu continuidade ao governo de Nobunaga e unificou o país em 1590. Depois da morte de Hideyoshi, o regente [[Tokugawa Ieyasu]] aproveitou-se de sua posição para ganhar apoio político e militar. Quando a oposição deu início a uma guerra, ele a venceu em 1603 na [[Batalha de Sekigahara]]. Tokugawa fundou um novo [[Xogunato Tokugawa|xogunato]] com capital em [[Edo]] e expulsou os portugueses e restantes estrangeiros, dando início à perseguição dos [[Igreja Católica|católicos]] no país, tidos como subversivos, com uma política conhecida como ''[[sakoku]]''. A perseguição aos [[Cristianismo|cristãos]] japoneses fez parte desta política, levando esta comunidade à conversão forçada ou mesmo à morte, como é o caso [[os 26 Mártires do Japão|dos 26 Mártires do Japão]].<ref name="nijuuroku">{{citar web|url=http://books.google.com.br/books?id=pKqDbBSLuSoC&pg=PA757&dq=Os+26+M%C3%A1rtires+do+Jap%C3%A3o+5+de+Fevereiro+de+1597&ei=aQ9VS9LXNarGywSHuejWDw&client=firefox-a&cd=8#v=onepage&q=Os%2026%20M%C3%A1rtires%20do%20Jap%C3%A3o%205%20de%20Fevereiro%20de%201597&f=false|titulo=MÁRTIRES|publicado=JAPAO, O - DICIONARIO E CIVILIZACAO|acessodata=18/01/2010}}</ref><ref name="thegreatgoogle">{{citar web|url=http://books.google.com.br/books?id=vNx8uGTGQ6YC&pg=PA88&dq=Os+26+M%C3%A1rtires+do+Jap%C3%A3o+5+de+Fevereiro+de+1597&ei=aQ9VS9LXNarGywSHuejWDw&client=firefox-a&cd=1#v=onepage&q=Os%2026%20M%C3%A1rtires%20do%20Jap%C3%A3o%205%20de%20Fevereiro%20de%201597&f=false|titulo=Samurais e jecatatus|publicado=Samurais e jecatatus: indicações para um diálog de antípoas|acessodata=18/01/2010}}</ref><ref name="thebattleofsekigahara">{{citar web|url=http://www.culturajaponesa.com.br/htm/cristianismo.html|titulo=Cristianismo no Japão|publicado=Culturajaponesa.com|acessodata=18/01/2010}}</ref>
Em 1937, o [[Império do Japão]] invadiu outras partes da [[República Popular da China|China]], precipitando a [[Segunda Guerra Sino-Japonesa]] (1937-1945). No ano de 1940, [[Invasão da Indochina Francesa|invade a Indochina francesa]], após o qual os [[Estados Unidos]] colocaram um [[embargo]] de [[petróleo]] ao Japão.<ref>{{citar livro |autor=Roland H. Worth, Jr. |titulo=No Choice But War: the United States Embargo Against Japan and the Eruption of War in the Pacific |publicado=McFarland |ano=1995 |isbn=0-7864-0141-9}}</ref>
 
Em 7 de dezembro de 1941, o Japão [[Ataque a Pearl Harbor|atacou a base naval]] de [[Pearl Harbor]] e declarou guerra aos Estados Unidos, [[Reino Unido]] e [[Países Baixos]]. Este ato fez com que os Estados Unidos entrassem na [[Segunda Guerra Mundial]] e, em 8 de dezembro, estes três países declararam guerra ao Japão.<ref>{{citar web |url=http://www.sankei.co.jp/seiron/koukoku/2005/0504/ronbun3-2.html |titulo=インドネシア独立運動と日本とスカルノ(2) |trabalho=馬 樹禮 |publicado=産経新聞社 |data=abril de 2005 |acessodata=2/10/2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110501141220/http://www.sankei.co.jp/seiron/koukoku/2005/0504/ronbun3-2.html# |arquivodata=01/05/2011 |urlmorta=yes }}</ref><ref>{{citar web |url=http://www.ibiblio.org/pha/policy/1941/411208c.html |titulo=THE KINGDOM OF THE NETHERLANDS DECLARES WAR WITH JAPAN |publicado=ibiblio |acessodata=2/10/2009|língua=inglês}}</ref> Após os [[Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki|bombardeios atômicos]] de [[Hiroshima]] e [[Nagasaki]], em 1945, [[Operação Tempestade de Agosto|após a União Soviética também se opor ao país]], o Japão concordou com a [[Rendição do Japão|rendição incondicional]] de suas forças em 15 de agosto ([[Dia V-J|Dia da Vitória sobre o Japão]]).<ref>{{citar web |url=http://www.japan-101.com/history/japanese_instrument_of_surrender.htm |título=Japanese Instrument of Surrender |publicado=Japan-101 |acessodata=28/12/2006|língua=inglês}}</ref>
 
Os custos de guerra para o Japão e para os países da [[Esfera de Coprosperidade da Grande Ásia Oriental|Esfera de Coprosperidade da Ásia Oriental]] foram a perda de milhões de vidas e destruição de grande parte da indústria, cidade e infraestrutura do país. As potências aliadas repatriaram milhões de [[Nikkei|japoneses étnicos]] de colônias e campos militares na [[Ásia]].<ref>{{citar web | url=http://www.hup.harvard.edu/catalog/WATWHC.html | título=When Empire Comes Home : Repatriation and Reintegration in Postwar Japan by Lori Watt | publicado= Harvard University Press}}</ref>
[[imagem:Rainbow_colored_Rainbow_Bridge_at_night.jpg|thumb|esquerda|Vista de [[Tóquio]], com destaque para a [[Rainbown Bridge]] e a [[Torre de Tóquio]] (ao fundo)]]
 
Em 1947, o Japão aprovou uma nova [[Constituição do Japão|constituição]] [[pacifista]] enfatizando as práticas [[democráticas liberais]]. A [[Ocupação do Japão|ocupação dos Aliados]] terminou pelo [[Tratado de São Francisco]] em 1952 e o Japão foi assimilado como membro das [[Nações Unidas]] em 1956.<ref>{{citar web |url=http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/nn20070306f3.html |titulo='52 coup plot bid to rearm Japan: CIA |autor=Joseph Coleman|data=6/3/2006|publicado=[[The Japan Times]] |acessodata=3/4/2007}}</ref> Internamente, após o fim da Segunda Guerra, o país passou por décadas de recuperação e afirmação: teve um [[Milagre econômico japonês|crescimento econômico espetacular]] até se tornar a segunda maior economia do mundo, devido a investimentos do setor privado na construção de novas fábricas e equipamentos e ao senso coletivo de trabalho, que deram ao país uma taxa de crescimento média anual de 10% por quatro décadas.<ref>{{citar web|url=http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:wC3JGuqJPHYJ:www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/japao/economia-do-japao.php+jap%C3%A3o+nas+d%C3%A9cadas+de+1960+%C3%A0+1980&cd=5&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br|titulo=Rápido Crescimento Econômico|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Portal São Francisco}}</ref> Estes acordos deveram-se a fatores [[Geopolítica|geopolíticos]], como o medo de que o [[socialismo]] avançasse sobre este país completamente arrasado pela guerra, e culturais, devido ao investimento em educação que formou e preencheu vagas no campo tecnológico.<ref>{{citar web|url=http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml|titulo=Como a Alemanha e o Japão se recuperaram tão rápido depois da Segunda Guerra?|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Editora Abril|arquivourl=https://web.archive.org/web/20090203114139/http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml#|arquivodata=3 de fevereiro de 2009|urlmorta=yes}}</ref> Esse rápido avanço terminou em meados dos anos 1990 quando o Japão sofreu uma [[Bolha financeira e imobiliária do Japão|grande recessão]]. O crescimento positivo no início do {{séc|XXI}} tem sinalizado uma recuperação gradual.<ref>{{citar notícia |url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/business/5178822.stm |titulo=Japan scraps zero interest rates |publicado=[[BBC News]] Online |data=14/7/2006 |acessodata=28/12/2006}}</ref>
 
Em 11 de março de 2011 o país sofreu o [[Sismo e tsunami de Tohoku de 2011|pior sismo e tsunami já registrado em sua história]]. O terremoto teve uma magnitude de 9,0 na [[escala de magnitude de momento]] e foi agravado por um [[tsunami]], afetando a região nordeste de [[Honshu]], incluindo [[Tóquio]].<ref name="publico1">{{citar web | url=http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295 | título= Tsunami atinge Japão após sismo de magnitude 8,9 | autor=publico.pt | acessodata=11-3-2011 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110314044622/http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295# | arquivodata=14-03-2011 | urlmorta=yes }}</ref> A área mais afetada pelo tsunami foi a cidade de [[Sendai]], [[região de Tohoku]], devido à proximidade do local onde ocorreu o sismo.<ref name="infoescolasendai">{{citar web| url=http://www.infoescola.com/japao/tsunami-no-japao-2011/|título=Tsunami no Japão (2011) - InfoEscola|autor=InfoEscola |acessodata=20/03/2011}}</ref> Por conta do sismo, a [[Central Nuclear de Fukushima I]] [[Acidente nuclear de Fukushima I|sofreu sérios danos em seus reatores]] e agora ameaça a população dos arredores com risco de contaminação por [[Radiação|radioatividade]].<ref name="centralnucleardefukushima">{{citar web| url=http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/15/risco-de-contaminacao-faz-governo-do-japao-suspender-operacao-de-resfriamento-de-usina-924020375.asp|título=Risco de contaminação faz governo do Japão suspender operação de resfriamento de usina - O Globo|autor=O Globo|acessodata=20/03/2011}}</ref>
 
== Geografia ==
 
{{AP|Geografia do Japão}}
O Japão é um país [[insular]] que se estende ao longo da costa leste da [[Ásia]]. O litoral marítimo do Japão é aproximadamente quatro vezes maior que o brasileiro.<ref name="cia">Central Intelligence Agency. [https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/ja.html The World Factbook]. Visitado em 5 de março de 2007.</ref> As ilhas principais, de norte para sul, são: [[Hokkaido]], [[Honshu]], [[Shikoku]] e [[Kyushu]]. Além destas maiores, o Japão inclui mais de seis mil outras menores, parte das quais constituem as ilhas [[Riukyu]], inclusive [[Okinawa]], que se estendem a sudoeste de Kyushu até perto de [[Ilha de Taiwan|Taiwan]].<ref>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=26|titulo=Conheça o Japão|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=PortalJapão|arquivourl=https://web.archive.org/web/20100705080209/http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=26#|arquivodata=5 de julho de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
Entre 70% e 80% do país é coberto por florestas e de relevo montanhoso<ref>{{citar enciclopédia|url=http://encarta.msn.com/encyclopedia_761566679/Japan.html |titulo="Japan" |publicado=Microsoft Encarta Online Encyclopedia |ano=2006 |acessodata=2006-12-28|arquivourl=http://www.webcitation.org/5kwrn50XS|arquivodata=2009-10-31|urlmorta=yes}}</ref><ref>{{citar web |url=http://www.worldinfozone.com/country.php?country=Japan |titulo=Japan Information—Page 1 |publicado=WorldInfoZone.com |acessodata=28/12/2006}}</ref> com uma [[cordilheira]] no centro das ilhas principais, de forma que as pequenas planícies costeiras se tornam as áreas mais povoadas do país.<ref>WorldInfoZone.com. [http://www.worldinfozone.com/country.php?country=Japan Japan Information—Page 1]. Visitado em 23 de Junho de 2007.</ref>
A montanha mais alta e o vulcão mais conhecido do Japão é o [[monte Fuji]] com 3.776 metros de altitude e seu ponto mais baixo fica no lago [[Hachirōgata]], quatro metros abaixo do nível do mar. Localizado no [[Círculo de fogo do Pacífico]] há oitenta vulcões ativos no país e os [[sismo]]s são muito comuns, ocorrendo mil deles sensíveis por ano. A enorme quantidade de vulcões mostra que nas profundezas do arquipélago o solo é instável e cheio de energia. Isso faz com que o país esteja entre os que mais registram terremotos no mundo.<ref name="ciawfbjapan"/> Em 2006, foram registrados 108 vulcões ativos do país.<ref>[http://www.lustosa.net/noticias/33877.php Lustosa.net - Vulcão entra em erupção no Japão e deixa cidade em alerta]</ref>
 
Ainda que uma ameaça, estes vulcões representam uma importante fonte de turismo. Regiões como [[Nikko]], são famosas por suas primaveras quentes e pelo cenário de montanhas vulcânicas.<ref>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=28|titulo=Conheça o Japão - Geografia|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=PortalJapão|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101012152021/http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=28#|arquivodata=12 de outubro de 2010|urlmorta=yes}}</ref> Os rios japoneses são curtos e de águas ligeiras. Atingem o mar pouco depois de sua nascente nas montanhas acima e formam geralmente deltas em forma de leque.<ref name="ciawfbjapan"/>
 
=== Clima ===
O clima japonês apresenta uma clara diferenciação entre as [[Estação do ano|estações]] e sofre a influência de [[massas de ar]] frias vindas da [[Sibéria]] no inverno, bem como de massas de ar quentes do [[Oceano Pacífico|Pacífico]] no verão. Os [[ciclone tropical|tufões]] são comuns entre o fim do verão e o início do outono. O país pode ser dividido em quatro regiões climáticas: a de Hokkaido, de [[clima subártico]], a da costa do Pacífico, [[clima temperado|temperado]], a da costa do Mar do Japão, mais chuvoso, e o da região sudoeste, [[clima subtropical|subtropical]].<ref name="ciawfbjapan"/>
 
As diferenças entre as estações do ano mostram-se da seguinte maneira:<ref name="Clima">[{{Citar web |url=http://www.jnto.go.jp/eng/arrange/essential/climate.html# |titulo=JNTO, agência de turismo japonesa] |acessodata=19 de dezembro de 2007 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20180727084935/https://www.jnto.go.jp/eng/arrange/essential/climate.html# |arquivodata=27 de julho de 2018 |urlmorta=yes }}</ref> o [[inverno]], que vai de Dezembro a Fevereiro, é seco e tem regularmente Sol. Enquanto o Centro e principalmente o Norte do Japão são frios, o Sul tem o tempo mais agradável, e a temperatura vai raramente abaixo dos 0 [[grau Celsius|°C]].<ref name="Clima"/>
 
A [[primavera]], que vai de março a maio, é quando deixa de nevar, sendo que todas as paisagens ficam floridas. O [[verão]] começa com três a quatro semanas de chuva, sendo este período importante para os agricultores. Depois deste período, o tempo torna-se extremamente quente. O [[outono]] é muito fresco, com uma ligeira brisa e uma temperatura mais fresca depois do Verão.<ref name="Clima"/>
[[imagem:JapaneseMacaqueM2262 wb.jpg|thumb|esquerda|O selvagem [[macaco-japonês]], no Parque [[Jigokudani]]]]
 
O Japão tem nove [[Ecorregião|ecorregiões]] florestais que refletem o clima e a geografia das ilhas. Elas vão de florestas subtropicais nas ilhas [[Ryūkyū]] e [[Ilhas Ogasawara|Ogasawara]], a [[florestas decíduas temperadas]] em regiões de clima ameno das principais ilhas, [[florestas temperadas de coníferas]] nas porções frias das ilhas do norte.<ref>{{citar web |url= http://www.us.emb-japan.go.jp/jicc/spotflora.htm |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20070213035135/http://www.us.emb-japan.go.jp/jicc/spotflora.htm# |arquivodata=13/202/2007 |título=Flora and Fauna: Diversity and regional uniqueness |publicado=Embassy of Japan in the USA |acessodata=1/4/2007 |língua=inglês |urlmorta=yes }}</ref>
 
Em sua flora, o país possui cerca de 6 000 espécies nativas de plantas, cuja variedade é devida ao calor, à abundância das precipitações, à humidade dos verões e ao relevo. Ao longo do território vê-se ''figuier banian'', ''suji'' e ''hinoki'', bem como plantas comuns em outras partes do mundo, como as [[magnólia]]s.<ref>{{citar web|url=http://www.voyagesphotosmanu.com/vegetacao_japao.html|titulo=A vegetação e os animais ao Japão|acessodata=5 de agosto de 2010|publicado=Fotografias e imagens de viagens}}</ref> Algumas ainda possuem significados simbólicos, como as flores de cerejeira, chamadas sakuras, que representam a beleza efêmera. De suas plantas ainda saem os trabalhos com arranjos, pinturas, tecelagem e cerâmicas, além de remédios.<ref name=FAUN>{{citar web|url=http://www.portaldointercambio.com.br/destinos/intercambio_japao/geografia_japao/flora-e-fauna|titulo=Flora e Fauna|acessodata=5 de agosto de 2010|publicado=Portal do intercâmbio|arquivourl=https://web.archive.org/web/20090611231706/http://www.portaldointercambio.com.br/destinos/intercambio_japao/geografia_japao/flora-e-fauna#|arquivodata=11 de junho de 2009|urlmorta=yes}}</ref>
 
Já em sua fauna é possível ver espécies não encontradas em nenhuma outra parte do globo, como certas variedades de [[faisão|faisões]], [[tubarão|tubarões]] e [[caudados|salamandras]]. Ainda assim, o território japonês possui apenas 118 espécies de mamíferos terrestres selvagens.<ref name=FAUN /> As regiões montanhosas do Japão, com florestas densas, albergam populações relativamente numerosas de mamíferos, dentre eles [[javali]]s, [[tanuki]]s, [[raposa]]s, [[veado]]s, [[antílope]]s, [[lebre]]s e [[doninha]]s. Répteis presentes incluem [[tartarugas marinhas]], cágados, [[Hydrophiidae|serpentes aquáticas]] e [[lagartos]]. Há uma grande variedade de [[sapo]]s, [[rã]]s e [[Tritão (anfíbio)|tritões]], onde se destaca a [[Salamandra-gigante-do-japão]] que atinge os 4 m de comprimento, e é [[endêmica]] do arquipélago. Cerca de 600 espécies de [[aves]] são residentes ou migratórias e diversidade de insetos é típica de regiões com clima temperado úmido.<ref>{{citar web |titulo = Japan :: Fauna -- Britannica Online Encyclopedia |acessodata = 2010-08-06 | url = http://www.britannica.com/EBchecked/topic/300531/Japan/23242/Fauna }}</ref>
[[Ficheiro:LakeAshi and MtFuji Hakone.JPG|thumb|esquerda|[[Monte Fuji]] visto do [[Lago Ashi]] no [[Parque Nacional Fuji-Hakone-Izu]].]]
 
A história ambiental do Japão e as políticas atuais refletem um equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a proteção ambiental. No rápido crescimento econômico após a [[Segunda Guerra Mundial]], as políticas ambientais foram minimizadas pelas empresas do governo e industriais. Como consequência inevitável, certa poluição ambiental crucial ocorreu nos anos 1950 e anos 1960. Na preocupação crescente sobre o problema, o governo introduziu muitas leis de proteção ambiental em 1970 e estabeleceu o Ministério do Meio Ambiente em 1971.<ref>{{citar web | url=http://www.erca.go.jp/taiki/history/ko_syousyu.html | título=日本の大気汚染の歴史 | publicado= Environmental Restoration and Conservation Agency | acessodata=25 de julho de 2010 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110501085231/http://www.erca.go.jp/taiki/history/ko_syousyu.html# | arquivodata=1 de maio de 2011 | urlmorta=yes }}</ref>
 
A [[crise do petróleo de 1973]] também incentivou o uso eficiente da energia, devido à falta no Japão de recursos naturais.<ref>{{citar web | url=http://web.archive.org/web/20080216005103/http://nice.erina.or.jp/en/pdf/C-SEKIYAMA.pdf | título=Japan' international cooperation for energy efficiency & conservation in Asian region | autor= Takeshi Sekiyama | publicado= Energy Conservation Center | data= 2008}}</ref> Questões prioritárias ambientais atuais incluem a [[poluição do ar]] urbano ([[NOx]], partículas em suspensão, substâncias tóxicas), [[gestão integrada de resíduos sólidos]], [[eutrofização]] da água, conservação da natureza, [[Mudança do clima|mudanças climáticas]], gestão de produtos químicos e a cooperação internacional para a conservação do meio ambiente.<ref>{{citar web | url=http://www.oecd.org/dataoecd/0/17/2110905.pdf | título=OECD Environmental Performance Review of Japan | publicado= [[Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico]]}}</ref>
Atualmente, o Japão é um dos líderes mundiais no desenvolvimento de novas tecnologias amigas do ambiente. Os [[Automóvel híbrido|veículos híbridos]] da [[Honda]] e da [[Toyota]] foram nomeados para ter a maior economia de combustível e as menores emissões. Isto é devido à [[Alta tecnologia|avançada tecnologia]] em sistemas híbridos, os [[biocombustíveis]], o uso de material mais leve e melhor [[engenharia]].<ref>{{citar web | url=http://www.ucsusa.org/clean_vehicles/vehicles_health/automaker-rankings-2007.html | título=Automaker Rankings 2007: The Environmental Performance of Car Companies }} [[Union of Concerned Scientists]], 10/15/07.</ref>
 
Como signatário do [[Protocolo de Quioto]] e anfitrião da conferência de 1997 que o criou, o Japão é tratado no âmbito de obrigações de reduzir suas emissões de [[dióxido de carbono]] e tomar outras medidas relacionadas como combater as alterações climáticas. A campanha ''[[Cool Biz]]'' introduzida pelo antigo primeiro-ministro [[Junichiro Koizumi]] foi orientada a reduzir o [[consumo de energia]] através da redução da utilização do [[ar condicionado]] nos escritórios do governo. O Japão se prepara para forçar a indústria a fazer grandes cortes nos [[gases do efeito estufa]], tomando a liderança de um país que luta para cumprir suas obrigações do Protocolo de Quioto.<ref>{{citar web |autor=WBCSD |url=http://www.wbcsd.org/plugins/DocSearch/details.asp?type=DocDet&ObjectId=MzAyNzQ |titulo=World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) |publicado=WBCSD |data= |acessodata=20/11/2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20090104200639/http://www.wbcsd.org/plugins/DocSearch/details.asp?type=DocDet&ObjectId=MzAyNzQ# |arquivodata=04/01/2009 |urlmorta=yes }}</ref> O país é classificado na 20º posição no mundo no [[Índice de Desempenho Ambiental]] de 2010.<ref>{{citar web|url=http://epi.yale.edu/Countries|titulo=Environmental Performance Index 2010: Country scores|publicado=yale.edu|lingua=inglês|acessodata=1 de agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20100413233353/http://epi.yale.edu/Countries/#|arquivodata=13 de abril de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
[[Ficheiro:Japan Factory Ship Nisshin Maru Whaling Mother and Calf.jpg|thumb|Uma [[baleia]] e um filhote sendo carregados para dentro de um [[barco-fábrica]], o ''[[Nisshin Maru]]''.]]
 
Em 2010, o país que contribui para o desmatamento fora de seu território, em nações de florestas tropicais, por exemplo, comprometeu-se a reduzir o desmatamento e a degradação ambiental, doando, ao lado de outros países, cerca de 3,5 bilhões de dólares.<ref>{{citar web|url=http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/paises-lancam-parceria-para-preservar-florestas/|titulo=Países lançam parceria para preservar florestas|publicado=Mercado Ético|acessodata=6 de agosto de 2010}}</ref><ref>{{citar web|url=http://pt.mongabay.com/rainforests/0817.htm|titulo=Riquezas em Perigo—Florestas Tropicais Ameaçadas|publicado=Mogabay|acessodata=6 de agosto de 2010}}</ref> Em contrapartida, sua área florestal intacta ou replantada cobre 70% do território nacional, preservação esta comparada apenas aos países escandinavos.<ref>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/roteiros_internacionais_japao_02_o_pais.htm|titulo=Japão - a terra do Sol nascente|publicado=Caderno Japão|acessodata=6 de agosto de 2010}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
A [[caça à baleia no Japão]] em uma escala industrial começou por volta da década de 1890 quando o país começou a participar da indústria moderna da pesca da baleia, na época uma indústria da qual muitos países participavam.<ref>{{citar web |url=http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html |título=The Truth about "Traditional" Japanese Whaling |primeiro =Paul |último =Watson |publicado=Sea Shepherd France |data=27 de junho de 2006 |acessodata=29 de agosto de 2018 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20130601115117/http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html# |arquivodata=1 de junho de 2013 |urlmorta=yes }}</ref> Estas atividades historicamente se estenderam para fora das águas territoriais japonesas. Durante o século XX, o Japão esteve intensamente envolvido na pesca comercial da baleia. Isto continuou até que a moratória da Comissão Internacional da Pesca da Baleia (IWC) entrasse em efeito em 1986. O Japão, no entanto, continuou a caçar baleias usando a previsão de pesquisa científica no acordo.<ref name="bbc.782697">{{citar jornal|url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/782697.stm |primeiro =Alex |último =Kirby |título=Whaling ban set to end |publicado=BBC News |data=11 de junho de 2000 }}</ref> A carne dessas baleias caçadas com propósitos científicos é vendida em lojas e restaurantes.<ref>{{citar jornal|url=http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg |título=Anti-whaling activist faces arrest on arrival in Japan |agência=AFP |data=11 de março de 2010 |deadurl=yes |arquivodata=31/01/2014|arquivourl=http://web.archive.org/web/20140131045439/http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg }}</ref> A prática é uma fonte de conflito entre os países e organizações anti-caça à baleia. Países, cientistas e organizações ambientais contrárias à caça à baleia consideram o programa de pesquisa japonesa como desnecessário e que é uma operação comercial de caça à baleia disfarçada.<ref name="nytimesletter">{{citar web |último1 =Briand |primeiro1 =F |último2 =Colborn |primeiro2 =T |último3 =Dawkins |primeiro3 =R |último4 =Diamond |primeiro4 =J |último5 =Earle |primeiro5 =S |último6 =Gomez |primeiro6 =E |último7 =Guillemin |primeiro7 =R |último8 =Klug |primeiro8 =A |último9 =Konishi |primeiro9 =M |displayauthors =9 |url =http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf |formato =PDF |título =An Open Letter to the Government of Japan on "Scientific Whaling" |obra =New York Times |data =20 de maio de 2002 |deadurl =yes |arquivourl =httphttps://web.archive.org/web/20070819151058/http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf# |arquivodata =19/08/2007 |acessodata =29/08/2018 |urlmorta =yes }}</ref><ref name="timesonline.co.uk">{{citar jornal|último =Larter |primeiro =Paul |título=Australia condemns bloody killing of whale and calf by Japanese fleet |obra=The Times |local=London |data=8 de fevereiro de 2008 |url=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/asia/article3325580.ece }}</ref><ref name="bloomberg.com">{{citar jornal|último =Biggs |primeiro =Stuart |título=Kyokuyo Joins Maruha to End Whale Meat Sales in Japan |publicado=Bloomberg |data=30 de maio de 2007 |url=http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601101&sid=aPhG1CfyPue0}}</ref><ref>{{citar jornal|url=http://www.time.com/time/world/article/0,8599,1686486,00.html |primeiro =Toko |último =Sekiguchi |título=Why Japan's Whale Hunt Continues |obra=Time |data=20 de novembro de 2007 }}</ref>
 
== Demografia ==
A [[Expectativa de vida|expectativa média de vida]] no país é uma das mais elevadas do mundo, 81,25 anos,<ref>Central Intelligence Agency. (19 de Dezembro de 2006). [https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2102rank.html The World Factbook: Ordenamento por colocação—Expectativa de vida ao nascer]. Visitado em 28 de Dezembro de 2006</ref> mas essa população está rapidamente envelhecendo como resultado do grande número de nascimentos posterior à Segunda Guerra Mundial seguido por uma queda na [[taxa de natalidade]] no final do {{séc|XX}}. Assim, em 2004, cerca de 19,5% da população tinha mais de 65 anos.<ref name="handbook">{{citar web|publicado=Ministério dos Negócios Internos e Comunicação|url=http://www.stat.go.jp/English/data/handbook/pdf/c02cont.pdf|titulo=Statistical Handbook of Japan: Chapter 2—Population|data=25/12/2006}}</ref>
 
As mudanças na demografia trouxeram uma série de questões sociais, em particular um provável declínio da [[força de trabalho]] e o aumento dos custos com a [[seguridade]] social. Nota-se também que uma parcela dos jovens prefere não formar [[família]]s quando adultos.<ref name="Ogawa">OGAWA, Naohiro. [http://www.mofa.go.jp/j_info/japan/socsec/ogawa.html "Demographic Trends and Their Implications for Japan's Future"] The Ministry of Foreign Affairs of Japan. Transcript of speech delivered on (7 de Março de 1997). Visitado em 14 de Maio de 2006.</ref> Prevê-se um declínio da população japonesa para 100 milhões até 2050 e 64 milhões em 2100.<ref name="handbook"/> Demógrafos e planejadores governamentais, no momento, debatem como lidar com este problema.<ref name="Ogawa"/> A [[imigração]] e o incentivo à [[natalidade]] são por vezes sugeridos como uma solução para proporcionar trabalhadores jovens que possam sustentar o envelhecimento da população.<ref>{{citar web |url=http://jipi.gr.jp/english/message.html |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20070929222250/http://jipi.gr.jp/english/message.html# |arquivodata=2007-09-29 de setembro de 2007 |titulo=Japan Immigration Policy Institute: Director's message |autor= Hidenori Sakanaka |publicado=Japan Immigration Policy Institute |data=2005-10-05 |acessodata=2007-01-05 |urlmorta=yes }}</ref><ref>French, Howard.[http://www.nytimes.com/2003/07/24/international/asia/24JAPA.html?ei=5007&en=53c7315175389e69&ex=1374379200&partner=USERLAND&pagewanted=all&position= "Insular Japan Needs, but Resists, Immigration".] "[[The New York Times]]" (2003-07-24). Retrieved on 2007-02-21.</ref> A imigração, contudo, não é uma medida popular.<ref>FRENCH, Howard. [http://www.nytimes.com/2003/07/24/international/asia/24JAPA.html?ei=5007&en=53c7315175389e69&ex=1374379200&partner=USERLAND&pagewanted=all&position= "Insular Japan Needs, but Resists, Immigration"]. [[The New York Times]] (24 de Julho de 2003). Visitado em 21 de Fevereiro de 2007.</ref> Segundo o [[Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados|ACNUR]], em 2007, o Japão aceitou apenas 41 refugiados para reassentamento, enquanto os [[Estados Unidos]] aceitaram 50.000.<ref>"[http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/ed20081012a2.html Refugees in Japan]". The Japan Times Online. October 12, 2008</ref>
 
O país sofre com uma das mais altas taxas de [[suicídio]]s do mundo.<ref>AFP - 22 de Novembro de 2004</ref><ref name="NYT">{{citar notícia|url=http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?res=9F00E1DB173FF936A25754C0A96F958260&sec=health&spon=&scp=29&sq=suicide%20japan&st=cse|titulo=In Japan, Mired in Recession, Suicides Soar|ultimo=Strom|primeiro=Stephanie|data=15 de julho de 1999|trabalho=Health|publicado=The New York Times|acessodata=2008-09-20}}</ref><ref name=Times>{{citar notícia|url=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/asia/article4170649.ece|titulo=Japan gripped by suicide epidemic|ultimo=Lewis|primeiro=Leo|data=19 de junho de 2008|publicado=[[The Times]]|acessodata=20/9/2008}}</ref> Em 2011, o número de suicídios ultrapassou 30 mil pessoas pelo décimo quarto ano seguido, representando uma queda de {{formatnum:1177}} suicídios em relação a 2010. Tóquio teve a maior taxa do país e os homens compõem 70% de todas as mortes desse tipo, sendo a principal causa de morte entre as pessoas com menos de 30 anos de idade.<ref>{{citar web| url=http://ajw.asahi.com/article/behind_news/social_affairs/AJ201201110021 |título=Suicides top 30,000 for 14th consecutive year |editor=The Asahi Shimbun |data=11 de janeiro de 2012 |acessodata=30 de novembro de 2012}}</ref><ref name="ozawa-desilva">{{citar periódico|ultimo = Ozawa-de Silva|primeiro = Chikako
Mais de 99% da população fala o [[Língua japonesa|japonês]] como primeira língua.<ref name="ciapeople" /> É uma [[língua aglutinante]] distinguida por um sistema de honoríficos refletindo a natureza [[hierárquica]] da sociedade japonesa, com formas verbais e vocabulários particulares que indicam o estatuto relativo do falante e do ouvinte. Segundo um dicionário japonês ''Shinsen-kokugojiten'', palavras baseadas no chinês compõem 49,1% do vocabulário total, as palavras indígenas são 33,8% e [[Empréstimo (linguística)|empréstimos]] outros 8,8%.<ref>{{citar livro | titulo=Shinsen-kokugojiten (新選国語辞典) | editora= [[Kyōsuke Kindaichi]] | local= [[Shogakukan]] | data= 2001 | isbn= 4-09-501407-5}}</ref>
 
Os [[sistema de escrita]] utilizados são o ''[[kanji]]'' ([[caracteres chineses]]) e dois conjuntos de ''[[kana (escrita)|kana]]'' ([[silabário]]s com base em caracteres chineses simplificados), bem como o [[alfabeto latino]] e os [[numerais arábicos]]. As [[línguas ryukyuanas]], também fazem parte da família das [[línguas japônicas]] a que pertence japonês, são faladas em [[Okinawa]], mas poucas crianças aprendem estas línguas.<ref>言語学大辞典セレクション:日本列島の言語 (''Selection from the Encyclopædia of Linguistics: The Languages of the Japanese Archipelago''). "琉球列島の言語" (''The Languages of the Ryukyu Islands''). 三省堂 1997</ref> A [[língua ainu]] está em extinção, com apenas alguns idosos falantes nativos remanescentes em [[Hokkaido]].<ref>{{citar web |url=http://www.un.org/works/culture/japan_story.html |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20080106062419/http://www.un.org/works/culture/japan_story.html# |arquivodata=6 de janeiro de 2008-01-06 |titulo=15 families keep ancient language alive in Japan |publicado=UN |acessodata=2007-03-27 |urlmorta=no }}</ref> A maioria das escolas públicas e privadas exigem a participação dos estudantes em cursos de japonês e [[Língua inglesa|inglês]].<ref>{{citar web |url=http://www.indiana.edu/~japan/digest5.html |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20060427225148/http://www.indiana.edu/~japan/digest5.html# |arquivodata=2006-04-27 de abril de 2006 |titulo=Japan Digest: Japanese Education |data=2005-09-01 |autor= Lucien Ellington |publicado=Indiana University |acessodata=2006-04-27 |urlmorta=no }}</ref>
 
=== Imigração e emigração ===
{{Imagem Dupla|right|Emperor Akihito cropped 2 Barack Obama Emperor Akihito and Empress Michiko 20140424 1.jpg|150|Shinzo Abe (2017).jpg|165|[[Akihito]], o [[Imperador do Japão]].|[[Shinzō Abe]], o atual [[Primeiro-ministro do Japão|primeiro-ministro do país]].}}
 
O Japão é uma [[monarquia constitucional]] onde o poder do [[lista de imperadores do Japão|imperador]] é muito limitado. A [[Constituição do Japão|Constituição]] o define como "símbolo do Estado e da unidade do povo" e ele não possui poderes relacionados ao governo. O poder, concedido por soberania popular,<ref name="Constituição">Câmara dos Conselheiros da Dieta Nacional do Japão ([[3 de Novembro]] de 1946). [http://www.sangiin.go.jp/eng/law/index.htm Constituição do Japão] {{Wayback|url=http://www.sangiin.go.jp/eng/law/index.htm# |date=20070317203812 }}. Visitado em 10 de Julho de 2007.</ref> está concentrado principalmente na figura do [[Lista de primeiros-ministros do Japão|primeiro-ministro do Japão]] e de outros membros eleitos da [[Dieta do Japão|Dieta]]. O imperador age como [[chefe de Estado]] em ocasiões diplomáticas, sendo [[Akihito]] o presente imperador do Japão e [[Naruhito, Príncipe Herdeiro do Japão|Naruhito]], o próximo na linha sucessória do trono.<ref>{{citar web|url=http://topics.nytimes.com/topics/reference/timestopics/people/a/akihito/index.html|titulo=Akihito|acessodata=5 de agosto de 2010|publicado=The New York Times}}</ref>
 
O primeiro-ministro do Japão é o [[chefe de governo]]. O candidato é escolhido pela Dieta de entre um de seus membros e endossado pelo imperador. O primeiro-ministro é o chefe do Gabinete, órgão executivo que nomeia e demite ministros de Estado do qual a maioria deve ser membro da Dieta. O primeiro-ministro do Japão é, no momento, [[Shinzō Abe]].
[[imagem:Diet of Japan Kokkai 2009.jpg|thumb|esquerda|[[Prédio da Dieta Nacional|Palácio]] da [[Dieta Nacional do Japão|Dieta Nacional]], em [[Tóquio]]]]
 
O Japão tem um [[sistema político]] [[democrático]] e pluripartidário com seis grandes partidos políticos. O liberal conservador [[Partido Liberal Democrata (Japão)|Partido Liberal Democrata]] (PLD) está no poder desde 1955, a não ser por um curto período de coalizão da oposição em 1993.<ref>Liberal Democratic Party of Japan. [http://www.jimin.jp/jimin/english/history/index.html A History of the Liberal Democratic Party] {{Wayback|url=http://www.jimin.jp/jimin/english/history/index.html# |date=20071017034917 }}. Visitado em 27 de Março de 2007.</ref> O maior partido de oposição é o [[Liberalismo social|liberal social]] Partido Democrático do Japão.<ref>{{citar web|url=http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,partido-democratico-perde-vagas-no-senado-japones,579615,0.htm|titulo=Partido Democrático perde vagas no senado japonês|acessodata=5 de agosto de 2010|publicado=Estadão}}</ref>
 
Historicamente influenciado pelo sistema chinês, o sistema legal do Japão desenvolveu-se independentemente durante o [[período Edo]]. Entretanto, desde o final do {{séc|XIX}}, o sistema legal japonês tem se baseado em grande parte nos [[direitos civis]] da [[Europa]], principalmente da [[França]] e [[Alemanha]]. Em 1896, por exemplo, o governo japonês estabeleceu um [[código civil]] baseado no modelo alemão. Com modificações do pós-Guerra, o código permanece vigente no Japão. A lei estatutária origina-se na Dieta com a aprovação do imperador. A Constituição requer que o imperador promulgue as leis aprovadas pela Dieta, sem, no entanto, conferir-lhe o poder de opôr-se a aprovação de uma lei. O sistema de tribunais do Japão é dividido em quatro esferas básicas: a Suprema Corte e três níveis de cortes inferiores.<ref>Office of the Prime Minister of Japan. [http://www.kantei.go.jp/foreign/judiciary/0620system.html The Japanese Judicial System]. Visitado em 27 de Março de 2007.</ref> O corpo principal da lei estatutária japonesa é chamado de Seis Códigos.<ref>{{citar web|url=http://en.academic.ru/dic.nsf/enwiki/5009372|titulo=Six codes|acessodata=5 de agosto de 2010|publicado=Academic dictionaries and encyclopedias }}</ref>
[[imagem:US Navy 051115-N-8492C-125 The Japan Maritime Self-Defense Force (JMSDF) destroyer JDS Kongou (DDG 173) sails in formation with other JMSDF ships and ships assigned to the USS Kitty Hawk Carrier Strike Group.jpg|thumb|esquerda|[[Contratorpedeiro]] da [[Classe Kongō]] da [[Força Marítima de Autodefesa do Japão]]]]
 
O maior parceiro militar do Japão são os [[Estados Unidos]], tendo como fundamento de sua [[política externa]] a aliança defensiva Japão-Estados Unidos.<ref>GREEN, Michael. [http://www.realclearpolitics.com/articles/2007/03/japan_is_back_why_tokyos_new_a.html Japan Is Back: Why Tokyo's New Assertiveness Is Good for Washington]. Real Clear Politics. Visitado em 28 de Março de 2007.</ref> Como membro das Nações Unidas desde 1956, o Japão serviu como membro temporário do [[Conselho de Segurança das Nações Unidas|Conselho de Segurança]] por um total de 18 anos, mais recentemente entre 2005 e 2006. Ele é também membro das [[nações G4]] buscando um assento permanente no Conselho de Segurança.<ref>{{citar web |url=http://www.centralchronicle.com/20070111/1101194.htm |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20070221044357/http://www.centralchronicle.com/20070111/1101194.htm# |arquivodata=2007-02-21 de fevereiro de 2007 |titulo=UK backs Japan for UNSC bid |publicado=Cenral Chronicle |acessodata=2007-03-28 |urlmorta=yes }}</ref> O Japão também contribuiu com contigentes não-combatentes para a [[Invasão do Iraque]], mas posteriormente retirou suas tropas deste país.<ref name="Iraq deployment">International Herald Tribune (20 de Junho de 2006). [http://www.iht.com/articles/2006/06/20/news/japan.php Tokyo says it will bring troops home from Iraq]. Visitado em 28 de Março de 2007</ref>
 
As despesas militares do Japão são a sexta maior do mundo, com 59.3 bilhões de dólares orçados em 2012, o que representa apenas 1% do [[Produto interno bruto|PIB nacional]] por ano.<ref name="sipri.org"/> O Japão tem disputas territoriais com [[Rússia]], [[República Popular da China|China]], [[República da China|Taiwan]] e [[Coreia do Sul]]. A maior parte dessas disputas envolve a presença de [[recursos naturais]] como o [[petróleo]] e fatores históricos.<ref name="Disputas">LIMA, Diogo Shimizu. [http://www.pucsp.br/geap/artigos/diogo-japao.PDF O Expansionismo Territorial Nipônico]. PDF (71,33 KB). Visitado em 20 de Julho de 2007.</ref>
[[imagem:F-35A from the Japan Air Force.jpg|thumb|Caça [[F-35]] da [[Força Aérea de Autodefesa do Japão]]]]
 
O Japão também enfrenta graves problemas com a [[Coreia do Norte]] acerca de seu programa de [[armamento nuclear]], sequestro de cidadãos japoneses e de testes de mísseis.<ref name="Coreia do Norte">{{citar web|url=http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/japanbrief/politica/jb551.htm|titulo=Conversações entre as Seis Nações sobre o Programa Nuclear da Coréia do Norte|publicado=Rio.br.emb-japan.go.jp|acessodata=1 de agosto de 2010}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> O fortalecimento militar da China é também um motivo de preocupação. Contudo, as Forças de Auto-Defesa do Japão se concentra em tecnologia de ponta, robótica e armas modernas.<ref>Richard Fisher, Jr. [http://www.strategycenter.net/research/pubID.173/pub_detail.asp Japanese Military Technology Advances] {{WebCite|url=https://www.webcitation.org/66yzCcZXL?url=http://www.strategycenter.net/research/pubID.173/pub_detail.asp# |date=20120417034645 |dateformat= }}</ref>
 
A militarização do Japão era restringida pelo Artigo 9 de sua Constituição pós-guerra até julho de 2014,<ref>{{citar web |url=http://actualidad.rt.com/actualidad/view/132642-japon-permite-guerra-extranjero-constitucion|título=Por primera vez en 70 años Japón se legitima para combatir en el extranjero|acessodata=4 de agosto de 2014|data=julho de 2014|obra=[[Russia Today]]|publicado=[[Russia Today]]|língua=es}}</ref> o qual renuncia ao direito de declarar guerra ou ao uso de força militar como meios para a resolução de disputas internacionais, ainda que o governo esteja tentando fazer uma emenda à Constituição através de um referendo.<ref>{{citar web |url=http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/asia-pacific/6652809.stm |título=Japan approves constitution steps |editor=[[BBC]] |data=14 de maio de 2007 |acessodata=15 de Maio de 2007}}</ref>
{{AP|Turismo no Japão}}
Em 2008, o Japão atraiu 8,3 milhões de visitantes estrangeiros, pouco mais que a [[Singapura]] e [[República da Irlanda|Irlanda]].<ref>{{citar web
|url = http://www.tourismroi.com/Content_Attachments/27670/File_633513750035785076.pdf
|titulo = UNTWO World Tourism Barometer, Vol.5 No.2
|acessodata = 15/10/2008
|publicado = [[Organização Mundial de Turismo]]
|data = Junho de 2008
|arquivourl = https://web.archive.org/web/20080819191518/http://www.tourismroi.com/Content_Attachments/27670/File_633513750035785076.pdf#
|arquivodata = 19/08/2008
|urlmorta = yes
}}</ref> O Japão tem catorze [[patrimônios mundiais]] da [[UNESCO]], incluindo o [[Castelo de Himeji]] e os [[Monumentos Históricos da Antiga Quioto (cidades de Quioto, Uji e Otsu)]]. [[Quioto (cidade)|Quioto]] recebe mais de 30 milhões de turistas anualmente.<ref name="fodors1996">{{citar livro | autor=Scott, David |data=1996 | titulo=''Exploring Japan'' |editora= Fodor's Travel Publications, Inc. |isbn= 0-679-03011-5}}</ref>
 
A extensa rede ferroviária, juntamente com os voos domésticos, permitem viagens eficientes e rápidas. Os estrangeiros que visitam as cidades de [[Tóquio]] e [[Nara (cidade)|Nara]], o [[Monte Fuji]], utilizam o ''[[shinkansen]]'' e tiram proveito da rede de hotéis do país.<ref name="fodors1996"/>
 
O [[turismo]] doméstico continua a ser uma parte vital da economia e da sociedade japonesa. Crianças em idade escolar em muitas escolas secundárias realizam visitas à ''[[Tokyo Disneyland]]'' ou à [[Torre de Tóquio]]. No turismo receptivo, o Japão ficou em [[Lista de destinos turísticos mundiais|28ª posição no mundo]] em 2007.<ref>{{citar web |url=http://www.tourismroi.com/Content_Attachments/27670/File_633513750035785076.pdf |titulo=UNTWO World Tourism Barometer, Vol.5 No.2 |acessodata=26/03/2008 |ultimo=UNTWO |data=Junho de 2008 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20080819191518/http://www.tourismroi.com/Content_Attachments/27670/File_633513750035785076.pdf# |arquivodata=19/08/2008 |urlmorta=yes }}</ref>
 
== Infraestrutura ==
[[imagem:The 43rd Tokyo Motor Show 2013 PENTAX K-3 158 (11248310174).jpg|thumb|esquerda|Robô [[ASIMO|Honda ASIMO]]]]
 
O Japão é uma das nações líderes nos campos da [[pesquisa científica]], especialmente de [[tecnologia]], [[Máquina|maquinário]] e [[Biomedicina|pesquisa biomédica]]. Cerca de 700.000 pesquisadores dividem um orçamento de 130 bilhões de [[dólar]]es para [[pesquisa e desenvolvimento]], o terceiro maior do mundo.<ref>McDonald, Joe. "China to spend $136 billion on R&D." ''BusinessWeek'' (2006-12-04).</ref> O Japão é líder mundial no domínio da pesquisa científica fundamental, tendo produzido treze [[prêmios Nobel]], quer em [[física]], [[química]] ou [[medicina]],<ref>{{citar web |titulo=Japanese Nobel Laureates |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/nobel.htm/ |acessodata=7 de novembro de 2009}}</ref> três [[Medalha Fields]]<ref>{{citar web |titulo=Japanese Fields Medalists |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm |acessodata=2009-11-07 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100310203313/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm/# |arquivodata=10 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> e um [[Prêmio Carl Friedrich Gauss|Prêmio Gauss]].<ref>{{citar web |titulo=Dr. Kiyoshi Ito receives Gauss Prize |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm |acessodata=7 de novembro de 2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100309181805/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm/# |arquivodata=9 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref>
 
Algumas das mais importantes contribuições tecnológicas do Japão são encontrados nas áreas de [[eletrônico]]s, [[automóveis]], [[máquina]]s, [[engenharia sísmica]], [[Robô industrial|robótica industrial]], [[óptica]], [[química]], [[semicondutor]]es e [[Metal|metais]]. Japão é líder do mundo em produção e utilização de robótica, possuindo mais de metade (402.200 de 742.500) de robôs industriais do mundo, usado para a fabricação.<ref>{{citar web | url=http://www.unece.org/press/pr2000/00stat10e.htm | título=The Boom in Robot Investment Continues—900,000 Industrial Robots by 2003 | publicado = United Nations Economic Commission for Europe |data= 2000-10-17| acessodata= 2006-12-28}}</ref> Produziu também o [[QRIO]], [[ASIMO]] e o [[AIBO]]. O Japão é o maior produtor mundial de automóveis<ref>{{citar web |titulo=World Motor Vehicle Production by Country |publicado=[[OICA|oica.net]] |ano=2006 |url=http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf |arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20070807213925/http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf# |arquivodata=7 de novembroagosto de 20092007 |acessodata=2007-07-30 |urlmorta=yes }}</ref> e abriga quatro dos quinze maiores fabricantes de automóveis do mundo e sete dos vinte maiores líderes de vendas de semicondutores atualmente.<ref>{{citar web|url=http://web.infomoney.com.br/templates/news/view.asp?codigo=834421&path=/suasfinancas/|titulo=Japão assume a dianteira e é o maior produtor de carros do mundo|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Info Money}}</ref>
 
[[imagem:ISS-36 HTV-4 berthing 4.jpg|thumb|esquerda|[[Veículo de Transferência H-II]], próximo à [[Estação Espacial Internacional]], desenvolvido pela [[JAXA]]]]
 
A [[Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial]] (JAXA) é a agência espacial do Japão, que realiza [[pesquisas espaciais]], planetárias, de aviação e no desenvolvimento de [[foguete espacial|foguetes]] e [[satélite artificial|satélites]]. É um participante da [[Estação Espacial Internacional]] e do [[Módulo de Experiências Japonês]] (Kibo) foi adicionado à Estação Espacial Internacional durante voos do [[ônibus espacial]] em 2008.<ref>{{citar web |titulo=Japan Aerospace Exploration Agency Homepage |publicado = Japan Aerospace Exploration Agency|data=2006-08-03 |url=http://www.jaxa.jp/index_e.html |acessodata=7 de novembro de 2009}}</ref> A empresa tem planos de [[exploração espacial]], como o lançamento da ''[[PLANET-C|Venus Climate Orbiter]]'' (''[[PLANET-C]]'') em 2010,<ref>[http://www.jaxa.jp/projects/sat/planet_c/index_e.html JAXA, Venus Climate Orbiter "PLANET-C"]</ref><ref>[{{Citar web |url=http://www.isas.jaxa.jp/e/enterp/missions/planet-c/index.shtml# |titulo=ISAS, Venus Meteorology PLANET-C] |acessodata=27 de fevereiro de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110513024411/http://www.isas.jaxa.jp/e/enterp/missions/planet-c/index.shtml# |arquivodata=13 de maio de 2011 |urlmorta=yes }}</ref> no desenvolvimento da ''[[BepiColombo (sonda)|Mercury Magnetospheric Orbiter]]'' para ser lançada em 2013<ref>[http://www.jaxa.jp/projects/sat/bepi/index_e.html JAXA, Mercury Exploration Mission "BepiColombo"]</ref><ref>[{{Citar web |url=http://www.isas.jaxa.jp/e/enterp/missions/mmo/index.shtml# |titulo=ISAS, Mercury Exploration MMO (BepiColombo)] |acessodata=27 de fevereiro de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110513024407/http://www.isas.jaxa.jp/e/enterp/missions/mmo/index.shtml# |arquivodata=13 de maio de 2011 |urlmorta=yes }}</ref> e a construção de uma [[Colonização da Lua|base lunar]] em 2030.<ref>{{citar web |titulo=Japan Plans Moon Base by 2030 |publicado=MoonDaily |data=2006-08-03 |url=http://www.moondaily.com/reports/Japan_Plans_Moon_Base_By_2030_999.html |acessodata=2007-03-27}}</ref>
 
Em 14 de setembro de 2007, lançou o [[explorador]] da [[órbita]] [[Lua|lunar]] "[[SELENE (sonda espacial)|SELENE]]" ('''''Sel'''enological and '''En'''gineering '''E'''xplorer'') em um portador de foguetes [[H-IIA]] (Modelo H2A2022) no [[Centro Espacial de Tanegashima]]. ''SELENE'' também é conhecido como Kaguya, a princesa lunar do antigo conto ''The Tale of the Bamboo Cutter''.<ref name="jaxa_nickname">{{citar web|url=http://www.jaxa.jp/countdown/f13/special/nickname_e.html|titulo="KAGUYA" selected as SELENE's nickname|acessodata=2007-10-13}}</ref> Kaguya é a maior missão de sonda lunar desde o [[programa Apollo]]. Sua missão é coletar dados sobre a origem da [[Lua]] e sua evolução. Ela entrou em uma órbita lunar em [[4 de outubro]],<ref>[http://www.japancorp.net/Article.Asp?Art_ID=15429 Japancorp.net, Japan Successfully Launches Lunar Explorer "Kaguya"]</ref><ref>[http://news.bbc.co.uk/2/hi/asia-pacific/6994272.stm BBC NEWS, Japan launches first lunar probe]</ref> voando em uma órbita lunar a uma altitude de cerca de 100&nbsp;km.<ref>[http://www.jaxa.jp/press/2008/10/20081009_kaguya_e.html JAXA, KAGUYA (SELENE) Image Taking of "Full Earth-Rise" by HDTV]</ref>
}}
 
Em 2005, metade da energia no Japão era produzida a partir de [[petróleo]], um quinto a partir do [[carvão mineral]] e 14% do [[gás natural]].<ref>{{citar web | url=http://www.stat.go.jp/english/data/handbook/c07cont.htm | título=Chapter 7 Energy | publicado= Statistical Handbook of Japan 2007 | acessodata=27 de fevereiro de 2010 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20130105175226/http://www.stat.go.jp/english/data/handbook/c07cont.htm# | arquivodata=5 de janeiro de 2013 | urlmorta=yes }}</ref> A [[energia nuclear]] produzia um quarto da [[eletricidade]] do país.<ref>{{citar web |url=http://www.abc.net.au/news/stories/2008/01/21/2142636.htm |titulo=Japan taps into ocean winds for power |publicado=ABC News |data=21-01-2008|acessodata=11-05-2009}}</ref>
 
Os gastos do Japão com [[estrada]]s têm sido grande.<ref>{{citar web | url=http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?res=9500E3DC1031F932A35750C0A961958260 | título=Japan's Road to Deep Deficit Is Paved With Public Works | publicado= New York Times| data= 1997}}</ref> Os 1,2 milhões de quilômetros de estradas pavimentadas são as principais [[meios de transporte|vias de transporte]], cuja circulação se faz [[Sentido de circulação|à esquerda]].<ref>{{citar web | url=http://www.stat.go.jp/english/data/handbook/c09cont.htm | título=Chapter 9 Transport | acessodata=27 de fevereiro de 2010 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110427071603/http://www.stat.go.jp/english/data/handbook/c09cont.htm# | arquivodata=27 de abril de 2011 | urlmorta=yes }} Statistical Handbook of Japan</ref>
 
A única rede de [[autoestradas]] de alta velocidade é dividida e limitada por estradas com portagem de acesso que as conectam às principais cidades e são operadas por [[Pedágio|empresas de coleta de pedágio]]. Carros novos e usados são baratos. As taxas de propriedade do automóvel e taxas de combustível são utilizados para promover a eficiência energética. No entanto, em apenas 50% de todas as distâncias percorridas, o uso do automóveis é o mais baixo de todos os países do [[G8]].<ref name="transtatsjp">{{citar web|url=http://www.iraptranstats.net/jp|titulo=Transport in Japan|acessodata=17-02-2009|trabalho=International Transport Statistics Database|publicado=[[iRAP]] }}</ref>
 
[[Lista de ferrovias do Japão|Dezenas de empresas de transporte ferroviário japonesas]] competem nos mercados de transporte local e regional de passageiros, como por exemplo, a [[Japan Railways|7 JR]], a [[Kintetsu Corporation]], a [[Seibu Railway]] e a [[Keio Corporation]]. Muitas vezes, como estratégia dessas empresas, ao lado das estações existem empreendimentos imobiliários ou lojas de departamento. Cerca de 250 trens de alta velocidade [[Shinkansen]] ligam as principais cidades japonesas e são conhecidos por sua pontualidade.<ref>{{citar web|url=http://www.hitachi-rail.com/rail_now/column/just_in_time/index.html|arquivourl=httphttps://web.archive.org/web/20080513230217/http://www.hitachi-rail.com/rail_now/column/just_in_time/index.html#|arquivodata=200813-05-132008|titulo=Corporate Culture as Strong Diving Force for Punctuality- Another "Just in Time"|acessodata=19-04-2009|trabalho=Hitachi-Rail.com|urlmorta=yes}}</ref>
 
Existem 173 [[aeroporto]]s e voar é uma maneira popular de se viajar entre cidades do país. O maior aeroporto doméstico, o [[Aeroporto Internacional de Tóquio|Haneda]], é o [[Lista de aeroportos por número de passageiros|mais movimentado da Ásia]]. Os maiores aeroportos internacionais são o [[Aeroporto Internacional de Narita]] (região de [[Tóquio]]), [[Aeroporto Internacional de Kansai]] (área de [[Osaka]]/[[Kobe]]/Quioto) e o [[Aeroporto Internacional de Chubu]] (área de [[Nagoya]]). Os maiores portos incluem o [[Porto de Nagoya]].<ref>{{citar web|url=http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/caracteristicas/estilo_comunicacao.htm|titulo=COMUNICAÇÕES E TRANSPORTE|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=EMB}}</ref>
A [[alfabetização]] no Japão remonta anterior à introdução da escrita [[kanji]] no {{séc|VI}}. Inicialmente restrita às classes aristocráticas, a educação atingiu a população em geral no [[Período Edo]], em que havia escolas específicas para a classe dos samurais, mas também escolas mistas que ensinavam escrita, leitura e aritmética. Graças a esse sistema, calcula-se que em 1868, época da [[Restauração Meiji]], 40% da população japonesa fosse alfabetizada.<ref name="Educação">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e37_education.pdf Education: Foundation for growth and prosperity]. PDF (425,26 KB). Visitado em 13 de Agosto de 2007.</ref>
 
A divisão em escolas primárias, secundárias e universidades foi introduzida no Japão em 1871 como parte da [[Restauração Meiji]].<ref>ELLINGTON, Lucien. (1 de Fevereiro de 2003). [http://www.fpri.org/footnotes/087.200312.ellington.japaneseeducation.html Beyond the Rhetoric: Essential Questions About Japanese Education] {{Wayback|url=http://www.fpri.org/footnotes/087.200312.ellington.japaneseeducation.html# |date=20070405075716 }}. Foreign Policy Research Institute. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref>
 
Desde 1947, a educação obrigatória no Japão inclui a [[educação infantil]] (shõgakkõ), o qual dura 6 anos (dos seis aos onze ou doze anos)e o [[ensino fundamental]], ''chugakkō'', o qual dura três anos. Quase todas as crianças continuam seus estudos indo para o colegial, ''koukō'', de três anos e, de acordo com o Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia, cerca de 75,9% dos formandos do ensino secundário cursaram a [[universidade]], a [[educação profissional]], ou outros cursos pós-secundários em 2005.<ref>Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia. [http://www.mext.go.jp/english/statist/05101901/005.pdf School Education] {{Wayback|url=http://www.mext.go.jp/english/statist/05101901/005.pdf# |date=20080102112620 }} (PDF). Visitado em 10 de Março de 2007.</ref>
 
O ano letivo no Japão tem início em abril e pode ser dividido em dois ou três períodos. O currículo de cada série é determinado pelo [[Ministério da Educação, da Cultura, dos Esportes, da Ciência e da Tecnologia do Japão|Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia]], bem como há avaliações periódicas do material escolar utilizado.<ref name="Educação"/>
 
A [[educação no Japão]] é muito competitiva,<ref>ROSSMANITH, Kate. (5 de Fevereiro de 2007). [http://www.usyd.edu.au/news/international/226.html?newsstoryid=1568 Rethinking Japanese education] {{Wayback|url=http://www.usyd.edu.au/news/international/226.html?newsstoryid=1568# |date=20090113182728 }}. The University of Sydney. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> em especial, o ingresso em instituições de ensino superior. De acordo com o Suplemento de Educação Superior do ''[[The Times]]'', as universidades mais importantes do Japão são a [[Universidade de Tóquio]], a [[Universidade de Quioto]] e a [[Universidade de Osaka]].<ref>TSL Education. [http://www.alnaja7.org/success/Education/times_world_ranking_2005.pdf The Times Higher Education Supplement World University Rankings] {{Wayback|url=http://www.alnaja7.org/success/Education/times_world_ranking_2005.pdf# |date=20150109034911 }}. PDF (311,36 KB). (28 de Maio de 2005). Visitado em 27 de Março de 2007.</ref>
 
No momento, a educação japonesa passa por uma reestruturação que tenta adaptá-la ao {{séc|XXI}}, mudando sua ênfase da disciplina e do respeito a tradição para a liberdade e a criatividade.<ref name="Educação" />
O Japão tem a segunda menor [[Lista de países por taxa de homicídio intencional|taxa de homicídios]] do mundo.<ref>{{citar web|url=http://www.unodc.org/pdf/research/9th_survey/CTS9ByIndicatorExtract.pdf |titulo=Ninth United Nations survey of crime trends and operations of criminal justice systems |acessodata=1 de dezembro de 2006 |publicado=UN Office on Drugs and Crime |páginas=1–9 }}</ref> Em 2001, era considerado um dos países mais seguros do mundo para se viver, o Japão teve seu índice de criminalidade, somado em todo o território, no maior nível desde a [[Segunda Guerra Mundial]]. Com um aumento de 12%, registraram-se mais de três milhões de infrações, das quais 1% foram de crimes violentos, enquanto mais de 90% eram de infrações de trânsito, contravenções, fraudes, furtos, principalmente de motocicletas e bicicletas, delinquência, [[desacato]] e homicídio ou ferimento por negligência. O agravo desta condição foi também devido ao fato da diminuição da eficácia da polícia japonesa, que, em análise de mesmo período, efetuou 8% menos prisões. Segundo especialistas, as causas para este cenário foram a estagnação da economia japonesa desde o começo dos anos de 1990 e o aumento do desemprego.<ref>{{citar web|url=http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2001/011116_japaoro.shtml|titulo=Criminalidade no Japão é a mais alta desde 1945|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=BBC}}</ref> Cinco anos mais tarde, robôs de segurança foram apresentados à população, para ajudarem na patrulha de locais pré-determinados. A utilização de tecnologias de vigilância deve-se à baixa [[taxa de natalidade]], o que poderá gerar problemas futuros para as guardas.<ref>{{citar web|url=http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI564801-EI4799,00.html|titulo=Robôs policiais farão segurança no Japão|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Terra Notícias}}</ref>
 
Em pesquisas mais recentes, ficou constatado que a criminalidade estava diminuindo e que a grande preocupação da segurança nacional eram as tragédias naturais, como os [[terremoto]]s e [[tsunami]], as falsificações dos selos de segurança dos prédios, os acidentes aéreos e ferroviários, os confrontos políticos, guerras e ataques terroristas. No balanço geral, mais de 42% da população considerou o Japão um lugar perigoso para morar devido a estes fatores. Como solução apontada está o esforço em conjunto entre a sociedade, governos locais e empresas.<ref>{{citar web|url=http://www.ipcdigital.com/br/Noticias/Japao/Japao-um-lugar-perigoso-para-morar|titulo=Japão, um lugar “perigoso” para morar?|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=IPC|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110615015948/http://www.ipcdigital.com/br/Noticias/Japao/Japao-um-lugar-perigoso-para-morar#|arquivodata=15 de junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
Apesar da segurança e da aparente preocupação da população girar em torno apenas dos desastres naturais, a presença da [[máfia]] é algo não ignorado no país. A [[Yakuza]], organização mafiosa mais conhecida do Oriente, tem suas origens no fim da era dos [[samurai]]s, quando estes passaram a vagar pelo território. No entanto, a precisão de seu surgimento é variado, indo desde os filhos de ''kabuki-mono'' até a descendência honrosa direta dos [[ronin]]s. No Japão, esta organização é composta por vários clãs de criminosos violentos, que deixam marcas no aspecto de vida japonês, principalmente no que toca as [[tortura]]s e [[chantagem|chantagens]] daqueles que ousassem desafiar seus poderes. Desde a jogatina e esquemas de [[prostituição]] até os bastidores do poder [[político]] e financeiro de alto escalão a [[Yakuza]] é presença forte no cenário nacional e internacional.<ref>{{citar web|url=http://pessoas.hsw.uol.com.br/yakuza.htm|titulo=Como funciona a Yakuza|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=How Stuff Works?|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110615001954/http://pessoas.hsw.uol.com.br/yakuza.htm#|arquivodata=15 de junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
== Cultura ==
Nos últimos séculos foi influenciada pela [[Europa]] e pelos [[Estados Unidos]]. Através dessas influências, gerou um complexo próprio de [[arte]]s, [[artesanato|técnicas artesanais]] como [[bonecas]] e objectos lascados e [[cerâmica]] ([[bonsai]], ''[[origami]]s'') e outras artes com papel, (''[[ikebana]]''), [[espetáculo]]s e [[dança]]s (''[[bunraku]]'', ''[[kabuki]]'', ''[[noh]]'', ''[[rakugo]]'', ''[[shibu]]'', ''[[Yosakoi Soran]]'') e [[tradição|tradições]] e [[jogo]]s (''[[onsen]]'', ''[[sento]]'', [[cerimónia do chá]]), além de uma [[Culinária do Japão|culinária]] única.<ref name=CULI/>
 
A [[cultura popular]] japonesa tornou-se conhecida a partir dos [[mangá]]s e dos [[anime]]s. Os [[mangá]]s surgiram com a união entre a pintura tradicional japonesa sobre madeira e a arte Ocidental.<ref>NMP International. [http://www.dnp.co.jp/museum/nmp/nmp_i/articles/manga/manga1.html A History of Manga]. Visitado em 27 de Março de 2007.</ref> A animação e os filmes influenciados pelo mangá são chamados [[anime]]. Os [[console de videogame|consoles de videogames]] feitos no Japão prosperaram desde os anos 1980.<ref>HERMAN, Leonard; HORWITZ, Jer; KENT, Steve e MILLER, Skyler. [http://uk.gamespot.com/gamespot/features/video/hov/index.html The History of Video Games] {{Wayback|url=http://uk.gamespot.com/gamespot/features/video/hov/index.html# |date=20070929122934 }}. Gamespot. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref>
 
Entre os exemplos mais conhecidos da cultura japonesa estão o [[sushi]] na culinária, os [[bonsai]]s como manifestações culturais, o [[anime]] (desenhos animados japoneses), o ''[[tokusatsu]]'' (filmes e séries de super-heróis japoneses, que utilizam efeitos especiais), o [[karate]], [[judo]] e [[kendō]] nas [[artes marciais]] e os ''[[videogame]]s'' [[Nintendo]], [[SEGA]] e [[PlayStation]].
Para o povo japonês, a prática do esporte é tão importante, que instituiu-se o Dia do Esporte. Acima da prática do exercício físico, para eles o esporte desenvolve a disciplina, a formação do caráter e incentiva o espírito esportivo. Torcedores entusiasmados, incentivam seus atletas sempre que estes estejam dispostos a darem o melhor de si.<ref name=ESPO>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=36|titulo=Conheça o Japão - Esportes|publicado=PortalJapão}}</ref>
 
Os esportes praticados no Japão variam desde os tradicionais, chamados [[budô]], em especial o [[judô]], o [[karatê]], o ''[[kendo]]'' e o [[sumô]], considerado o esporte nacional,<ref>Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e15_sumo.pdf Sumo: Traditional ceremonial beauty and strength]. PDF (487,28 KB). Visitado em 23 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Fundação Japão]]. [http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm Sumô] {{Wayback|url=http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm# |date=20070928083301 }}. Visitado em 27 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Public Broadcasting Service]]. [http://www.pbs.org/independentlens/sumoeastandwest/sumo.html Sumo: East and West]. Visitado em 10 de Março de 2007.</ref> até os esportes Ocidentais tais como o [[basebol]] e o [[futebol]], introduzidos no país após a restauração Meiji e popularizados através do sistema educacional.<ref name="Desporto">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e12_sports.pdf Sports: Promoting health for people and the economy]. PDF (725,81 KB). Visitado em 25 de Junho de 2007.</ref> Outros esportes populares são os de inverno, como ''[[snowboard]]'', esqui e patinação no gelo, além do [[golfe]],<ref>VARCOE, Fred. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp Japanese Golf Gets Friendly] {{Webarchive|url=https://archive.is/20131129002850/http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp# |date=29 de novembro de 2013 }}. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> e do [[automobilismo]] com o [[Super GT]] e a [[Formula Nippon]].<ref>CLARKE, Len. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/623/sports.asp Japanese Omnibus: Sports]. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> Diversos atletas japoneses, em especial do basebol e esportes olímpicos têm notoriedade internacional.<ref name=ESPO />
 
O basebol é um dos esportes populares com mais espectadores no Japão.<ref name="Desporto" /> A [[Nippon Professional Baseball|liga profissional japonesa de basebol]] surgiu em 1936 e foi reformulada para o formato atual em 1950. Ela é formada hoje por doze grupos de todo o país. As competições anuais são vistas por milhões de pessoas.<ref>{{citar web|url=http://www.npb.or.jp/eng/|titulo=NPB - Home|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Nippon Professional Baseball|lingua=inglês}}</ref>
161 860

edições