Diferenças entre edições de "Anomia"

4 bytes adicionados ,  12h50min de 10 de novembro de 2018
m
formatação
m (formatação)
A '''anomia ''' é um estado de falta de objetivos e regras<ref>FERREIRA, A. B. H. ''Novo Dicionário da Língua Portuguesa''. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 126.</ref> e de perda de [[identidade]], provocado pelas intensas transformações ocorrentes no [[mundo]] social moderno. A partir do surgimento do [[capitalismo]] e da tomada da [[razão]] como forma de explicar o mundo, há um brusco rompimento com [[Valor (ética)|valores]] [[tradição|tradicionais]], fortemente ligados à concepção [[Religião|religiosa]]. A [[modernidade]], com seus intensos processos de mudança, não fornece novos valores que preencham os anteriores demolidos, ocasionando uma espécie de vazio de significado no cotidiano de muitos indivíduos. Há um [[sentimento]] de se "estar à deriva," participando [[inconsciente]]mente dos processos coletivos/sociais: perda quase total da atuação [[Consciência|consciente]] e da identidade.<ref name="nery">Nery, Maria, ''Sociologia Contemporânea'', Curitiba: IESDE, 2007, ISBN 978-85-387-2263-2.</ref>[[File:PSM V52 D494 Frequency of suicide in England 1872 1876.png|thumb|Mapa mostrando as taxas de suicídio nas diferentes regiões da Inglaterra entre 1872 e 1876ː segundo Durkheim, a anomia é um dos fatores que causam suicídios]]O termo ''anomia'' foi frequentemente debatido por diversos [[Sociologia|sociólogos]], sendo também um conceito muito utilizado pelos [[Funcionalismo (ciências sociais)|funcionalistas estruturais]], como [[Émile Durkheim]], assim como no trabalho de [[Robert Merton|Robert King Merton]], daí a importância de referir estes dois principais conceitos.<ref name="scott" />
 
== O conceito segundo Durkheim ==
O conceito foi estabelecido por Ayeso nas suas obras ''[[Da Divisão do Trabalho Social]]'' e em o ''[[O Suicídio]].'' Durkheim emprega este termo para mostrar que algo na [[sociedade]] não funciona de forma [[Harmonia|harmônica]]. Algo desse corpo está funcionando de forma [[patologia|patológica]] ou "''anomicamente.''" Em seu famoso estudo sobre o [[suicídio]], Durkheim mostra que os fatores sociais - especialmente da sociedade moderna - exercem profunda influência sobre a vida dos indivíduos com comportamento suicida, sendo a anomia uma dessas influências.
 
Durkheim concluiu que o suicídio anômico era causado por uma ausência de regulação social, devido a contextos de mudança repentina ou de instabilidade na sociedade. A perda no que diz respeito às normas e desejos, pode perturbar a harmonia da vida das pessoas, tal como acontece em tempos de crises econômicas ou de fortes conflitos pessoais.<ref name="giddens">Giddens, Anthony, ''Sociologia'', 4ª ed., Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004, pp. 8-11, ISBN 972-31-1075-X</ref>
4 755

edições