Abrir menu principal

Alterações

2 bytes adicionados ,  18h49min de 10 de novembro de 2018
{{quote|Segundo dados do Human Development Report (HDR) – Organização das Nações Unidas (ONU), de 2004, o Brasil apresenta historicamente uma desigualdade extrema, com [[Coeficiente de Gini|índice de Gini]] próximo a 0,6. Este valor indica uma desigualdade brutal e rara no resto do mundo, já que poucos países apresentam índice de Gini superior a 0,5. {{ref|5}} Dos 127 países presentes no relatório, o Brasil apresenta o 8º pior índice de desigualdade do mundo, superando todos os países da América do Sul e ficando apenas à frente de sete países africanos.|<ref>[http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252006000400017&lng=pt&nrm=iso. MAIA, Alexandre Gori. ''Transformações no mercado de trabalho e desigualdade social no Brasil''. Cienc. Cult. <online>. out./dez. 2006, vol.58, no.4 - citado 16 Dezembro 2006 -, p.34-35. ISSN 0009-6725.]</ref>}}
 
No Brasil as classes dirigentes têm demonstrado não serserem sensíveis às questões de distribuição de renda.{{carece de fontes}} Ainda não se deram conta dos graves prejuízos que a excessiva desigualdade na distribuição da renda nacional causa ao próprio desenvolvimento econômico de seu país, a longo prazo.{{carece de fontes}} Sobre esse tema já disse Florestan Fernandes:
 
{{quote|''No Brasil, sempre se seguiu a rotina de privilegiar os privilegiados, sem tentativas frutíferas de intervenção programada na distribuição da renda.''|<ref>[http://almanaque.folha.uol.com.br/florestan6.htm FERNANDES, Florestan. ''O roteiro da pobreza''. Folha de S.Paulo, Banco de Dados Folha, Acervo Online, 11/08/1995]</ref>}}
68

edições