Abrir menu principal

Alterações

1 081 bytes adicionados ,  09h59min de 15 de novembro de 2018
Resgatando 5 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta10)
* O [[Evangelho de João]] se refere a ela duas vezes e a descreve como mãe de Jesus, mas não a menciona pelo nome. Ela é vista pela primeira vez nas [[bodas de Caná]] da Galileia ({{citar bíblia|livro=João|capítulo=2|verso=1|verso_final=12}}), um evento que só é mencionado neste evangelho e também é o único texto dos evangelhos canônicos em que Maria dirige a palavra a Jesus adulto. A segunda referência em João, também exclusivamente listada neste evangelho, descreve a mãe de Jesus junto à cruz de seu filho com o "[[discípulo amado]]" ({{citar bíblia|livro=João|capítulo=19|verso=25|verso_final=26}}).
* No livro dos [[Atos dos Apóstolos|Atos]], escrito segundo Lucas, Maria e os [[irmãos de Jesus]] são mencionados na companhia dos onze apóstolos que estavam reunidos no cenáculo, depois da ascensão ({{citar bíblia|livro=Atos|capítulo=1|verso=14}}).
* No livro do [[Apocalipse de João|Apocalipse]] ({{citar bíblia|livro=Apocalipse|capítulo=12|verso=1|verso_final=6}}), João não identifica explicitamente a "[[Mulher do Apocalipse|mulher vestida de sol]]" como Maria de Nazaré. No entanto, alguns intérpretes fizeram essa conexão,<ref>Ruiz, Jean-Pierre. "Between the Crèche and the Cross: Another Look at the Mother of Jesus in the New Testament." ''New Theology Review.'' Aug 2010, Vol. 23 Issue 3, pp. 5-15</ref> outros interpretam a "mulher vestida do sol" como a Igreja instituída por Deus.<ref>[{{Citar web |url=http://yurimendes.com.br/content/view/89/35/# |titulo=As duas mulheres do apocalipse – Parte I] |acessodata=18 de janeiro de 2014 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20140201141130/http://yurimendes.com.br/content/view/89/35/# |arquivodata=1 de fevereiro de 2014 |urlmorta=yes }}</ref>
 
==== Família e infância ====
O crescimento da devoção mariana no século XVI, inspirou santos católicos a escreverem livros como ''[[Glórias de Maria]]'' (de [[Afonso de Ligório|Santo Afonso Maria de Ligório]]) e ''[[Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria]]'' (de [[Luís Maria Grignion de Montfort|São Luís Maria Grignion de Montfort]]), que enfatizam a veneração mariana e ensinam que "o caminho para Jesus é por intermédio de Maria".<ref>Schroede, Jenny, ''The Everything Mary Book'' 2006 ISBN 1-59337-713-4 page 219</ref> Devoções marianas são, às vezes, ligadas à devoção [[cristologia|cristocêntrica]], como por exemplo, a [[Aliança dos Corações de Jesus e Maria]] (devoção promovida e defendida por [[João Eudes|São João Eudes]]).<ref>O'Carroll, Michael, ''The Alliance of the Hearts of Jesus and Mary'' 2007, ISBN 1-882972-98-8 pages 10–15</ref>
 
As principais devoções a Maria incluem as ''[[Sete Dores de Maria]]'' e as ''[[Coroa de Nossa Senhora das Lágrimas|Lágrimas de Maria]]'', o ''[[Santo Rosário]]'' e o ''[[Escapulário de Nossa Senhora do Carmo|Escapulário do Carmo]]'',<ref>[http://www.newadvent.org/cathen/15459a.htm Catholic encyclopedia]</ref><ref>[{{Citar web |url=http://www.zenit.org/article-23246?l=english# |titulo=Zenit News 2008 ''Cardinal Urges Devotion to Rosary and Scapular''] |acessodata=21 de junho de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20121114053557/http://www.zenit.org/article-23246?l=english# |arquivodata=14 de novembro de 2012 |urlmorta=yes }}</ref> e as principais orações são ''[[Ave Maria]]'', ''[[Angelus]]'', ''[[Salve-rainha|Salve Rainha]]'', ''[[Lembrai-vos]]'' e o ''[[Magnificat]]''.<ref>Geoghegan. G.P. ''A Collection of My Favorite Prayers'', 2006 ISBN 1-4116-9457-0 pages 31, 45, 70, 86, 127</ref> Os meses de Maio e Outubro são meses tradicionalmente marianos para os católicos romanos. Em Outubro, o rosário diário é incentivado e em Maio, práticas devocionais tem o seu ápice em muitas regiões.<ref>''Handbook of Prayers'' by James Socías 2006 ISBN 0-87973-579-1 page 483</ref><ref>''The encyclopedia of Christianity, Volume 4'' by Erwin Fahlbusch, Geoffrey William Bromiley 2005 ISBN 0-8028-2416-1 page 575</ref><ref>{{citar web|url= http://www.vatican.va/holy_father/leo_xiii/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_22091891_octobri-mense_en.html |obra=Octobri Mense|publicado=Vatican|acessodata=4 de outubro de 2010|título=Encyclical of Pope Leo XIII on the Rosary|autor =Pope Leo XIII}}</ref>
 
Papas emitiram uma série de [[encíclicas e cartas apostólicas marianas]] para incentivar a devoção e veneração a Virgem Maria, como por exemplo, ''[[Redentoris Mater]]'' de João Paulo II, onde ele começou com a frase "A Mãe do Redentor tem um lugar bem preciso no plano da salvação",<ref name="vatican.va">[http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_25031987_redemptoris-mater_en.html ''Redemptoris Mater'' at the Vatican website]</ref> enfatizando a participação de Maria no processo de salvação e redenção.<ref name="vatican.va"/><ref>''Mary, mother of the redemption'' by Edward Schillebeeckx 1964 ASIN B003KW30VG pages 82–84</ref><ref>''Mary in the Redemption'' by Adrienne von Speyr 2003 ISBN 0-89870-955-5 pages 2–7</ref><ref>''Salvation Through Mary'' by Henry Aloysius Barry 2008 ISBN 1-4097-3172-3 pages 13–15</ref>
"O que, nós? Devemos adorar somente a Cristo? Na verdade, não deveríamos também homenagear a santa mãe de Cristo? Ela é a mulher que esmagou a cabeça da serpente. Ouve-nos, Maria, porque o teu Filho a ti honra e ele não pode recusar-te nada. Aqui [[Bernardo de Claraval|Bernardo]] foi longe demais em sua ''Homilies on the Gospel: Missus est Angelus''.<ref>{{citation |publicado= Google | url = http://books.google.com/books?id=tA9HQwAACAAJ&dq=%22Missus+est+Angelus+gabriel%22+bernard}}</ref> Deus ordenou que devemos honrar os pais, por isso clamo a Maria. Ela vai interceder por mim com o Filho e o Filho com o Pai, que vai ouvir o Filho. Então você tem a imagem de Deus com raiva e Cristo como juiz; Maria mostra a Cristo seu seio e Cristo mostra suas chagas para o Pai irado (...) Maria é a mãe de Cristo, certamente Cristo irá ouvi-la; Cristo é um juiz severo, por isso clamo a [[São Jorge]] ou a [[São Cristóvão]]. Não, temos sido por ordem de Deus batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, assim como os judeus eram circuncidados.<ref>{{citation |contribuição= Sermon on the Second Sunday after Epiphany | origdate = January 17, 1546 |título= Luther's Works | volume = 51 ''Sermons I'' |editor-nome1 = John W |editor-sobrenome1 = Doberstein |editor-nome2 = Helmut T |editor-sobrenome2 = Lehmann |publicado= Fortress Press |ano=1959 | ISBN = 978-0-8006-0351-9 |página= 375}}</ref><ref>{{citation |título= Dr. Martin Luthers Werke, Kritische Gesamtausgabe |ano= 1883 |local= Weimar | volume = 51 |página= 128}}</ref></p>}}
 
No entanto, certas igrejas luteranas, como a [[Igreja Católica Anglo-luterana|Igreja Católica Anglo-Luterana]], continuam a venerar Maria e os santos da mesma forma que os católicos romanos fazem, sustentando todos os dogmas marianos como parte de sua fé.<ref>[{{Citar web |url=http://anglolutherancatholic.org/laypeople/more-faq/# |titulo=More FAQ | The Anglo-Lutheran Catholic Church] |acessodata=25 de junho de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100523163135/http://anglolutherancatholic.org/laypeople/more-faq/# |arquivodata=23 de maio de 2010 |urlmorta=yes }}</ref>
 
===== No Metodismo =====
[[imagem:Czestochowska.jpg|thumb|[[Nossa Senhora de Częstochowa]], [[Polônia]]]]
 
Na [[Igreja Metodista|Igreja Metodista Unida]], bem como em outras igrejas [[metodismo|metodistas]], não há escritos oficiais ou ensinamentos sobre a Virgem Maria, exceto o que é mencionado na Bíblia e nos credos ecumênicos. Acreditam que Cristo foi concebido no ventre de Maria por meio do Espírito Santo e que ela deu à luz como uma virgem. [[John Wesley]], clérigo [[Igreja Anglicana|anglicano]] fundador do movimento metodista, acreditava que a Virgem Maria foi uma virgem perpétua, ou seja, ela nunca teve relações sexuais.<ref>{{citation | url = http://wesley.nnu.edu/john-wesley/the-letters-of-john-wesley/wesleyrsquos-letters-1749 |publicado= The Wesley Center Online |título= Wesley’s Letters |ano= 1749 |dataacceso= 25 de junho de 2012 |urlarquivo= https://web.archive.org/web/20111105150155/http://wesley.nnu.edu/john-wesley/the-letters-of-john-wesley/wesleys-letters-1749/# |dataarquivo= 5 de novembro de 2011 |urlmorta= si }}</ref><ref name="davidmacd.com">[{{Citar web |url=http://www.davidmacd.com/catholic/mary_perpetual_virgin.htm# |titulo=Mary's Perpetual Virginity] |acessodata=25 de junho de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20120825160944/http://www.davidmacd.com/catholic/mary_perpetual_virgin.htm# |arquivodata=25 de agosto de 2012 |urlmorta=yes }}</ref> A Igreja sustenta que Maria era virgem antes, durante e imediatamente após o nascimento de Cristo. Enquanto muitos metodistas rejeitam este conceito, outros acreditam.<ref>[http://archives.umc.org/interior.asp?ptid=1&mid=1430 What does The United Methodist Church teach about the Virgin Mary?]</ref><ref>[http://christianity.about.com/od/denominationscomparison/ss/comparebeliefs1_9.htm Comparing Christian Denominations – Beliefs: Nature of Mary]</ref>
 
John Wesley, em uma carta a um amigo católico romano, declarou que:
216 801

edições