Diferenças entre edições de "Micronutriente"

211 bytes adicionados ,  20h58min de 16 de novembro de 2018
Reservei o negrito para a primeira vez que o título do verbete aparece no texto.
m (ajuste)
(Reservei o negrito para a primeira vez que o título do verbete aparece no texto.)
'''Micronutrientes''' ou '''oligoelementos''' são nutrientes[[nutriente]]s necessários à manutenção de algum [[organismo]], como no caso do [[cromo]] para o [[corpo humano]], necessário em quantidades extremamente pequenas, e de alguns [[metal|metais]] para [[planta]]s. São nutrientes necessários para a manutenção do organismo, embora sejam requeridos em pequenas quantidades, de miligramas a microgramas. Fazem parte deste grupo as vitaminas e os minerais, os quais são essenciais e devem estar diariamente presentes na alimentação. O déficit[[défice]] de micronutrientes pode provocar doenças ou disfunções, ao passo que o o excesso pode acarretar intoxicações. Por esse motivo, a dieta deve ser sempre equilibrada e variada.
 
Quantidades traço significam quantias extremamente pequenas detectadas em certo ambiente ou amostra, falando-se na ordem dos microgramas por litro. Mesmo sendo tão pequenas, tais quantias são frequentemente importantes para o ambiente em que se encontram, sendo alguns componentes conhecidos necessários ao corpo humano, responsável pela [[morte]] de várias espécies de [[vegetal|vegetais]] e contaminação bastante significativa do [[ar]], [[solo]] e [[água]].
== Funções dos microminerais ==
* '''Estrutural''': Pela simples participação na constituição das estrutura dos [[Órgão (anatomia)|órgãos]].
* '''Físico-química''': Caracteriza-se pela ação do elemento per sí na execução de uma tarefa biológica.
* '''Catalisadora de reações bioquímicas''' ([[enzimas]], [[coenzimas]], [[co-fatoresCofator (bioquímica)|cofatores]], [[metaloproteínas]] e [[hormônios]]): Principalmente relacionada com os [[microelementos]] incorporados ou associados às [[enzimas]], coenzimas ou co-fatorescofatores, metaloproteínas e hormônios, estes elementos têm papel fundamental como reguladores da velocidade (catalisadores ou de desencadeamento de [[reações bioquímicas]] orgânicas. Os cofatores enzimáticos são enzimas que precisam de [[íon]]s, chamadas metaloenzimas, e o íon pode atuar de várias formas: como centro catalítico primário, no [[sítio ativo]] da enzima; como complexo de coordenação ou grupo de união entre o substrato e a enzima; como estabilizador da conformação da enzima. Exemplos de metaloenzimas; anidrase carbônica (Zn<sup>2+</sup>), citocromo oxidase (Cu<sup>+</sup>).
 
== Lista de micronutrientes==
 
=== Fontes de adubação ===
As formas de Mo mais utilizadas em adubações são os molibdatos de sódio e de amônio e o trióxido de molibdênio, sendo ainda utilizado o ácido molibídico e fertilizantes compostos contendo o Mo em sua composição como as fritas (''fritted trace elements''). Estas formas podem ser supridas às plantas como adubo de solo, aspersão foliar (exceto o FTE) ou aderido com as sementes.
 
=== Translocação na planta ===
São conhecidas varias funções do sódio embora nem todas sejam esclarecidas na sua origem, ou seja, no seu nível molecular.
 
* '''Osmótica''' – O K tem essa função nas plantas. Entretanto, não há uma exigência absoluta desse elemento visto que o comportamento vacuolar contem diversos outros solutos como açucare, aminoácidos e sais de sódio. Daí a possibilidade do Na preencher parcialmente essa função biofísica do K.
 
* '''Estômatos''' – Ondas eletromagnéticas do comprimento da luz azul proporciona a ativação de proteínas transportadoras nas membranas das células-guarda, ativando o influxo de K+ e de seus íons de contrabalanço. O aumento da concentração desses componentes reduz o potencial de água dessas células, fazendo com que a água entre nelas, que passam a ficar túrgidas. Devido à deposição diferencial de celulose nas células-guarda, esse aumento de volume resulta na abertura do estômato, possibilitando as trocas gasosas. Nas espécies que apresentam alta permeabilidade para o Na, o K pode ser pelo menos em parte substituído pelo Na.
 
* '''Fotossíntese''' – Exerce funções na fotofosforilação.
 
* '''Fixação do carbono''' – Em plantas CAM (ou MAC) e C4, é essencial à enzima PEPcase
 
* '''Ativação enzimática'''
 
=== Deficiência ===
A deficiência de sódio em algumas plantas do tipo C4 acarretaramacarreta em menor desenvolvimento das plantas, cloroses foliares, necrose nas folhas ou não florescimento.
 
'''===Absorção pela planta'''===
 
O K mostra o padrão duplo de absorção: o mecanismo 1 opera em baixas concentrações, apresenta alta afinidade e depende da energia metabólica, não sendo influenciado pela presença do sódio. O mecanismo 2 que funciona sob altas concentrações parece ser comum ao sódio que inibe a absorção de K: é passivo e se da através de canais proteicos. Acredita-se que a absorção de sódio se dê através desse segundo mecanismo.
Algumas fontes de adubação sódica são:
 
* Cloreto de sódio (NaCl, 39% Na)
 
* Salitre do Chile (NaNO3, 27% Na)
 
* Salitre potássico (NaNO3.KNO3, 12% Na)
 
'''==Translocação na planta'''==
 
As espécies vegetais são classificadas em natrófilas e natrófobas segundo absorvem e transportam Na com facilidade ou não, as ultimasúltimas mostrando mais seletividade em favor do K. As natrófobas concentram o Na nas suas raízes, o que pode acarretar toxidez e morte.
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
O Na no solo do [[cerrado]] é escasso, encontrando-se em teores que variam de 0,01 meq/100gmiliequivalentes por cem gramas até 0,1meq/100g1 miliequivalentes por cem gramas de solo.
 
== [[Silício]] ==
 
=== Absorção pela planta ===
A absorção de silício (como ácido silícico) é um processo ativo, isto é, que exige gasto de energia, mesmo quando as raízes estão em presença de altas concentrações do elemento.
 
=== Correção quanto à toxidez ===
 
=== Translocação na planta ===
O transporte de Si a longa distanciadistância se da no [[xilema]] em alta proporção do elemento e deposita nas células das paredes desses vasos, podendo evitar o colapso dos mesmos quando a planta [[transpiração|transpira]] muito. Esse transporte é [[Apoplasto|apoplástico]] em parte, mas o Si tem que passar ao [[simplasto]] para chegar ao xilema.
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
O solo do cerrado é pobre em Si, sendo que pode ser encontrado de 0,54 meq/100gmili[[equivalente]]s atepor 29meq/100gcem gramas até 29 miliequivalentes por cem gramas de solo.
 
== [[Alumínio]] ==
== [[Níquel]] ==
=== Funções do elemento na planta ===
O níquel é importante catalisador de muitas enzimas, como: urease, superóxido dismutase, NiFe hidrogenases, metilcoenzima M reductase, monóxido de carbono dehidrogenase, acetil coenzima A sintase, hidrogenases, RNase-A e, provavelmente, muitas outras. Enfatizou que é preciso entender que o Ni afeta a atividade de 3-4 ou mais enzimas críticas em rotas bioquímicas fundamentais da planta, afetando a ciclagem de C e N e também dos metabólitos secundários. Como consequência final, há comprometimento do mecanismo de defesa da planta contra doenças.
 
=== Deficiência ===
Os principais sintomas de deficiência de Ni em pecã são:
 
* Folhas e folíolos com manchas escuras na ponta e formato arredondado (orelha-de-rato), devido ao acúmulo de uréiaureia e possivelmente de ácido lático e oxálico;
 
* Afilamento das folhas e folíolos e crestamento das margens;
 
=== Correção quanto à toxidez ===
A disponibilidade de Ni é inversamente relacionada com o pH. A calagem em solos de serpentina (ricos em Ni) reduz a quantidade de Ni trocável no solo e em consequência sua toxidez.
 
=== Fontes de adubação ===
As principais fontes de níquel são o lodo de esgoto, biossólido, calcários, adubos fosfatados, Cloreto de níquel e sulfato de níquel, sendo que o cloreto de níquel [NiCl2.H2O] tem 26% de niqueleniquel e o [[Sulfato de níquel(II)|sulfato de níquel (II)]] (NiSO4.6H2O) tem 21% de níquel.
 
=== Translocação na planta ===
== [[Cobalto]] ==
=== Funções do elemento na planta ===
O Cobalto (Co) é um elemento essencial aos microorganismosmicro-organismos fixadores de N2, mediante a participação na composição da vitamina B12 e da coezima cobamida, também conhecida como Dacobalamina. A cobamida funciona como ativadora de enzimas importantes que catalizam reações bioquímicas em culturas de bactérias fixadoras de N2, entre as quais o ''Bradyrhizobium japonicum'' e seus bacteróidesbacteroides presentes nos nódulos das leguminosas. A vitamina B12 é precursora da Leghemoglobina, molécula responsável por garantir suprimento adequado de O2 às bactérias fixadoras de N. É importante pois essas bactérias necessitam de O2 para respiração, entretanto, seu excesso inibe a fixação do N2.
 
=== Deficiência ===
== [[Cloro]] ==
=== Funções do elemento na planta ===
'''(1)==== Fotossíntese - Fotólise da água no Fotossistema II, Reação de Hill'''====
 
O Cl-1 atua como cofator de uma enzima contendo Mn a qual catalisa a fotólise da água com a liberação de O2.
 
:2H2O → 4H+ + 02 + 4e-PSII
:Mn2+, Cl-
 
'''(2)==== Ativação enzimática'''====
 
Várias enzimas são estimuladas pelo Cl-1, entre elas uma a ATPase localizada no tonoplasto e outras vesículas fechadas (Tabela 1); estaria aqui a explicação para o fato que, quando se fornece à folhas do cafeeiro ZnSO4 + KCl aumenta consideravelmente a absorção de Zn;
 
'''(3) ====Íon acompanhante'''====
 
Como o Cl-1 é um elemento muito móvel e tolerado em altas concentrações, é idealmente adequando para manter o balanço de cargas elétricas quando os cátions, como o K+1, movem-se através das membranas celulares;
 
==== Osmorregulação====
'''(4) Osmo-regulação'''
 
O processo de ajustamento osmótico ocorre quando solutos como Cl-1 acumulam-se na célula fazendo com que o potencial da água dentro dela caia abaixo do potencial externo; o gradiente de potencial da água resultante faz com que a mesma entre na célula e o plasmalema se expanda contra a parede celular rígida, que resulta num aumento na turgescência; os estômatos se abrem quando a água entra na células-guardas fazendo-as tornar-se mais rígidas; o influxo da água é causado por um aumento na concentração dos solutos o que, por sua vez, faz com que o potencial intracelular da água torne-se mais negativo; os principais solutos no caso, são o K+1, o Cl-1 e o malato;
As plantas absorvem o Cl-1 da solução do solo, mostrando o padrão duplo, isto é, a relação entre concentração e velocidade de absorção corresponde a duas isotermas: a primeira corresponde às concentrações entre 0,1 e 0,2 mM, e a segunda a níveis maiores que 0,5 mM. A absorção é ativa e inibida competitivamente por NO3-1 e SO4-2.
 
'''====a) Via Radicular'''====
 
Forma: Cl-
Mecanismo: ativo [troca Cl-/OH_-]
 
'''====b) Via Foliar'''====
 
Forma: Cl-;
* Nível tóxico: > que 5,0%
 
Espécies e variedades mostram diferenças na sua tolerância ao excesso de Cl-1 no meio, o que pode ser absorvido: nas mesmas condições, a variedade de soja “Paraná”"Paraná", sensível, acumula 3.000mg kg-1 nas folhas; a “Lee"Lee 68”68", intermediária, apresenta cerca de 4.000 mg kg-1 e a IAC-3, tolerante, apenas 1.000-2.000 mg kg-1. O efeito da toxidez de Cl- pode às vezes ser diminuído pela presença de CaSO4.2H2O no substrato.
 
=== Fontes de adubação ===
 
=== Translocação na planta ===
'''*Transporte''': via xilema ocorre na forma Cl-;
 
'''*Redistribuição''': via floema ocorre também na forma Cl-, podendo ser rápido ou lento dependendo da espécie;
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
 
=== Fontes de adubação ===
As principais fontes de adubação para zinco são o óxido de zinco, o sulfato de zinco, o nitrato de zinco e o cloreto de zinco, sendo que, o óxido de zinco[ZnO] tem 78% de zinco, o sulfato de zinco [ZnSO4.7H2O] tem 23% de zinco, o nitrato de zinco [Zn(NO3)2.7H2O] tem 19% de zinco e o cloreto de zinco [ZnCl2] tem 42% de zinco.
 
=== Translocação na planta ===
 
=== Deficiência ===
As atividades das enzimas heme diminuem sob condições de deficiência de Fe, como é particularmente o caso de catalase e peroxidase. A catalase facilita a dismutação do peróxido de hidrogênio em água e O2, de acordo com a reação: 2H2O2 → 2H2O + O2. Esta enzima heme desempenha um importante papel em associação com a superóxido dismutase (SD), a qual será considerada posteriormente em relação ao Zn, assim como na fotorrespiração e na via do glicolato.
 
As peroxidases têm ocorrência bastante difundida catalisando as reações:
 
=== Fontes de adubação ===
As principais fontes de adubação de ferro são o [[sulfato ferroso]], [[cloreto ferroso]], [[cloreto férrico]] e [[nitrato férrico]], sendo que, o sulfato ferroso (FeSO4.7H2O) tem 19% de ferro em sua constituição, o cloreto ferroso (FeCl2.4H2O) tem 25% de ferro, o cloreto férrico (FeCl3.6 H2O) tem 18% de ferro e o nitrato férrico (Fe(NO3).9 H2O) tem 12% de ferro.
 
=== Translocação na planta ===
O Fe incorporado nos cloroplastos tem mobilidade bastante limitada dentro das plantas, o que está de acordo com a observação de que os sintomas de deficiência deste micronutriente são restritos às brotações jovens (TERRY e LOW, 1982). Entretanto, Rissmüller (1874 citado por MOLISCH, 1892) mostrou, há mais de 100 anos, que o Fe pode ser translocado através do floema durante a senescência das folhas. Esta mobilidade do Fe dentro da planta foi confirmada mais recentemente por Zhang et al. (1995) em feijão -fava (''Vicia faba'') submetido a sombreamento.
 
Além disso, os mesmos autores mostraram que uma alta proporção de Fe que foi translocada das raízes para as brotações no xilema pode ser retranslocada pelo floema até os ápices das brotações em crescimento após a transferência no xilema/floema nas folhas mais velhas sem a necessidade de senescência como pré-requisito. Para isso, a transferência no xilema/floema ou o carregamento do floema com Fe-nicotianamina é obviamente requerido, pois a nicotianamina é quelador de micronutrientes catiônicos. Esses dados claramente enfatizam que, em princípio, o Fe é móvel no floema. Este fato é importante para aplicações foliares deste micronutriente.
== [[Manganês]] ==
=== Funções do elemento na planta ===
O Mn desempenha um papel importante nos processos redox, tais como no transporte de elétrons na fotossíntese e na desintoxicação de radicais livres de oxigênio. O Mn é uma metaloproteína, isto é, um componente integrante de somente duas enzimas, a enzima que quebra a molécula da água no Fotossistema II (FS II) e a superóxido dismutase que contém Mn. Também é ativador de aproximadamente 35 enzimas, comandando desde a biossíntese de aminoácidos aromáticos até a de produtos secundários, como [[lignina]] e flavonóides[[flavonoide]]s.
 
=== Deficiência ===
Até mesmo deficiências leves de Mn afetam a fotossíntese e diminuem o nível de carboidratos solúveis na planta, mas o resuprimentoressuprimento deste micronutriente reativa a evolução fotossintética de oxigênio. Com deficiência mais severa de Mn, entretanto, ocorre uma quebra na estrutura do cloroplasto que não pode ser revertida.
 
Por causa da importância fundamental do Mn na cadeia de transporte de elétrons durante a fotossíntese, quando ocorre deficiência deste micronutriente a reação à luz durante a fotossíntese é seriamente prejudicada e todas as outras reações associadas com o transporte de elétrons também o são. Isto inclui a fotofosforilação, a redução de CO2, de nitrito e de sulfito. O nitrito acumulado pode exercer um controle em ''[[feedback]]'' sobre a nitrato redutase de tal modo que o NO3 se acumula, como, algumas vezes, é observado em plantas deficientes em Mn.
 
=== Absorção pela planta ===
 
=== Correção quanto à toxicidade ===
O Mn apesar de ser essencial a planta, quando encontrado em teores próximos de 1000mg/kg1000 miligramas por quilograma de solo é fitotóxico. Uma calagem feita de acordo com a análise de solo pode acabar com o problema de fitotoxicidade.
 
=== Fontes de adubação ===
As principais fontes de adubação para manganês são o sulfato de manganês, o oxido de manganês, o nitrato de manganês e o cloreto de manganês, sendo que o sulfato de manganês [MnSO4.3H2O] tem 26% de manganês, o oxido de manganês [MnO] tem 41% de manganês, o nitrato de manganês [Mn(NO3)2.6H2O] tem 18% de manganês e o cloreto de manganês [MnCl2] tem 43% de manganês em sua constituição.
 
=== Translocação na planta ===
O Mn, da mesma forma que o Fe, é facilmente translocado através do xilema das raízes até as brotações, mesmo as localizadas nos ápices da planta (HORST, 1976); já a translocação no floema é limitada. Este é particularmente o caso para Mn aplicado via foliar (EL-BAZ et al., 1990), sendo a retranslocação de Mn quelado como MnEDTA um tanto melhor do que a de MnSO4. Em contraste com Fe, Zn e Cu, assim que o Mn é incorporado ou imobilizado nas folhas, não pode mais ser retranslocado, mesmo sob senescência induzida (WOOD et al., 1986).
 
Particularmente interessante é a redistribuição a curto prazo do Mn junto com o Si após ataque de patógenos (LEUSCH e BUCHENAUER, 1988), a qual está estreitamente relacionada com o aumento da biossíntese de substâncias fenólicas que aumentam a resistência a doenças (MARSCHNER, 1995). Também está bemdocumentado que o Si pode alterar a mobilidade do Mn e o padrão de redistribuição deste nutriente e, portanto, diminuir os sintomas de toxicidade de Mn quando há alto suprimento deste micronutriente (HORST e MARSCHNER, 1978). Em algumas leguminosas, entretanto, possivelmente durante o estádio de enchimento de vagens, uma concentração relativamente alta de Mn já foi relatada na seiva do floema, o que está estreitamente correlacionado com a ocorrência de sintomas da desordem denominada “semente"semente partida”partida" em [[tremoço]] (CAMPBELL e NABLE, 1988). Esta descoberta sugere alta dependência da retranslocação de Mn para o genótipo da planta e o estádio de crescimento e requer pesquisas sistemáticas adicionais.
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
Em solos que apresentam saturação por cobre, com probabilidade de ocorrência de fitotoxidez, deve se aplicar calcário ou gesso em doses recomendadas a partir da analise de solo.
 
'''====Fontes de adubação'''====
 
As principais fontes de adubação de cobre são o sulfato de cobre, o oxido cuproso ou cúprico, oxi-cloreto de cobre, nitrato de cobre e hidróxido de cobre.
 
O sulfato de cobre [CuSO4.5H2O] tem 25% de cobre em sua constituição, o oxidoóxido cuproso [Cu2o] tem 89 m% de cobre em sua constituição, o oxidoóxido cúprico [CuO] tem 75% de cobre, o oxi-cloretooxicloreto de cobre [3Cu(OH)2.CuCl2] tem 50% de cobre, o nitrato de cobre [Cu(NO3)2.6H2O] tem 23% de cobre e o hidróxido de cobre [Cu(OH)2] tem 50% de cobre em sua constituição.
 
=== Translocação na planta ===
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
O solo do cerrado é deficiente em cobre, sendo necessária a aplicaçaoaplicação de adubos cúpricos para suprir a deficienciadeficiência nas culturas que requerem esses elemento em maiores quantidades.
 
== [[Boro]] ==
 
=== Absorção pela planta ===
'''====a)Via radicular'''====
 
Forma: H3BO3(pH entre 4,8 e 7,0); H4BO4- (pH > 7,0)
Mecanismo: ativo e passivo
 
Faixa de pH ideal: 4,8 a 8,0, ou seja na forma de ácido bórico (H3BO3)
 
Obs: a absorção radicular não sofre efeito de venenos respiratórios encontrados ao redor das raízes, na rizosfera, entretanto estes mesmos venenos respiratórios afetam a absorção do boro via foliar.
 
'''====b) Via foliar'''====
 
* A absorção via foliar é influenciada pela da temperatura, venenos respiratórios e pela concentração de Cálcio na calda.
 
* É um nutriente de absorção rápida, mas de translocação lenta (idem ao Ca),
 
* e quando aplicado com frequência acumula-se, atingindo, logo, níveis tóxicos.
 
=== Correção quanto à toxidez ===
 
=== Fontes de adubação ===
As principais fontes de adubação de boro são o Bórax oou solubor e o acidoácido bórico. Sendo que o bórax [Na2B4O7.10H2O] tem 11% de boro em sua constituição, o solubor [Na2B4O7.5H2O + Na2B10O16.10H2O] tem 20% de boro, e o ácido bórico [H3BO3] tem 17% de boro em sua constituição.
 
=== Translocação na planta ===
Há uma crença generalizada, baseada na literatura mais antiga, de que o B é imóvel no floema (OERTLI e RICHARDSON, 1970) e isto é realmente verdadeiro para a maioria das espécies de plantas. Porém, ecentementerecentemente reconheceu-se que o B é móvel, em variados graus, no floema de várias espécies de plantas, incluindo uma grande gama de culturas agrícolas e olerícolas, como por exemplo brássicas, cenoura, ervilha, aipo e cebola. Nessas espécies, nas quais os álcoois de açúcar e os polióis (sorbitol, manitol e dulcitol) são as principais formas de exportação de C das folhas, o B é ligado e transportado na forma de complexos poliol-B (BROWN e SHELP, 1997).
 
As diferenças em mobilidade do B no floema entre as espécies resulta em um padrão típico de concentração deste micronutriente nas folhas e nos frutos de árvores que cresceram no campo, com uma distribuição muito mais equânime em espécies nas quais o B é móvel no floema. A importância da translocação de B mediada por sorbitol no floema foi provada em plantas de fumo geneticamente modificadas para sintetizar sorbitol. A síntese de sorbitol aumentou acentuadamente a mobilidade do B dentro da planta, o que, por sua vez, aumentou o crescimento da planta e a produtividade pelo fato de ter ajudado a superar deficiências transitórias de B no solo (BROWN et al., 1999).
 
=== Elemento no solo do cerrado ===
'''*Mineral Primário''': Turmalina constitui 95% da reserva de B no solo, porém é muito resistente ao intemperismo;
 
'''*Sedimentos e folhelos''': rápida [[Meteorização|intemperização]];
 
'''*Matéria Orgânica''': principal fonte de B no solo, sendo liberado através de mineralização, pois encontra-se ligados a esteres presentes nas membranas celulares.
 
'''*Boro disponível''': ocorre nas formas inorgânicas Borato de Ca, Mg e Na, ou associados à esteres[[éster]]es (M.O.)
 
== Referências ==
* {{Link||2=http://fisiologiavegetal.homestead.com/files/Nutricao_mineral_de_plantas.htm |3=Nutrição Mineral de Plantas |4=- '''fisiologiavegetal.homestead.com'''}}
 
*Ernest Arnold Kirkby, Volker Römheld;
** {{Link||2=http://www.inpofos.org/ppiweb/brazil.nsf/87cb8a98bf72572b8525693e0053ea70/d20fb44d85259bf7032572530062870e/$FILE/Encarte118-Parte1.pdf |3=MICRONUTRIENTES NA FISIOLOGIA DE PLANTAS: FUNÇÕES, ABSORÇÃO E MOBILIDADE - Encarte 118 - Parte 1}}
** {{Link||2=http://www.inpofos.org/ppiweb/brazil.nsf/87cb8a98bf72572b8525693e0053ea70/d20fb44d85259bf7032572530062870e/$FILE/Encarte118-Parte2.pdf |3=MICRONUTRIENTES NA FISIOLOGIA DE PLANTAS: FUNÇÕES, ABSORÇÃO E MOBILIDADE - Encarte 118 - Parte 2 |4=- '''www.inpofos.org'''}}
 
*{{Link||2=http://www23.sede.embrapa.br:8080/aplic/rumos.nsf/b1bbbc852ee1057183256800005ca0ab/c27e777df06100c203256c25004653a5?OpenDocument |3=Nutrição e produtividade da soja com molibdênio e cobalto |4=- '''www23.sede.embrapa.br'''}}
 
{{Portal3|Biologia}}