Abrir menu principal

Alterações

679 bytes adicionados, 16h21min de 17 de novembro de 2018
Resgatando 5 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta10)
|população_estimada_pos = 142
|população_censo_ano = 2011
|população_censo = {{formatnum:2113077}}<ref>{{citar web |url=http://www.geohive.com/cntry/namibia.aspx|título=Namibia population|publicado=GeoHive|acessodata=14 de dezembro de 2016|arquivourl=https://web.archive.org/web/20120522094645/http://www.geohive.com/cntry/namibia.aspx#|arquivodata=22 de maio de 2012|urlmorta=yes}}</ref>
|população_urbana_pos =
|população_urbana =
[[Imagem:Namibia map of Köppen climate classification.svg|thumb|Mapa da Namíbia de acordo com a [[classificação climática de Köppen]].]]
 
A Namíbia tem um clima classificado como sub-úmido (média de chuvas acima dos 500 milímetros/ano), [[Clima semiárido|semiárido]] (entre 300 e 500 mm) e [[Clima árido|árido]] (150-300 mm), até os planaltos costeiros hiperáridos, com média de menos de 100 milímetros. As temperaturas máximas são limitadas pela altitude total de toda a região: apenas no extremo sul, em Warmbad por exemplo, as médias registradas são de 40° C.<ref>"Paper and digital Climate Section". Namibia Meteorological Services</ref> Normalmente, zonas sub-tropicais de alta pressão, com céu claro frequentes, oferecem mais de 300 dias de sol por ano ao país. O inverno (junho-agosto) é geralmente seco. A estação chuvosa ocorre no verão, sendo um pequeno período de chuvas entre setembro e novembro e um maior entre entre fevereiro e abril.<ref>{{citar web |publicado=Real Namibia |título=The Rainy Season |url=http://www.realnamibia.com/rn_028rainyseason.htm |acessodata=28 de julho de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100906094745/http://www.realnamibia.com/rn_028rainyseason.htm# |arquivodata=6 de setembro de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> A [[umidade]] é baixa e a precipitação média varia de quase zero no deserto costeiro a mais de 600 mm na [[Faixa de Caprivi]]. A precipitação é altamente variável, no entanto, [[seca]]s são comuns.<ref name="EBClimate">{{citar web|título=Namibia |url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/402283/Namibia/43996 |obra=[[Encyclopædia Britannica]] |acessodata=28 de julho de 2010}}</ref> A última, com precipitações muito abaixo da média anual, ocorreu no verão de 2006/07.<ref name="Olszewski1">{{citar jornal|último =Olszewski |primeiro =John |jornal=[[Namibia Economist]] |título=Climate change forces us to recognise new normals |url=http://www.economist.com.na/index.php?option=com_content&view=article&catid=531:weather&id=14308:climate-change-forces-us-to-recognise-new-normals&Itemid=54 |arquivourl=http://web.archive.org/web/20110513062850/http://www.economist.com.na/index.php?option=com_content&view=article&catid=531:weather&id=14308:climate-change-forces-us-to-recognise-new-normals&Itemid=54 |arquivodata=13 de maio de 2011 |data=13 de maio de 2009}}</ref>
 
O clima na zona costeira é dominado pelo frio, sendo que a [[Corrente de Benguela]] no Oceano Atlântico traz baixa precipitação (50 mm por ano ou menos), denso nevoeiro frequente e temperaturas em geral mais baixas do que no resto do país.<ref name="EBClimate"/> No inverno, ocasionalmente, ocorre uma condição conhecida como ''Bergwind'' ([[Língua alemã|alemão]]: brisa de montanha) ou ''Oosweer'' ([[Língua africâner|africâner]]: tempo leste), um vento quente e seco que sopra do interior para o litoral. Como a área atrás da costa é um deserto, estes ventos podem evoluir para [[tempestades de areia]], sendo que depósitos de areia no Oceano Atlântico são visíveis em imagens de satélite.<ref name="Olszewski2">{{citar jornal|último =Olszewski |primeiro =John |jornal=Namibia Economist |título=Understanding Weather – not predicting it |url=http://www.economist.com.na/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=575&Itemid=54&limitstart=5 |arquivourl=http://web.archive.org/web/20101207061033/http://www.economist.com.na/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=575&Itemid=54&limitstart=5 |arquivodata=7 de dezembro de 2010 |data=25 de junho de 2010}}</ref>
 
Por ser o país mais seco em [[África subsariana]], a Namíbia depende, em grande parte, de [[Lençol freático|águas subterrâneas]]. Com uma precipitação média de cerca de 350 milímetros por ano, a maior precipitação ocorre na Faiza do Caprivi no nordeste (cerca de 600 mm por ano) e diminui em direção oeste e sudoeste, até tão pouco quanto 50 mm anuais, ou menos, no litoral. Os únicos rios perenes são encontrados nas fronteiras nacionais com África do Sul, [[Angola]] e [[Zâmbia]] e na fronteira com [[Botswana]], no Caprivi. No interior, as águas superficiais país estão disponíveis apenas nos meses do verão, quando os rios [[inundação|inundam]] após chuvas excepcionais. Caso contrário, a água de superfície é restrita a algumas grandes [[Barragem|barragens]] de retenção e represamento. Assim, quando as pessoas não vivem perto de rios perenes ou fazem uso das barragens de armazenamento, elas dependem de águas subterrâneas para prover suas necessidades hídricas.<ref>[http://www.iwrm-namibia.info.na/iwrm/fundaments-in-iwrm/groundwater-in-namibia/index.php Groundwater in Namibia] {{Wayback|url=http://www.iwrm-namibia.info.na/iwrm/fundaments-in-iwrm/groundwater-in-namibia/index.php# |date=20160729155617 }}. iwrm-namibia.info.na</ref>
{{panorama|Spitzkoppe 360 Panorama.jpg|1200px|Panorama do [[Deserto da Namíbia]] perto de [[Swakopmund]].}}
 
Metade de todos os namibianos falam [[oshiwambo]] como sua primeira língua, ao passo que a língua mais amplamente entendida e falada é o africâner. Entre a geração mais jovem, o inglês está rapidamente ganhando espaço.<ref name=namitour>{{citar web|título=Namibia's People |url=http://www.namibiatourism.com.na/uploadedFiles/NamibiaTourism/Global/Downloads_Modules/NA_Press_Kit/Namibia_People.pdf |publicado=Namibia Tourism |acessodata=10 de setembro de 2013}}</ref> O africâner e o inglês são usados ​​principalmente como segunda língua, reservados para comunicação pública, mas pequenos grupos os usam como primeira língua em todo o país. O [[Língua portuguesa|português]] foi adicionado como uma segunda língua ensinada nas escolas.
 
Segundo o censo de 2011, as línguas mais comuns são oshiwambo (a língua mais falada por 49% dos agregados familiares), [[Língua nama |nama/damara]] (11,3%), africâner (10,4%), kavango (9%) e [[Língua hereró |herero]] (9%).<ref name=snapshot>{{citar jornal|url=http://allafrica.com/stories/201303280355.html?page=2 |título=Census gives snapshot of Namibia's population |último=Duddy |primeiro=Jo Maré |data=28 de março de 2013 |jornal=[[The Namibian]]}}</ref><ref name=census2011>{{citar web|título=Namibia 2011 – Population and Housing Census Main Report|url=http://www.nsa.org.na/files/downloads/Namibia%202011%20Population%20and%20Housing%20Census%20Main%20Report.pdf|publicado=Namibia Statistics Agency|acessodata=10 de setembro de 2013|arquivourl=https://web.archive.org/web/20131002064316/http://www.nsa.org.na/files/downloads/Namibia%202011%20Population%20and%20Housing%20Census%20Main%20Report.pdf#|arquivodata=2 de outubro de 2013|urlmorta=yes}}</ref>
{{bar box
|título = [[Religião na Namíbia]]<ref name=CIA>{{Citar web|publicado = Agência Central de Inteligência (CIA) | autor = [[The World Factbook]] | titulo = Namibia |url = https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/wa.html |ano = 2009 | acessodata = 23 de janeiro de 2010 }}</ref>
{{Wikilivros|Namíbia}}
* [http://www.lib.utexas.edu/maps/africa/namibia.gif Mapa da Namíbia]
* [https://web.archive.org/web/20060116094358/http://www2.mre.gov.br/deaf/daf_2.htm Divisão da África II - Itamaraty] Divisão do Ministério das Relações Exteriores do Brasil responsável pelas relações bilaterais com a Namíbia
* [http://www.mapsyou.com/mapsFrame.aspx?p1=131 Mapa da Namíbia]
{{Namíbia/Tópicos}}
216 557

edições