Diferenças entre edições de "Zoroastrismo"

13 bytes removidos ,  00h47min de 19 de novembro de 2018
m
Foram revertidas as edições de 2804:18:6001:AEB6:3B92:6360:E8C5:74EE para a última revisão de Renato de carvalho ferreira, de 17h19min de 28 de setembro de 2018 (UTC)
(Erro de escrita)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 2804:18:6001:AEB6:3B92:6360:E8C5:74EE para a última revisão de Renato de carvalho ferreira, de 17h19min de 28 de setembro de 2018 (UTC))
Etiqueta: Reversão
{{Mais notas||soc|data=janeiro de 2015}}
{{Zoroastrismo}}
O '''zoroastrismo''', '''masdaísmo''', '''masdeísmo'''<ref>{{Citar web|último=Khan|primeiro=Roni K|ano=1996|capítulo=The Tenets of Zoroastrianism|url=http://tenets.parsizoroastrianism.com/}}</ref> ou '''parsismo''' é uma [[religião]] fundada na antiga [[Pérsia]] pelo profeta [[Zaratustra]], a quem os [[Grécia Antiga|gregos]] chamavam de [[Zoroastro]]. É, por alguns, considerada como a primeira manifestação de um [[monoteísmo]] [[Ética|ético]]. Para alguns acadêmicos,<ref>{{citar web|url=http://www.jewishencyclopedia.com/articles/15283-zoroastrianism|titulo="ZOROASTRIANISM - JewishEncyclopedia.com"|data=2012|acessodata=25 de setembro de 2017|publicado=jewishencyclopedia.com|ultimo=|primeiro=|lingua=inglês}}</ref> os pontos chaves das principais doutrinas do Zoroastrismo sobre a [[escatologia]] e [[demonologia]], como a crença no [[paraíso]], na [[ressurreição]], no [[juízo final]] e na vinda de um [[messias]], viriam a influenciar o [[judaísmo]], o [[cristianismo]] e o [[islamismo]].<ref>Hinnel, J (1997), The Penguin Dictionary of Religion, Penguin Books UK</ref><ref name="nv_hist_i">{{citar livro|url=http://books.google.com/books?id=nv1LkgEACAAJ|título=Nova história integrada|autor=João Paulo Mesquita Hidalgo Ferreira|editora=Companhia da escola|ano=2005|página=56|isbn=978-85-88955-08-0|coautores=Marcos Vinícius de Morais, Anderson Roberti dos Reis}}</ref><ref> Black & Rowley 1987, p. 607b.</ref><ref> Duchesne-Guillemin 1988, p. 815.</ref>
 
Tem seus fundamentos fixados no [[Avesta]] e admite a existência de duas [[divindade]]s ([[dualismo]]), as quais representam o [[Bem (filosofia)|Bem]] ([[Aúra-Masda]]) e o [[Mal]] ([[Arimã]]). Da luta entre essas divindades, sairia vencedora a divindade do Bem, Aúra-Masda.<ref name="nv_hist_i" />