Diferenças entre edições de "Tratado da Tríplice Aliança"

270 bytes removidos ,  02h50min de 22 de novembro de 2018
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 168.227.125.162, com Reversão e avisos
(Retirei palavras de calão (palavrões) que não constam do texto original do historiador cuja paráfrases/citações constam nesta página.)
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 168.227.125.162, com Reversão e avisos)
{{Sem-fontes|data=março de 2011| angola=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}
 
O Tratado da '''Tríplice Aliança''' foi a união entre [[Argentina]], [[Império do Brasil]] e [[Uruguai]] para lutar contra o [[Paraguai]] na [[Guerra do Paraguai]] entre [[1864]] e [[1870]]. Ele foi útil para o Brasil, pois mostrou ao mundo que duas repúblicas apoiavam uma monarquia, contra outra república, na [[América do Sul]]. Até então, o Estado monárquico brasileiro, conhecido como uma "flor exótica", não se aproximava muito de seus vizinhos.
 
Este [[tratado]] foi objeto de curtas negociações entre os três países interessados. Uma curiosa figura humana representou o Brasil, [[Francisco Octaviano de Almeida Rosa]], político brasileiro do Partido Liberal, então a frente do governo. Quando ele foi encarregado de sua missão diplomática, só o Brasil fora atacado pelo Paraguai, dando-se isto em março de 1865.