Abrir menu principal

Alterações

3 bytes adicionados, 12h37min de 29 de novembro de 2018
m
→‎Juventude: Ligação
Tiradentes era oriundo de uma família que não era pobre, como se constatou pela inventário da sua mãe, que foi aberto em 1756. Havia 35 escravos na grande fazenda do Pombal, onde trabalhavam também em mineração. Um [[alpendre]] dava acesso externamente a um [[Oratório cristão|oratório]] e havia [[senzala]]s e cozinhas coletivas. Foi ainda relacionada no inventário uma grande e valiosa quantidade de equipamentos para mineração.<ref name="SJDR"/>
 
Em 1755, após a morte de sua mãe, segue junto a seu pai e irmãos para a sede da Vila de São José; dois anos depois, já com onze anos, morre seu pai. Com a morte prematura dos pais, logo sua família perde as propriedades por dívidas. Não fez estudos regulares e ficou sob a tutela de seu tio e padrinho Sebastião Ferreira Leitão, que era cirurgião dentista.<ref name="SJDR"/> Trabalhou como mascate e minerador, tornou-se sócio de uma botica de assistência à pobreza na ponte do Rosário, em [[Vila Rica (Minas Gerais)|Vila Rica]], e se dedicou também às práticas farmacêuticas e ao exercício da profissão de dentista, o que lhe valeu o apelido (alcunha) de ''Tiradentes''.<ref name="SJDR" /> Segundo frei [[Raimundo de Penaforte]], Tiradentes "ornava a boca de novos dentes, feitos por ele mesmo, que pareciam naturais".<ref>CHIAVENATO, Júlio José. ''Inconfidência Mineira - As Várias Faces''. São Paulo: Contexto, 2000. pág. 25.</ref> Trabalhava ocasionalmente também como médico, em vista dos conhecimentos sobre plantas medicinais adquiridos com seu primo, frei [[José Mariano da Conceição VellozoVeloso]], consagrado botânico à época.<ref name=" rebelde verdadeiro"/>
 
=== Vida adulta ===