Abrir menu principal

Alterações

3 363 bytes adicionados, 11h36min de 4 de dezembro de 2018
Resgatando 19 fontes e marcando 6 como inativas. #IABot (v2.0beta10ehf1) (Luisbrudna)
[[imagem:Rainbow_colored_Rainbow_Bridge_at_night.jpg|thumb|esquerda|Vista de [[Tóquio]], com destaque para a [[Rainbown Bridge]] e a [[Torre de Tóquio]] (ao fundo)]]
 
Em 1947, o Japão aprovou uma nova [[Constituição do Japão|constituição]] [[pacifista]] enfatizando as práticas [[democráticas liberais]]. A [[Ocupação do Japão|ocupação dos Aliados]] terminou pelo [[Tratado de São Francisco]] em 1952 e o Japão foi assimilado como membro das [[Nações Unidas]] em 1956.<ref>{{citar web |url=http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/nn20070306f3.html |titulo='52 coup plot bid to rearm Japan: CIA |autor=Joseph Coleman|data=6/3/2006|publicado=[[The Japan Times]] |acessodata=3/4/2007}}</ref> Internamente, após o fim da Segunda Guerra, o país passou por décadas de recuperação e afirmação: teve um [[Milagre econômico japonês|crescimento econômico espetacular]] até se tornar a segunda maior economia do mundo, devido a investimentos do setor privado na construção de novas fábricas e equipamentos e ao senso coletivo de trabalho, que deram ao país uma taxa de crescimento média anual de 10% por quatro décadas.<ref>{{citar web|url=http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:wC3JGuqJPHYJ:www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/japao/economia-do-japao.php+jap%C3%A3o+nas+d%C3%A9cadas+de+1960+%C3%A0+1980&cd=5&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br|titulo=Rápido Crescimento Econômico|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Portal São Francisco}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> Estes acordos deveram-se a fatores [[Geopolítica|geopolíticos]], como o medo de que o [[socialismo]] avançasse sobre este país completamente arrasado pela guerra, e culturais, devido ao investimento em educação que formou e preencheu vagas no campo tecnológico.<ref>{{citar web|url=http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml|titulo=Como a Alemanha e o Japão se recuperaram tão rápido depois da Segunda Guerra?|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Editora Abril|arquivourl=https://web.archive.org/web/20090203114139/http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml#|arquivodata=3 de fevereiro de 2009|urlmorta=yes}}</ref> Esse rápido avanço terminou em meados dos anos 1990 quando o Japão sofreu uma [[Bolha financeira e imobiliária do Japão|grande recessão]]. O crescimento positivo no início do {{séc|XXI}} tem sinalizado uma recuperação gradual.<ref>{{citar notícia |url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/business/5178822.stm |titulo=Japan scraps zero interest rates |publicado=[[BBC News]] Online |data=14/7/2006 |acessodata=28/12/2006}}</ref>
 
Em 11 de março de 2011 o país sofreu o [[Sismo e tsunami de Tohoku de 2011|pior sismo e tsunami já registrado em sua história]]. O terremoto teve uma magnitude de 9,0 na [[escala de magnitude de momento]] e foi agravado por um [[tsunami]], afetando a região nordeste de [[Honshu]], incluindo [[Tóquio]].<ref name="publico1">{{citar web | url=http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295 | título=Tsunami atinge Japão após sismo de magnitude 8,9 | autor=publico.pt | acessodata=11-3-2011 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110314044622/http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295# | arquivodata=14-03-2011 | urlmorta=yes }}</ref> A área mais afetada pelo tsunami foi a cidade de [[Sendai]], [[região de Tohoku]], devido à proximidade do local onde ocorreu o sismo.<ref name="infoescolasendai">{{citar web| url=http://www.infoescola.com/japao/tsunami-no-japao-2011/|título=Tsunami no Japão (2011) - InfoEscola|autor=InfoEscola |acessodata=20/03/2011}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> Por conta do sismo, a [[Central Nuclear de Fukushima I]] [[Acidente nuclear de Fukushima I|sofreu sérios danos em seus reatores]] e agora ameaça a população dos arredores com risco de contaminação por [[Radiação|radioatividade]].<ref name="centralnucleardefukushima">{{citar web| url=http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/15/risco-de-contaminacao-faz-governo-do-japao-suspender-operacao-de-resfriamento-de-usina-924020375.asp|título=Risco de contaminação faz governo do Japão suspender operação de resfriamento de usina - O Globo|autor=O Globo|acessodata=20/03/2011}}</ref>
 
== Geografia ==
Entre 70% e 80% do país é coberto por florestas e de relevo montanhoso<ref>{{citar enciclopédia|url=http://encarta.msn.com/encyclopedia_761566679/Japan.html |titulo="Japan" |publicado=Microsoft Encarta Online Encyclopedia |ano=2006 |acessodata=2006-12-28|arquivourl=http://www.webcitation.org/5kwrn50XS|arquivodata=2009-10-31|urlmorta=yes}}</ref><ref>{{citar web |url=http://www.worldinfozone.com/country.php?country=Japan |titulo=Japan Information—Page 1 |publicado=WorldInfoZone.com |acessodata=28/12/2006}}</ref> com uma [[cordilheira]] no centro das ilhas principais, de forma que as pequenas planícies costeiras se tornam as áreas mais povoadas do país.<ref>WorldInfoZone.com. [http://www.worldinfozone.com/country.php?country=Japan Japan Information—Page 1]. Visitado em 23 de Junho de 2007.</ref>
 
A montanha mais alta e o vulcão mais conhecido do Japão é o [[monte Fuji]] com 3.776 metros de altitude e seu ponto mais baixo fica no lago [[Hachirōgata]], quatro metros abaixo do nível do mar. Localizado no [[Círculo de fogo do Pacífico]] há oitenta vulcões ativos no país e os [[sismo]]s são muito comuns, ocorrendo mil deles sensíveis por ano. A enorme quantidade de vulcões mostra que nas profundezas do arquipélago o solo é instável e cheio de energia. Isso faz com que o país esteja entre os que mais registram terremotos no mundo.<ref name="ciawfbjapan"/> Em 2006, foram registrados 108 vulcões ativos do país.<ref>[{{Citar web |url=http://www.lustosa.net/noticias/33877.php |titulo=Lustosa.net - Vulcão entra em erupção no Japão e deixa cidade em alerta] |acessodata=1 de Agosto de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110728000824/http://www.lustosa.net/noticias/33877.php |arquivodata=28 de Julho de 2011 |urlmorta=yes }}</ref>
 
Ainda que uma ameaça, estes vulcões representam uma importante fonte de turismo. Regiões como [[Nikko]], são famosas por suas primaveras quentes e pelo cenário de montanhas vulcânicas.<ref>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=28|titulo=Conheça o Japão - Geografia|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=PortalJapão|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101012152021/http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=28#|arquivodata=12 de outubro de 2010|urlmorta=yes}}</ref> Os rios japoneses são curtos e de águas ligeiras. Atingem o mar pouco depois de sua nascente nas montanhas acima e formam geralmente deltas em forma de leque.<ref name="ciawfbjapan"/>
[[Ficheiro:Japan Factory Ship Nisshin Maru Whaling Mother and Calf.jpg|thumb|Uma [[baleia]] e um filhote sendo carregados para dentro de um [[barco-fábrica]], o ''[[Nisshin Maru]]''.]]
 
Em 2010, o país que contribui para o desmatamento fora de seu território, em nações de florestas tropicais, por exemplo, comprometeu-se a reduzir o desmatamento e a degradação ambiental, doando, ao lado de outros países, cerca de 3,5 bilhões de dólares.<ref>{{citar web|url=http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/paises-lancam-parceria-para-preservar-florestas/|titulo=Países lançam parceria para preservar florestas|publicado=Mercado Ético|acessodata=6 de agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110615082434/http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/paises-lancam-parceria-para-preservar-florestas/|arquivodata=15 de Junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref><ref>{{citar web|url=http://pt.mongabay.com/rainforests/0817.htm|titulo=Riquezas em Perigo—Florestas Tropicais Ameaçadas|publicado=Mogabay|acessodata=6 de agosto de 2010}}</ref> Em contrapartida, sua área florestal intacta ou replantada cobre 70% do território nacional, preservação esta comparada apenas aos países escandinavos.<ref>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/roteiros_internacionais_japao_02_o_pais.htm|titulo=Japão - a terra do Sol nascente|publicado=Caderno Japão|acessodata=6 de agosto de 2010}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
A [[caça à baleia no Japão]] em uma escala industrial começou por volta da década de 1890 quando o país começou a participar da indústria moderna da pesca da baleia, na época uma indústria da qual muitos países participavam.<ref>{{citar web |url=http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html |título=The Truth about "Traditional" Japanese Whaling |primeiro=Paul |último=Watson |publicado=Sea Shepherd France |data=27 de junho de 2006 |acessodata=29 de agosto de 2018 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20130601115117/http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html# |arquivodata=1 de junho de 2013 |urlmorta=yes }}</ref> Estas atividades historicamente se estenderam para fora das águas territoriais japonesas. Durante o século XX, o Japão esteve intensamente envolvido na pesca comercial da baleia. Isto continuou até que a moratória da Comissão Internacional da Pesca da Baleia (IWC) entrasse em efeito em 1986. O Japão, no entanto, continuou a caçar baleias usando a previsão de pesquisa científica no acordo.<ref name="bbc.782697">{{citar jornal|url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/782697.stm |primeiro =Alex |último =Kirby |título=Whaling ban set to end |publicado=BBC News |data=11 de junho de 2000 }}</ref> A carne dessas baleias caçadas com propósitos científicos é vendida em lojas e restaurantes.<ref>{{citar jornal|url=http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg |título=Anti-whaling activist faces arrest on arrival in Japan |agência=AFP |data=11 de março de 2010 |urlmorta= sim|arquivodata=31/01/2014|arquivourl=http://web.archive.org/web/20140131045439/http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg }}</ref> A prática é uma fonte de conflito entre os países e organizações anti-caça à baleia. Países, cientistas e organizações ambientais contrárias à caça à baleia consideram o programa de pesquisa japonesa como desnecessário e que é uma operação comercial de caça à baleia disfarçada.<ref name="nytimesletter">{{citar web |último1 =Briand |primeiro1 =F |último2 =Colborn |primeiro2 =T |último3 =Dawkins |primeiro3 =R |último4 =Diamond |primeiro4 =J |último5 =Earle |primeiro5 =S |último6 =Gomez |primeiro6 =E |último7 =Guillemin |primeiro7 =R |último8 =Klug |primeiro8 =A |último9 =Konishi |primeiro9 =M |displayauthors =9 |url =http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf |formato =PDF |título =An Open Letter to the Government of Japan on "Scientific Whaling" |obra =New York Times |data =20 de maio de 2002 |arquivourl =https://web.archive.org/web/20070819151058/http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf# |arquivodata =19/08/2007 |acessodata =29/08/2018 |urlmorta =yes }}</ref><ref name="timesonline.co.uk">{{citar jornal|último =Larter |primeiro =Paul |título=Australia condemns bloody killing of whale and calf by Japanese fleet |obra=The Times |local=London |data=8 de fevereiro de 2008 |url=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/asia/article3325580.ece }}</ref><ref name="bloomberg.com">{{citar jornal|último =Biggs |primeiro =Stuart |título=Kyokuyo Joins Maruha to End Whale Meat Sales in Japan |publicado=Bloomberg |data=30 de maio de 2007 |url=http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601101&sid=aPhG1CfyPue0}}</ref><ref>{{citar jornal|url=http://www.time.com/time/world/article/0,8599,1686486,00.html |primeiro =Toko |último =Sekiguchi |título=Why Japan's Whale Hunt Continues |obra=Time |data=20 de novembro de 2007 }}</ref>
A população do Japão é estimada em 127,4 milhões de pessoas.<ref name="ciapeople">Central Intelligence Agency. (19 de Dezembro de 2006]). [https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/ja.html#People The World Factbook; Japan—People]. Visitado em 5 de Janeiro de 2007</ref> Em geral, ela é bastante homogênea, sendo quase toda composta por japoneses, as minorias são os ainus, um povo indígena nativo do país, e os estrangeiros que vão ao país por [[turismo]] ou em busca de [[emprego]].<ref name=POP />
 
A [[Expectativa de vida|expectativa média de vida]] no país é uma das mais elevadas do mundo, 81,25 anos,<ref>Central Intelligence Agency. (19 de Dezembro de 2006). [https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2102rank.html The World Factbook: Ordenamento por colocação—Expectativa de vida ao nascer]. Visitado em 28 de Dezembro de 2006</ref> mas essa população está rapidamente envelhecendo como resultado do grande número de nascimentos posterior à Segunda Guerra Mundial seguido por uma queda na [[taxa de natalidade]] no final do {{séc|XX}}. Assim, em 2004, cerca de 19,5% da população tinha mais de 65 anos.<ref name="handbook">{{citar web|publicado=Ministério dos Negócios Internos e Comunicação|url=http://www.stat.go.jp/English/data/handbook/pdf/c02cont.pdf|titulo=Statistical Handbook of Japan: Chapter 2—Population|data=25/12/2006|acessodata=13/08/2007|arquivourl=https://web.archive.org/web/20070709085431/http://www.stat.go.jp/english/data/handbook/pdf/c02cont.pdf|arquivodata=09/07/2007|urlmorta=yes}}</ref>
 
As mudanças na demografia trouxeram uma série de questões sociais, em particular um provável declínio da [[força de trabalho]] e o aumento dos custos com a [[seguridade]] social. Nota-se também que uma parcela dos jovens prefere não formar [[família]]s quando adultos.<ref name="Ogawa">OGAWA, Naohiro. [http://www.mofa.go.jp/j_info/japan/socsec/ogawa.html "Demographic Trends and Their Implications for Japan's Future"] The Ministry of Foreign Affairs of Japan. Transcript of speech delivered on (7 de Março de 1997). Visitado em 14 de Maio de 2006.</ref> Prevê-se um declínio da população japonesa para 100 milhões até 2050 e 64 milhões em 2100.<ref name="handbook"/> Demógrafos e planejadores governamentais, no momento, debatem como lidar com este problema.<ref name="Ogawa"/> A [[imigração]] e o incentivo à [[natalidade]] são por vezes sugeridos como uma solução para proporcionar trabalhadores jovens que possam sustentar o envelhecimento da população.<ref>{{citar web |url=http://jipi.gr.jp/english/message.html |arquivourl=https://web.archive.org/web/20070929222250/http://jipi.gr.jp/english/message.html# |arquivodata=29 de setembro de 2007 |titulo=Japan Immigration Policy Institute: Director's message |autor=Hidenori Sakanaka |publicado=Japan Immigration Policy Institute |data=2005-10-05 |acessodata=2007-01-05 |urlmorta=yes }}</ref><ref>French, Howard.[http://www.nytimes.com/2003/07/24/international/asia/24JAPA.html?ei=5007&en=53c7315175389e69&ex=1374379200&partner=USERLAND&pagewanted=all&position= "Insular Japan Needs, but Resists, Immigration".] "[[The New York Times]]" (2003-07-24). Retrieved on 2007-02-21.</ref> A imigração, contudo, não é uma medida popular.<ref>FRENCH, Howard. [http://www.nytimes.com/2003/07/24/international/asia/24JAPA.html?ei=5007&en=53c7315175389e69&ex=1374379200&partner=USERLAND&pagewanted=all&position= "Insular Japan Needs, but Resists, Immigration"]. [[The New York Times]] (24 de Julho de 2003). Visitado em 21 de Fevereiro de 2007.</ref> Segundo o [[Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados|ACNUR]], em 2007, o Japão aceitou apenas 41 refugiados para reassentamento, enquanto os [[Estados Unidos]] aceitaram 50.000.<ref>"[http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/ed20081012a2.html Refugees in Japan]". The Japan Times Online. October 12, 2008</ref>
 
O país sofre com uma das mais altas taxas de [[suicídio]]s do mundo.<ref>AFP - 22 de Novembro de 2004</ref><ref name="NYT">{{citar notícia|url=http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?res=9F00E1DB173FF936A25754C0A96F958260&sec=health&spon=&scp=29&sq=suicide%20japan&st=cse|titulo=In Japan, Mired in Recession, Suicides Soar|ultimo=Strom|primeiro=Stephanie|data=15 de julho de 1999|trabalho=Health|publicado=The New York Times|acessodata=2008-09-20}}</ref><ref name=Times>{{citar notícia|url=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/asia/article4170649.ece|titulo=Japan gripped by suicide epidemic|ultimo=Lewis|primeiro=Leo|data=19 de junho de 2008|publicado=[[The Times]]|acessodata=20/9/2008}}</ref> Em 2011, o número de suicídios ultrapassou 30 mil pessoas pelo décimo quarto ano seguido, representando uma queda de {{formatnum:1177}} suicídios em relação a 2010. Tóquio teve a maior taxa do país e os homens compõem 70% de todas as mortes desse tipo, sendo a principal causa de morte entre as pessoas com menos de 30 anos de idade.<ref>{{citar web| |url=http://ajw.asahi.com/article/behind_news/social_affairs/AJ201201110021 |título=Suicides top 30,000 for 14th consecutive year |editor=The Asahi Shimbun |data=11 de janeiro de 2012 |acessodata=30 de novembro de 2012 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20121020134304/http://ajw.asahi.com/article/behind_news/social_affairs/AJ201201110021 |arquivodata=20 de Outubro de 2012 |urlmorta=yes }}</ref><ref name="ozawa-desilva">{{citar periódico|ultimo = Ozawa-de Silva|primeiro = Chikako
|titulo = Too Lonely to Die Alone: Internet Suicide Pacts and Existential Suffering in Japan|jornal = Cult Med Psychiatry | volume = 32 |número = 4 |páginas = 516–551 | month = December |ano = 2008 | doi = 10.1007/s11013-008-9108-0| pmid = 18800195| postscript = <!--None--> }} p. 519</ref>
 
Em 2004 o Ministério da Justiça do Japão estimou o número de estrangeiros legais em quase dois milhões sendo estes principalmente [[coreanos]], [[chineses]], [[República da China|taiwaneses]], [[Nipo-brasileiro|brasileiros]] e [[filipinos]]. As outras minorias são, [[peru]]anos, [[Estados Unidos|norte-americanos]], [[ingleses]], [[Tailândia|tailandeses]], [[australianos]], [[canadenses]], [[Índia|indianos]], [[Irão|iranianos]], [[russos]], entre outros.<ref>MInistério da Justiça do Japão. [http://www.moj.go.jp/ENGLISH/IB/ib-01.html Registro de estrangeiros]. Visitado em 12 de Agosto de 2007.</ref>
 
Entretanto o número real de estrangeiros é incerto devido a existência de muitos imigrantes ilegais.<ref>Ministério da Justiça do Japão. [http://www.moj.go.jp/ENGLISH/information/bpic3rd-02.html#2-1-3 Residentes estrangeiros ilegais]. Visitado em 12 de Agosto de 2007.</ref> A maioria dos brasileiros residentes no Japão são ''[[nikkei]]'' (descendentes de japoneses ou cônjuges de nipo-brasileiros) que vivem e trabalham legalmente e são conhecidos pelos japoneses como ''[[dekassegui]]s''. O Brasil passou a receber [[Imigração japonesa no Brasil|imigrantes japoneses]] em 1908. A maior parte dos imigrantes chegou na década de 1930 e se fixou sobretudo em [[São Paulo (estado)|São Paulo]]. Hoje, a população nipo-brasileira é de quase 1,5 milhão de pessoas, formando a maior colônia de descendentes de japoneses do mundo. Muitos desses brasileiros de origem japonesa ou cônjuges têm imigrado ao Japão em busca de melhores condições de vida, formando uma comunidade de cerca de 300 mil pessoas no Japão.<ref>MAEDA, Toshi. [http://diversao.uol.com.br/ultnot/reuters/2007/08/27/ult26u24685.jhtm Brasileiros e japoneses reúnem 500 mil em Carnaval em Tóquio] {{Wayback|url=http://diversao.uol.com.br/ultnot/reuters/2007/08/27/ult26u24685.jhtm |date=20080208165740 }}</ref>
 
=== Religião ===
|url=http://www.state.gov/g/drl/rls/irf/2006/71342.htm |titulo=International Religious Freedom Report 2006 |autor=Bureau of Democracy, Human Rights, and Labor |publicado=U.S. Department of State |data=2006-09-15 |acessodata=2007-12-04}}</ref> No entanto, essas estimativas baseiam-se em pessoas com uma associação com um templo, ao invés do número de pessoas que realmente seguem a religião. O professor Robert Kisala da Universidade de Nanzan sugere que apenas 30% da população do país se identifique como pertencente a alguma religião.<ref name=Kisala>{{citar livro |ultimo = Kisala |primeiro = Robert | editor= Robert Wargo|titulo = The Logic Of Nothingness: A Study of Nishida Kitarō |publicado = University of Hawaii Press|ano = 2005|páginas = 3–4 | isbn = 0824822846}}</ref>
 
O [[taoísmo]], o [[confucionismo]] e o [[budismo]] da [[República Popular da China|China]] também têm influenciado as crenças e os costumes japoneses. A religião no Japão tende a ser sincrética por natureza e isso resulta em uma variedade de práticas, tais como pais e filhos celebrando rituais xintoístas, os estudantes rezando antes dos exames, alguns casais celebrando um [[casamento]] em uma [[Igreja (edifício)|igreja]] cristã e funerais sendo realizados em templos budistas. Uma minoria (2.595.397 de pessoas ou 2,04% da população) professam o [[cristianismo]].<ref>{{citar web | url=http://www.bunka.go.jp/english/pdf/chapter_10.pdf | título=Religious Juridical Persons and Administration of Religious Affairs | publicado= [[Agency for Cultural Affairs]] | acessodata= 25 de agosto de 2008 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20080909190655/http://www.bunka.go.jp/english/pdf/chapter_10.pdf | arquivodata=9 de Setembro de 2008 | urlmorta=yes }}</ref>
 
Além disso, desde meados do {{séc|XIX}}, numerosas seitas religiosas (''[[Shinshūkyō]]'') surgiram no Japão,<ref>{{citar web|url=http://www.br.emb-japan.go.jp/cultura/downloads/religiao.htm|titulo=RELIGIÃO: origens autóctones e influência estrangeira|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=EMB|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101108062301/http://www.br.emb-japan.go.jp/cultura/downloads/religiao.htm|arquivodata=8 de Novembro de 2010|urlmorta=yes}}</ref> como a ''[[Tenrikyo]]'', ''[[Aum Shinrikyo]]'' (ou Aleph)<ref>{{citar web|url=http://www.tenrikyo.or.jp/en/download/portuguese/port1b.pdf|titulo=A vida plena de alegria|acessodata=4 de agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20070810055448/http://www.tenrikyo.or.jp/en/download/portuguese/port1b.pdf|arquivodata=10 de Agosto de 2007|urlmorta=yes}}</ref> e ''[[Soka Gakkai]]''.<ref>{{citar web |url=http://www.sgi.org/about-us/what-is-sgi.html |título=''What is SGI?'' |editor=SGI |acessodata=17 de setembro de 2012}}</ref>
 
== Política ==
[[Imagem:Rice Paddies In Aizu, Japan.JPG|thumb|esquerda|Plantação de arroz em [[Aizu]]]]
 
O maior banco do mundo está no Japão,<ref name="mufg">Mitsubishi UFJ Financial Group, Inc. [http://www.mufg.jp/english/ir/fs/backnumber/2007mufg-mar-1q/pdffile/mufg2007_1q_e.pdf Consolidated financial information] {{Wayback|url=http://www.mufg.jp/english/ir/fs/backnumber/2007mufg-mar-1q/pdffile/mufg2007_1q_e.pdf |date=20070808181556 }}. PDF (202, 64 KB) . (31 de Julho de 2006). Visitado em 29 de Dezembro de 2006.</ref> o Mitsubishi UFJ Financial Group,<ref>KASHIWAGI, Akiko e S. GOODMAN, Peter. (16 de Julho de 2004). [http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/articles/A54352-2004Jul16.html Fusão Japonesa cria o maior banco do mundo]. Visitado em 10 de Março de 2007.</ref> com aproximadamente 1,7 trilhões de dólares em fundos<ref name="mufg"/> assim como o maior sistema de caderneta de poupança postal do mundo e o maior titular de poupança mundial, o Serviço Postal Japonês, detentor de títulos privados da ordem de 3,3 trilhões de dólares. Também fica no país a segunda maior bolsa de valores do mundo, a [[Bolsa de Valores de Tóquio]], com uma capitalização de mercado de mais de 549,7 trilhões de ''yens'' em Dezembro de 2006.<ref>Bolsa de Valores de Nova Iorque. (31 de Janeiro de 2007). [http://www.nyse.com/events/1170156816059.html Informações de mercado]. Visitado em 11 de Agosto de 2007.</ref> Também é lar de algumas das maiores empresas de serviços financeiros, grupos empresariais e bancos. Por exemplo, vários ''[[keiretsu]]s'' (grupos empresariais) e multinacionais como a [[Sony]], a [[Sumitomo]], a [[Mitsubishi]] e a [[Toyota]] têm bancos, grupos de investimento e de serviços financeiros.<ref name=BUGE>{{citar web|url=http://www.bugei.com.br/artigos/index.asp?show=artigo&id=17|titulo=Keiretsu - Os gigantes do Japão|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=Sociedade Brasileira de Bugei|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110726005149/http://www.bugei.com.br/artigos/index.asp?show=artigo&id=17|arquivodata=26 de Julho de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
As principais atividades econômicas do Japão circulam entre as ilhas de [[Hokkaido]], [[Honshu]], [[Shikoku]] e [[Kyushu]]. O Japão é cortado por uma eficiente malha rodoviária e ferroviária que liga o país de norte a sul. Em 2004, havia 1.177.278&nbsp;km de rodovias pavimentadas, 173 aeroportos e 23.577&nbsp;km de ferrovias.<ref name="ciaecon"/> O transporte aéreo é em grande parte operado pela [[All Nippon Airways]] (ANA) e pela [[Japan Airlines]] (JAL). Já as ferrovias são operadas pela [[Japan Railways]] entre outras. Os aeroportos mais movimentados ficam nas regiões mais populosas do país, [[Região de Kanto|Kanto]] e [[Kinki]]. O [[Aeroporto Internacional de Narita]], por exemplo, é o mais movimentado do país e o oitavo mais movimentado do mundo. Há muitos voos internacionais de várias cidades e países do Japão e para o país. Já o transporte portuário, apesar de fundamental para um país insular, encontra-se em baixa, desde um pico na década de 1980.<ref name="Transportes">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e38_transportation.pdf Transportation: Speed and efficiency through technological advancement]. PDF (799,07 KB). Visitado em 13 de Agosto de 2007.</ref>
 
Uma vez que apenas 15% das terras japonesas são apropriadas para o cultivo,<ref>ROY, Kingshuk. [http://www.nourin.tsukuba.ac.jp/~tasae/Japan.pdf Recursos hídricos com relação a questões agroambientais maiores no Japão]. PDF (111,95 KB). College of Bioresource Sciences, Nihon University (2006). Visitado em 21 de Fevereiro de 2007.</ref> o sistema de terraceamento é usado em pequenas áreas. Isto resulta em um dos mais elevados níveis de produtividade por unidade no mundo. O pequeno setor agrário do Japão, contudo, é muito subsidiado e protegido. O Japão precisa importar cerca de 50% dos [[cariopse|grãos]] consumidos excetuando o arroz, e depende de importações para seu suprimento de carne.<ref>Strategis. [http://strategis.ic.gc.ca/epic/site/ibi-iai.nsf/en/bi18701e.html Japan: Country Information] {{Wayback|url=http://strategis.ic.gc.ca/epic/site/ibi-iai.nsf/en/bi18701e.html |date=20070817043751 }}. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref>
 
O Japão é o segundo maior produtor de pescado do mundo por tonelada depois da China e tem uma das maiores frotas de pesqueiros do mundo que responde por quase 15% da pesca mundial.<ref name="ciaecon"/> O país depende de países estrangeiros em 80% para o seu suprimento de petróleo e alimentos como a carne bovina.<ref>Ministério da Defesa do Japão. [http://www.mod.go.jp/e/defense_policy/example/maritime/index.htm Um exemplo de operações marítimas]. Visitado em 26 de Março de 2007.</ref>
O Japão é uma das nações líderes nos campos da [[pesquisa científica]], especialmente de [[tecnologia]], [[Máquina|maquinário]] e [[Biomedicina|pesquisa biomédica]]. Cerca de 700.000 pesquisadores dividem um orçamento de 130 bilhões de [[dólar]]es para [[pesquisa e desenvolvimento]], o terceiro maior do mundo.<ref>McDonald, Joe. "China to spend $136 billion on R&D." ''BusinessWeek'' (2006-12-04).</ref> O Japão é líder mundial no domínio da pesquisa científica fundamental, tendo produzido treze [[prêmios Nobel]], quer em [[física]], [[química]] ou [[medicina]],<ref>{{citar web |titulo=Japanese Nobel Laureates |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/nobel.htm/ |acessodata=7 de novembro de 2009}}</ref> três [[Medalha Fields]]<ref>{{citar web |titulo=Japanese Fields Medalists |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm |acessodata=2009-11-07 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100310203313/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm/# |arquivodata=10 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> e um [[Prêmio Carl Friedrich Gauss|Prêmio Gauss]].<ref>{{citar web |titulo=Dr. Kiyoshi Ito receives Gauss Prize |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm |acessodata=7 de novembro de 2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100309181805/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm/# |arquivodata=9 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref>
 
Algumas das mais importantes contribuições tecnológicas do Japão são encontrados nas áreas de [[eletrônico]]s, [[automóveis]], [[máquina]]s, [[engenharia sísmica]], [[Robô industrial|robótica industrial]], [[óptica]], [[química]], [[semicondutor]]es e [[Metal|metais]]. Japão é líder do mundo em produção e utilização de robótica, possuindo mais de metade (402.200 de 742.500) de robôs industriais do mundo, usado para a fabricação.<ref>{{citar web | url=http://www.unece.org/press/pr2000/00stat10e.htm | título=The Boom in Robot Investment Continues—900,000 Industrial Robots by 2003 | publicado = United Nations Economic Commission for Europe |data= 2000-10-17| acessodata= 2006-12-28}}</ref> Produziu também o [[QRIO]], [[ASIMO]] e o [[AIBO]]. O Japão é o maior produtor mundial de automóveis<ref>{{citar web |titulo=World Motor Vehicle Production by Country |publicado=[[OICA|oica.net]] |ano=2006 |url=http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf |arquivourl=https://web.archive.org/web/20070807213925/http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf# |arquivodata=7 de agosto de 2007 |acessodata=2007-07-30 |urlmorta=yes }}</ref> e abriga quatro dos quinze maiores fabricantes de automóveis do mundo e sete dos vinte maiores líderes de vendas de semicondutores atualmente.<ref>{{citar web|url=http://web.infomoney.com.br/templates/news/view.asp?codigo=834421&path=/suasfinancas/|titulo=Japão assume a dianteira e é o maior produtor de carros do mundo|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Info Money}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
[[imagem:ISS-36 HTV-4 berthing 4.jpg|thumb|esquerda|[[Veículo de Transferência H-II]], próximo à [[Estação Espacial Internacional]], desenvolvido pela [[JAXA]]]]
[[Lista de ferrovias do Japão|Dezenas de empresas de transporte ferroviário japonesas]] competem nos mercados de transporte local e regional de passageiros, como por exemplo, a [[Japan Railways|7 JR]], a [[Kintetsu Corporation]], a [[Seibu Railway]] e a [[Keio Corporation]]. Muitas vezes, como estratégia dessas empresas, ao lado das estações existem empreendimentos imobiliários ou lojas de departamento. Cerca de 250 trens de alta velocidade [[Shinkansen]] ligam as principais cidades japonesas e são conhecidos por sua pontualidade.<ref>{{citar web|url=http://www.hitachi-rail.com/rail_now/column/just_in_time/index.html|arquivourl=https://web.archive.org/web/20080513230217/http://www.hitachi-rail.com/rail_now/column/just_in_time/index.html#|arquivodata=13-05-2008|titulo=Corporate Culture as Strong Diving Force for Punctuality- Another "Just in Time"|acessodata=19-04-2009|trabalho=Hitachi-Rail.com|urlmorta=yes}}</ref>
 
Existem 173 [[aeroporto]]s e voar é uma maneira popular de se viajar entre cidades do país. O maior aeroporto doméstico, o [[Aeroporto Internacional de Tóquio|Haneda]], é o [[Lista de aeroportos por número de passageiros|mais movimentado da Ásia]]. Os maiores aeroportos internacionais são o [[Aeroporto Internacional de Narita]] (região de [[Tóquio]]), [[Aeroporto Internacional de Kansai]] (área de [[Osaka]]/[[Kobe]]/Quioto) e o [[Aeroporto Internacional de Chubu]] (área de [[Nagoya]]). Os maiores portos incluem o [[Porto de Nagoya]].<ref>{{citar web|url=http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/caracteristicas/estilo_comunicacao.htm|titulo=COMUNICAÇÕES E TRANSPORTE|acessodata=4 de agosto de 2010|publicado=EMB|arquivourl=https://web.archive.org/web/20100120102320/http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/caracteristicas/estilo_comunicacao.htm|arquivodata=20 de Janeiro de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
=== Educação ===
Antes de 1985, o Japão vivia em um sistema de bi-monopólio, no qual a ''[[Nippon Telegraph and Telephone Public Corporation]]'' dominava a telefonia doméstica, e a ''Kokusai Denshin Denwa'' a telefonia internacional. Na primeira reforma, a NTT sofreu uma privatização parcial, através da qual surgiu uma espécie de competição controlada do mercado, no qual o Ministério dos Correios e Telecomunicações japonês intervinha para que não houvesse perdedores.<ref name="telecomunicações"/>
 
Na segunda etapa desta reforma, ocorrida a partir de 1997, viu-se o claro objetivo de aumentar a competição no mercado e uma diminuição da regulamentação implementada até então, graças ao acordo junto à [[Organização Mundial do Comércio]]. Todavia, o que se seguiu foi o nascimento da NTT como competidora internacional de telecomunicações.<ref name="telecomunicações">{{citar web|url=http://www2.mre.gov.br/ipri/Rodrigo/Jap%C3%A3o/3%20Cl%C3%A9lia%20Piragibe.rtf|titulo=A política de telecomunicações no Japão|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Seminário sobre o Japão|autor=Piragibe, Clélia|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110609213159/http://www2.mre.gov.br/ipri/Rodrigo/Jap%C3%A3o/3%20Cl%C3%A9lia%20Piragibe.rtf|arquivodata=9 de Junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
Desde 1985 que o Japão possui um sistema tronco nacional de telefonia com [[Fibra óptica|fibras óticas]], interconectando diversas cidades ao longo de 3 400 km e com previsão de ampliação devido a flexibilidade do material empregado. Entre as ilhas, utiliza de cabos submarinos. Na telefonia móvel, possuía 90 milhões de usuários em 2005. Em relação a [[televisão]], a nação possui o sistema a cabo (CATV) e para a [[internet]], a rede local de assinantes e a rede integrada digital.<ref>{{citar web|url=http://www.lucalm.hpg.ig.com.br/comunicacoes.htm|titulo=Sistemas de comunicações|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=IG}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
Na mídia, há grande circulação de jornais e revistas, além de canais de rádio e televisão, que atingem toda a população urbana do país e boa parte da rural. Entre os principais estão o jornal [[Yomiuri Shimbun]], a rádio [[NHK]] e os canais de tv NHK e [[TXN]]. Quase todas as corporações que os veiculam, politicamente, estão divididas em liberal, média e conservadora.<ref>{{citar web|url=http://www.japanesestudies.org.uk/discussionpapers/Gatzen.html|titulo=Media and Communication in Japan|autor=Barbara, Gatzen|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Electronic journal of contemporary japanese studies}}</ref>
No entanto, foi reconhecido que sua alta [[densidade populacional]], o alto preço das terras e a queda no volume de negócio no [[mercado imobiliário]] geraram um novo desafio para o governo: reabilitar áreas degradadas para alocar o crescimento [[Demografia|demográfico]]. Para esses locais, estudam-se projetos que aloque a população em cidades subterrâneas e nas chamadas super-torres, estruturas verticais gigantescas capazes de suportarem uma pequena cidade como [[Sky City 1000]], [[Shimizu Mega City Pyramid]] e [[X-Seed 4000]].<ref name="Hab1"/><ref name="Hab2"/>
 
Nestes projetos, está ainda inserida a [[urbanização]], voltada para o [[meio-ambiente]] e à integração do homem com a natureza, visando o resgate histórico de sua cultura, esquecida nas construções de massa moderna para abrigar o largo crescimento populacional que acompanhou as modificações no cenário econômico nacional.<ref name="Hab1">{{citar web|url=http://pcc5839.pcc.usp.br/Textos_Tecnicos/Gest%C3%A3oHabitacionalJap%C3%A3oJunho2006.pdf|titulo=Gestão habitacional no Japão|autor=Costa, Debora & Hypólito, João & Niubó, Jorge|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=USP|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110810163744/http://pcc5839.pcc.usp.br/Textos_Tecnicos/Gest%C3%A3oHabitacionalJap%C3%A3oJunho2006.pdf|arquivodata=10 de Agosto de 2011|urlmorta=yes}}</ref><ref name="Hab2">{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u338703.shtml|titulo=Governo do Japão admite problemas em habitação e consumo|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Folha UOL}}</ref>
 
Sua tecnologia aliada aos recursos naturais deram ao Japão acesso à [[água potável]] e [[tratamento de esgoto]] em quase todo o território nacional. Devido à rápida [[urbanização]] de suas grandes cidades, ocorreu a [[degradação ambiental]] que causou enchentes, aridez e piora da qualidade da água.<ref name="Água"/>
 
Para atenuar os danos causados por esses problemas, foram implantadas medidas para melhorar os mecanismos de coordenação sobre o uso da água e prevenir a sua contaminação. Como resultado, o Japão obteve drásticas melhorias em seus [[recursos hídricos]] e de higiene e abastecimento de [[água potável]] em seu território. Cidades como [[Tóquio]] e [[Quioto (cidade)|Quioto]] foram as grandes beneficiadas dos projetos.<ref name="Água">{{citar web |url=http://www.br.emb-japan.go.jp/politica/speech_two.htm |titulo=Governança Global da Água - Melhorando o Acesso ao Saneamento e à Água Tratada |autor=Koumura, Masahiko |publicado=Universidade das Nações Unidas |acessodata=10 de agosto de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100215014811/http://www.br.emb-japan.go.jp/politica/speech_two.htm |arquivodata=15 de Fevereiro de 2010 |urlmorta=yes }}</ref>
 
=== Criminalidade e segurança ===
A história japonesa produziu uma cultura que mescla influências da tradição chinesa e as formas indianas e ocidentais desde sua arquitetura à sua gastronomia. Primordialmente, o Japão sofreu influência direta da China, em um processo iniciado há cerca de 1 500 anos. O Japão e outros reinos asiáticos eram estados tributários da China desde tempos antigos. No entanto, o Japão parou de enviar tributos à China em 894 d.C. A partir daí, a cultura japonesa desenvolveu-se de forma independente e floresceu numa variedade de campos livremente.<ref>{{harvnb|Vohra|1999|p=22}}</ref>
 
O processo de nacionalização cultural acelerou-se durante os últimos 250 anos anteriores ao que o Japão se manteve isolado, até 1868, quando se abriu para o mundo ocidental com a assinatura do [[Tratado de Kanagawa]].<ref name=CULT>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/roteiros_internacionais_japao_05_cultura.htm|titulo=A cultura japonesa|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Japão - terra do Sol nascente}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
Nos últimos séculos foi influenciada pela [[Europa]] e pelos [[Estados Unidos]]. Através dessas influências, gerou um complexo próprio de [[arte]]s, [[artesanato|técnicas artesanais]] como [[bonecas]] e objectos lascados e [[cerâmica]] ([[bonsai]], ''[[origami]]s'') e outras artes com papel, (''[[ikebana]]''), [[espetáculo]]s e [[dança]]s (''[[bunraku]]'', ''[[kabuki]]'', ''[[noh]]'', ''[[rakugo]]'', ''[[shibu]]'', ''[[Yosakoi Soran]]'') e [[tradição|tradições]] e [[jogo]]s (''[[onsen]]'', ''[[sento]]'', [[cerimónia do chá]]), além de uma [[Culinária do Japão|culinária]] única.<ref name=CULI/>
[[Imagem:KotoPlayer.jpg|thumb|Masayo Ishigure tocando um [[koto]] de treze cordas.]]
 
A música do Japão também é eclética, emprestando instrumentos, escalas e estilos de culturas vizinhas. Muitos instrumentos como o ''[[koto]]'', foram introduzidos nos séculos IX e X. O acompanhamento do ''[[noh]]'' data do {{séc|XIV}} e a popular tradicional música com o ''[[sangen|shamisen]]'' do XVI. A música ocidental, introduzida em fins do {{séc|XIX}}, agora é parte da cultura. O Japão do pós-guerra foi muito influenciado pela música contemporânea dos Estados Unidos e da Europa, o que levou ao desenvolvimento do estilo japonês chamado [[J-pop]] (música popular japonesa) e música [[Enka]] (música tradicional japonesa).<ref>The Observer. [http://observer.guardian.co.uk/omm/story/0,,1550807,00.html J-Pop History]. Visitado em 1 de Abril de 2007</ref> O [[karaokê]] é a prática cultural mais comum.<ref>{{citar web|url=http://madeinjapan.uol.com.br/2006/01/09/karaoke/|titulo=Karaokê|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=UOL|arquivourl=https://web.archive.org/web/20100324122949/http://madeinjapan.uol.com.br/2006/01/09/karaoke/|arquivodata=24 de Março de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
Na dança os japoneses são mais tradicionais, inclusive com uma lenda [[Divindade|divina]] que explica o surgimento da mesma. Suas danças tradicionais originaram-se na [[Antiguidade]], como meios de manifestações, caracterizadas por movimentos leves e de formas peculiares. A primeira de que se tem relato foi a chamada ''kagura'', referente aos deuses da cultura japonesa. Foi a partir destas manifestações religiosas que originaram-se vários outros estilos de dança nacionais. Hoje, a dança tradicional do Japão é chamada de ''Nihon Buyou''.<ref>{{citar web|url=http://www.educacaofisica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=127|titulo=Dança japonesa|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Educação Física}}</ref>
[[imagem:Breakfast_at_Tamahan_Ryokan,_Kyoto.jpg|esquerda|thumb|[[Kaiseki|Culinária Kaiseki]]]]
 
A culinária do Japão é tratada como arte, seja pela forma de misturar os ingredientes, seja pela apresentação dos pratos. Desde 2013, a culinária tradicional japonesa passou a ser considerada Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade pela UNESCO.<ref>{{Citar web|título = Culinária japonesa vira patrimônio imaterial da humanidade|url = http://madeinjapan.uol.com.br/2013/12/09/culinaria-japonesa-vira-patrimonio-mundial-da-humanidade/|obra = Made in Japan|acessadoem = 2015-09-23|arquivourl = https://web.archive.org/web/20150925122911/http://madeinjapan.uol.com.br/2013/12/09/culinaria-japonesa-vira-patrimonio-mundial-da-humanidade/|arquivodata = 25 de Setembro de 2015|urlmorta = yes}}</ref> Na base da gastronomia está o [[arroz]], alimento consumido desde o café da manhã até ao jantar. Para comerem, utilizam os chamados ''[[hashi]]s'' e têm como pratos principais as sopas ou pastas de soja, hortaliças, picles, peixes e carne. Apesar do número limitado, a variedade de pratos é grande. De influência externa, entraram o [[pão]], o ''[[fast-food]]'', o [[hambúrguer]], o frango frito e o curry ao estilo japonês, populares entre os jovens. Como hábito, antes de cada refeição é costume dizer ''itadakimassu'', que significa pedir licença para comer e um agradecimento a quem preparou.<ref name=CULI>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/info_cozinhas_do_mundo_japao.htm|titulo=Cozinha japonesa: delicada obra de Arte|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Correio Gourmet|arquivourl=https://web.archive.org/web/20100116083319/http://correiogourmand.com.br/info_cozinhas_do_mundo_japao.htm|arquivodata=16 de Janeiro de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
Entre os doces destacam-se os ''designs'', feitos também de arroz e feijão. Os doces típicos são chamados ''wa-gashi'' e os ocidentais ''yo-gashi''. Nos ''wa-gashi'', é muito comum ver ingredientes como farinha de arroz, [[feijão-azuqui]] e açúcar. A manteiga e o leite são raramente usados. Já em relação as bebidas japonesas a mais conhecida internacionalmente é o [[saquê]], feito do arroz, que tem 17% de teor alcoólico, e o [[Yakult]], leite fermentado, muito consumido em todo mundo. Em geral, os japoneses bebem [[chá verde]] após as refeições, bebem café preparado ao estilo norte-americano, e consomem [[cerveja]] nacional como a ''Suntory'' e a ''Sapporo''. Recentemente surgiu o ''shochu'' , preparado de álcool e água. No verão, a bebida mais popular é a ''mugicha'', feita de água fria e cevada. [[Vinho]] e [[uísque]] são importados.<ref name=CULI />
[[imagem:Japo Tokyo 0524.jpg|thumb|esquerda|Uma cerimônia antes de um torneio de [[sumô]] em [[Tóquio]]]]
 
Para o povo japonês, a prática do esporte é tão importante, que instituiu-se o Dia do Esporte. Acima da prática do exercício físico, para eles o esporte desenvolve a disciplina, a formação do caráter e incentiva o espírito esportivo. Torcedores entusiasmados, incentivam seus atletas sempre que estes estejam dispostos a darem o melhor de si.<ref name=ESPO>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=36|titulo=Conheça o Japão - Esportes|publicado=PortalJapão|acessodata=3 de Agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101023053014/http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=36|arquivodata=23 de Outubro de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
Os esportes praticados no Japão variam desde os tradicionais, chamados [[budô]], em especial o [[judô]], o [[karatê]], o ''[[kendo]]'' e o [[sumô]], considerado o esporte nacional,<ref>Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e15_sumo.pdf Sumo: Traditional ceremonial beauty and strength]. PDF (487,28 KB). Visitado em 23 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Fundação Japão]]. [http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm Sumô] {{Wayback|url=http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm# |date=20070928083301 }}. Visitado em 27 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Public Broadcasting Service]]. [http://www.pbs.org/independentlens/sumoeastandwest/sumo.html Sumo: East and West]. Visitado em 10 de Março de 2007.</ref> até os esportes Ocidentais tais como o [[basebol]] e o [[futebol]], introduzidos no país após a restauração Meiji e popularizados através do sistema educacional.<ref name="Desporto">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e12_sports.pdf Sports: Promoting health for people and the economy]. PDF (725,81 KB). Visitado em 25 de Junho de 2007.</ref> Outros esportes populares são os de inverno, como ''[[snowboard]]'', esqui e patinação no gelo, além do [[golfe]],<ref>VARCOE, Fred. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp Japanese Golf Gets Friendly] {{Webarchive|url=https://archive.is/20131129002850/http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp# |date=29 de novembro de 2013 }}. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> e do [[automobilismo]] com o [[Super GT]] e a [[Formula Nippon]].<ref>CLARKE, Len. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/623/sports.asp Japanese Omnibus: Sports]{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> Diversos atletas japoneses, em especial do basebol e esportes olímpicos têm notoriedade internacional.<ref name=ESPO />
 
O basebol é um dos esportes populares com mais espectadores no Japão.<ref name="Desporto" /> A [[Nippon Professional Baseball|liga profissional japonesa de basebol]] surgiu em 1936 e foi reformulada para o formato atual em 1950. Ela é formada hoje por doze grupos de todo o país. As competições anuais são vistas por milhões de pessoas.<ref>{{citar web|url=http://www.npb.or.jp/eng/|titulo=NPB - Home|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Nippon Professional Baseball|lingua=inglês}}</ref>
157 383

edições