Abrir menu principal

Alterações

810 bytes adicionados, 17h38min de 4 de dezembro de 2018
Resgatando 3 fontes e marcando 1 como inativas. #IABot (v2.0beta10ehf1)
 
== Características ==
A [[densidade]] do diesel de petróleo é de cerca de 0,853&nbsp;kg/L, que é mais denso que a [[gasolina]] em 12%. Cada litro quando queimado oferece um valor de energético de 35,86 MJ (que também é mais que a gasolina que é de 32,18 MJ) e liberta 2,6&nbsp;kg de [[CO2]].(Também convenientemente expresso na forma de 1 litro/100km = 26.5 g/km [[CO2]] usado para calcular as emissões dos veículos a diesel). Em 2011 [[Motor a diesel|motores turbo a diesel]] conseguem eficiências da ordem 45% entre energia química em energia mecânica (Valor superior aos [[Motor a gasolina|motores a gasolina]] que são 30%)<ref>{{citar web|url=http://www1.eere.energy.gov/vehiclesandfuels/pdfs/basics/jtb_diesel_engine.pdf|titulo=Diesel Engine - The Essencials|autor=U.S. Department of Energy|acessodata=25 de Setembro de 2011|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101121152809/http://www1.eere.energy.gov/vehiclesandfuels/pdfs/basics/jtb_diesel_engine.pdf|arquivodata=21 de Novembro de 2010|urlmorta=yes}}</ref>.
 
== Produção ==
[[Imagem:ProcessoProducaoDiesel.JPG|thumb|120px|Figura 4: Esquema de refinação para produção de óleo diesel.<ref name="Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel."/>]] Na figura 4 é mostrado um desenho esquemático genérico do processo de produção do óleo diesel. A partir do refino do [[petróleo]] obtém-se, pelos processos de [[destilação]] atmosférica, [[craqueamento catalítico fluido]] as frações denominadas de gasóleos, básicas para a produção de óleo diesel<ref name="Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel.">{{citar web|url=http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=90284|autor=Alves, Marcelo Vieira|titulo=Estabilidade e filtrabilidade de óleo diesel.|acessodata=[[20 de Março]] de [[2010]]}}</ref>. Para eliminação de contaminantes (compostos de enxofre e nitrogênio, principalmente) parte dos gasóleos são tratados quimicamente com [[hidrogênio]] no processo denominado [[hidrotratamento]]. Aos gasóleos podem ser agregadas outras frações como a [[nafta]] e o [[querosene]], resultando no produto conhecido como óleo diesel. A incorporação destas frações e de outras obtidas por outros processos de refino dependerá da demanda global de derivados de petróleo pelo mercado consumidor.
 
Estão em desenvolvimento outros processos para a produção de óleo diesel tais como os de produção de [[biodiesel]], diesel sintético e diesel vegetal.<ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana.">[http://www.biodieselbr.com/revista/030/diesel-de-cana.htm Biodieselbr] - Diesel de cana: assobiar e chupar cana. Visitado em 21 de março de 2015.</ref> O diesel sintético é produzido através do [[Processo de Fischer-Tropsch]] (F-T).<ref name="Application of Synthetic">{{citar web|url=http://www1.eere.energy.gov/vehiclesandfuels/pdfs/deer_2005/panel1/2005_deer_schaberg.pdf|autor=Schaberg, Paul|titulo=Application of Synthetic Diesel Fuels.|acessodata=[[21 de Março]] de [[2010]]}}</ref> O diesel vegetal (como o [[diesel de cana-de-açúcar]]) <ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana." /> é produzido a partir de açúcares de origem vegetal. O biodiesel é um [[éster]], já o diesel de cana-de-açúcar, como o diesel mineral, também é um [[hidrocarboneto]] <ref name="Diesel de cana: assobiar e chupar cana." /> do tipo [[farneceno]].<ref>[[Folha de S. Paulo]] - [http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/26165-empresa-do-vale-do-silicio-quer-competir-com-biodiesel-de-soja.shtml Empresa do Vale do Silício quer competir com biodiesel de soja.] Tatiana Freitas, 16 de fevereiro de 2012. Visitado em 21 de março de 2015.</ref> Aplicações a partir de uma diversidade de matérias primas estão em curso para a produção do [[gás de síntese]] tais como: gás natural, biomassa e carvão<ref name="Green diesel">{{citar web|url=http://www.senternovem.nl/mmfiles/28277_tcm24-124223.pdf|autor=Boerrigter, Harold et al|titulo=Green Diesel from Biomass via Fischer-Tropsch synthesis - New Insights in Gas Cleaning and Process Design.|acessodata=[[21 de março]] de [[2010]]}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>.
 
== No Brasil ==
O óleo diesel rodoviário é classificado como do tipo A (sem adição de [[biodiesel]]) ou do tipo B (com adição de biodiesel).
 
A Resolução da [[Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis|ANP]] nº 42<ref name="RANP 42 - 2009">{{citar web|url= http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2009/dezembro/ranp%2042%20-%202009.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=|autor= ANP|titulo= RESOLUÇÃO ANP Nº 42, de 16 de dezembro de 2009|acessodata= [[04 de Março]] de [[2010]]|arquivourl= https://web.archive.org/web/20120103131355/http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2009/dezembro/ranp%2042%20-%202009.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=|arquivodata= 3 de Janeiro de 2012|urlmorta= yes}}</ref> apresenta a seguinte nomenclatura para o óleo diesel rodoviário:
 
:"Art. 3º Fica estabelecido, para feitos desta Resolução, que os óleos diesel A e B deverão apresentar as seguintes nomenclaturas, conforme o teor máximo de enxofre:
 
=== Mudança de padrão ===
A Resolução 315<ref>[http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=337 Resolução CONAMA nº 315, de 29 de outubro de 2002]</ref> do [[Conselho Nacional do Meio Ambiente]] (CONAMA), assinada em 2002, dispõe sobre a nova etapa do [[Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores]] (PROCONVE), mas, ao contrário do que se tem divulgado na imprensa brasileira, não cita o total de partes por milhão (ppm) de enxofre para o diesel. A especificação da qualidade do combustível somente ocorreu com a publicação da Resolução 12<ref>[{{Citar web |url=http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2007/outubro/ranp%2032%20-%202007.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=$nc=5511 |titulo=Resolução ANP Nº 32, de 16 de outubro de 2007] |acessodata=8 de Dezembro de 2008 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20081201120138/http://nxt.anp.gov.br/NXT/gateway.dll/leg/resolucoes_anp/2007/outubro/ranp%2032%20-%202007.xml?f=templates$fn=document-frame.htm$3.0$q=$x=$nc=5511 |arquivodata=1 de Dezembro de 2008 |urlmorta=yes }}</ref> da [[Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis]] (ANP), em outubro de 2007.
 
Em nota técnica, o [[Ministério do Meio Ambiente (Brasil)|Ministério do Meio Ambiente]] informou que "o descumprimento da Resolução Conama 315 por parte das indústrias será resolvido no âmbito do Ministério Público ou do Poder Judiciário"
330

edições