Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
}}
 
A '''Estação Ribeirão Pires - Antônio Bespalec''' é uma [[estação ferroviária]], pertencente à [[linhaLinha 10 da CPTM|Linha 10–Turquesa]] da [[Companhia Paulista de Trens Metropolitanos|CPTM]], localizada no [[município]] de [[Ribeirão Pires]] estando a 751 metros de altitude.
 
== História ==
No dia 28 de Junho de 1861, Antonio José de Moraes vendeu parte do Sítio Ribeirão (dos)Pires à ferrovia. Este por sua vez havia pertencido a José Alves Siqueira falecido em 1845 e a sua viúva Francisca Alves Bicudo. Foi nesta área onde mais tarde foi construído o Armazém e a Estação. Em 16 de Fevereiro de 1867 com a ligação São Paulo-Santos a estrada de ferro inaugurou o tráfego provisório ficando a atual cidade de Ribeirão Pires como ponto estratégico de parada para abastecimento de água das locomotivas movidas a vapor. O ramal ferroviário existente entre Rio Grande da Serra e Suzano já havia sido projetado em 1862 pelo Engº M.D. Fox o idealizador dos planos inclinados da serra. O traçado idealizado é o mesmo do existente atualmente ligando Rio Grande a Mogi das Cruzes passando pelo território de Ribeirão Pires ramal ainda ativo para o transporte de cargas. Mas a estação Ribeirão Pires foi inaugurada apenas em 1º de Março de [[1885]]. A estação funcionava ao lado da atual, num prédio ainda existente, o Armazém. Em torno da estação já havia alguns italianos mas os sitiantes eram de predominância germânica e as atividades que predominavam eram o das olarias e extração de madeira, mas criou-se, em fevereiro de [[1887]], a Colônia dos Imigrantes Italianos.<ref>{{citar web |url=http://www.historiaearte.net/ribeirao |publicado=Historiaearte.net |obra= |autor= |título=Site "História e Arte" explicando a história da estação |data= |acessodata= |língua= }}</ref>
 
A vila em torno da estação cresceu bastante e se tornou [[município]] em [[1953]]. Assim como a de Rio Grande da Serra, a estação ainda é a mesma do início do século. Hoje atendem aos trens metropolitanos da [[Companhia Paulista de Trens Metropolitanos|CPTM]].
 
Em 2016, o nome da estação foi alterado para ''Estação Ribeirão Pires - Antônio Bespalec'' em homenagem Antônio Bespalec, arquiteto, urbanista e secretário de Meio Ambiente na gestão do ex-prefeito da cidade Clóvis Volpi. Bespalec faleceu em 2008.<ref>http://jornalmaisnoticias.com.br/justa-homenagem/ Justa homenagem - Jornal Mais Notícias</ref>
|align="center"|Laterais
|align="center"|Superfície
|align="center"|Estação original da [[São Paulo Railway|SPR]]
|}
</center>
{{legenda|gray|Plataforma}}
|linhas=
'''Plataforma 1 e 2:''' [[Linha 10 da CPTM|Linha 10 - Turquesa10–Turquesa]] da [[Companhia Paulista de Trens Metropolitanos|CPTM]]<br />
'''Via a:''' Sentido Brás ''(Embarque e desembarque)''<br>
'''Via b:''' Sentido Rio Grande da Serra ''(Embarque e desembarque)''<br>
! align="center" | Funcionamento da estação
|-
|bgcolor="#40E0D000CED1" align="center" style="color:white"|[[Linha 10 da CPTM|<font color="#FFFFFF">'''10'''<br /><small>Turquesa</small></font>]]
|align="center"|[[Estação Brás|Brás]] ↔ [[Estação Rio Grande da Serra|Rio Grande da Serra]]
|align="center"|13
{{Começa caixa}}
{{Caixa de sucessão|
|título = [[Linha 10 da CPTM|Linha 10 - Turquesa10–Turquesa]] da [[Companhia Paulista de Trens Metropolitanos|CPTM]]
|anos = '''Ribeirão Pires - Antônio Bespalec'''
|antes = [[Estação Guapituba (CPTM)|Guapituba]]<br /><small>Distância: 4.538 metros</small>
}}
{{Caixa de sucessão|
|título = [[Estrada de Ferro Santos-Jundiaí]] da [[São Paulo Railway|SPR]]
|anos = '''''Ribeirão Pires'''''<br /><small>'''Km 45,500'''</small>
|antes = [[Estação Mauá (CPTM)|''Pilar'']]<br /><small>Linha-tronco</small>