Diferenças entre edições de "Maria I de Portugal"

40 bytes adicionados ,  03h08min de 14 de dezembro de 2018
Melhora na frase
(A craseado)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(Melhora na frase)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Mentalmente instável, desde 10 de fevereiro de [[1792]] foi obrigada a aceitar que o filho tomasse conta dos assuntos de Estado. Obcecada com as penas eternas que o pai estaria sofrendo no inferno, por ter permitido a [[Sebastião José de Carvalho e Melo|Pombal]] perseguir os [[Companhia de Jesus|jesuítas]], o via como "um monte de carvão calcinado".
 
Para tratá-la veio de Londres o Dr. Willis, [[psiquiatra]] e médico real de [[Jorge III do Reino Unido|Jorge III]], enlouquecido em 1788, mas de nada adiantaram seus "remédios evacuantes". [[File:4 escudos en or à l'effigie de Marie I et Pierre III, 1785.jpg|thumb|right|Moeda com as efígies de Maria I e Pedro III|306x306px]]Em [[1799]], sua instabilidade mental se agravou com os lutos pelo seu marido [[Pedro III de Portugal|Pedro III]] (1786) e seu filho, o príncipe herdeiro [[José, Duque de Bragança|José]], [[Duque de Bragança]], [[Príncipe da Beira]], [[Príncipe do Brasil]], morto aos 27 anos (1788), a marcha da [[Revolução Francesa]], e execução do Rei [[Luís XVI de França]] na [[guilhotina]]. ePor isso, João, oseu filho e herdeiro, Joãoque assumiufuturamente ase regência :tornaria [[João VI de Portugal|João VI]] de Portugal, assumiu a regência.
 
=== Ida para o Brasil ===
152

edições