Abrir menu principal

Alterações

270 bytes removidos ,  18h10min de 16 de dezembro de 2018
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de Alessandro Blassioli Barbosa (especulativa, não atende a WP:VPV), com Reversão e avisos
No [[século XV]], os [[Espanha|espanhóis]] e outros europeus trouxeram [[cavalo]]s para as Américas e alguns destes animais escaparam e começaram a reproduzir-se livremente. Ironicamente, o cavalo tinha originalmente evoluído nas Américas, mas extinguiu-se na última [[idade do gelo]]. A reintrodução do [[cavalo]] teve um profundo impacto nos nativos americanos das [[Geografia dos Estados Unidos|Grandes Planícies]] da América do Norte, permitindo-lhes expandir os seus territórios, trocar produtos com tribos vizinhas e [[caça]]r com mais eficiência.{{carece de fontes|data=junho de 2017}}
 
Os europeus também trouxeram com eles [[doença]]s contra as quais os nativos americanos não tinham [[imunidade]], tais como a [[varicela]] e a [[varíola]] que, muitas vezes são fatais para estas pessoas. É difícil estimar a percentagem de nativos americanos mortos por estas doenças, mas alguns historiadores estimam que cerca de 80% da população de algumas tribos foi extinta pelas doenças europeias. Do ponto de vista do socialismo existe umaA dívida histórica dos colonizadores para com os povos nativos sendo que está seriaé imensa. Cresce a discussão sobre formas de compensação pelos danos causados e outros assuntos indígenas, a nível internacional, como atesta o grande número de organizações que se dedica ao tema, por exemplo: International Work Group for Indigenous Affairs; Cultural Survival; Abya Yala Net – NativeWeb; Native Americans e Australian Institute of Aboriginal and Torres Strait Islander Studies. Entretanto a maioria dos defensores desta teoria na prática não oferecem exemplos de sacrifício próprio de seus bens materiais para compensar os povos oprimidos, querendo delegar esta dívida aos governos.
 
===Tabus e crenças alimentares ===