Abrir menu principal

Alterações

33 bytes removidos, 15h14min de 31 de dezembro de 2018
m
Foram revertidas as edições de 187.79.93.252 para a última revisão de Pedro Jorge Nunes da Costa, de 21h10min de 26 de dezembro de 2018 (UTC)
==Cronologia==
* 1984: [[Luiz Gonzaga]] introduz no seus discos bateria, guitarra, baixo e outros instrumentos elétricos. (Ainda dentro dos padrões do forró original)
* 1990-19941995: [[Mastruz com Leite]], Banda Aquárius, Cavalo de Pau, Mel com Terra e [[Banda Styllus]] são as primeiras do nordeste a difundir o novo conceito de forró, cujas canções falavam de [[vaquejada]];
* 19951996-1998: Bandas como Noda de Cajú, [[Magníficos]], [[Calcinha Preta]], [[Limão com Mel]], [[Banda Líbanos]] e [[Caviar com Rapadura]] introduzem uma linha mais romântica no forró e exportam o ritmo para fora do Nordeste, se apresentando em programas da mídia de massa de São Paulo, a exemplo de [[Raul Gil]], gerando imenso mercado para a música com base no acordeon.
* 1999-2003: A banda [[Brasas do Forró]] vem com o estilo forronerão, que mescla forró com elementos do sul do país. Surgimento de novas bandas como Cheiro de Menina, Forró Saborear, Aviões do Forró e Gatinha[[Garota manhosaSafada]]. Surge também o [[forró universitário]] com o [[Falamansa]], com a volta do puro [[forró pé-de-serra]].
* 2004-20102008: O forró muda radicalmente. Suas letras, que antes falavam de amor e de vaquejadas, dão mais espaço ao apelo sexual e ao consumo de álcool. Cresce acentuadamente o número de novas bandas e das canções de duplo sentido.
* 20112009-Atualmente: [[Wesley Safadão]] e [[Aviões do Forró]] são as referências do novo modelo de forró contemporâneo, já totalmente fora dos padrões do forró original.
 
== Ver também ==