Abrir menu principal

Alterações

m
== Turbo ''Flutter'' ==
[[Ficheiro:Toyota 1JZ Turbo Flutter.ogg|miniaturadaimagem|Barulho feito pelo turbo ''flutter'' em um motor Toyota 1JZ]]
Como foi dito anteriormente, o turbocompressor trabalha utilizando os gases do escape para girar uma turbina que está ligada a um compressor através de um eixo, seja ele um eixo com buchas, ou com rolamentos, esta segunda conhecida popularmente como turbina roletada. Sendo assim, neste mecanismo, quando o turbocompressor gera pressão positiva, numa determinada rotação do motor, o compressor manda ar comprimido para os cilindros através da admissão. Em um determinado momento, o condutor retira o pé do acelerador, fechando assim a borboleta, fazendo com que o ar pressurizado pare de entrar na admissão. Em alguns sistemas, a válvula ''wastegate'' controla a pressurização a partir da turbina, na caixa quente, enquanto em outros sistemas, a válvula de prioridade manda o ar pressurizado para à atmosfera. No sistema do turbo ''flutter'', não há nenhum mecanismo de alívio de pressão, logo, todo o ar pressurizado fica contido no sistema de pressurização. No momento em que a borboleta fecha, o compressor ainda está gerando pressão positiva, porém, como não há nenhuma escape para o ar pressurizado, todo o sistema de pressurização fica cheio. No decorrer desta situação, em um determinado momento, a pressão contida no sistema se torna maior do que a pressão gerada pelo compressor, fazendo com que o ar volte para o compressor e saia pela admissão de ar do turbo. Esse evento acaba por fazer um barulho característico (''zu-tu-tu-tu-tu''), que é o ar passando pelas pás do compressor. O som característico do turbo ''flutter'' fica mais alto se o sistema de pressurização contar com um ''intercooler'' e com um filtro de ar na admissão do compressor. O turbo ''flutter'' também é capaz de diminuir o turbo ''lag'', visto que o sistema fica cheio de ar pressurizado enquanto a borboleta se mantém fechada. Quando ela é aberta, há a entrada desta pressão positiva para a admissão do motor, diminuindo o tempo que o compressor levaria para ganhar pressão positiva novamente.
 
Um problema presente no turbo ''flutter'' é o maior desgaste da turbina, visto que quando o ar pressurizado volta pelo compressor. Há uma freada brusca no turbo, forçando assim o eixo. Mesmo que não haja uma contrapressão no turbo, pois, os gases de escape não estarão mandando energia suficiente para gerar uma contrapressão, ainda assim vai haver um desgaste no eixo. Outros componentes também podem ser danificados, como o sistema de pressurização e a borboleta de admissão, por exemplo. Devido a este fator, o turbo ''flutter'' é mais usado em pistas, devido à diminuição (que não é uma diminuição significativa, porém, qualquer ganho na pista é considerado) do turbo ''lag''. Nas ruas esse sistema também é utilizado por causa do barulho que o turbo ''flutter'' faz.
13

edições