Abrir menu principal

Alterações

m
ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script, ​→‎Aposentadoria do personagem Borat
 
Sasha reviveu o personagem Borat em dezembro de 2015 no ''[[talk show]]'' [[Jimmy Kimmel Live!]] para estrelar o novo trailer de seu novo filme ''Grimsby'' lançado em 2016.<ref>{{citar web|título=Borat Premieres the New Trailer for "The Brothers Grimsby"|url=https://www.youtube.com/watch?v=hcH0gPaMay8}}</ref>
 
==Controvérsias==
===Respostas dos participantes===
Após o lançamento do filme, Dharma Arthur, produtora de notícias da WAPT em [[Jackson (Mississippi)|Jackson, Mississippi]] escreveu uma carta à Newsweek dizendo que a "presença de Borat" na emissora a levou a perder o emprego: "Por causa dele, meu chefe perdeu a fé em minhas habilidades e depois parece que adivinhei que iria perder o cargo [...] As pessoas não sabem o quão perturbador é que um homem que deixa tanto mal em seu caminho seja elogiado como um gênio cômico." Embora Arthur tenha dito inicialmente que havia sido mandada embora, ela disse à [[Associated Press]] que se demitiu da estação.<ref>Carlson, Erin (13 November 2006), [https://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/11/13/AR2006111300329.html 'Borat' Victims Upset at Being Duped], ''washingtonpost.com''</ref>
 
Na cobertura de notícias que foi ao ar em janeiro de 2005 sobre as filmagens da cena do rodeio, Bobby Rowe, organizador do rodeio de [[Salem (Virgínia)|Salem, Virgínia]], que foi retratado no filme, forneceu informações sobre como ele havia se tornado vítima de uma [[Embuste|farsa]]. Rowe disse que "meses" antes da aparição de Borat, ele havia sido abordado por um funcionário de "uma empresa americana de cinema sediada na Califórnia que estava fazendo um documentário sobre um imigrante russo"; ele concordou em permitir que o "imigrante" cantasse o hino nacional dos Estados Unidos depois de ouvir uma fita.<ref name="Rodeo"/> Após o lançamento do filme, Bobby disse "Algumas pessoas veem o filme e dizem: 'Ei, você fez uma grande atuação'; eu fiz posso ter feito uma boa atuação, mas não foi do jeito que eu queria."<ref>{{citar jornal|url= http://www.timesdispatch.com/servlet/Satellite?pagename=RTD/MGArticle/RTD_BasicArticle&cid=1149191431187 |título= 'Borat' roped in Va. crowd|data=24 de outubro de 2006|autor =Kremer, Aaron |obra= excerpt-[[The Birmingham News]]|publicado= Richmond storyID=3544|acessodata=17 de março de 2007|datali=março de 2012}}</ref> Cindy Streit, consultora de etiqueta de Borat, posteriormente contratou a renomada advogada Gloria Allred, que exigiu que o Procurador Geral da Califórnia investigasse as fraudes supostamente cometidas por Baron Cohen e pelos produtores do filme.<ref>{{citar jornal|último = Sweetingham |primeiro = Lisa |título= Etiquette expert is latest to lash out at 'Borat' creator, claiming humiliation |publicado= [[Court TV]] | url = http://www.courttv.com/people/2006/1116/borat_ctv.html |acessodata=17 de novembro de 2006 |urlmorta= sim|arquivourl= https://web.archive.org/web/20061120083559/http://www.courttv.com/people/2006/1116/borat_ctv.html |arquivodata=20 de novembro de 2006 | df = dmy-all }}</ref>
 
O site [[Salon.com]] cita os ''Behars'' (o casal judeu que cede sua hospedagem domiciliar para Borat e Azamat no filme) chamando o longa de "excelente", referindo-se a Baron Cohen como "muito adorável e muito educado" e um "gênio".<ref name="Salon"/> O [[The Boston Globe]] entrevistou o casal, dizendo que eles consideravam o filme mais antimuçulmano do que anti-semita e temiam que Baron Cohen e seu grupo de produtores estivessem filmando uma [[pornografia]] escondidos na casa.<ref>{{citar jornal|url= http://www.boston.com/ae/movies/articles/2006/11/18/duped_by_borat_couple_rises_above_insults_and_has_a_laugh/ |título=Duped by Borat, couple rises above insults and has a laugh |obra=[[Boston Globe]]|data=18 de novembro de 2006|acessodata=17 de março de 2007 |primeiro1 =Joseph P. |último1 =Kahn}}</ref>
 
O grupo de Feministas Veteranas da América (conhecido pela sigla VFA) sentiram-se lesadas, tendo "percebido que algo estranho estava acontecendo" antes e durante a entrevista com Borat. O [[The Guardian]] mais tarde relatou que apenas uma das mulheres do grupo achava que o filme valia a pena ser visto nos cinemas.<ref>{{citar jornal|autor = Toms, Katie|título=Oh, Borat, you Bounder |url=http://film.guardian.co.uk/features/featurepages/0,,1934068,00.html|publicado= The Guardian|obra= Guardian.com|data=29 de outubro de 2006|acessodata=17 de março de 2007 |local=London}}</ref>
 
O [[New York Post]] havia relatado em novembro de 2006 que Pamela Anderson pediu o divórcio de seu marido, [[Kid Rock]], depois que ele reagiu desfavoravelmente ao filme durante uma exibição. O artigo do jornal citou especificamente que ele teria sobre o papel de Pamela no filme para ela: "Você não passa de uma puta! Você é uma vagabunda! Como você pôde fazer esse filme?"<ref>{{citar jornal|primeiro =Amy|último =Bonawitz|url=http://www.cbsnews.com/stories/2006/11/28/entertainment/main2211673.shtml |título=Did 'Borat' Cause Pam And Kid's Split? |obra=[[CBS]]|data=28 de novembro de 2006|acessodata=1 de setembro de 2010}}</ref> Em uma entrevista no ''The Howard Stern Show'', Pamela Anderson admitiu que Rock estava chateado por sua aparição no filme, mas não confirmou que esta havia sido a causa da separação.<ref>{{citar web| url = http://www.hollywood.com/news/Anderson_Kid_Rock_Was_Unhappy_About_Borat/3600336 |título= Anderson: "Kid Rock Was Unhappy About 'Borat'" |obra= Hollywood.com |data=18 de dezembro de 2006 |acessodata=17 de março de 2007 }}</ref>
 
===Ações legais dos figurantes===
Os aldeões de Glod, na [[Romênia]], entraram com uma ação legal contra os produtores de ''Borat'', reclamando que eles foram enganados sobre a natureza das filmagens e que eles teriam sido retratados como incestuosos e [[Ignorância|ignorantes]]. Alguns afirmaram que foram pagos por apenas três [[Leu romeno|leus]] (equivalente a cerca de US$ 1,28 em 2004) cada, enquanto outros afirmaram que receberam apenas entre US$ 70 e US$ 100 cada, o que não cobriu suas despesas;<ref name="killborat"/> eles pediram 38 milhões de dólares de indenização por [[danos morais]].<ref name="kill"/> Uma ação foi rejeitada pela juíza distrital dos EUA, [[Loretta A. Preska]], em uma audiência no início de dezembro de 2006, alegando que as alegações da denúncia eram muito vagas.<ref>{{citar web|autor = |url=http://abclocal.go.com/wabc/story?section=entertainment&id=4825647 |título=NYC Judge Questions Viability Of Villagers' 'Borat' Lawsuit |publicado=Abclocal.go.com |data=5 de dezembro de 2006 |acessodata=12 de julho de 2009}}</ref>
 
Dois dos alunos da fraternidade da Universidade da Carolina do Sul que apareceram no filme, Justin Seay e Christopher Rotunda, processaram os produtores, alegando [[difamação]].<ref name = "BBC-sueBorat">{{citar jornal|url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/entertainment/6136944.stm |título=US students sue over Borat film|data=10 de novembro de 2006|obra= BBC News|acessodata=17 de março de 2007}}</ref><ref name = "esuit"/><ref name = "smokinggun-Bamboozled">{{citar web|url=http://www.thesmokinggun.com/archive/1113061borat1.html |obra=[[The Smoking Gun]]|título= Bamboozled By Borat?|data=13 de novembro de 2006|acessodata=17 de março de 2007}}</ref> Os estudantes também solicitaram uma liminar para impedir o lançamento em [[DVD]] do filme, que lhes foi negado.<ref name = "BBC-sueBorat"/><ref name="esuit">Finn, Natalie. [http://www.eonline.com/uberblog/b54467_judge_nixes_borat_suit.html Judge Nixes Borat Suit]. E! Online 21 February 2007. Retrieved on 2007-03-07.</ref><ref name = "smokinggun-Bamboozled"/><ref>[http://news.bbc.co.uk/2/hi/entertainment/6171305.stm Borat 'victims' fail to block DVD]. ''BBC News'', 12 December 2006. Retrieved on 2007-03-07.</ref>
 
Outro processo foi aberto por um morador da [[Carolina do Sul]] que disse ter sido abordado por Baron Cohen no banheiro de um restaurante no centro da cidade de [[Colúmbia (Carolina do Sul)|Columbia]], onde o ator supostamente teria feito comentários a respeito dos órgãos genitais do indivíduo. O processo também pediu que qualquer material que contasse com a presença desse morador fosse excluído de qualquer lançamento em DVD e impedido de ser postado em sites de vídeos da Internet.<ref>{{citar jornal|primeiro = |último = |autorlink = |coautor= |título= S.C. man sues after deleted ''Borat'' bathroom scene appears on cable, Internet|url= http://www.jacksonville.com/apnews/stories/121206/D8LVEVMG1.shtml|obra= Florida Times-Union|agência= Associated Press|data=12 de dezembro de 2006|acessodata=13 de abril de 2007|urlmorta= sim|arquivourl= https://web.archive.org/web/20070128174448/http://www.jacksonville.com/apnews/stories/121206/D8LVEVMG1.shtml|arquivodata=28 de janeiro de 2007|df= dmy-all}}</ref>
 
A cantora romena-macedônia Esma Redžepova processou os produtores do filme, pedindo [[Euro|€]] 800.000 alegando que a música de sua autoria ''Chaje Šukarije'' teria sido usada no filme sem sua autorização.<ref>[http://www.bbc.co.uk/macedonian/news/story/2006/12/061207_borat.shtml Можна нова тужба за Борат]. BBC Macedonian, 7 December 2006. Retrieved on 2007-3-19.</ref><ref>[http://www.theage.com.au/news/entertainment/singer-set-to-sue/2006/12/16/1166162360105.html Macedonian songstress to sue 'Borat' filmmakers.] The Age, 16 December 2006. Retrieved on 2007-3-19.</ref> Após processo movido na justiça, Redžepova ganhou uma indenização de € 26.000, uma vez que Baron Cohen havia sido liberado pela produtora da cantora para usar a música, sendo que a artista não tinha sido notificada.<ref>{{citar web|url=http://www.makfax.com.mk/en-Us/Details.aspx?itemID=7503 |título=Esma wins lawsuit against Sacha Kohen |publicado=makfax.com.mk |data=29 de julho de 2009 |acessodata=30 de julho de 2009 |datali=abril de 2017}}</ref>
 
Felix Cedeno, um americano de 31 anos, tentou processar a [[20th Century Fox]] pedindo US$ 2,25 milhões depois que ele foi filmado na cena onde Borat deixou cair sua galinha de estimação dentro de um vagão do [[metrô de Nova York]], todavia Cedeno desistiu do processo posteriormente e não recebeu nada.<ref>{{citar web|url=http://www.chortle.co.uk/news/2007/07/11/5519/writs_go_crackers |título=Writs go crackers: Borat sued yet again|publicado=Chortle.co.uk |data= |acessodata=12 de julho de 2009}}</ref><ref name="Past Deadline 2008">{{citar web|título=In New York, One 'Borat' Case Falls, Three to Go | website=Past Deadline |data=11 de fevereiro de 2008 | url=http://reporter.blogs.com/thresq/2008/02/posted-by-mat-5.html |acessodata=5 de fevereiro de 2017}}</ref>
 
Morador de [[Baltimore]], Michael Psenicska pediu cerca de US$ 100 mil em indenizações por parte de Baron Cohen e da 20th Century Fox. Psenicska, que é professor de matemática do ensino médio e que também é dono de uma [[auto-escola]], teria recebido US$ 500 em dinheiro para dar ao falso jornalista cazaque do Baron Cohen aulas de direção. Em sua ação o instrutor disse que havia sido informado de que o filme era um "documentário sobre a integração de estrangeiros no estilo de vida americano" e que se ele conhecesse a verdadeira natureza do filme jamais teria participado. Psenicska disse que tinha direito a indenização porque os réus usaram imagens dele para anunciar o filme.<ref>{{citar jornal| url = http://news.bbc.co.uk/1/hi/entertainment/7128409.stm |título= Borat's driving instructor sues |publicado= BBC News |data=5 de dezembro de 2007}}</ref> O caso, porém, foi arquivado em 9 de setembro de 2008 no Tribunal Distrital dos Estados Unidos em Manhattan.<ref>{{citar web|url= http://usatoday30.usatoday.com/life/movies/news/2008-09-09-borat-lawsuit_N.htm|título= Glorious NYC lawsuit ruling for ''Borat'' filmmakers|autor =<!--Staff writer(s); no by-line.--> |data=9 de setembro de 2008|website= usatoday.com|publicado= ''[[USA Today]]''|acessodata=12 de fevereiro de 2014}}</ref>
 
Jeffrey Lemerond, que foi mostrado no filme correndo e gritando ao fugir de Borat pelas ruas de Nova York quando este tentou lhe abraçar, entrou com um processo judicial alegando que sua imagem foi usada no filme ilegalmente e que ele sofreu "ridicularização pública, degradação e humilhação" como resultado do lançamento do longa. Este caso também foi arquivado.<ref>{{citar jornal|url=http://news.bbc.co.uk/1/hi/entertainment/7327892.stm |título=Entertainment &#124; Judge dismisses Borat legal case |publicado=BBC News |data=3 de abril de 2008 |acessodata=12 de julho de 2009}}</ref>
 
Baron Cohen reagiu a esses processos dizendo: "Algumas das notificações judiciais que recebo são bastante incomuns, como aquela em que o advogado me informou que eu estava prestes a ser processado por US$ 100 mil e no final dizia: 'PS: Eu amei o seu filme, você poderia assinar um cartaz para o meu filho Jeremy?'".<ref name="kill"/>
 
{{Referências}}
7 409

edições