Diferenças entre edições de "Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian"

+ref de terminação do projeto (talvez se deva eliminar das lig. externas) *ordem correta das referências antes de "ver também" e não no fim
(+ref de terminação do projeto (talvez se deva eliminar das lig. externas) *ordem correta das referências antes de "ver também" e não no fim)
O '''Serviço de Bibliotecas Itinerantes''' (SBI) foi criado pela [[Fundação Calouste Gulbenkian]] em 1958, segundo sugestão de [[Branquinho da Fonseca]] e como seguimento ao projecto de uma biblioteca-circulante iniciado pelo mesmo em 1953 no [[Museu-Biblioteca do Conde Castro Guimarães]], em [[Cascais]], onde na altura exercia funções de conservador-bibliotecário. Almejava abranger todo o território nacional, incluindo os arquipélagos. Tinha como objectivos “promover e desenvolver o gosto pela leitura e elevar o nível cultural dos cidadãos, assentando a sua prática no princípio do livre acesso às estantes, empréstimo domiciliário e gratuitidade do serviço.” .<ref name="NEVES">NEVES, Rui – [http://www.bibliobuses.com/documentos/ruineves.pdf ''As bibliotecas em movimento: As bibliotecas móveis em Portugal''] Comunicação apresentada no “II Congreso de Bibliotecas Móviles”, que decorreu em Barcelona, de 21 a 22 de Outubro de 2005.</ref> O público a quem o serviço se dirigia era principalmente o de menor acesso à educação e cultura, habitando nas regiões mais desfavorecidas e estendendo-se a todas as faixas etárias. Todavia seria entre público mais jovem que teria melhor acolhimento<ref>MELO, Daniel, [http://www.ics.ul.pt/publicacoes/workingpapers/wp2004/WP1-2004.pdf ''Leitura e leitores nas bibliotecas da Fundação Calouste Gulbenkian (1957-1987)'']</ref>. Depois da morte de [[Branquinho da Fonseca]] o serviço passa a ser dirigido pelo escritor [[António Quadros]]. O programa foi extinto em 2002.<ref name="COSTA">COSTA, Rita Neves - [https://observador.pt/especiais/nunca-mais-os-livros-fizeram-tantos-quilometros/ Observador on-line - ''Nunca mais os livros fizeram tantos quilómetros'']</ref>
 
O programa foi extinto em 2002
 
== História ==
A implementação gradual do Programa Nacional de Leitura Pública, a partir de 1987, que visava a construção de bibliotecas de feição mais moderna de acordo com os princípios de Manifesto da UNESCO contribuiu para o decréscimo progressivo do número de efectivos da SBIF que se vinha registando desde o início da década da década, sobretudo dos móveis, que rapidamente se extinguiram<ref name="MELO"/>. Por outro lado muitas das novas biblioteca da Rede Nacional de Leitura Pública começaram a integrar o serviço de biblioteca itinerante. Contudo em muitos dos casos a gradual ausência das bibliotecas itinerantes da Gulbenkian das povoações, não foi colmatada pelos novos serviços móveis, sobretudo nos povoados mais periféricos.
 
Em 1993 o S.B.I.F. passava a S.B.A.L. (Serviço de Bibliotecas e Apoio à Leitura) e em 19 de Dezembro de 2002 era definitivamente extinto.
 
Em 19 de Dezembro de 2002 o projeto foi definitivamente extinto.<ref name="COSTA"/>
 
{{Referências}}
 
== {{Ver também}} ==
*[http://bibliotecasitinerantes.web.simplesnet.pt/index.htm Site dedicado às Bibliotecas itinerantes]
*[http://www.bibliobuses.com/documentos/ruinevesPP.pdf ''Bibliotecas em movimento: as bibliotecas móveis em Portugal'', apresentação de Rui Manuel Neves, com imagens]
 
{{Referências}}
 
[[Categoria:Bibliotecas de Portugal]]
306

edições