Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
Assim que tomou o controle político de toda a região do atual [[Irão|Irã]], Ciro conquistou a [[Reino da Lídia|Lídia]] (reino contra o qual os medos contendiam havia décadas, sem sucesso) e os territórios a leste da Pérsia até o [[Turquestão]], na Ásia Central.
 
Após a [[Queda da Babilónia|conquista de BabilóniaBabilônia]], Ciro é citado num cilindro (o [[Cilindro de Ciro]]) dizendo:
{{quote2|Eu sou Ciro, rei do mundo, grande rei, rei legítimo, rei de [[Império Neobabilônico|Babilônia]], rei da [[Suméria]] e de Acade, rei das quatro extremidades [''da terra''], filho de Cambises, grande rei, rei de Anzã, neto de [[Ciro I]], . . . descendente de Teíspes . . . de uma família [''que''] sempre [''exerceu''] a realeza|<ref>(Ancient Near Eastern Texts [Textos Antigos do Oriente Próximo], J. Pritchard, 1974, p. 316)[[Estudo Perspicaz das Escrituras|it-1]] p. 511 Ciro</ref>}}
 
Em [[539 a.C.]] Ciro conquistou a Babilônia. OsA [[Bíblia|registrosbíblia bíblicossagrada]] informamnos informa em [[Isaías]] 45 que Ciro teria recebido uma mensagem divinado SENHOR DEUS que o ordenava a enviar de volta à Judeia todos os [[Judeus]] cativos naquela cidade. Dee qualquerque forma,o foipróprio oDeus iria ajudá-lo. O autor de famosa [[Declaração de Ciro|declaração]] que em [[537 a.C.]] autorizava os judeus a regressar à [[Judeia]], pondo fim ao período do [[Cativeiro Babilónico|Cativeiro Babilônico]]. Em uma noite de 5/6 de outubro de 539 A.C., Ciro acampou em volta de Babilônia com seu exército. Enquanto os babilônicos festejavam, engenhosamente Ciro desviava as águas do Rio Eufrates para um lago artificial. Eles puderam atravessar o rio com a água na altura da cintura e entraram sem lutar, visto que os portões estavam abertos.
 
A Judeia, com posição estratégica nas rotas comerciais do [[Egito Antigo|Egito]], ficou guarnecida por um povo agradecido ao [[xá aquemênida]] e pronta para defendê-lo. A queda da Babilônia ainda lhe rendeu a lealdade dos [[Fenícios]], cuja habilidade naval era admirada pelo mundo conhecido, e que consistiria na base da marinha persa, anos depois, responsável pelas conquistas na [[Trácia]] e as guerras contra os gregos.