Abrir menu principal

Alterações

m
{{subst: não funciona dentro de referências, replaced: 1={{subst:DATA}} }} → data=janeiro de 2019}} (8)
[[Imagem:Atomic_cloud_over_Nagasaki_from_Koyagi-jima.jpeg|thumb|esquerda|Nuvem atômica sobre a cidade de [[Nagasaki]], formada por um dos [[Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki|dois artefatos nucleares lançados sobre o país]] na [[Segunda Guerra Mundial]]]]
 
Em 1947, o Japão aprovou uma nova [[Constituição do Japão|constituição]] [[pacifista]] enfatizando as práticas [[democráticas liberais]]. A [[Ocupação do Japão|ocupação dos Aliados]] terminou pelo [[Tratado de São Francisco]] em 1952 e o Japão foi assimilado como membro das [[Nações Unidas]] em 1956.<ref>{{citar web |url=http://search.japantimes.co.jp/cgi-bin/nn20070306f3.html |titulo='52 coup plot bid to rearm Japan: CIA |autor=Joseph Coleman|data=6/3/2006|publicado=[[The Japan Times]] |acessodata=3/4/2007}}</ref> Internamente, após o fim da Segunda Guerra, o país passou por décadas de recuperação e afirmação: teve um [[Milagre econômico japonês|crescimento econômico espetacular]] até se tornar a segunda maior economia do mundo, devido a investimentos do setor privado na construção de novas fábricas e equipamentos e ao senso coletivo de trabalho, que deram ao país uma taxa de crescimento média anual de 10% por quatro décadas.<ref>{{citar web|url=http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:wC3JGuqJPHYJ:www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/japao/economia-do-japao.php+jap%C3%A3o+nas+d%C3%A9cadas+de+1960+%C3%A0+1980&cd=5&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br|titulo=Rápido Crescimento Econômico|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Portal São Francisco}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref> Estes acordos deveram-se a fatores [[Geopolítica|geopolíticos]], como o medo de que o [[socialismo]] avançasse sobre este país completamente arrasado pela guerra, e culturais, devido ao investimento em educação que formou e preencheu vagas no campo tecnológico.<ref>{{citar web|url=http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml|titulo=Como a Alemanha e o Japão se recuperaram tão rápido depois da Segunda Guerra?|acessodata=6 de agosto de 2010|publicado=Editora Abril|arquivourl=https://web.archive.org/web/20090203114139/http://mundoestranho.abril.com.br/historia/pergunta_287861.shtml#|arquivodata=3 de fevereiro de 2009|urlmorta=yes}}</ref> Esse rápido avanço terminou em meados dos anos 1990 quando o Japão sofreu uma [[Bolha financeira e imobiliária do Japão|grande recessão]]. O crescimento positivo no início do {{séc|XXI}} tem sinalizado uma recuperação gradual.<ref>{{citar notícia |url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/business/5178822.stm |titulo=Japan scraps zero interest rates |publicado=[[BBC News]] Online |data=14/7/2006 |acessodata=28/12/2006}}</ref>
 
Em 11 de março de 2011 o país sofreu o [[Sismo e tsunami de Tohoku de 2011|pior sismo e tsunami já registrado em sua história]]. O terremoto teve uma magnitude de 9,0 na [[escala de magnitude de momento]] e foi agravado por um [[tsunami]], afetando a região nordeste de [[Honshu]], incluindo [[Tóquio]].<ref name="publico1">{{citar web | url=http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295 | título=Tsunami atinge Japão após sismo de magnitude 8,9 | autor=publico.pt | acessodata=11-3-2011 | arquivourl=https://web.archive.org/web/20110314044622/http://www.publico.pt/Mundo/tsunami-atinge-japao-apos-sismo-de-magnitude-89_1484295# | arquivodata=14-03-2011 | urlmorta=yes }}</ref> A área mais afetada pelo tsunami foi a cidade de [[Sendai]], [[região de Tohoku]], devido à proximidade do local onde ocorreu o sismo.<ref name="infoescolasendai">{{citar web|url=http://www.infoescola.com/japao/tsunami-no-japao-2011/|título=Tsunami no Japão (2011) - InfoEscola|autor=InfoEscola|acessodata=20/03/2011}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref> Por conta do sismo, a [[Central Nuclear de Fukushima I]] [[Acidente nuclear de Fukushima I|sofreu sérios danos em seus reatores]] e agora ameaça a população dos arredores com risco de contaminação por [[Radiação|radioatividade]].<ref name="centralnucleardefukushima">{{citar web| url=http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/03/15/risco-de-contaminacao-faz-governo-do-japao-suspender-operacao-de-resfriamento-de-usina-924020375.asp|título=Risco de contaminação faz governo do Japão suspender operação de resfriamento de usina - O Globo|autor=O Globo|acessodata=20/03/2011}}</ref>
 
== Geografia ==
[[Ficheiro:Japan Factory Ship Nisshin Maru Whaling Mother and Calf.jpg|thumb|Uma [[baleia]] e um filhote sendo carregados para dentro de um [[barco-fábrica]], o ''[[Nisshin Maru]]''.]]
 
Em 2010, o país que contribui para o desmatamento fora de seu território, em nações de florestas tropicais, por exemplo, comprometeu-se a reduzir o desmatamento e a degradação ambiental, doando, ao lado de outros países, cerca de 3,5 bilhões de dólares.<ref>{{citar web|url=http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/paises-lancam-parceria-para-preservar-florestas/|titulo=Países lançam parceria para preservar florestas|publicado=Mercado Ético|acessodata=6 de agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110615082434/http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/paises-lancam-parceria-para-preservar-florestas/|arquivodata=15 de Junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref><ref>{{citar web|url=http://pt.mongabay.com/rainforests/0817.htm|titulo=Riquezas em Perigo—Florestas Tropicais Ameaçadas|publicado=Mogabay|acessodata=6 de agosto de 2010}}</ref> Em contrapartida, sua área florestal intacta ou replantada cobre 70% do território nacional, preservação esta comparada apenas aos países escandinavos.<ref>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/roteiros_internacionais_japao_02_o_pais.htm|titulo=Japão - a terra do Sol nascente|publicado=Caderno Japão|acessodata=6 de agosto de 2010}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref>
 
A [[caça à baleia no Japão]] em uma escala industrial começou por volta da década de 1890 quando o país começou a participar da indústria moderna da pesca da baleia, na época uma indústria da qual muitos países participavam.<ref>{{citar web |url=http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html |título=The Truth about "Traditional" Japanese Whaling |primeiro=Paul |último=Watson |publicado=Sea Shepherd France |data=27 de junho de 2006 |acessodata=29 de agosto de 2018 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20130601115117/http://www.seashepherd.fr/news-and-media/editorial-060627-1.html# |arquivodata=1 de junho de 2013 |urlmorta=yes }}</ref> Estas atividades historicamente se estenderam para fora das águas territoriais japonesas. Durante o século XX, o Japão esteve intensamente envolvido na pesca comercial da baleia. Isto continuou até que a moratória da Comissão Internacional da Pesca da Baleia (IWC) entrasse em efeito em 1986. O Japão, no entanto, continuou a caçar baleias usando a previsão de pesquisa científica no acordo.<ref name="bbc.782697">{{citar jornal|url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/782697.stm |primeiro =Alex |último =Kirby |título=Whaling ban set to end |publicado=BBC News |data=11 de junho de 2000 }}</ref> A carne dessas baleias caçadas com propósitos científicos é vendida em lojas e restaurantes.<ref>{{citar jornal|url=http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg |título=Anti-whaling activist faces arrest on arrival in Japan |agência=AFP |data=11 de março de 2010 |urlmorta= sim|arquivodata=31/01/2014|arquivourl=http://web.archive.org/web/20140131045439/http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jXjpaZ912uoeLiMQYgIdg6HsXzTg }}</ref> A prática é uma fonte de conflito entre os países e organizações anti-caça à baleia. Países, cientistas e organizações ambientais contrárias à caça à baleia consideram o programa de pesquisa japonesa como desnecessário e que é uma operação comercial de caça à baleia disfarçada.<ref name="nytimesletter">{{citar web |último1 =Briand |primeiro1 =F |último2 =Colborn |primeiro2 =T |último3 =Dawkins |primeiro3 =R |último4 =Diamond |primeiro4 =J |último5 =Earle |primeiro5 =S |último6 =Gomez |primeiro6 =E |último7 =Guillemin |primeiro7 =R |último8 =Klug |primeiro8 =A |último9 =Konishi |primeiro9 =M |displayauthors =9 |url =http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf |formato =PDF |título =An Open Letter to the Government of Japan on "Scientific Whaling" |obra =New York Times |data =20 de maio de 2002 |arquivourl =https://web.archive.org/web/20070819151058/http://www.baleinesendirect.net/pdf/whaling-letter_to_NY_Times.pdf# |arquivodata =19/08/2007 |acessodata =29/08/2018 |urlmorta =yes }}</ref><ref name="timesonline.co.uk">{{citar jornal|último =Larter |primeiro =Paul |título=Australia condemns bloody killing of whale and calf by Japanese fleet |obra=The Times |local=London |data=8 de fevereiro de 2008 |url=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/world/asia/article3325580.ece }}</ref><ref name="bloomberg.com">{{citar jornal|último =Biggs |primeiro =Stuart |título=Kyokuyo Joins Maruha to End Whale Meat Sales in Japan |publicado=Bloomberg |data=30 de maio de 2007 |url=http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601101&sid=aPhG1CfyPue0}}</ref><ref>{{citar jornal|url=http://www.time.com/time/world/article/0,8599,1686486,00.html |primeiro =Toko |último =Sekiguchi |título=Why Japan's Whale Hunt Continues |obra=Time |data=20 de novembro de 2007 }}</ref>
[[imagem:F-35A from the Japan Air Force.jpg|thumb|Caça [[F-35]] da [[Força Aérea de Autodefesa do Japão]]]]
 
O Japão também enfrenta graves problemas com a [[Coreia do Norte]] acerca de seu programa de [[armamento nuclear]], sequestro de cidadãos japoneses e de testes de mísseis.<ref name="Coreia do Norte">{{citar web|url=http://www.rio.br.emb-japan.go.jp/japanbrief/politica/jb551.htm|titulo=Conversações entre as Seis Nações sobre o Programa Nuclear da Coréia do Norte|publicado=Rio.br.emb-japan.go.jp|acessodata=1 de agosto de 2010}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref> O fortalecimento militar da China é também um motivo de preocupação. Contudo, as Forças de Auto-Defesa do Japão se concentra em tecnologia de ponta, robótica e armas modernas.<ref>Richard Fisher, Jr. [http://www.strategycenter.net/research/pubID.173/pub_detail.asp Japanese Military Technology Advances] {{WebCite|url=https://www.webcitation.org/66yzCcZXL?url=http://www.strategycenter.net/research/pubID.173/pub_detail.asp# |date=20120417034645 |dateformat= }}</ref>
 
A militarização do Japão era restringida pelo Artigo 9 de sua Constituição pós-guerra até julho de 2014,<ref>{{citar web |url=http://actualidad.rt.com/actualidad/view/132642-japon-permite-guerra-extranjero-constitucion|título=Por primera vez en 70 años Japón se legitima para combatir en el extranjero|acessodata=4 de agosto de 2014|data=julho de 2014|obra=[[Russia Today]]|publicado=[[Russia Today]]|língua=es}}</ref> o qual renuncia ao direito de declarar guerra ou ao uso de força militar como meios para a resolução de disputas internacionais, ainda que o governo esteja tentando fazer uma emenda à Constituição através de um referendo.<ref>{{citar web |url=http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/asia-pacific/6652809.stm |título=Japan approves constitution steps |editor=[[BBC]] |data=14 de maio de 2007 |acessodata=15 de Maio de 2007}}</ref>
O Japão é uma das nações líderes nos campos da [[pesquisa científica]], especialmente de [[tecnologia]], [[Máquina|maquinário]] e [[Biomedicina|pesquisa biomédica]]. Cerca de 700.000 pesquisadores dividem um orçamento de 130 bilhões de [[dólar]]es para [[pesquisa e desenvolvimento]], o terceiro maior do mundo.<ref>McDonald, Joe. "China to spend $136 billion on R&D." ''BusinessWeek'' (2006-12-04).</ref> O Japão é líder mundial no domínio da pesquisa científica fundamental, tendo produzido treze [[prêmios Nobel]], quer em [[física]], [[química]] ou [[medicina]],<ref>{{citar web |titulo=Japanese Nobel Laureates |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/nobel.htm/ |acessodata=7 de novembro de 2009}}</ref> três [[Medalha Fields]]<ref>{{citar web |titulo=Japanese Fields Medalists |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm |acessodata=2009-11-07 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100310203313/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/fields.htm/# |arquivodata=10 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref> e um [[Prêmio Carl Friedrich Gauss|Prêmio Gauss]].<ref>{{citar web |titulo=Dr. Kiyoshi Ito receives Gauss Prize |publicado=[[Universidade de Quioto]] |ano=2009 |url=http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm |acessodata=7 de novembro de 2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20100309181805/http://www.kyoto-u.ac.jp/en/profile/intro/honor/gauss.htm/# |arquivodata=9 de março de 2010 |urlmorta=yes }}</ref>
 
Algumas das mais importantes contribuições tecnológicas do Japão são encontrados nas áreas de [[eletrônico]]s, [[automóveis]], [[máquina]]s, [[engenharia sísmica]], [[Robô industrial|robótica industrial]], [[óptica]], [[química]], [[semicondutor]]es e [[Metal|metais]]. Japão é líder do mundo em produção e utilização de robótica, possuindo mais de metade (402.200 de 742.500) de robôs industriais do mundo, usado para a fabricação.<ref>{{citar web | url=http://www.unece.org/press/pr2000/00stat10e.htm | título=The Boom in Robot Investment Continues—900,000 Industrial Robots by 2003 | publicado = United Nations Economic Commission for Europe |data= 2000-10-17| acessodata= 2006-12-28}}</ref> Produziu também o [[QRIO]], [[ASIMO]] e o [[AIBO]]. O Japão é o maior produtor mundial de automóveis<ref>{{citar web |titulo=World Motor Vehicle Production by Country |publicado=[[OICA|oica.net]] |ano=2006 |url=http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf |arquivourl=https://web.archive.org/web/20070807213925/http://www.oica.net/htdocs/statistics/tableaux2006/worldprod_country-2.pdf# |arquivodata=7 de agosto de 2007 |acessodata=2007-07-30 |urlmorta=yes }}</ref> e abriga quatro dos quinze maiores fabricantes de automóveis do mundo e sete dos vinte maiores líderes de vendas de semicondutores atualmente.<ref>{{citar web|url=http://web.infomoney.com.br/templates/news/view.asp?codigo=834421&path=/suasfinancas/|titulo=Japão assume a dianteira e é o maior produtor de carros do mundo|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Info Money}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref>
 
[[imagem:ISS-36 HTV-4 berthing 4.jpg|thumb|esquerda|[[Veículo de Transferência H-II]], próximo à [[Estação Espacial Internacional]], desenvolvido pela [[JAXA]]]]
Na segunda etapa desta reforma, ocorrida a partir de 1997, viu-se o claro objetivo de aumentar a competição no mercado e uma diminuição da regulamentação implementada até então, graças ao acordo junto à [[Organização Mundial do Comércio]]. Todavia, o que se seguiu foi o nascimento da NTT como competidora internacional de telecomunicações.<ref name="telecomunicações">{{citar web|url=http://www2.mre.gov.br/ipri/Rodrigo/Jap%C3%A3o/3%20Cl%C3%A9lia%20Piragibe.rtf|titulo=A política de telecomunicações no Japão|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Seminário sobre o Japão|autor=Piragibe, Clélia|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110609213159/http://www2.mre.gov.br/ipri/Rodrigo/Jap%C3%A3o/3%20Cl%C3%A9lia%20Piragibe.rtf|arquivodata=9 de Junho de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
Desde 1985 que o Japão possui um sistema tronco nacional de telefonia com [[Fibra óptica|fibras óticas]], interconectando diversas cidades ao longo de 3 400 km e com previsão de ampliação devido a flexibilidade do material empregado. Entre as ilhas, utiliza de cabos submarinos. Na telefonia móvel, possuía 90 milhões de usuários em 2005. Em relação a [[televisão]], a nação possui o sistema a cabo (CATV) e para a [[internet]], a rede local de assinantes e a rede integrada digital.<ref>{{citar web|url=http://www.lucalm.hpg.ig.com.br/comunicacoes.htm|titulo=Sistemas de comunicações|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=IG}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref>
 
Na mídia, há grande circulação de jornais e revistas, além de canais de rádio e televisão, que atingem toda a população urbana do país e boa parte da rural. Entre os principais estão o jornal [[Yomiuri Shimbun]], a rádio [[NHK]] e os canais de tv NHK e [[TXN]]. Quase todas as corporações que os veiculam, politicamente, estão divididas em liberal, média e conservadora.<ref>{{citar web|url=http://www.japanesestudies.org.uk/discussionpapers/Gatzen.html|titulo=Media and Communication in Japan|autor=Barbara, Gatzen|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Electronic journal of contemporary japanese studies}}</ref>
A história japonesa produziu uma cultura que mescla influências da tradição chinesa e as formas indianas e ocidentais desde sua arquitetura à sua gastronomia. Primordialmente, o Japão sofreu influência direta da China, em um processo iniciado há cerca de 1 500 anos. O Japão e outros reinos asiáticos eram estados tributários da China desde tempos antigos. No entanto, o Japão parou de enviar tributos à China em 894 d.C. A partir daí, a cultura japonesa desenvolveu-se de forma independente e floresceu numa variedade de campos livremente.<ref>{{harvnb|Vohra|1999|p=22}}</ref>
 
O processo de nacionalização cultural acelerou-se durante os últimos 250 anos anteriores ao que o Japão se manteve isolado, até 1868, quando se abriu para o mundo ocidental com a assinatura do [[Tratado de Kanagawa]].<ref name=CULT>{{citar web|url=http://correiogourmand.com.br/roteiros_internacionais_japao_05_cultura.htm|titulo=A cultura japonesa|acessodata=10 de agosto de 2010|publicado=Japão - terra do Sol nascente}}{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}</ref>
 
Nos últimos séculos foi influenciada pela [[Europa]] e pelos [[Estados Unidos]]. Através dessas influências, gerou um complexo próprio de [[arte]]s, [[artesanato|técnicas artesanais]] como [[bonecas]] e objectos lascados e [[cerâmica]] ([[bonsai]], ''[[origami]]s'') e outras artes com papel, (''[[ikebana]]''), [[espetáculo]]s e [[dança]]s (''[[bunraku]]'', ''[[kabuki]]'', ''[[noh]]'', ''[[rakugo]]'', ''[[shibu]]'', ''[[Yosakoi Soran]]'') e [[tradição|tradições]] e [[jogo]]s (''[[onsen]]'', ''[[sento]]'', [[cerimónia do chá]]), além de uma [[Culinária do Japão|culinária]] única.<ref name=CULI/>
Para o povo japonês, a prática do esporte é tão importante, que instituiu-se o Dia do Esporte. Acima da prática do exercício físico, para eles o esporte desenvolve a disciplina, a formação do caráter e incentiva o espírito esportivo. Torcedores entusiasmados, incentivam seus atletas sempre que estes estejam dispostos a darem o melhor de si.<ref name=ESPO>{{citar web|url=http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=36|titulo=Conheça o Japão - Esportes|publicado=PortalJapão|acessodata=3 de Agosto de 2010|arquivourl=https://web.archive.org/web/20101023053014/http://www.portaljapao.org.br/modules/xt_conteudo/index.php?id=36|arquivodata=23 de Outubro de 2010|urlmorta=yes}}</ref>
 
Os esportes praticados no Japão variam desde os tradicionais, chamados [[budô]], em especial o [[judô]], o [[karatê]], o ''[[kendo]]'' e o [[sumô]], considerado o esporte nacional,<ref>Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e15_sumo.pdf Sumo: Traditional ceremonial beauty and strength]. PDF (487,28 KB). Visitado em 23 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Fundação Japão]]. [http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm Sumô] {{Wayback|url=http://www.fjsp.org.br/guia/cap17_c8.htm# |date=20070928083301 }}. Visitado em 27 de Junho de 2007.</ref><ref>[[Public Broadcasting Service]]. [http://www.pbs.org/independentlens/sumoeastandwest/sumo.html Sumo: East and West]. Visitado em 10 de Março de 2007.</ref> até os esportes Ocidentais tais como o [[basebol]] e o [[futebol]], introduzidos no país após a restauração Meiji e popularizados através do sistema educacional.<ref name="Desporto">Web Japan. [http://web-japan.org/factsheet/en/pdf/e12_sports.pdf Sports: Promoting health for people and the economy]. PDF (725,81 KB). Visitado em 25 de Junho de 2007.</ref> Outros esportes populares são os de inverno, como ''[[snowboard]]'', esqui e patinação no gelo, além do [[golfe]],<ref>VARCOE, Fred. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp Japanese Golf Gets Friendly] {{Webarchive|url=https://archive.is/20131129002850/http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/604/sports.asp# |date=29 de novembro de 2013 }}. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> e do [[automobilismo]] com o [[Super GT]] e a [[Formula Nippon]].<ref>CLARKE, Len. [http://archive.metropolis.co.jp/tokyo/623/sports.asp Japanese Omnibus: Sports]{{Ligação inativa|1data={{subst:DATA}}janeiro de 2019}}. Metropolis. Visitado em 1 de Abril de 2007.</ref> Diversos atletas japoneses, em especial do basebol e esportes olímpicos têm notoriedade internacional.<ref name=ESPO />
 
O basebol é um dos esportes populares com mais espectadores no Japão.<ref name="Desporto" /> A [[Nippon Professional Baseball|liga profissional japonesa de basebol]] surgiu em 1936 e foi reformulada para o formato atual em 1950. Ela é formada hoje por doze grupos de todo o país. As competições anuais são vistas por milhões de pessoas.<ref>{{citar web|url=http://www.npb.or.jp/eng/|titulo=NPB - Home|acessodata=3 de agosto de 2010|publicado=Nippon Professional Baseball|lingua=inglês}}</ref>
28 588

edições