Abrir menu principal

Alterações

m
Foram revertidas as edições de 168.121.26.159 para a última revisão de Chronus, de 21h04min de 15 de janeiro de 2019 (UTC)
 
Para diferenciá-la da [[CNN International]], a divisão norte-americana é por vezes chamada de '''CNN/U.S.'''. Em agosto de 2010, o CNN estava disponível em mais de 100 milhões de residências nos Estados Unidos. A cobertura de transmissão estende-se por mais de 890,000 quartos de hotéis no país.<ref>[http://www.thedeal.com/dealscape/2006/05/this_date_in_deal_history_cnn.php "This date in deal history: CNN begins broadcasting"]. ''Deal Magazine''</ref> A programação global do CNN é feita pela CNN International, que cobre mais de 212 países e territórios. A partir do final de 2010, a versão doméstica do CNN/U.S. passou a ser disponibilizada em [[Televisão de alta definição|alta definição]] para espectadores do [[Japão]] sob o canal [[CNN HD]].<ref>[http://www.timewarner.com/corp/newsroom/pr/0,20812,667801,00.html "CNN is Viewers Cable Network of Choice for Democratic and Republican National Convention Coverage"]. ''Timewarner.com''</ref>
 
Em 14 de Janeiro de 2019, a CNN anunciou que fechou um acordo para licenciar sua marca no [[Brasil]]. A CNN Brasil será controlada por uma empresa liderada por [[Douglas Tavolaro]], ex-diretor de jornalismo da [[RecordTV|Rede Record]]. Segundo a [[Revista EXAME]], o canal quer começar a operar no começo do segundo semestre de 2019, tendo cerca de 400 vagas para jornalistas. Sua sede será em [[São Paulo]], [[Rio de Janeiro|Rio De Janeiro]] e [[Brasília]] e o responsável por sua vinda ao Brasil foi o empresário [[Rubens Menin]], fundador e presidente do conselho da construtora '''[[MRV Engenharia|MRV]].'''<ref>{{Citar web|url=https://exame.abril.com.br/negocios/fundador-da-mrv-vai-trazer-operacao-da-cnn-para-o-brasil/|titulo=CNN terá canal no Brasil e prevê contratação de 400 jornalistas|data=2019-01-14|acessodata=2019-01-15|obra=EXAME|lingua=pt-BR}}</ref> Antes, em 2017, o canal fez parceria com a [[RedeTV!]] e a [[Simba Content]], formada também por [[SBT]] e [[RecordTV]], que não foi pra frente.
 
== Canais ==
* [[CNN en Español]]
* [[CNN International]]
* [[CNN Brasil]] – futuro canal brasileiro, previsto para o segundo semestre de 2019
* [[CNN TÜRK]] – canal [[Turquia|turco]]
* [[CNN-IBN]] – canal [[Índia|indiano]]
* [[Nova Délhi]], [[Índia]]
* [[Paris]], [[França]]
* [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], [[Brasil]] (Breve)
* [[Santiago do Chile]], [[Chile]]
* [[São Paulo (estado)|São Paulo]], [[Brasil]] (Breve)
* [[Seul]], [[Coreia do Sul]]
* [[Sydney]], [[Austrália]]
* [[Tóquio]], [[Japão]]
{{dividir em colunas fim}}
 
=== CNN Brasil ===
Em 14 de Janeiro de 2019, a CNN anunciou que fechou um acordo para licenciar sua marca no [[Brasil]]. A CNN Brasil será controlada por uma empresa liderada por [[Douglas Tavolaro]], ex-diretor de jornalismo da [[RecordTV|Rede Record]]. Segundo a ''[[RevistaExame EXAME(revista brasileira)|Exame]]'', o canal quer começar a operar no começo do segundo semestre de 2019, tendo cerca de 400 vagas para jornalistas. Sua sede será em [[São Paulo]], [[Rio de Janeiro|Rio De Janeiro]] e [[Brasília]] e o responsável por sua vinda ao Brasil foi o empresário [[Rubens Menin]], fundador e presidente do conselho da construtora '''[[MRV Engenharia|MRV]].'''<ref>{{Citar web|url=https://exame.abril.com.br/negocios/fundador-da-mrv-vai-trazer-operacao-da-cnn-para-o-brasil/|titulo=CNN terá canal no Brasil e prevê contratação de 400 jornalistas|data=2019-01-14|acessodata=2019-01-15|obra=EXAME|lingua=pt-BR}}</ref> Antes, em 2017, o canal fez parceria com a [[RedeTV!]] e a [[Simba Content]], formada também por [[SBT]] e [[RecordTV]], que não foi pra frente.
 
== Ver também ==
152 424

edições