Abrir menu principal

Alterações

Ao longo do [[século XIX]], após o maturamento de inovações tecnológicas nos então países hegemônicos, em especial o desenvolvimento do [[transporte ferroviário]], da iluminação a [[gás]] e da [[Barco a vapor|navegação a vapor]], entre outras, todas ligadas ao processo de [[industrialização]]; criaram-se oportunidade para grandes movimentos especulativos, levando a uma aceleração do fluxo de capitais no mundo.{{harvRef|Nassif|2007|p=20-21}}
 
Apesar de um volume considerável de [[Capital (economia)|capital]] nativo ter sido liberado com a proibição do tráfico de escravos em 1850, tendo o [[Barão de Mauá]] lançado as bases no país de um moderno [[sistema financeiro]], ao início do período republicano a economia brasileira ainda se via amarrada, entre outras coisas, por uma legislação econômica restritiva, particularmente por dois dispositivos legais: a "[[Lei dasde Terras",]] de 1850, que dificultava o acesso à posse de terras e imóveis por parte de ex-escravos e [[Imigração|imigrantes]] numa situação onde a agricultura era predominante no país,{{harvRef|Nassif|2007|p=77}}; e a "Lei dos Entraves", de 1860, que amarrava o desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro, que se tornara à época uma espécie de [[Enfiteuse#No Brasil|"feudo cartorial"]] sob o controle de poucas famílias {{harvRef|name="bar22"|Barcellos|2011|p=22 & Introdução (por Ney Carvalho)}}.
 
A especulação era comum, pois bancos estrangeiros recebiam para cobrança todas as letras sacadas dos importadores do Rio de Janeiro e compravam as letras dos exportadores (fazendeiros e intermediários agrícolas), e assim usavam suas reservas em ouro para manipular as cotações nas épocas das safras, garantindo grande margens de lucros. Apesar do grande vulto dessas operações, eram desconhecidas seus efeitos por parte do público menos informado, o que não aconteceria nas especulações com [[ação (finanças)|ações]] e [[debêntures]], com oscilações acompanhadas por diversas classes de investidores.<ref name=Levy />
Utilizador anónimo