Abrir menu principal

Alterações

 
A misantropia costuma aparecer desde logo durante a [[infância]] em [[criança]]s tímidas, introvertidas e caladas que têm dificuldades em fazer amigos, nomeadamente na [[escola]], preferindo muitas vezes ficarem sozinhas. Com o passar dos anos, tendem a ser bastante [[Sarcasmo|sarcásticos]]/[[Ironia|irônicos]] nas observações que fazem (pode-se dizer que em parte a grande timidez é disfarçada por estas duas características) — têm uma interpretação muito própria de tudo aquilo que veem e de tudo aquilo que lhes é dito pelas outras pessoas, sendo bastante observadores e atentos ao que os rodeia, embora, muitas vezes, não o pareça.
 
Um fato notável é que são muito inteligentes, tendem a resolver desafios e enigmas com muita facilidade, já que vivem de um raciocínio puramente lógico embora discreto. Muitos destacam-se por ter uma memória prodigiosa, utilizada como um instrumento de defesa pessoal.
 
Uma das explicações mais consistentes para esta aversão social deriva do fato de darem bastante relevância aos aspectos negativos que constatam nas pessoas ou simplesmente terem [[medo]] que estas os desiludam, daí as evitam. Têm uma forte [[sensibilidade]] ficando extremamente afetados com tudo o que os rodeia (mesmo que muitas vezes não estejam envolvidos diretamente) daí ser muito fácil, ao longo da vida, passarem por várias [[Depressão nervosa|depressões]].
Expressões evidentes de misantropia são comuns em [[sátira]] e [[comédia]], embora a intensa seja geralmente rara. Expressões mais sutis são mais comuns, especialmente para mostrar as faltas/falhas na humanidade e sociedade.
 
É muito importante salientar queFrequentemente o misantropo tem dificuldades em assumir essas características tanto para si mesmo quanto para as pessoas mais próximas. Raros são os casos em que eles refletem acerca da possibilidade da misantropia ser integrante real das suas vidas (estes entram em uma categoria limitada de misantropos), costumando negar a existência desta em todos os casos.<ref>{{Citar livro |autor= R. Howard Bloch, Frances Ferguson |título= Misogyny, Misandry, and Misanthropy |editora= UCLA Press |ano= 1989 |páginas= 235 |id= ISBN 0-520-06544-1 |url= http://books.google.com.br/books?id=8uixZnit2WQC&printsec=frontcover&dq=Misanthropy&hl=pt-BR&sa=X&ei=oD8GU_nsGZOHkQfenIDABg&ved=0CCwQ6AEwAA#v=onepage&q=Misanthropy}}</ref>
 
É importante salientar que os misantropos, ao contrário das restantes pessoas, não consideram a solidão como algo negativo e trágico.
 
Viver sozinho e em constante pensamento é uma forma de entrar em contacto com o seu ‘Eu’ interior e descobrir a verdadeira razão de estar vivo.{{Referências}}
{{Referências}}
 
== Ver também ==
Utilizador anónimo