Diferenças entre edições de "Dialética"

1 byte removido ,  02h15min de 29 de janeiro de 2019
Substituição de "anti-dialética" por "antidialética".
(Pequeno acerto)
(Substituição de "anti-dialética" por "antidialética".)
Após a morte de Marx, Lênin foi um dos [[revolução|revolucionários]] que lutaram contra a deformação da concepção [[marxismo|marxista]] da [[história]]. A partir dos estudos da obra de Hegel, Lênin aplicou os conhecimentos na prática, como na estratégia que liderou a tomada do poder na [[Rússia]], a visão historicista da sociedade, movida por lutas de classe segundo Marx acabariam na mão de Lenin por levar a Rússia a revolução bonchevique.
 
Com a morte de Lênin, vem uma tendência anti-dialéticaantidialética com [[Stálin]], que desprezava a teoria. O que não o afasta das teorias centrais marxistas porém ele chegou a "corrigir" as três leis de Engels, traçando, por cima, quatro itens fundamentais para ele: conexão universal e interdependência dos [[fenómeno|fenômenos]]; movimento, transformação e desenvolvimento; passagem de um estado qualitativo a outro; e luta dos contrários como fonte interna do desenvolvimento.
 
O método dialético nos incita a revermos o passado à luz do que está acontecendo no presente, questionando-o em nome do futuro, o que está sendo em nome do que “ainda não é”. É, por isso, que o argentino [[Carlos Astrada]] define a dialética como “semente de dragões”, a qual alimenta dragões que talvez causem tumulto, mas não uma baderna inconsequente.
Utilizador anónimo