Diferenças entre edições de "Embraer"

467 bytes adicionados ,  15h03min de 2 de fevereiro de 2019
m
Inseri o valor arrecadado com a privatização nos anos 90. Não encontrei respaldo de certas afirmações nas fontes, pelo que marquei sua carência.
m (Inseri o valor arrecadado com a privatização nos anos 90. Não encontrei respaldo de certas afirmações nas fontes, pelo que marquei sua carência.)
Ao iniciar uma parceria com a [[Itália]] em 1981, foi possível elaborar o avião de ataque ar-terra [[AMX International AMX|AMX]], considerado um importante salto tecnológico para a elaboração de novos projetos. Em 1986 Ozires Silva deixou a presidência da empresa para assumir a [[Petrobras]]. Em 1988 teve início o desenvolvimento de um avião binacional que seria projetado e construído tanto pela Embraer, quanto pela [[argentina]] [[Lockheed Martin Aircraft Argentina SA|Fábrica Militar de Aviones]] (FMA). A aeronave teve a designação de [[Embraer/FMA CBA-123 Vector|CBA-123]], sendo CBA a sigla para Cooperação Brasil-Argentina.<ref name=cba123>Embraer S.A. ''[http://www.centrohistoricoembraer.com.br/pt-BR/HistoriaAeronaves/Paginas/CBA-123-Vector.aspx CBA 123 Vector]''. Centro Histórico Embraer: São José dos Campos. Acesso em 8 de fevereiro de 2014.</ref>
 
Em 1990 o primeiro protótipo voou, mas seu alto preço, além da crise econômica e política da época, acabou com o projeto. Um dado curioso sobre a aeronave é a motorização na parte traseira da fuselagem, com as hélices voltadas para trás. O final da [[década de 1980]] foi marcado por uma grande crise financeira que abalou a economia do Brasil e atingiu em cheio a fabricante, que quase fechou.{{Carece de fontes}} Em 1991, [[Ozires Silva]] foi convidado a voltar à presidência da empresa e a conduzir o processo de [[privatização]]. Em 1994, durante o governo de [[Itamar Franco]], a empresa foi leiloada. Com a privatização da empresa, paraa depoisUnião pôde arrecadar cerca de R$ 154 milhões<ref>{{Citar web|titulo=Criada na ditadura, Embraer é privatizada no governo Itamar e vira empresa global|url=https://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/criada-na-ditadura-embraer-privatizada-no-governo-itamar-vira-empresa-global-22254298|obra=Acervo|acessodata=2019-02-02|lingua=pt-br|primeiro=Acervo-Jornal O.|ultimo=Globo}}</ref>. Após a privatização, a empresa passarpassou por um longo processo de reestruturação, e apresentarcom novos projetos que,sendo depoisapresentados. da privatização emEm dezembro daquele mesmo ano, a levariamempresa ase tornar-setornaria a terceira maior empresa mundial no setor.<ref name= ovni>{{citar web|url= https://oglobo.globo.com/economia/o-engenheiro-que-idealizou-embraer-viu-ovnis-4341900|título= O engenheiro que idealizou a Embraer e viu Ovnis|publicado= O Globo|autor= Gilberto Scofield Jr.|data= 17 de março de 2012|wayb= 20171229052134}}</ref>
 
Antes de ser privatizada, a companhia estava à beira da falência e sequer figurava entre as empresas com maior valor de mercado.{{Carece de fontes}} Depois de alguns anos da privatização, passou a ser a terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo.<ref name=folha>''[http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u113669.shtml EMBRAER vai contratar 3.000 funcionários neste ano]''. Folha de S. Paulo et al: São Paulo, 2007. Acesso em 23 de janeiro de 2014.</ref> Em 2013 foi a Empresa do Ano da edição especial ''Melhores e Maiores'' da [[Exame (Brasil)|Revista Exame]], por ter sido a companhia brasileira que mais cresceu em exportações em 2012, 17,6% em relação ao ano anterior, sendo uma das maiores exportadoras do país.<ref name=FAPESP/>
 
Tornou-se uma das mais importantes ''[[blue chip]]s'' negociadas na [[Bovespa]] e distribui [[dividendo]]s a acionistas minoritários e funcionários.<ref name=dividendos>Embraer S.A. ''[http://ri.embraer.com.br/list.aspx?idCanal=7+EETub3/LRHYBppcwFwFg== Histórico de Dividendos Distribuídos]''. Acesso em 23 de janeiro de 2014.</ref> Os novos controladores acionários passaram então a ser os fundos de pensão [[Previ]] e [[Sistel]] (20% cada), a [[Cia. Bozano, Simonsen]] (20%), além de um grupo de investidores com participação acionária menor (total de 20%), composto pela [[Dassault]], [[EADS]], Snecma e Thales Group. Após a privatização, a empresa foi presidida pelo engenheiro [[Maurício Botelho]], que foi substituído em 2007 por [[Frederico Curado]].<ref>{{citar web|url=http://www.centrohistoricoembraer.com.br/pt-BR/HistoriaEmbraer/Paginas/Historico.aspx|titulo=Centro Histórico Embraer|data=|acessodata=|publicado=|ultimo=|primeiro=}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://exame.abril.com.br/negocios/embraer-anuncia-mudanca-inesperada-de-ceo/|titulo=Embraer anuncia mudança inesperada de CEO {{!}} EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira|acessodata=2017-04-04|obra=exame.abril.com.br}}</ref>
71

edições