Sima Qian: diferenças entre revisões

18 bytes adicionados ,  12 de fevereiro de 2019
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de Carlos Luis M C da Cruz para a última revisão de Zoldyick, de 07h25min de 13 de dezembro de 2015 (UTC))
Etiqueta: Reversão
Embora o estilo e forma dos escritos históricos chineses tenham variado ao longo dos tempos, o ''[[Shiji]]'' definiu a qualidade e o estilo a partir de então. Antes de Sima, as histórias eram escritas como certos eventos ou certos períodos da história dos Estados; sua ideia de fazer uma história geral influenciou historiadores posteriores como Zheng Qiao (鄭樵) ao escrever Tongshi (通史) e [[Sima Guang]] (司馬光) quando escreveu [[Zizhi Tongjian]] (資治通鑑). A forma histórica chinesa de dinastia histórica, ou história das dinastias Jizhuanti, foi codificada na segunda história dinástica pela [[Han Shu|História de Han]] (漢書) de [[Ban Gu]] (班固), mas os historiadores consideram a obra de Sima como seu modelo, que se destaca como o "formato oficial" da história da China.
 
Ao escrever o ''Shiji'', Sima deu início a um novo estilo de escrita, apresentando a história em uma série de biografias. Seu trabalho se estende por 130 capítulos — não na sequência histórica, mas foi dividida em assuntos específicos, incluindo [[anais (história)|anais]], [[crônica]]s, [[tratado]]s — em música, cerimônias, calendários, religião, economia e longas biografias. A influência de Sima no estilo de escrita de histórias em outros lugares também é evidente, como por exemplo ''A História da Coreia''.
 
== Figura literária ==