Abrir menu principal

Alterações

Durante o período que antecedeu o [[Dia D]], ele e seu subordinado [[Erwin Rommel]] tiveram várias discussões sobre a melhor maneira de usar as forças blindadas de reserva da Wermarcht em caso de desembarque Aliado, sendo derrotado — nominalmente Rundstedt era o comandante, mas o prestígio de Rommel ofuscava a todos nesta [[época]] da guerra - em suas propostas de uma reserva colocada mais longe da costa de maneira a ser dirigida a qualquer ponto que fosse invadido. Com a invasão e a consequente impossibiidade das tropas alemães de conterem a ofensiva aliada, von Rundstedt instou a Hitler que propusesse um acordo de paz com os [[Aliados]] ocidentais. A resposta do Fuhrer foi destituí-lo novamente do comando e substituí-lo por [[Günther von Kluge]].
 
Em agosto de [[1944]], o general von Kluge suicidou-se e foi substituído por dezoito dias pelo marechal Model, até Rundstedt ser novamente chamado ao dever por Hitler, assumindo pela terceira vez o comando das forças no [[oeste]]. Ele coordenou suas tropas em tempo de enfrentar e derrotar os britânicos na [[Operação Market Garden]], na [[Bélgica]]. No fim do ano, comandou a última ofensiva alemã na guerra, a [[Batalha do Bulge|Batalha das Ardenas]], o contra ataque pela [[neve]] nas florestas das Ardenas em direção ao [[porto]] de [[Antuérpia]], na Bélgica, sendo derrotado e obrigado a cruzar de volta a [[fronteira]] alemã no começo de [[1945]].
 
Em março de 1945 foi pela última vez alijado de um comando militar no [[Frente de batalha|front]], após dizer ao Marechal [[Wilhelm Keitel]], chefe do estado maior da [[Wehrmacht]] e palaciano de [[Hitler]], que a [[Alemanha Nazi|Alemanha]] deveria fazer a paz de qualquer maneira à continuar a lutar uma guerra sem esperança.
Utilizador anónimo