Diferenças entre edições de "Castelo Frankenstein"

2 701 bytes adicionados ,  17h35min de 5 de março de 2019
sem resumo de edição
[[FIle:InnerCastle.jpg|thumb|300px|Castelo Frankenstein, Alemanha.]]
 
O '''Castelo Frankenstein''' localiza-se(em alemão: ''Burg Frankenstein'') é um castelo no distritotopo de uma colina nas montanhas de [[BergstrasseSerra de Oden|Odenwald]], regiãocom administrativavista para a cidade de [[Darmstadt]], estadona Alemanha. Acredita-se que este foi o castelo de serviu de inspiração a [[HesseMary Shelley]], naquando escreveu o seu romance gótico "[[AlemanhaFrankenstein]]" em 1818.
 
== Localização ==
O Castelo de Frankenstein fica no sul de [[Hesse]], na Alemanha, na cordilheira de [[Serra de Oden|Odenwald]] a uma altura de 370 metros, perto dos arredores sul da cidade de Darmstadt. É um dos muitos castelos históricos situados ao longo do Roteiro [[Bergstraße]] de Hesse, também conhecido pelas suas vinhas e clima ameno.
 
== Origem do nome Frankenstein ==
Frankenstein é um nome alemão formado por duas palavras: os Francos são uma tribo alemã e "stein" significa "pedra". Assim, o significado de Frankenstein é "''Pedra dos Francos''". A palavra "stein" é utilizada frequentemente em nomes de paisagens, locais e castelos na Alemanha. Por isso, o nome "Frankenstein" é bastante comum para um castelo nesta região.
 
==História==
Antes de 1250, o Senhor Conrad II Reiz de Breuberg construiu o Castelo de Frankenstein e, posteriormente, passou a utilizar o apelido de von und zu Frankenstein. O primeiro documento que prova a existência do castelo é datado de 1252 e tem o seu nome. Foi ele o fundador do baronato imperial independente de Frankenstein, que estava apenas sugeito à jurisdição do sacro-imperador e possuía terras em Nieder-Beerbach, [[Darmstadt]], Ockstadt, [[Wetteraukreis|Wetterau]] e Hesse. Além disso, os Frankenstains tinham outras posses e direitos de soberania como burgraves em [[Zwingenberg (Baden)|Zwingenberg]] (Auerbach (Bensheim)), Darmstadt, [[Groß-Gerau]], [[Frankfurt am Main]] e [[Bensheim]]. É provável que a colina onde o castelo foi construído tivesse sido ocupada por outro castelo do século XI, que ficou em ruínas depois de o Castelo de Frankenstein ser construído por perto. Existem também relatos de um edifício ainda mais antigo, mas não existem provas cientificas que o possam comprovar.
Os relatos mais antigos referentes a este castelo dão conta de que provavelmente foi construído pela família "''Von Frankenstein''".
 
Em 1292, os Frankensteins abriram o castelo aos condes de [[Katzenelnbogen]] (Condado de Katzenelnbogen) e estabeleceram uma aliança com eles.<ref>{{citar web|url=http://www.graf-von-katzenelnbogen.de/zeittafeldemandt.html|titulo=Chronik
 
Frankfurt - Wiesbaden - Mainz|data=|acessodata=05-03-19|publicado=|ultimo=Mohr|primeiro=Werner}}</ref>
 
Em 1363, o castelo foi dividido em duas partes e passou a pertencer a duas famílias diferentes dos senhores e cavaleiros de Frankenstein. No início do século XV, o castelo foi aumentado e modernizado. Os cavaleiros de Frankenstein tornaram-se novamente independentes dos condes de Katzenelnbogen.
 
Uma vez que se opunham à reforma e após alguns conflitos territoriais, assim como disputas com o [[Condado de Hesse-Darmstadt]], o facto de serem católicos e o "direito de patronagem" associado, o chefe da família, o Senhor João I, decidiu vender os seus domínios aos condes de Hesse-Darmstadt em 1662, depois de vários processos no tribunal da Câmara Imperial.
O [[alquimia|alquimista]] [[Johann Conrad Dippel]] ([[1673]]-[[1734]]) residiu neste castelo, sendo-lhe atribuída, por uma tradição local, a destruição da [[torre]] por uma violenta explosão, fruto do manuseio de [[nitroglicerina]], após o que teria sido expulso da região pela população enfurecida.
 
O castelo foi utilizado como refúgio e hospital, ficando em ruínas no século XVIII. As duas torres que o tornam tão distinto nos dias de hoje são o resultado de um restauro em meados do século XIX que não respeitou o castelo original.
Outra [[lenda]] pretende que Dippel desenvolvia pesquisas com [[cadáver]]es, na tentativa de trazê-los de volta à vida, e que algumas vezes assinava o seu nome nos cadáveres como "von Frankenstein", mesmo não sendo descendente da família. [[Mary Shelley]] ([[1797]]-[[1851]]) esteve com a família na região alguns meses antes de escrever a obra que a eternizaria, "[[Frankenstein]]". Acredita-se que tenha ouvido este [[folclore]] e nele se inspirado para criar o enredo da obra, embora jamais tenha feito menção a isso.
 
Na noite do Dia das Bruxas de 1952, John Keel enviou três repórteres da American Forces Network ao Castelo de Frankenstein para o explorar durante uma emissão de rádio em direto. Os repórteres afirmaram que uma lenda local dizia que o monstro de Frankenstein iria regressar ao castelo naquela noite. O repórter Carl Nelsol investigou a cripta do castelo, onde Keel tinha "colocado uma estátua no meio da cripta, e que a tinha manipulado para que movesse e tombasse" para assustar Nelson. Aparentemente, os ouvintes da emissão bombardearam a estação com chamadas e a polícia militar foi chamada ao castelo.
A [[planta (geometria descritiva)|planta]] do castelo Frankenstein foi a base para a construção do Castelo dos Jansen.
 
<br />
O castelo encontra-se atualmente em ruínas.
 
==Galeria==
8 402

edições