Diferenças entre edições de "Héstia"

Sem alteração do tamanho ,  19h44min de 9 de março de 2019
Posídon e Posidão são as grafias aceitas na Wikipedia.
(apenas alguns erros de escrita)
(Posídon e Posidão são as grafias aceitas na Wikipedia.)
'''Héstia''' ({{Lang-el|Ἑστία|Hestía}}), na [[mitologia grega]], era a [[deusa]] virgem grega do lar, lareira, arquitetura, vida doméstica, família e estado.
 
Filha de [[Cronos]] e [[Reia]], era uma das doze divindades olímpicas. A ordem de nascimento de seus irmãos, segundo [[Pseudo-Apolodoro]], é: [[Hera]] (a mais velha), seguida de [[Deméter]] e Héstia, seguidas de [[Hades]] e [[PoseidonPosídon]];<ref name="apolodoro.1.1.5">[[Pseudo-Apolodoro]], ''[[Biblioteca (Pseudo-Apolodoro)]]'', 1.1.5</ref> o próximo a nascer, [[Zeus]], foi escondido por [[Reia]] em [[Creta]],<ref name="apolodoro.1.1.6">[[Pseudo-Apolodoro]], ''[[Biblioteca (Pseudo-Apolodoro)]]'', 1.1.6</ref><ref name="higino.139" /> que deu uma pedra para Cronos comer.<ref name="higino.139" /><ref name="apolodoro.1.1.7">[[Pseudo-Apolodoro]], ''[[Biblioteca (Pseudo-Apolodoro)]]'', 1.1.7</ref> Higino enumera os filhos de [[Saturno (mitologia)|Saturno]] e [[Ops (mitologia)|Ops]] como [[Vesta]], [[Ceres (mitologia)|Ceres]], [[Juno]], [[Júpiter (mitologia)|Júpiter]], [[Plutão (mitologia)|Plutão]] e [[Netuno (mitologia)|Netuno]],<ref name="higino.prefacio">[[Higino]], ''Fabulae'', ''Prefácio''</ref> ele também relata uma versão alternativa da lenda, em que Saturno enterra [[Orco]] no [[Tártaro (mitologia)|Tártaro]] e Netuno em baixo do mar, em vez de comê-los.<ref name="higino.139">[[Higino]], ''Fabulae'', CXXXIX, ''Curetes''</ref>
 
Cortejada por PoseidonPosídon e [[Apolo]], jurou virgindade perante [[Zeus]], e dele recebeu a honra de ser venerada em todos os lares, ser incluída em todos os sacrifícios e permanecer em paz, em seu palácio cercada do respeito de deuses e mortais.
 
Embora não apareça com frequência nas histórias mitológicas, era admirada por todos os deuses. Era a personificação da moradia estável, onde as pessoas se reuniam para orar e oferecer sacrifícios aos deuses. Era adorada como protetora das cidades, das famílias e das colônias.
40 400

edições