Diferenças entre edições de "Cryptococcus neoformans"

11 bytes removidos ,  15h58min de 11 de março de 2019
m
Foram revertidas as edições de 201.78.241.103 para a última revisão de 179.108.130.86, de 21h55min de 22 de janeiro de 2019 (UTC)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 201.78.241.103 para a última revisão de 179.108.130.86, de 21h55min de 22 de janeiro de 2019 (UTC))
Etiqueta: Reversão
 
==Classificação==
0''Cryptococcus neoformans'' inclui duas variedades (v.): ''C. neoformans v. neoformans'' e ''v. grubii''. Uma terceira variedade, ''C. neoformans v. gattii'', é agora considerada uma espécie distinta, ''[[Cryptococcus gattii]]''. ''C. neoformans v. grubii'' e ''v. neoformans'' têm distribuição mundial e são frequentemente encontrados em solo contaminado com excremento de aves. O [[genoma]] de ''C. neoformans v. neoformans'' foi sequenciado e publicado em 2005.<ref>{{citar periódico|autor =Loftus BJ, et al. |título=The genome of the basidiomycetous yeast and human pathogen Cryptococcus neoformans |periódico=Science | volume=307 |número=5713 |páginas=1321–24 | pmid=15653466 | doi=10.1126/science.1103773 |ano=2005 }}</ref> Estudos recentes sugerem que as colónias de ''Cryptococcus neoformans'' e fungos relacionados que se desenvolvem nas ruínas do reactor [[Derretimento nuclear|derretido]] da [[Usina Nuclear de Chernobyl|Central Nuclear de Chernobyl]] podem ser capazes de utilizar a energia de [[Radiação corpuscular|radiação]] ([[radiação beta]] primária) para crescimento [[Fungo radiotrófico|radiotrófico]].<ref>{{citar periódico|autor =Dadachova E, ''et al.'' |título=Ionizing Radiation Changes the Electronic Properties of Melanin and Enhances the Growth of Melanized Fungi |periódico=PLoS One | volume=2(5)| doi=10.1371/journal.pone.0000457 | pmid=17520016 |ano=2007 |páginas=e457 |número=5 | pmc=1866175}}</ref>
''Cryptococcus neoformans'' inclui duas variedades (v.): ''C. neoformans v. neoformans'' e ''v. grubii''. Uma terceira variedade, ''C. neoformans v.:------ 0
0 gattii'', é agora considerada uma espécie distinta, ''[[Cryptococcus gattii]]''. ''C. neoformans v. grubii'' e ''v. neoformans'' têm distribuição mundial e são frequentemente encontrados em solo contaminado com excremento de aves. O [[genoma]] de ''C. neoformans v. neoformans'' foi sequenciado e publicado em 2005.<ref>{{citar periódico|autor =Loftus BJ, et al. |título=The genome of the basidiomycetous yeast and human pathogen Cryptococcus neoformans |periódico=Science | volume=307 |número=5713 |páginas=1321–24 | pmid=15653466 | doi=10.1126/science.1103773 |ano=2005 }}</ref> Estudos recentes sugerem que as colónias de ''Cryptococcus neoformans'' e fungos relacionados que se desenvolvem nas ruínas do reactor [[Derretimento nuclear|derretido]] da [[Usina Nuclear de Chernobyl|Central Nuclear de Chernobyl]] podem ser capazes de utilizar a energia de [[Radiação corpuscular|radiação]] ([[radiação beta]] primária) para crescimento [[Fungo radiotrófico|radiotrófico]].<ref>{{citar periódico|autor =Dadachova E, ''et al.'' |título=Ionizing Radiation Changes the Electronic Properties of Melanin and Enhances the Growth of Melanized Fungi |periódico=PLoS One | volume=2(5)| doi=10.1371/journal.pone.0000457 | pmid=17520016 |ano=2007 |páginas=e457 |número=5 | pmc=1866175}}</ref>
 
==Características==
40 095

edições