Diferenças entre edições de "Príncipe de Condé"

1 928 bytes removidos ,  06h54min de 23 de março de 2019
sem resumo de edição
{{Info/Casa real
{{sem-fontes|data=Maio de 2009}}
| nome = Casa de Condé
[[Ficheiro:Grand-conde.jpg|thumb|direita|250px|[[Luís II, Príncipe de Condé|Luís II]], ''o Grande Condé'', 4° Príncipe de Condé.]]
| país = {{FRA}}
'''Príncipe de Condé''' é um título aristocrático [[frança|francês]], utilizado entre os séculos [[século XVI|XVI]] e [[século XIX|XIX]], por membros de um ramo da [[casa de Bourbon]], descendente dos [[Duque de Vendôme|Condes e Duques de Vendôme]]. O título não corresponde a um [[principado]], como o [[principado do Mónaco]], e é equiparável à designação [[conde]] ou [[duque]]. Da mesma forma, os Príncipes de Condé não representam príncipes da casa real de França, isto é, filhos de monarca, embora tenham antepassados em comum: [[Luís I de Bourbon-Condé|Luís de Bourbon]], primeiro Príncipe de Condé, era tio por via paterna do rei [[Henrique IV de França]].
| títulos = Príncipe de Condé
| fundador = {{lknb|Luís|I|de Bourbon-Condé}}
| ano de fundação = 1546
*| último soberano = [[Luís IIIFilipe, Príncipe de Condé|Luís IIIFilipe]] (1668-1709-1710)
| ano de dissolução= 1866
| brasão = Arms of Henri de Conde.svg
}}
'''Príncipe de Condé''' era um título aristocrático [[frança|francês]], criado em referência à cidade de [[Condé-sur-l'Escaut]], que foi utilizado por um ramo cadete da [[Casa de Bourbon]].{{sfn|name=Bri1911|Britânica|1911}}
 
== História ==
Os Príncipes de Condé ocuparam o topo hierárquico da aristocracia francesa, em termos de precedência, protocolo e cerimonial de corte com a designação de ''Premier Prince du Sang Royal'' (primeiro príncipe de sangue real) e o tratamento oficial de ''Monsieur le Prince''. Apesar da contestação da [[casa de Guise]], o estatuto manteve-se até [[1710]], quando a distinção passou para a [[casa de Orléans]] após a morte de [[Luís III, Príncipe de Condé|Luís III]]. A partir desta data, os Príncipes de Condé, apesar de assim se conservarem, passaram a preferir usar no dia-a-dia o título [[Duque de Bourbon]] e o tratamento ''Monsieur le Duc''. Os filhos mais velhos dos Príncipes de Condé eram conhecidos como '''Duque de Enghien''' e as filhas solteiras, como era hábito na alta aristocracia da França absolutista, utilizavam propriedades subsidiárias da casa paterna como título de cortesia, por exemplo, ''Mademoiselle de Gex'' ou ''Mademoiselle de Sens''. A '''casa de Bourbon-Condé''' ramificou-se, por sua vez, em [[1629]], quando [[Henrique II, Príncipe de Condé|Henrique II]] conferiu o título de [[Príncipe de Conti]] ao seu filho mais novo, [[Armando, Príncipe de Conti|Armando de Bourbon]].
 
O primeiro a assumir o título foi o líder [[huguenotes|huguenote]] {{lknb|Luís|I|de Bourbon-Condé}}, quinto filho de [[Carlos de Bourbon, duque de Vendôme|Carlos de Bourbon]]. Seu filho {{lknb|Henrique|I|de Bourbon-Condé}} também pertencia ao partido huguenote. Fugindo ao [[Sacro Império Romano-Germânico]], criou um pequeno exército com o qual em 1575 se juntou a [[Alençon]]. Se tornou líder huguenote, mas após vários anos de luta foi levado prisioneiro de guerra. Pouco tempo depois morreu de envenenamento, segundo a crença à época, pelas mãos de sua esposa [[Catarina de la Trémouille|Catarina]]. O evento despertou fortes suspeitas acerca da legitimidade de {{lknb|Henrique|II|de Bourbon-Condé}}. O rei {{lknb|Henrique|IV|de França}}, contudo, não usou o escândalo e em 1609, o fez se casar com [[Carlota de Montmorency|Carlota]], com quem, para evitar os galanteios do rei, o príncipe foi à [[Espanha]] e então [[Península Itálica|Itália]]. <ref name=Bri1911 />
As propriedades dos Príncipes de Condé estão associadas ao senhorio de Condé-en-Brie, em [[Champagne]], adquirido pela casa de Bourbon-Vendôme em [[1487]], através do casamento de Maria do Luxemburgo, Condessa de St.Pol, com Francisco de Bourbon, Conde de Vendôme. O único filho do casal, [[Carlos, Duque de Vendôme|Carlos de Bourbon]], tornou-se primeiro Duque de Vendôme e líder da [[casa de Bourbon]] em [[1527]], após a morte sem descendentes de [[Carlos III, Duque de Bourbon]]. Do seu casamento com Francisca de Alençon, Duquesa de Beaumont, Vendôme teve dois filhos. [[António de Bourbon, Duque de Vendôme|António]], o mais velho, herdou o seu título em [[1537]], tornou-se rei consorte de [[Navarra]], através do casamento com a rainha [[Joana III de Navarra|Joana III]] e foi o pai do futuro Henrique IV. [[Luís I, Príncipe de Condé|Luís]], o mais novo, herdou o condado de Soissons, os senhorios de [[Meaux]] e [[Nogent]] e tornou-se no primeiro Príncipe de Condé, por carta parlamentar datada de [[15 de Janeiro]] de [[1557]].
 
Com a morte do rei, retornou à França e intrigou-se com a regente, [[Maria de Médici]], mas foi confinado por três anos {{nwrap||1616|1619}}. Durante o resto de sua vida, Condé foi um servo fiel do rei, se esforçando para apagar a memória das conexão huguenote de sua casa, e zelando pela perseguição aos protestantes. Sua ambição transformou-se no desejo pelo engrandecimento seguro de sua família e com esse fim se curvou diante do [[cardeal de Richelieu]], cuja sobrinha [[Clementina de Maillé|Clementina]] casou com seu filho {{lknb|Luís|II|de Bourbon-Condé}}. [[Henrique Júlio, Príncipe de Condé|Henrique Júlio]], o sucessor, lutou com distinção sob Luís no [[Franco Condado]] e Países Baixos. O fim de sua vida foi marcado por fantasias hipocondríacas singulares. Seu neto, Luís Henrique, ministro de {{lknb|Luís|XV|de França}}, não assumiu o título que lhe pertencia.<ref name=Bri1911 />
A casa de Condé depressa ganhou relevo político e militar no meio dos conflitos dinásticos e religiosos da França do século XVI. Luís I e [[Henrique I, Príncipe de Condé|Henrique I]] foram generais activos da causa [[protestante]] que morreram em batalha. O terceiro Príncipe, [[Henrique II, Príncipe de Condé|Henrique II]], foi o herdeiro presuntivo da coroa de França entre [[1589]] e [[1601]], data do nascimento do futuro [[Luís XIII de França|Luís XIII]]. Seu filho mais velho, [[Luís II, Príncipe de Condé|Luís II]], mais conhecido como ''o Grande Condé'', foi um dos generais mais importantes do início do reinado de Luís XIV e foi alcunhado como o [[Alexandre III da Macedónia|Alexandre]] francês.
 
O filho do duque de Bourbon, {{lknb|Luís|V|José de Bourbon-Condé}}, depois de receber boa educação, destacou-se na [[Guerra dos Sete Anos]] e, acima de tudo, pela sua vitória em [[Joanisberga]]. Como governador da Borgonha, fez muito para melhorar as indústrias e meios de comunicação daquela província. Na [[Revolução Francesa|Revolução]], pegou em armas em nome do rei, tornou-se comandante do "exército de Condé" e lutou em conjunto com os [[Império Austríaco|austríacos]] até o [[Tratado de Campoformio]] em 1797, sendo durante o último ano sob o pagamento da [[Grã-Bretanha|Inglaterra]]. Então serviu o [[imperador da Rússia]] na Polônia, e depois disso (1800) retornou ao pagamento da Inglaterra, e lutou na [[Eleitorado da Baviera|Baviera]]. Em 1800, chegou à Inglaterra, onde viveu por vários anos. Com a restauração de {{lknb|Luís|XVIII|de França}}, voltou à França, morrendo em [[Paris]] em 1818.<ref name=Bri1911 />
O elevado estatuto social da casa de Bourbon-Condé é evidente pelas uniões matrimoniais contratadas com as principais casas de França ao longo de toda a sua história, incluindo a casa de Orléans e casamentos recíprocos com a descendência ilegítima do rei [[Luís XIV de França]]: [[Luís III, Príncipe de Condé|Luís III de Condé]] casou com Luísa Francisca, Mlle de Nantes, e a sua irmã Ana-Benedita com Luís Augusto, Duque de Maine. Talvez por existir à partida um laço familiar, a maioria dos matrimónios dos Condés foram com a [[Príncipe de Conti|casa de Bourbon-Conti]].
 
{{referências}}
A casa de Bourbon-Condé extinguiu-se em [[1830]], quando o último príncipe, [[Luís Henrique II, Príncipe de Condé|Luís Henrique II]], morreu sem descendência, após a morte prematura do seu filho [[Louis Antoine Henri de Bourbon-Condé|Luís António]], executado por ordens de [[Napoleão Bonaparte]].
 
== Príncipes de CondéBibliografia ==
[[Ficheiro:Armes Bourbon-Condé.png|thumb|direita|200px|As armas dos Príncipes de Condé.]]
 
* {{Citar livro|ref={{harvid|Britânica|1911}}|ano=1911|título=Enciclopédia Britânica Vol. VI|capítulo=Princes of Condé|editora=Encyclopædia Britannica, Inc.|local=Nova Iorque|capítulourl=https://en.wikisource.org/wiki/1911_Encyclop%C3%A6dia_Britannica/Cond%C3%A9,_Princes_of|ref=harv}}
:As datas representam ''nascimento – herança - morte''
 
{{Príncipes de Condé}}
* [[Luís I de Bourbon-Condé|Luís I]] (1530-1557-1569)
* [[Henrique I, Príncipe de Condé|Henrique]] (1552-1569-1588)
* [[Henrique II, Príncipe de Condé|Henrique II]] (1588-1588-1646)
** [[Príncipe de Conti|Príncipes de Conti]]
* [[Luís II de Bourbon-Condé|Luís II]], ''o Grande Condé'' (1621-1646-1686)
* [[Henrique III, Príncipe de Condé|Henrique III]] (1643-1646-1709)
* [[Luís III, Príncipe de Condé|Luís III]] (1668-1709-1710)
* [[Luís Henrique I, Príncipe de Condé|Luís Henrique I]] (1692-1710-1740)
* [[Luís José, Príncipe de Condé|Luís José]] (1736-1740-1818)
* [[Luís Henrique II, Príncipe de Condé|Luís Henrique II]] (1756-1818-1830)
** [[Louis Antoine Henri de Bourbon-Condé|Luís António de Bourbon-Condé]], [[Duque de Enghien]] (1772 - executado 1804)
 
{{DEFAULTSORT:Principe Conde}}
[[Categoria:HistóriaPríncipes dade FrançaCondé]]