Diferenças entre edições de "Automonitoramento"

2 445 bytes adicionados ,  15h52min de 23 de março de 2019
sem resumo de edição
'''Auto-monitoramento''' é um conceito introduzido durante a década de 1970 por Mark Snyder , que mostra o quanto as pessoas monitoram suas auto-apresentações, comportamento expressivo e exibições afetivas não-verbais. <ref> Dia e Schleicher, 2009 </ref> Os seres humanos geralmente diferem substancialmente em suas habilidades e desejam se engajar em controles expressivos. <ref name="Snyder, 1974"> Snyder, 1974 </ref> É definido como um [[Teoria dos traços de personalidade|traço de personalidade]] que se refere à capacidade de regular o comportamento para acomodar situações sociais. As pessoas preocupadas com sua auto-apresentação expressiva tendem a monitorar de perto seu público para garantir aparências públicas apropriadas ou desejadas. <ref name=":0">{{Citar periódico|titulo=The Geography of Stigma Management|jornal=Socius: Sociological Research for a Dynamic World|volume=2|doi=10.1177/2378023115625172}}</ref> Os auto-monitores tentam entender como os indivíduos e grupos perceberão suas ações. Alguns tipos de personalidade geralmente agem espontaneamente (auto-monitores baixos) e outros são mais propensos a controlar propositalmente e ajustar conscientemente seu comportamento (altos monitores automáticos). <ref name=":1">{{Citar livro|título=Public Appearances, Private Realities: The Psychology of Self-Monitoring|ultimo=Snyder|primeiro=Mark|isbn=978-0716717973}}</ref> Estudos recentes sugerem que deve ser feita uma distinção entre o automonitoramento aquisitivo e o protetor, devido às suas diferentes interações. <ref>{{Citar periódico|titulo=Self-Monitoring and the Metatraits|jornal=Journal of Personality|volume=84|doi=10.1111/jopy.12162|issn=1467-6494|pmid=25565551}}</ref> Isso diferencia o motivo por trás dos comportamentos de automonitoramento: com o propósito de adquirir avaliação de outros (aquisitivo) ou proteger-se da desaprovação social (proteção).
 
== Auto-monitoramento comportamental e acadêmico ==
Auto-monitoramento é categorizado em dois grupos, auto-monitoramento compartamental e auto-monitoramento acadêmico.
Auto-monitoramento comportamental é mais abrangente em comparação com o auto-monitoramento acadêmico e também tem um papel em dirigi-lo. <ref name="Snyder, 1974"> Snyder, 1974 </ref>
Indivíduos que se monitoram comportamentalmente são muito mais propensos a monitorar-se academicamente também, se não houver problema em suas atividades mentais. Além de processos internos, tais como motivação, autoconfiança, autogestão e auto-regulação, processos externos como vida social e elementos culturais têm um efeito sobre a capacidade do indivíduo de se auto-monitorar comportamentalmente.<ref>Snyder, M. (1987). The psychology of self-monitoring. New York: WH Freeman/Times Books.</ref>
 
Quando se trata de automonitoramento acadêmico, também é necessário usar estratégias metacognitivas na aprendizagem acadêmica. Da mesma forma, o automonitoramento também é uma habilidade vital para o indivíduo que pode usar estratégias de aprendizagem, regular sua própria aprendizagem, isto é, para o indivíduo que aprendeu a aprender.<ref>Ekiz, D. (2006). Kendini ve Başkalarını İzleme: Sınıf Öğretmeni Adaylarının Yansıtıcı Günlükleri. İlköğretim
Online , 5(1), 45-57</ref> <ref>Demir, Ö., & Doğanay, A. (2009). Öğretmen Eğitiminde Bilişsel Koçluk Yaklaşımı. Uludağ Üniversitesi Eğitim
Fakültesi Dergisi , XXII (2) 717-739.</ref> <ref>Güvenç, H. (2011). Çalışma günlüklerinin 6. sınıf öğrencilerinin özdüzenlemeli öğrenmeleri üzerindeki etkileri.
Hacettepe Üniversitesi Eğitim Fakültesi Dergisi (41), 206-218</ref>
Auto-monitoramento acadêmico também é uma habilidade necessária para educação acessível. Um indivíduo que possa monitorar seus aspectos acadêmicos perceberá suas fraquezas e ele / ela irá, portanto, tomar precauções contra essas fraquezas. Em termos de aquisição, o automonitoramento comportamental é mais difícil e mais abrangente em comparação com o automonitoramento acadêmico.<ref>Arslantas, S. & Kurnaz, A. (2017). The effect of using self-monitoring strategies in social studies course on self-monitoring, self-regulation and academic achievement. International Journal of Research in Education and Science (IJRES), 3(2), 452-463. DOI: 10.21890/ijres.327905</ref>
 
== Escala Snyder de Automonitoramento ==
21

edições