Diferenças entre edições de "Marília Arraes"

248 bytes removidos ,  00h06min de 26 de março de 2019
m
Em outubro de 2016, Marília disputou novamente as eleições municipais para continuar ocupando a casa legislativa com um mandato ativo de fiscalização, concorrendo ao seu terceiro mandato. Foi eleita com 11.872 votos, uma das maiores votações da atual legislatura e uma das mais expressivas entre os parlamentares do PT nas regiões Nordeste, Norte, Sul e Centro-Oeste. Assumiu a liderança da bancada de oposição na Casa José Mariano, reafirmando sua posição política e sua luta ao lado do povo recifense em busca de uma cidade melhor.
 
Comprometida com as causas sociais e com os direitosideais civis, trabalhistas edo humanospartido, Marília esteve à frente do grupo de parlamentares e lideranças que coordenou toda a resistência contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, as reformas golpistas, o avanço do fascismo e do discurso de ódio, as ameaças contra a democracia e toda a perseguição política-jurídica-midiática contra o ex-presidente LuizDilma Inácio Lula da SilvaRousseff.
 
Em 2018, foi convocada pela militância para disputar a pré-candidatura ao Governo do Estado. Chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto, mas o projeto não foi efetivado em função de orientações nacionais do partido, que optou pela consolidação de uma aliança com outras legendas e o apoio à reeleição do então governador, Paulo Câmara.
Utilizador anónimo