Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
| anos =
| local = [[Sambódromo da Marquês de Sapucaí|Rua Marquês de Sapucaí]], [[Estrada Intendente Magalhães]] e Avenidas principais.
| nº de edições = 125126 (até 2019)
| fundadores = [[Hilário Jovino Ferreira]]<br />[[Deixa Falar]]<br />[[Mundo Sportivo]]
| data = Sete semanas antes do Domingo de Páscoa
| site =
}}
'''Carnaval do [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]]''' é uma [[festa popular]] de cunho religioso e histórico-social realizada durante cinco dias consecutivos no mês de fevereiro desde 1892[[1893]] com a criação do primeiro [[rancho carnavalesco]], o "Reis de Ouro", pelo pernambucano [[Hilário Jovino Ferreira]].<ref>{{citar web|url=http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Dossi-%20Matrizes%20do%20Samba.pdf|título=Dossiê das Matrizes do Samba no Rio de Janeiro|publicado=IPHAN|acessodata=23-11-2017}}</ref> Esse festival é considerado o maior [[carnaval]] do mundo pelo [[Livro dos Recordes]]. Trata-se de uma [[celebração]] mundialmente famosa, constituída por diferentes tipos de manifestações culturais, como desfiles de [[escola de samba]], [[Baile de máscaras|bailes de máscaras]], festas móveis dos [[Bloco carnavalesco|blocos de embalo]] seguidos por seus ''foliões'' fantasiados, e ainda [[Banda marcial|bandas de rua]] e blocos de enredo ("escolas de samba" de pequeno porte), chamados de ''cordões''. Também se caracteriza pela irreverência e banalidade, pelos nomes de duplo sentido (especialmente dos blocos) e pela diversidade cultural, musical e sexual.
 
O [[Desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro|desfile competitivo das escolas de samba]] foi idealizado pelo jornalista pernambucano [[Mário Filho]] (irmão do dramaturgo [[Nelson Rodrigues]] e pernambucano assim como o Hilário Jovino), que organizou através do seu periódico [[Mundo Sportivo]] o primeiro certame oficial, no ano de [[1932]].<ref name="MultiRio"/><ref name="MultiRio2">{{Citar web|url=http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/leia/reportagens-artigos/reportagens/493-mario-filho-o-jornalista-que-ajudou-a-construir-a-alma-carioca|título=Mario Filho: futebol, carnaval e construção da alma carioca|publicado=Portal MultiRio|acessodata=22-7-2017}}</ref><ref>{{Citar web|url=https://extra.globo.com/noticias/carnaval/80-anos-de-desfile/mario-filho-inventou-desfile-das-escolas-de-samba-pra-encher-paginas-de-jornal-3670502.html|título=Mário Filho inventou o desfile das escolas de samba pra encher páginas de jornal|publicado=Extra Online|acessodata=22-7-2017}}</ref>
 
Após um período de decadência dos festejos de rua nas décadas de 80 e 90, quando o carnaval da cidade resumia-se quase que unicamente aos desfiles das escolas de samba, o carnaval dos blocos e bandas de rua voltou a crescer, entrando oficialmente para o Guinness Book.<ref>[http://www.guinnessworldrecords.com/records-11000/largest-carnival/ Largest Carnival] ''Guinness World Records''.</ref> Atualmente, o carnaval de rua da cidade é cerca de cinco vezes maior que os festejos realizados pelas escolas de samba e apresenta-se como um evento multifacetado, possuindo: blocos dos mais variados ritmos, como samba, marchinhas, ritmos nordestinos, entre outros; e blocos temáticos que tocam de [[Mamonas Assassinas]] a [[Beatles]].<ref>{{citar web|URL = http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/01/1576762-no-rio-carnaval-de-rua-supera-folia-na-avenida.shtml|título = No Rio, carnaval de rua supera folia na avenida|data = |acessadoem = 19.01.2015|autor = |publicado = }}</ref><ref>{{citar web|URL = http://brasil.estadao.com.br/noticias/rio-de-janeiro,mamonas-assassinas-sao-tema-de-bloco-de-carnaval-no-rio,1621057|título = Mamonas Assassinas são tema de carnaval no Rio|data = |acessadoem = 19.01.2015|autor = |publicado = Estadão}}</ref>
15 972

edições